28 de janeiro de 2021

A Grande Cartada ou a Grande Confusão Demoníaca: Pequena editora de um homem só publica livro “Machiavelli or the Demonic Confusion” de Olavo de Carvalho nos EUA

 

A Grande Cartada ou a Grande Confusão Demoníaca: Pequena editora de um homem só publica livro “Machiavelli or the Demonic Confusion” de Olavo de Carvalho nos EUA

Julio Severo

Finalmente, Olavo de Carvalho, depois de uma vida de autoexílio como imigrante brasileiro nos EUA desde 2005, conseguiu lançar um livro em inglês nos EUA.



Embora ostentosamente o livro traga um elogio do Presidente Jair Bolsonaro (“O trabalho dele contribuiu muito para minha chegada ao governo… Sempre vou me lembrar disso e continuar a admirar Olavo”) na própria capa, num esforço de promover Carvalho às custa do presidente brasileiro, o livro não foi publicado por uma das grandes editoras americanas. Não foi publicado nem mesmo por uma editora média americana.

Foi publicado pelo esforço de um só homem, Daniel Ashman, que desde julho de 2020 vinha buscando meios para traduzir um dos livros de Carvalho do português para o inglês. A editora pessoal de Ashman, Ashman Free Press, apresenta o livro “Machiavelli or the Demonic Confusion” (Maquiavel ou a Confusão Demoníaca) dizendo que Carvalho é o “autor bestseller número 1 do Brasil,” tendo vendido mais de 1 milhão de livros.



Ashman parece desconhecer que só um dos livros do autor brasileiro Paulo Coelho, “O Alquimista,” vendeu mais de 65 milhões de exemplares só em 2014. Um milhão é só 2 por cento de 65 milhões.

No total, Coelho vendeu mais de 350 milhões de exemplares de seus livros. Um milhão é apenas menos de meio por cento de 350 milhões!

Embora tanto Carvalho quanto Coelho tenham um histórico ocultista de catolicismo sincrético, eles não têm o mesmo nível de fama. Um, é vastamente famoso, até nos EUA. O outro, mesmo sendo divulgado pelo presidente brasileiro, não chegou nem a um por cento da fama de Coelho.

Se, na opinião de Ashman, Carvalho é o “autor bestseller número 1 do Brasil,” Paulo Coelho deveria receber qual número? Se ele tiver dificuldade de responder, é só perguntar para Carvalho, que entende de numerologia e mapas astrais.

Não foi honesto também Ashman destacar no livro que a chegada de Bolsonaro ao governo foi por causa principalmente de Carvalho. Silas Malafaia, o maior televangelista do Brasil, já respondeu a tal desonestidade dizendo que o próprio Bolsonaro disse a ele várias vezes que se 80 por cento dos evangélicos o apoiassem, ele seria eleito. Malafaia ajudou e a maioria dos evangélicos votou em Bolsonaro, resultando em sua vitória.

Ashman deveria, por honestidade, ter mencionado na capa do livro a frase em que Carvalho chama o governo Bolsonaro de “merd*” em 2020 e ameaçou derrubá-lo. Esse ataque de Carvalho ao governo Bolsonaro também foi respondido por Malafaia.

A falta de conhecimento, ou cartada deliberada, de Ashman deu a Carvalho uma posição que ele não tem. O título mais apropriado para o livro “Machiavelli or the Demonic Confusion” é “A Grande Cartada de Poker Político de Daniel Ashman e de Astrologia Política de Olavo de Carvalho no Público Americano.”

Normalmente, Carvalho reclama de escritores americanos que expõem suas ideias sem conhecer português, onde as obras dele estão concentradas, mas o que Ashman fez? A mesma coisa.

