7 de fevereiro de 2021

Imperialismo americano: Biden ordena que órgãos do governo dos EUA promovam a agenda LGBT em todo o mundo

 

Imperialismo americano: Biden ordena que órgãos do governo dos EUA promovam a agenda LGBT em todo o mundo

WND News Services

Comentário de Julio Severo: Há muitas décadas os EUA pregam democracia, mas contrariando esse discurso bonito, fazem tudo o que podem para interferir nos assuntos internos das outras nações. A mais recente interferência do governo Biden é avançar a agenda gay em todas as nações. Em 1974, o governo republicano conservador dos EUA criou, com a ajuda da CIA, o infame NSSM 200 para reduzir a população de vários países a fim de extrair os recuros naturias desses países, especialmente do Brasil. Um das táticas foi implantar em grande escala o controle da natalidade (ou planejamento familiar). Funcionou perfeitamente. Hoje, quase todos os brasileiros adoram o controle da natalidade. Até o presidente da República caiu nesse golpe. Agora, o mais novo golpe do imperialismo americano imoral é impor a agenda gay no mundo inteiro. Leia a reportagem a seguir:


 

(CHRISTIAN HEADLINES) – O presidente Biden disse em um memorando na quinta-feira que seu governo “avançará os direitos humanos” dos indivíduos LGBTQ em todo o mundo ao construir sobre os princípios estabelecidos em 2011 sob o governo Obama.

A Casa Branca divulgou o memorando logo depois que Biden disse em um discurso no Departamento de Estado que ele deseja que as agências americanas “revitalizem nossa liderança nas questões LGBTQI e façam isso internacionalmente.”

O memorando diz, “bravos ativistas lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, queer e intersex (LGBTQ+)” em todo o mundo “estão lutando por proteção igual perante a lei, liberdade da violência e reconhecimento de seus direitos humanos fundamentais.”

“Os Estados Unidos estão na vanguarda dessa luta — falando abertamente e defendendo nossos valores mais queridos,” diz o memorando. “Será política dos Estados Unidos buscar o fim da violência e da discriminação com base na orientação sexual, identidade ou expressão de gênero ou características sexuais, e liderar mediante o poder de nosso exemplo na causa de avançar humano direitos de pessoas LGBTQI+ em todo o mundo.”

O memorando impacta agências como Departamentos de Estado, Tesouro, Defesa, Justiça, Agricultura, Comércio, Trabalho, Saúde e Serviços Humanos e Segurança Interna.

Algumas políticas apresentadas no memorando provavelmente receberiam apoio de esquerdistas e direitistas. Entretanto, outras não. A Campanha de Direitos Humanos, a maior organização LGBT dos EUA, aplaudiu o memorando e observou que o casamento entre pessoas do mesmo sexo — uma questão que divide muitos esquerdistas e conservadores — ainda é ilegal na maior parte do mundo. Biden foi o primeiro presidente ou vice-presidente na história do país a apoiar publicamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O memorando ordena que todas as agências do governo dos EUA se esforcem para alcançar seis objetivos. Eles são:

— Combate à “criminalização do status ou conduta LGBTQ no exterior.”

“As agências engajadas no exterior são direcionadas a fortalecer os esforços existentes para combater a criminalização por governos estrangeiros do status ou conduta LGBTQI+ e expandir os esforços para combater a discriminação, homofobia, transfobia e intolerância com base no status ou conduta LGBTQI+,” diz o memorando.

— Proteger refugiados LGBTQI+ vulneráveis e requerentes de asilo. ”

O governo Biden, diz o memorando, “deve intensificar seus esforços contínuos para garantir que refugiados LGBTQI+ e requerentes de asilo tenham acesso igual à proteção e assistência, especialmente nos países de primeiro asilo.”

— Fornecer “assistência externa para proteger os direitos humanos” e “promover a não discriminação”.

As agências devem “expandir seus esforços contínuos para garantir o envolvimento regular do Governo dos EUA com governos, cidadãos, sociedade civil e o setor privado para promover o respeito aos direitos humanos das pessoas LGBTQI+ e combater a discriminação”, afirma o documento.

— Oferecer respostas “rápidas e significativas” a “abusos dos direitos humanos de pessoas LGBTQI+ no exterior”.

“Quando governos estrangeiros agem para restringir os direitos de pessoas LGBTQI+ ou deixam de aplicar as proteções legais em vigor, contribuindo assim para um clima de intolerância, as agências americanas engajadas no exterior devem considerar as respostas [retaliações] adequadas,” diz o memorando.

— Construir coalizões de “nações com ideias semelhantes” e envolver “organizações internacionais na luta contra a discriminação LGBTQI+.”

“As relações bilaterais com aliados e parceiros, bem como fóruns multilaterais e organizações internacionais, são veículos essenciais para promover o respeito e a proteção dos direitos humanos das pessoas LGBTQI+ e chamar a atenção global para esses objetivos,” afirma o memorando.

Os objetivos dessas coalizões incluem combater a discriminação e ampliar o número de países “dispostos a apoiar e defender os direitos humanos das pessoas LGBTQI+.”

