21 de março de 2021

Mais pastores se curvam diante da turba LGBT — e só vai piorar

 

Mais pastores se curvam diante da turba LGBT — e só vai piorar

Scott Lively

Jesus avisou que na última geração “Muitos falsos profetas surgirão e enganarão muitos [e] por causa da multiplicação da maldade, o amor da maioria ficará frio.” “Maldade” envolve um amplo espectro de comportamentos secundários, conforme mostrado em Romanos 1:18-32 e 2 Timóteo 3:1-5, mas uma categoria específica de pecado é identificada por Deus em toda a Bíblia como a porta de entrada para a apostasia generalizada que desencadeia sua ira: desvio sexual extremo, particularmente homossexualidade masculina. Meu argumento baseado na Bíblia em apoio dessa afirmação é totalmente detalhado no meu livro “A Profecia de Petros: Aviso profético de Simão Pedro sobre a heresia dos últimos dias.” (Envie-me um email para obter um exemplar gratuito em inglês).



Mais importante para este artigo é o falso ensinamento doutrinário (ou seja, heresia) associado a todo o pecado LGBT — chamado “teologia gay” — que é a principal ferramenta de “evangelismo” dos “progressistas” que lideram um número crescente de pastores e outros líderes cristãos para a apostasia.

Um dos mais recentes, talvez seu maior convertido americano, é J.D. Greear, presidente da Convenção Batista do Sul. Em uma mensagem recente, Greear “defendeu um ex-membro da equipe que disse que, embora ele estivesse em sua equipe pastoral pessoal e ‘muito ativo’ em sua igreja por muitos anos, ele secretamente olhava para pornografia gay e se conectava a sites de namoro gay… dizendo que ele (Greear) precisa “sentir sua dor” e “aprender a lidar com suas perguntas de seu ponto de vista.” “Mais alarmante,” Greear insistiu em que a Bíblia apenas “sussurra” sobre a homossexualidade, enquanto aborda outros pecados — tais como ganância ou arrogância — de uma maneira muito maior. Ele também chama os cristãos para se levantar em prol dos direitos da LGBTQ. "

Um mês antes, o famoso autor cristão Max Lucado fez um desvio semelhante da fé. Tem havido um aumento constante dessas conversões progressistas durante anos.

Qualquer pastor que afirma que a Bíblia “só sussurra” sobre a homossexualidade ou considera “apenas mais um pecado” não conhece sua Bíblia, não me importo como ele pode ser estimado entre os homens. A Bíblia adverte todos nós claramente: “E não vos amoldeis ao sistema deste mundo, mas sede transformados pela renovação das vossas mentes, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” ( Romanos 12:2 King James Atualizada). Mas eles têm se amoldado.

Os LGBTs orgulhosamente previram que realizariam esse objetivo até 1987 no auge da revolução Reagan quando a defesa pró-família baseada na Bíblia era muito forte e subindo. Em seu plano de estratégia original, “O Reacondicionamento da América Heterossexual,” disseram os ativistas LGBT, “a primeira ordem do negócios é a dessensibilização do público americano sobre gays e direitos gays. Dessensibilizar o público é ajudá-lo a ver a homossexualidade com a indiferença de muita emoção [isto é, “apenas outro pecado”]… Embora a opinião pública seja uma fonte primária de valores dominantes, a autoridade religiosa é a outra. Quando as igrejas conservadoras condenam gays, há apenas duas coisas que podemos fazer para confundir a homofobia dos verdadeiros crentes.

“Primeiro, podemos usar conversas para enlamear as águas morais. Isso significa divulgar apoio aos gays por parte de igrejas mais moderadas, aumentando as objeções teológicas sobre as interpretações conservadoras dos ensinamentos bíblicos, e expondo o ódio e a incoêrencia. Em segundo lugar, podemos minar a autoridade moral das igrejas homofóbicas, retratando-as como lugres atrasados e antiquados, mal fora do passo com os tempos e com as últimas descobertas da psicologia. Contra o poderoso puxão de religião institucional, é preciso estabelecer a força maior da ciência e da opinião pública (o escudo e a espada do amaldiçoado ‘humanismo secular’). Uma aliança tão profana funcionou bem contra as igrejas antes, em tópicos como divórcio e aborto.”