Carvalho também exige dos americanos que expuseram seu ocultismo um gigantismo filosófico que nem mesmo ele tem. Ashman, que publicou Carvalho nos EUA, não é nenhum filósofo e não tem nenhum livro publicado de filosofia. O único “grande” livro de Ashman que encontrei na Amazon foi sobre jogo de baralho, e não é nenhum best-seller. O título do livro é “Dominate No-Limit Hold’em: A Guide To The Math And Pyschology Of Poker (D&B Poker).”



O que Ashman, como jogador de poker, pretende então com uma apresentação tão grandiosa do livro de Carvalho nos EUA? Dar uma grande cartada nos leitores americanos?

Ashman tem formação de jogador de poker, enquanto a formação oficial de Carvalho é como astrólogo profissional. Mas ambos se enxergam como grandes analistas políticos.

Provavelmente, Ashman tentou dar uma cartada numa grande ou média editora americana, mas como nenhuma caiu no golpe, ele teve de criar sua pequena editora pessoal para lançar Carvalho nos EUA.

Em vez de reclamar de Ashman por suas inexatidões, Carvalho apresentou seu livro americano como se tivesse sido publicado pela maior editora ou editor filosófico dos EUA.

Não preciso ler o livro publicado por Ashman para saber que Carvalho é dotado de um espírito revolucionário e ditatorial. Digo isso por causa da própria perseguição que sofro do ocultista Olavo de Carvalho, considerado o guru (conselheiro esotérico) do Presidente Jair Bolsonaro. Com tal enorme influência agora, Carvalho acha que chegou a hora de se vingar de mim por ter exposto seu histórico e conexões ocultistas, além do escândalo de ele ser o maior defensor brasileiro da Inquisição.

Em sua sanha de ódio e vingança, em um vídeo de 11 de junho de 2020 Olavo de Carvalho pediu que o governo do Presidente Jair Bolsonaro me investigasse pelo “crime” de expor o ocultismo dele e sua defesa da Inquisição. Em um vídeo de 2019, ele também pediu à Polícia Federal do Brasil que me investigasse.

Em um vídeo publicado em 21 de junho de 2020, Carvalho pediu novas ações contra mim.

Então por três vezes, em vídeos públicos, Carvalho tem incitado perseguição contra mim.

Se há algum jurista americano que pode me ajudar contra tal perseguição, por favor faça contato comigo.

Embora Carvalho diga que é muito perseguido, a vasta maioria das reportagens e artigos sobre ele em inglês acuradamente o apresentam como um homem com historico ocultista. Um dos maiores livros americanos contra o ocultismo, “War For Eternity: Inside Bannon’s Far-Right Circle of Global Power Brokers” (Guerra pela Eternidade: De Dentro do Círculo Ultra-Direitista de Negociadores Mundiais de Poder), de Benjamin R. Teitelbaum, apresenta os principais nomes da Escola Tradicionalista de Guénon, inclusive Steve Bannon, Julius Evola, Alexander Dugin e Carvalho, que só foi mencionado, ainda que poucas vezes, por causa da muita propaganda que Bolsonaro faz por ele.

Teitelbaum é um escritor judeu americano e seu livro trata do ocultismo na direita nos EUA, na Rússia e no Brasil.

Carvalho não tem ameaçado Teitelbaum e outros americanos que expuseram suas conexões ocultistas, mas ele tem, em vários vídeos, me ameaçado, pedindo para que o governo Bolsonaro e a Polícia Federal me investiguem. A alegação dele é que minhas denúncias contra ele envolvendo a Inquisição e esoterismo são uma ameaça à segurança nacional do Brasil.

A diferença entre ele e eu são grandes. Ele se diz perseguido quando a imprensa americana denuncia suas conexões ocultistas, enquanto durante anos sofri ataques da imprensa esquerdista dos EUA exclusivamente por causa de minhas posturas evangélicas conservadoras contra o o aborto e pecado homossexual.