— Reverter as políticas da era Trump que são incoerentes com o memorando.

No prazo de 100 dias a partir do memorando, as agências devem revisar suas políticas e “rescindir quaisquer diretivas, ordens, regulamentos, políticas ou orientações incoerentes com este memorando, inclusive aquelas emitidas de 20 de janeiro de 2017 a 20 de janeiro de 2021,” diz o memorando.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Biden orders agencies to promote LGBT rights worldwide

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada sobre Obama e ativismo gay:

Liderando o mundo pelo mau exemplo: Obama e o “casamento” gay

Obama: Jesus é a base do apoio ao “casamento” gay

Obama: Meu governo é o mais pró-homossexualismo da história

Sob Obama, EUA importarão gays

Hillary Clinton: Objeções religiosas à homossexualidade são como apoiar assassinatos de honra e queimar viúvas

Estados Unidos: entre a Gaylândia e a Maomelândia

Ministério de Segurança Nacional dos Estados Unidos monitorando Julio Severo?

Obama quer EUA como agência policial mundial a favor do homossexualismo

Obama declara junho o mês do orgulho gay

Rússia versus globalistas LGBT

“Casamento” gay: Obama mentiu, Rick Warren acreditou

EUA nomeiam primeiro embaixador mundial da agenda homossexual

EUA querem combater movimento anti-homossexualismo no mundo inteiro

Trump e Obama: O que mudou entre eles sobre homossexualidade e Arábia Saudita?

Obama: Jesus é a base do apoio ao “casamento” gay

Leitura recomendada sobre Trump e ativismo gay:

É esta a verdadeira razão pela qual Trump perdeu a eleição — e o favor de Deus?

Reeleição de Trump: As profecias evangélicas falharam

O aparelhamento direitista da homossexualidade, um desafio para os cristãos

Steve Bannon e suas opiniões sobre homossexualismo

Como os líderes evangélicos podem criticar o ativismo homossexual no governo Trump se eles estão envolvidos em escândalos sexuais?

Maior revista gay dos EUA furiosa com protesto evangélico contra iniciativa do governo dos EUA de descriminalizar a homossexualidade em todo o mundo

Defesa da pedofilia derruba proeminente gay “conservador”

Maior conferência conservadora dos EUA bane organização cristã pró-família e aprova grupo homossexualista

Apoiadores de Trump não sabem que ele está apoiando a agenda gay

Trump é o “presidente mais pró-homossexualismo da história americana,” de acordo com republicano Richard Grenell

Trump é o presidente republicano mais pró-sodomia da história dos Estados Unidos

Os profetas e os políticos adúlteros

Embaixada dos EUA em Moscou celebrou despeitosamente o mês do “orgulho” LGBT na Rússia

Embaixada dos EUA no Brasil celebrou Dia do “Orgulho” LGBTI

Casa Branca de Trump está aberta para ouvir algumas partes da Bíblia, mas nenhuma condenação bíblica do sexo de homens com homens

Trump louvou “casamento” gay na véspera de visita à Índia

Tony Perkins, do Conselho de Pesquisa da Família, e ativismo cristão emasculado

Governo Trump usa linguagem esquerdista para repreender a Zâmbia por suas leis contra a homossexualidade

Governo Trump impondo a agenda LGBT no país da Geórgia, mas o povo resiste

Engrandecendo a sodomia de novo: Trump se torna o primeiro presidente do Partido Republicano a celebrar o Mês do Orgulho LGBT ao lançar campanha para legalizar a homossexualidade em todo o mundo

Quem está incomodado que pedi mais energia conservadora do Conselho de Pesquisa da Família contra a agenda gay? O Observatório da Direita, da organização esquerdista People for the American Way!

Conselho de Pesquisa da Família: Servindo ao conservadorismo ou servindo ao Partido Republicano?

Trump apoia o “casamento gay” enquanto seus apoiadores cristãos conservadores permanecem em silêncio

Governo Trump busca legalização da homossexualidade em todo o mundo enquanto crianças e outras vítimas da homossexualidade são esquecidas

Pelo segundo ano, Departamento de Estado de Trump reconhece junho como Mês do Orgulho LGBTI

O que os EUA ganharão engrandecendo a sodomia?

EUA, União Europeia, Brasil, Argentina, Chile e Israel pressionam Romênia a adotar o ativismo homossexual

Trump faz discurso pró-vida histórico, mas comete a gafe de congratular republicanos homossexuais

Departamento de Estado de Trump reconhece junho de 2017 como Mês do Orgulho LGBTI

Ivanka Trump posta mensagem de apoio ao Mês do Orgulho LGBTQ nos EUA

Embaixadas americanas sob Trump avançam a agenda LGBT

Trump continua o imperialismo homossexual de Obama e frustra conservadores cristãos

Trump e Obama: O que mudou entre eles sobre homossexualidade e Arábia Saudita?

Governo Trump mostra resposta progressista à agenda gay

O esquerdista, o direitista e o bolo

Nenhum comentário :