24 de março de 2021

Vítima de tráfico sexual no Facebook revela como o predador enviou seu pedido de amizade, atraiu-a aos 15 anos com promessa de emprego de modelo — depois a estuprou e forçou-a a fazer sexo com estranhos que pagavam

 

Vítima de tráfico sexual no Facebook revela como o predador enviou seu pedido de amizade, atraiu-a aos 15 anos com promessa de emprego de modelo — depois a estuprou e forçou-a a fazer sexo com estranhos que pagavam

Keith Griffith para o Dailymail.com

Uma vítima de tráfico sexual falou sobre sua provação horrível em um alerta para meninas vulneráveis, revelando como um predador usou o Facebook para atraí-la quando ela tinha apenas 15 anos de idade.



A mulher, de 24 anos, pediu para permanecer anônima e estava com muito medo de revelar seu rosto enquanto descrevia sua experiência de pesadelo em uma entrevista no programa “60 Minutes” (60 Minutos) que foi ao ar no domingo à noite.

Ela descreveu como o traficante usou o Facebook para ganhar sua confiança antes de estuprá-la e postar um anúncio na Backpage.com para vendê-la por sexo a estranhos.

A vítima tem um processo pendente contra o Facebook, acusando a empresa de não adotar medidas contra predadores sexuais em sua plataforma. Um porta-voz do Facebook disse ao Dailymail.com que a empresa adota fortes medidas para impedir o tráfico sexual.

Claramente dominada pela emoção, a mulher conhecida apenas como Jane Doe se esforçou para se compor e compartilhar sua provação na entrevista do “60 Minutos.”

“Não acho que posso fazer isso,” ela disse para a correspondente Laurie Segall antes de se levantar para deixar a entrevista. Momentos depois, Doe sentou-se e concordou em continuar.

Em 2012, a jovem tinha apenas 15 anos e vivendo com a mãe no Texas quando recebeu um pedido de amizade de alguém que ela acreditava era de sua própria idade.

“Eu queria ter todos os meus amigos no Facebook,” lembrou a mulher.

Na realidade, seu novo amigo online era um traficante sexual disfarçado, usando uma conta falsa.

O predador a aliciou no Facebook, dizendo a ela que ela era bonita e oferecendo pagar US$ 2.000 por semana para trabalhar como modelo.

“Ele esperou até que eu entrei em uma discussão com minha mãe,” lembrou ela. “E eu só queria ir. Então eu estava sentindo que a melhor opção era fazer US$ 2.000 sendo um modelo.”

O predador sexual a pegou em sua casa e levou-a para um hotel para tirar “fotos de modelagem” — mas Jane Doe rapidamente percebeu que algo estava terrivelmente errado.

“Eu estava basicamente pensando, ‘essas não são fotos de modelagem.’ Eu estava meio nua, com sutiã e calcinha, e eu disse a ele, eu quero ir para casa, não quero estar aqui,” ela disse.

“E assim que eu disse isso, fui atingida,” acrescentou ela. O predador então estuprou a menina adolescente, antes de tirar fotos explícitas dela e postando-as no Backpage.com, que era então o maior mercado online dos EUA para a prostituição.

Respostas ao anúncio inundadaram, e ao longo de 12 horas, o traficante permitiu que numerosos estranhos estuprassem a garota menor de idade enquanto ele coletava o dinheiro, revelou a vítima traumatizada.

A garota acabou conseguindo acesso ao seu celular e ligou para a mãe, que imediatamente alertou a polícia.

O traficante sexual e outro estuprador foram presos em flagrante, e mais tarde condenados a múltiplas décadas de prisão depois que a vítima bravamente testemunhou contra eles.

O programa de notícias não forneceu os nomes dos criminosos e não deu detalhes suficientes para que seus crimes fossem rastreáveis aos registros públicos.

Backpage.com foi apreendida por autoridades federais em 2018, depois que uma investigação revelou que se tornou um centro de prostituição ilegal, muitas vezes envolvendo menores.

Agora, Jane Doe está processando o Facebook em um caso que pode ir até o Supremo Tribunal, alegando que a empresa de mídia social não faz o suficiente para parar o tráfico sexual em sua plataforma.

“É inacreditável para mim, é inimaginável. Eu nunca pensei que com 24 anos eu estaria processando o Facebook,” disse ela ao programa “60 Minutos.”

Em uma declaração para o Dailymail.com, um porta-voz do Facebook disse: “O tráfico de seres humanos é abominável e não é permitido no Facebook.”

“Usamos a tecnologia para frustar esse tipo de abuso e encorajamos as pessoas a usar os links de denúncias encontrados em nosso site para que nossa equipe de especialistas possa rever rapidamente o conteúdo,” acrescentou o porta-voz.

“O Facebook também trabalha em estreita colaboração com organizações anti-tráfico e outras empresas de tecnologia, e denunciamos todos os aparentes exemplos de exploração sexual infantil ao Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas,” disse ele.

Autoridades federais estimaram que até 100.000 menores são vítimas de tráfico sexual  nos EUA todos os anos. Em 2019, cerca de 40% deles foram vitimados depois de encontrar inicialmente traficantes online.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do Daily Mail: Sex trafficked on Facebook: Victim reveals how predator sent her friend request, lured her at age 15 with promise of modeling job - then raped her and forced her to have sex with paying strangers

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

A explosão de pornografia infantil no Facebook pode ser impedida?

Crianças estupradas e sodomizadas em páginas do Facebook

Ditadura virtual mundial “made in U.S.”

Censura e cancelamento da minha conta, a resposta do Facebook ao meu conservadorismo cristão

Putin assina lei que permite sanções contra o Facebook e outras mídias sociais dos EUA que restringem e censuram conteúdo russo

Um comentário :

MASSA SOFRIDA II disse...

Olá:
favor publicar sobre caso atual no Canadá, pai preso por chamar filha de menina. Ele recorreu até a suprema corte para ela não mudar de sexo.