12 de março de 2021

O crescimento do antissemitismo esquerdista: um presságio dos últimos dias

 

O crescimento do antissemitismo esquerdista: um presságio dos últimos dias

Scott Lively

À medida que o racismo reverso da cultura de cancelamento varre os Estados Unidos, mirando principalmente os homens cristãos brancos, nossos primos espirituais judeus (também brancos) estão enfrentando sua própria versão, que apresenta a notícia falsa de que Israel se tornou um estado de “apartheid” racista no molde de África do Sul, e que os judeus americanos pró-israel estão por trás de uma campanha para punir os negros esquerdistas por apoiarem o movimento de boicote a Israel BDL. Esse sentimento estava em exibição total em uma recente crítica antissemita feroz feita pelo marxista negro Cornell West da Faculdade de Teologia da Universidade de Harvard. Ele culpou os judeus pela decisão da Universidade de Harvard de negar-lhe exercício do cargo (uma decisão que aplaudo).


 

Infelizmente, alguns cristãos conservadores que em outras questões pensam de forma clara concordam com os lunáticos do Ocidente por causa de erros doutrinários enraizados na chamada teologia de substituição, que diz que a Igreja Cristã substituiu Israel, em vez de estar em um caminho paralelo que serve o mesmo Deus. Este artigo é minha pequena contribuição para corrigir esse erro, mostrando o que a Bíblia realmente diz sobre a salvação dos judeus — enquanto também dando uma bofetada no Ocidente.

Em Mateus 23:37-39, perto do final de seu ministério terrestre, Jesus passou uma sentença na casa de Judá. De pé no Monte das Azeitonas, olhando através do estreito Vale Kidron na cidade sagrada estendida diante dele, ele lamentou:

“Ó Jerusalém, Jerusalém, que assassinas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes Eu quis reunir os teus filhos, como a galinha acolhe os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vós não o aceitastes! Eis que a vossa casa ficará abandonada! Pois eu vos declaro que, a partir de agora, de modo algum me vereis, até que venhais a dizer: ‘Bendito é o que vem em o Nome do Senhor!’” (King James Atualizada)

Três anos e meio depois, a implementação dessa sentença seria iniciada, e a longa “Era dos Gentios” de 2.000 anos começaria com o indiciamento final dos judeus contra Estevão, o primeiro mártir da igreja (Atos 7). E o homem que orquestrou o assassinato de Estevão, Saulo de Tarso, logo se tornaria Paulo (Atos 9), o apóstolo aos gentios (Romanos 11:13).

Essa era dos gentios está se aproximando de seu fim hoje, enquanto esperamos o retorno de Cristo para sua cidade quando, de fato, os judeus finalmente reconhecerão seu Messias e “chorarão por ele como por um único filho” (Zacarias 12:10), e “todo o Israel será salvo” (Romanos 11:26).

“Mas derramarei sobre toda a família de Davi e sobre todos os habitantes de Jerusalém um espírito de ação de graças e de oração. Eis que eles olharão para a minha pessoa, aquele a quem eles mesmos traspassaram, e prantearão e se lamentarão por ele como quem chora a perda de um filho único; e verterão lágrimas de enorme amargura por ele, como quem chora a morte do primogênito!” (Zacarias 12:10, citado em João 19:37 King James Atualizada)

“Virá de Sião o redentor que desviará de Jacó a impiedade. E esta é a minha aliança com eles quando Eu remover os seus pecados” (Isaías 59:20, citado em Romanos 11:26 King James Atualizada)

No dia da Expiação, o último dos 10 dias de admiração, “todo o Israel” receberá sua salvação quando o Messias aparecer para resgatar Jerusalém do exército dos ímpios que a invadiram (Zacarias 14).

“E todo aquele que invocar o Nome de Yahweh será salvo; pois, de acordo com a Promessa do Eterno, no monte Sião e em Jerusalém haverá salvação para os sobreviventes, para todos aqueles a quem Yahweh, o SENHOR, chamar!” (Joel 2:32 King James Atualizada)

Esses são representados pelos 144.000 hebreus, 12.000 de cada uma das 12 tribos de Jacó: homens fiéis que acreditam na Torá, homens que estavam selados contra a morte por Deus, a fim de sobreviverem ao tempo da ira.

“Então, vi um outro anjo subindo do Oriente, tendo o selo do Deus vivo. Ele bradou com voz grave aos quatro anjos a quem havia sido concedido poder para produzir destruição na terra e no mar: ‘Não danifiqueis a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos a testa dos servos do nosso Deus!’ Então me foi revelado o número dos que foram selados: cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos de Israel.” (Apocalipse 7:2-4 King James Atualizada)

O “selo do Deus vivo” é o nome dele, escrito em suas testas:

“Então, olhei e vi diante de mim o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e junto a Ele cento e quarenta e quatro mil, que ostentavam, escritos em suas frontes: o nome dele e de seu Pai. Ouvi um som do céu, como o barulho de um temporal e o estrondo de um grande trovão. O som que ouvi era como de harpistas que tocavam suas harpas. Entoavam um cântico novo, diante do trono e perante os quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender o cântico, a não ser os cento e quarenta e quatro mil que haviam sido comprados da terra.” (Apocalipse 14:1-3 King James Atualizada)

