28 de abril de 2021

Revista esquerdista Ultimato lamenta morte de pastor esquerdista René Padilla

 

Revista esquerdista Ultimato lamenta morte de pastor esquerdista René Padilla

Julio Severo



Em um editoral intitulado “René Padilla (1932-2021). Um lamento da igreja latino-americana,” a revista Ultimato, que é de orientação calvinista esquerdista, disse:

A igreja latino-americana lamenta hoje, em especial, a partida do nosso querido pastor e amigo, o teólogo René Padilla (1932-2021).

Fundador e presidente da Rede Miqueias, foi também membro-fundador da Fraternidade Teológica Latino-Americana e diretor de Ediciones Kairos.

Conhecido como “pai da missão integral”, René Padilla deixou sua marca também no Congresso de Lausanne, em 1974, coordenado por John Stott, que produziu o conhecido Pacto de Lausanne.

Não se esperava outra atitude da revista Ultimato. Esquerdista sempre defende esquerdista.

Embora eu lamente a morte de Padilla, principalmente porque ele nunca veio a se arrepender de proclamar um evangelho tão ideológico, é preciso apontar que enquanto o verdadeiro Evangelho aproxima as pessoas de Jesus Cristo, sua salvação, libertação e cura, a Teologia da Missão Integral (TMI) aproxima as pessoas das ideias e sentimentos de Karl Marx.

O Congresso de Lausanne se esquerdizou tanto, graças principalmente aos esforços de Padilla, que Billy Graham foi se afastando desse evento que era inicialmente financiado por ele. Eventualmente, Graham parou de financiá-lo, exclusivamente por causa do esquerdismo.

O esquerdismo de Padilla em Lausanne foi confrontado por C. Peter Wagner.

Em 2015, escrevi “O espírito de Karl Marx em Lausanne: Teologia da Missão Integral” para explicar a teologia de Padilla.

Padilla teve influência predominante entre protestantes tradicionais, especialmente calvinistas. A Ultimato é prova disso.

Em 2017, Padilla, patrocinado pela Visão Mundial do Brasil, estava agendado para palestrar num seminário da Assembleia de Deus, mas o evento foi cancelado.

A aproximação de assembleianos aos calvinistas vem produzindo aproximações às várias teologias que influenciam as igrejas calvinistas. A TMI é uma delas.

Em 2020, um marxista ateu recomendou como exemplo cristão René Padilla. O que ele gostou em Padilla não foi o Evangelho puro — que não estava presente em Padilla. O que ele gostou foi do marxismo — presente em abundância em Padilla e em seu “evangelho.”

As igrejas esquerdistas latino-americanas estão lamentando a perda de uma de suas vozes mais importantes. Eu lamento que ele tenha ideologizado o Evangelho por amor ao marxismo.

O que precisamos é mais Evangelho e menos ideologia esquerdista no Evangelho e nas igrejas.

Não precisamos de vozes esquerdistas para deturpar o Evangelho. Precisamos de vozes límpidas que proclamem o Evangelho tal que Jesus proclamou — sem nenhuma mistura marxista.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

O espírito de Karl Marx em Lausanne: Teologia da Missão Integral

Quem se lembra do Movimento Evangélico Progressista? Quem se lembra de seu fundador, Bispo Robinson Cavalcanti?

A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil

Marxista recomenda pastores que seguem um homem de barba que ele pensa ser Jesus — mas é na verdade Karl Marx

A esquerda apologética e o neopentecostalismo

Teologia socialista na Assembleia de Deus no Brasil

Não seja um facilitador do mal! Lições de Lausanne

Lausanne, TMI e Israel

Por que esconder a real intenção da Teologia da Missão Integral?

Teologia da Missão Integral

C. Peter Wagner, pioneiro do movimento apostólico moderno e pioneiro combatente da TMI, parte para o céu

Nenhum comentário :