10 de abril de 2021

Pastores presbiterianos condenam preconceito e soberba do teólogo cessacionista Augustus Nicodemus contra pentecostais

 

Pastores presbiterianos condenam preconceito e soberba do teólogo cessacionista Augustus Nicodemus contra pentecostais

Julio Severo

O Rev. Augustus Nicodemus foi entrevistado pelo jornal esquerdista Folha de S. Paulo, que é notoriamente antievangélico. A entrevista seguiu o próprio perfil do jornal, com muitos ataques aos evangélicos, principalmente pentecostais.


 

Apesar dos ataques aos pentecostais, Nicodemus é um palestrante proeminente na VINACC (conhecida hoje simplesmente como Visão Nacional da Consciência Calvinista). Ele é também o único calvinista brasileiro a palestrar na Conferência Nacional Ligonier, um evento calvinista de R. C. Sproul que reúne calvinistas cessacionistas de todo o mundo.

Cessacionismo é a heresia que diz que profecias, revelações e outros dons sobrenaturais do Espírito Santo cessaram 2 mil anos atrás.

Provavelmente, é a heresia cessacionista que leva Nicodemus a ter opiniões hostis aos pentecostais e neopentecostais.

Embora tradicionalmente a Igreja Presbiteriana do Brasil nunca tenha condenado a hostilidade de Nicodemus contra os pentecostais, importantes mudanças estão vindo de prominentes pastores presbiterianos.

Tão logo a entrevista de Nicodemus foi publicada na Folha de S. Paulo em 6 de abril de 2021, o Rev. André Mendonça, pastor presbiteriano que havia sido escolhido anteriormente como ministro da Justiça pelo Presidente Jair Bolsonaro, disse:

“Lamentável a forma preconceituosa e soberba com que Augustus Nicodemus se refere aos pentecostais. Milhões de vidas foram salvas através das igrejas pentecostais. Elas dão pão ao faminto, choram com os que choram e são o pronto socorro espiritual de quem nada tem.”


 

Ele acrescentou:

“O Brasil deve muito aos pentecostais! Eles levam o Evangelho aos presídios, favelas, vilarejos e ribeirinhos. Estão onde religiosos elitistas não se dispõem a estar.”


 

Outros importantes pastores presbiterianos também condenaram a soberba e preconceito antipentecostal de Nicodemus. O Rev. Milton Ribeiro, que é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil e ministro da Educação no governo do Presidente Jair Bolsonaro, disse:

“Como pastor presbiteriano e ministro de Estado, embora respeite o direito de cada um expressar sua opinião, não posso concordar e fiquei entristecido pela forma com que um pastor presbiteriano se referiu aos meus irmãos pentecostais. Falou unicamente em seu nome e não em nome da Igreja Presbiteriana do Brasil, que se pronuncia oficialmente através de seus concílios e por meio de sua direção máxima.”


 

O ministro Ribeiro acrescentou:

“Os irmãos pentecostais são muitas vezes, e em muitos aspectos, exemplo para mim em termos de dedicação, consagração e desprendimento pela causa do Evangelho. Em um tempo em que parte da mídia tenta destruir valores e princípios próprios do Evangelho, temos sim que ressaltar o que nos une: Deus, Família e Pátria. Todos nós somos herdeiros do pentecostes. Eu também sou pentecostal.”


 

A atitude de pastores presbiterianos em condenar a soberba e preconceito antipentecostal de Nicodemus é louvável.

A hostilidade de Nicodemus contra os pentecostais e neopentecostais contrasta fortemente com sua falta de hostilidade aos maiores teólogos marxistas do Brasil. Por exemplo, quando em 2012 denunciei que o Bispo Robinson Cavalcanti, que havia sido assassinado pelo próprio filho drogado, era a personalidade evangélica marxista mais importante do Brasil, sem necessidade alguma Nicodemus, Renato Vargens, Euder Faber, Franklin Ferreira e outros calvinistas iniciaram uma guerra contra mim para proteger a imagem do comunista assassinado.

Sem querer, Nicodemus exaltou o neopentecostalismo. Em 2018, o candidato socialista Fernando Haddad, que perdeu para Jair Bolsonaro, confessou que a grande causa da derrota dele foi o neopentecostalismo e a Teologia da Prosperidade. Mas se Nicodemus estiver certo em seu argumento de que o neopentecostalismo e a Teologia da Prosperidade devem ser eliminados, a consequência óbvia é que Bolsonaro também será eliminado e petistas como Haddad terão muito mais chances de conquistar o poder.