Essas duas passagens, oferecendo instantâneos dos hebreus eleitos antes e depois de seu resgate pelo Messias, evocam um padrão visto na Páscoa e Êxodo subsequente do Egito, e (em menor grau) o resgate de Ló de Sodoma, mas a maioria da visão de Ezequiel em Ezequiel 8-9, inclusive uma descrição do selo dos judeus justos antes da execução da ira de Deus:

“O SENHOR ordenou-lhe: ‘Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém e marca com um sinal a testa das pessoas que se aborrecem e não compactuam de todas as abominações que se cometem no meio do povo!’ Enquanto eu ouvia isso, ele disse aos outros executores: ‘Passai, pois, pela cidade seguindo os passos do escrivão e exterminai, sem piedade nem compaixão, todos os demais! Matai sem dó: idosos, rapazes e moças, crianças e mulheres, até aniquilar a todos. Todavia não tocai em ninguém que tenha recebido o sinal da salvação. Começai, pois, a destruição pela minha própria Casa, o Templo.’ Então eles iniciaram a matança pelas autoridades que estavam na frente do santuário.” (Ezequiel 9: 4-6 King James Atualizada)

Curiosamente, o que define a justiça desses homens não é suas ações, mas a dor em seus corações pela apostasia que os cerca. Isso também era verdadeiro acerca do cobiçoso e incestuoso Ló que, apesar disso, é descrito como justo em 2 Pedro 2:9:

“E Deus livrou o justo Ló, que vivia oprimido com o procedimento corrupto e libertino daqueles incrédulos; porque este justo, pelo que via e ouvia diariamente, quando habitava entre eles, sentia sua alma atormentada por causa das muitas obras iníquas daquelas pessoas. Constatamos, portanto, que o Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o Dia do Juízo.” (King James Atualizada)

Este é um trecho do capítulo 8 do Dr. Lively do seu livro “A Profecia do Filho Pródigo” em PDF e vídeo. No livro ele explica o ensino de Paulo em Romanos 11 sobre a salvação dos judeus na segunda vinda de Cristo a partir da perspectiva cultural hebraica dos apóstolos e profecias principais do Antigo Testamento. Ao fazer isso, ele desmascara vários argumentos centrais de grupos antissemitas e mostra que os judeus da Casa de Judá que creem na Torá sempre tiveram um relacionamento especial com Deus apesar do “endurecimento parcial” que continuará a cegá-los para a identidade de Yeshua Hamashiach até o seu retorno no (iminente) fim da Era dos Gentios. Você pode receber todas os capítulos publicados gratuitamente em inglês, bastando pedir para scottlivelyministries@protonmail.com

Traduzido por Julio Severo do orginal em inglês do WND (WorldNetDaily): Rising leftist anti-Semitism: A last-days harbinger

Fonte: www.juliosevero.com

Outros artigos de Scott Lively:

É esta a verdadeira razão pela qual Trump perdeu a eleição — e o favor de Deus?

Natal de 2020: Conflito na Terra e má vontade entre os homens

A ponta da lança do marxismo de hoje: o movimento LGBT

Sete princípios da guerra bíblica para eliminar o câncer do marxismo

O erro mais perigoso do presidente Trump

Richard Grenell: Cavalo de Tróia homossexual

2020: A batalha final na guerra cultural está chegando

A cena do crime de Obama e George Soros na Ucrânia

Este altar na Europa é o portal para Satanás?

Já perdemos a guerra cultural

Scott Lively fala sobre Trump, Rússia e desafios geopolíticos

Pastor acusado de “crimes contra a humanidade” desafia preconceito de juiz

Canibalismo pró-família?

Rússia versus globalistas LGBT

Obama orquestrou golpe na Ucrânia para reiniciar a guerra fria e impedir a Rússia de liderar revolta mundial contra a agenda LGBT

Carta aberta ao presidente Vladimir Putin

Carta ao Movimento Pró-Família Internacional

Trump virou marionete dos neocons?

Milo e a “Síndrome de Estocolmo” de Sodoma

Milo Yiannopoulos e o surgimento do nazismo americano

O mito do conservador gay

Rússia, Estados Unidos e Liberdade Religiosa

Profecia de 2009 fala sobre candidatura de Donald Trump

O Brexit e a vingança dos globalistas

Unidos pela Perversão

Mistério: a Grande Babilônia. É isso o que os EUA se tornaram?

Scott Lively fala sobre a política externa dos EUA

Aviso para as igrejas: ‘Tsunami de teologia gay’ é iminente

Agenda Gay? Que Agenda Gay?

“Casamento” homossexual e os últimos dias

A chave para a vitória pró-família — se realmente a quisermos

Estamos perdendo para a guerra cultural gay

A Morte dos Direitos Humanos

Pastor é acusado de “Crime contra a Humanidade”

Sanções russas parecem ligar agenda gay à crise na Ucrânia

Nova coalizão pró-família exorta o Ocidente a seguir a liderança da Rússia contra a propaganda homossexual

A pena de morte em Uganda

Se gays estrangeiros podem processar pastor americano por causa de pregações, quem está seguro?

Onde foi que o papa cedeu aos “gays”

Papa faz imensa concessão à heresia gay

Uma boa notícia da Rússia: russos fazem agenda gay retroceder em seu país

Um comentário :

Alexandre disse...

Pelos flagrantes sinais que temos vistos, isso não irá demorar a acontecer.