Enquanto Carvalho é “perseguido” por suas conexões ocultistas, eu sou perseguido pela esquerda e pelo próprio Carvalho por minhas conexões cristãs. Todas as críticas da imprensa americana a Carvalho não são por causa do Cristianismo, mas por causa do ocultismo e direitismo extremista. Todas as críticas da imprensa americana contra mim são por causa do Cristianismo.

Agora, o astrólogo brasileiro tem a ajuda de um americano jogador de baralho para promover seus truques nos EUA.

Só mesmo um jogador de poker para apresentar Carvalho ao público americano como se ele fosse o “autor bestseller número 1 do Brasil,” acima do autor Paulo Coelho, que tem mais de 350 milhões de livros vendidos.

Os leitores americanos cairão na cartada de Ashman?

Versão em inglês deste artigo: The Big Card Move or the Big Demonic Confusion: Small one-man publisher publishes book “Machiavelli or the Demonic Confusion” by Olavo de Carvalho in the U.S.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Um charlatão “made in Brazil” exilado nos Estados Unidos

Bráulia Ribeiro, ex-diretora da JOCUM, foi reduzida à mera propagandista de uma bruxa e de um astrólogo?

Mentes escravas trabalhando para escravizar a mente das crianças do Brasil

Entendendo a nova direita do Brasil, seu avô homossexual e seu pai ocultista

Olavo de Carvalho e Julius Evola, paralelos de dois proeminentes ocultistas direitistas da Escola Tradicionalista

Cuidado com a Escola Tradicionalista, a seita esotérica que usa o antimarxismo para promover o sincretismo religioso e o culto à personalidade de seus líderes

Revista americana The Atlantic apresenta o fundador intelectual e espiritual da extrema direita esotérica do Brasil

Olavo de Carvalho pede que governo Bolsonaro lance serviços de investigação contra escritor evangélico Julio Severo

Astrólogo Olavo de Carvalho apela para que Polícia Federal investigue Julio Severo sob a alegação de que denúncias contra ele envolvendo Inquisição e ocultismo são conluios pagos pelo governo russo que ameaçam segurança nacional

Instituto Inter-Americano foi fechado por causa de Julio Severo, acusa Olavo de Carvalho, que pede que seus adeptos escrevam contra Severo

Silas Malafaia chama Olavo de Carvalho de covarde e astrólogo falido depois que Olavo ameaçou derrubar governo Bolsonaro

Depois de chamar governo Bolsonaro de “merd*,” Olavo de Carvalho diz que pode derrubá-lo

Presidente do Brasil diz que acredita em Jesus em evento evangélico

“Astrólogo idiota”: Resposta do televangelista Silas Malafaia a Olavo de Carvalho, que disse que “tudo o que acontece de mau no Brasil vem das igrejas evangélicas”

Olavo de Carvalho diz, incluindo outras instituições, que “tudo o que acontece de mau no Brasil vem das Igrejas Evangélicas,” que ele igualou ao Partido Comunista

Olavo de Carvalho acusa que Philip Melanchthon era astrólogo maior que ele

Apoiado por evangélicos revoltados com a esquerda e seus ataques contra a família, Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

Televangelista Silas Malafaia diz que é simplesmente ridículo descartar os evangélicos para creditar a vitória de Bolsonaro ao astrólogo Olavo de Carvalho

Astrólogo Olavo de Carvalho provoca Pr. Silas Malafaia e recebe resposta à altura

Fernando Haddad reconhece que o maior responsável pela sua derrota nas urnas foi o “fenômeno evangélico”

Julio Severo busca mover os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

O movimento ocultista de Steve Bannon, Brasil e evangélicos conservadores

Como a poderosa união de Trump com evangélicos salvou os EUA de Steve Bannon e seu plano ocultista de um governo “tradicionalista”

Influência guenoniana no governo Bolsonaro

Filósofo “direitista” de língua bifurcada, sofisticadamente falsa e mentirosa

Um comentário :

Alexandre disse...

Aposto que o Feliciano já garantiu o seu exemplar devidamente autografado.