Enquanto Nicodemus e seus adeptos cessacionisas não são conhecidos por se engajarem na guerra cultural, principalmente contra o aborto e a agenda gay, suas vítimas neopentecostais, especialmente Silas Malafaia, são muito conhecidos por denunciarem o marxismo, o aborto e a agenda gay.

Foi muito louvável o ministro Milton Ribeiro condenar a soberba de Nicodemus. Já que ele adotou a postura de defender e ajudar os pentecostais, gostaria também de ajudá-lo. Ele tem várias vezes elogiado e recomendado Carlos Nadalim, um extremista esotérico no MEC que publicou um vídeo com escritores antievangélicos. Elogiar a malícia e o extremismo de Nadalim é tão impróprios quanto elogiar a soberba e preconceito de Nicodemus contra os pentecostais.

Se as opiniões antipentecostais de Nicodemus merecem ser condenadas pelo ministro da Educação, o vídeo antievangélico de Nadalim também não merece?

Versão em inglês deste artigo: Brazil’s Presbyterian Ministers Condemn Prejudice and Arrogance by Cessationist Theologian Augustus Nicodemus Against Pentecostals

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Mentes escravas trabalhando para escravizar a mente das crianças do Brasil

Ex-chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie critica neopentecostais em jornal tradicionalmente esquedista e hostil aos evangélicos

Quem se lembra do Movimento Evangélico Progressista? Quem se lembra de seu fundador, Bispo Robinson Cavalcanti?

Por que um teólogo calvinista cessacionista não pode usar seu púlpito para cruzadas contra o aborto, a sodomia e o feminismo, mas pode usá-lo para cruzadas contra pentecostais e neopentecostais?

Fernando Haddad reconhece que o maior responsável pela sua derrota nas urnas foi o “fenômeno evangélico”

Pastores presbiterianos ou reformados, metodistas, luteranos e de outras denominações protestantes tradicionais são o principal apoio evangélico ao “casamento” entre indivíduos do mesmo sexo

5 comentários :

Anônimo disse...

Uma coisa que o Nicodemos esta certo mesmo é sobre a teologia da prosperidade. Isso é um câncer no meio pentecostal que esta tirando o foco em Cristo e colocando o foco em bens materiais, pessoas vão pras igrejas não por arrependimento, mas sim para pedir luxos, e os pastores que pregam essa porcaria lucram rios de dinheiro com essas pessoas dando quantias de dinheiro para eles. A teologia da prosperidade é uma vergonha para o meio evangélico, reduziu a fé a um mero mercado ganancioso, não a toa ganhou força na década de 80 e 90 a partir dos Estados Unidos, o pais que no ultimo meio século valoriza mais a riqueza do que a própria vida humana, cuspindo em seu passado cristão. Não se difere muito da Igreja Católica Romana que os protestantes tanto enfrentaram a alguns séculos, que também vendia a fé. Mas Augusto esta errado em criticar os milagres e dons espirituais, e também em promover a teologia da missão integral, que só é menos prejudicial que a da prosperidade porque é menos conhecida mesmo, transformando a fé cristã em palco para esquerdistas.

Thel disse...

Sei de uma coisa: se o mundo dependesse de sujeitos como esse Nicodemus para evangelizá-lo, então este planeta seria hoje totalmente ateu. O sujeito é o que a Bíblia descreve no Livro do Apocalipse: cego, miserável e nu!
Coloco-o no rol dos falsos cristãos do Brasil, junto com Caio Fábio e outros canalhas.

Silas Cândido disse...

Concordo plenamente. Mas parece que o Julio Severo (mesmo sendo um homem muito inteligente e sábio) gosta de defender os neopentecostais. Que moral e respeito entre os descrentes tem líderes como Valdomiro, Edir e Malafaia? Nenhuma! O neopentecostalismo é uma das piores desgraças teológicas dos tempos modernos.

Julio Severo disse...

Calvinistas como Nicodemus preferem ver o neopentecostalismo como praga, mas eu não vejo assim. O neopentecostalismo nasceu nos EUA como resposta à ameaça comunista. Silas Malafaia faz um excelente trabalho de denunciar a agenda gay e de aborto. Quanto a Edir Macedo, note que ele condena profecias e revelações para os dias de hoje. Essa é a mesma heresia cessacionista seguida por calvinistas que odeiam o neopentecostalismo. Assim, Macedo é meio calvinista, até mesmo quando ele apoia o aborto, pois a maior denominação presbiteriana do mundo, a PCUSA nos EUA, também apoia o aborto.

Johnny Banderas disse...

O Pr. Renato Vargens fez um posicionamento indireto sem citar nomes a entrevista do Nicodemus, sem citar nomes, mas sumiu a postagem dele, provavelmente foi apagado.