9 de fevereiro de 2021

Grandes empresas americanas de tecnologia estão derrotando presidentes conservadores

 

Grandes empresas americanas de tecnologia estão derrotando presidentes conservadores

Julio Severo

Quando o Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas americanas de rede sociais se gabam de ter destruído a reeleição do Presidente Donald Trump, ninguém está a salvo.



O único presidente de uma grande potência que reagiu foi Vladimir Putin, que criou uma lei para censurar e bloquear as plataformas americanas que censuram e bloqueiam. É justo. Essas grandes empresas merecem tomar do próprio remédio.

Putin terá sucesso ao enfrentar a ditadura tecnológica do Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas americanas? Não sei, mas pelo menos ele está tentando e ele merece elogio por confrontar os tiranos virtuais.

Nem todo presidente tem essa força. Embora tenha algumas posturas conservadoras, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro tem pouca ou nenhuma esperança de confrontar o Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas americanas. Sem possuir armas nucleares, o Brasil não tem condições de confrontar ninguém.

Além disso, sob conselho do Rasputin Olavo de Carvalho e seu adepto Ernesto Araújo, que é hoje ministro das Relações Exteriores, o Brasil fez muitos acordos com os EUA sob Trump. Agora, todos esses acordos estão nas mãos do presidente socialista americano Joe Biden. Sem nenhuma inteligência e estratégia, Araújo entregou o Brasil nas mãos de Biden, um dos socialistas mais perigosos do mundo.

Araújo, que é um grande admirador de Julius Evola (conselheiro direitista do ditator fascista italiano Benito Mussolini) e adepto do ocultista islâmico René Guénon, arruinou o futuro diplomático do Brasil seguindo os conselhos desastrosos do Rasputin. Em plena era do socialista Biden, a impensada política de Araújo tornou Bolsonaro um mero lame duck na política internacional.

Agora, como “recompensa,” Biden ordenou que o governo americano, numa verdadeira atitude imperialista, imponha a agenda gay em todo o mundo. No Brasil, vai ser fácil fazer qualquer imposição, pois se o Brasil não aceitar, haverá todo tipo de retaliações. Por inspiração de Rasputin, Ernesto Araújo condenou o Brasil ao inferno homossexual de Biden.

Se Bolsonaro não seguir a linha de Biden, com uma canetada Biden pode revogar alguns acordos. Então, Bolsonaro está amarrado de pés e mãos na masmorra diplomática de Biden.

E se Bolsonaro buscar mais independência, ele vai sofrer as mesmas retaliações e sanções que a Rússia habitualmente sofre.

Os únicos americanos em quem confio são os evangélicos conservadores, que não têm a mentalidade socialista perversa de Biden. Tenho admirado Joseph Farah por mais de 20 anos e aprendi muito com ele. Admiro também Scott Lively, Mike Heath (sem catolicismo), Paulie Heath, William Murray, Peter LaBarbera e Pat Buchanan.

Não admiro de forma alguma Joe Biden, Barack Hussein Obama e Hillary Clinton e seu fanatismo pró-aborto e pró-sodomia.

Putin está tentando escapar da ditadura do Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas americanas que derrotaram Trump. Torço para que ele consiga sobreviver aos vampiros da internet.

Contudo, tenho muita dó de Bolsonaro. Como ele, cujo ministro das Relações Exteriores de Rasputin entregou o Brasil nas mãos de Biden, conseguirá sobreviver?

Como Bolsonaro, que não tem a força de Putin nem as armas nucleares de Putin, conseguirá escapar das mesmas forças americanas que destruíram a reeleição de Trump?

Putin está fazendo tudo o que pode para deter a censura e bloqueio das grandes empresas ditatoriais americanas. Mas sozinho ele terá pouca chance. Se ele perder, o mundo nunca mais saberá o que é liberdade de expressão.

Todos os países deveriam se unir e deter a ditadura virtual do Facebook, Twitter, YouTube e outras plataformas americanas que injustamente derrotaram Trump. Todos os países deveriam censurar e bloquear as plataformas americanas que acham que têm o direito de censurar e bloquear qualquer um. É hora de se revoltar contra o imperalismo americano dirigido por neocons e pelos donos do Facebook, Twitter, Google e outras grandes empresas capitalistas dos EUA.

Versão em inglês deste artigo: Big American tech companies are defeating conservative presidents

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Ditadura virtual mundial “made in U.S.”

Censura e cancelamento da minha conta, a resposta do Facebook ao meu conservadorismo cristão

Putin assina lei que permite sanções contra o Facebook e outras mídias sociais dos EUA que restringem e censuram conteúdo russo

A força transcendente do neoconservadorismo na mídia e entre esquerdistas e direitistas dos EUA

Conluio esquerdista e direitista contra o plano original de Trump de parceria com a Rússia contra o terrorismo islâmico

O que é neoconservadorismo? Quem são os neocons?

Culto de oração da posse de Biden incluiu vários líderes religiosos gays

Biden não é a vontade de Deus para os EUA, mas o que os americanos podem esperar se distanciando de Deus e da Bíblia?

Um Império Lançado por Socialistas dos EUA

Desafios para o Brasil conservador diante de um governo americano sob a possível presidência do extremista esquerdista Biden

Nenhum comentário :