Esse “amaldiçoado ‘humanismo secular’” é de fato amaldiçoado — a religião satânica do marxismo cujo objetivo sempre foi substituir a civilização judaico-cristã por qualquer meio necessário. Pela admissão dos estrategistas LGBT, esta é a guerra espiritual no reino cultural! E eles estão ganhando.

A Bíblia mudou em nossa geração? Uma pergunta ridícula. O pecado sexual em si mudou? Não em termos das formas de desvio que ele leva — tudo desde fornicação à bestialidade sempre foi praticada por alguns. O dever dos pregadores e professores de explicar a verdade da Bíblia ao mundo mudou? Obviamente não. Os únicos fatores que mudaram nessa equação são a ascensão do “evangelismo progressista” e a transformação de nossa cultura através de sua pregação de todos os temas de “justiça social,” mas o mais destrutivo é a “teologia gay.”

Não há absolutamente nenhuma razão lógica para os pastores cristãos sucumbirem diante da “teologia gay” em qualquer nível — mesmo que seja apenas minimizando a condenação de Deus (por exemplo, “apenas outro pecado”), exceto se amoldar aos valores sociais que estão mudando. Alguns chamam de “agradar ao homem.” No entanto, em todas essas situações em que o mundo contradiz a verdade de Deus, temos esta advertência forte: “Não estais cientes de que a amizade com o mundo é inimizade contra Deus? Ora, quem quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus” (Tiago 4: 4 King James Atualizada)

Em junho de 2013, publiquei um “Aviso para a Igreja na América” em que previ o que está ocorrendo hoje. Minha previsão não era uma profecia, mas simplesmente um palpite com base no meu conhecimento da história, metas e táticas do movimento LGBT. Em grande parte se tornou realidade — com muito mais e muito pior por vir. Essa questão será fundamental para a próxima perseguição, que começará muito em breve se a Lei de Igualdade grosseiramente chamada pelo nome errado se tornar lei.

Por suas próprias razões, Deus fez a aceitação social da homossexualidade um teste espiritual decisivo para a civilização humana. Todos os pecados são destrutivos, mas apenas esse é especificamente associado ao surgimento da apostasia e subsequente derramamento da ira de Deus, desde o Gênesis até o Apocalipse. Fiz um gráfico das principais passagens para destacar esse fato crucial.

Se você está em uma congregação que está minimizando o perigo da agenda LGBT na igreja ou na nossa sociedade, peço que você primeiro estude essa questão por si mesmo, então desafie a liderança com os fatos, e se não houver arrependimento, sacuda a poeira dos pés e vá embora.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): More pastors bow to LGBT crowd – and it'll only get worse

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada sobre pastores progressistas:

Viadagens teológicas: ambiente da teologia da libertação e TMI produzindo teologia gay no Brasil

Max Lucado e pastor presbiteriano do Brasil pedem desculpas por suas posturas contra o pecado LGBT

Estadão divulga evangélicos ultra-esquerdistas como se representassem a população evangélica do Brasil

Quem se lembra do Movimento Evangélico Progressista? Quem se lembra de seu fundador, Bispo Robinson Cavalcanti?

A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil

Apoiado por evangélicos revoltados com a esquerda e seus ataques contra a família, Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

Pastor batista diz que o “amor” homossexual é abençoado por Deus numa das maiores paradas do “orgulho” gay do mundo no Brasil

Para permanecer nos holofotes da grande mídia esquerdista, pastor batista usa discurso de ódio marxista para atacar a Igreja Batista da Lagoinha

Teólogo batista esquerdista defende BLM contra evangélicos conservadores e diz que grupos pró-vida e pró-família se enquadram na Lei Antiterrorismo

Ed Shaw, Coalizão do Evangelho (Gospel Coalition) e sentimentos homossexuais: o que eles dizem e o que Jesus disse

2 comentários :

Thel disse...

Dá vontade de vomitar...
Favor usar o termo "falso pastor" para citar esses sujeitos.

Flávio disse...

Se os batistas do sul se tornarem liberais acabou o cristianismo histórico nos EUA