7 de dezembro de 2020

Pastora de extrema esquerda diz que o Natal é sobre uma mulher liderando uma revolução feminista

 

Pastora de extrema esquerda diz que o Natal é sobre uma mulher liderando uma revolução feminista

Julio Severo

Em 1 de dezembro de 2020, uma pastora feminista da Igreja Unida de Cristo nos EUA foi criticada depois de sugerir que o Natal é, em última análise, empoderamento feminista contra a tradicional celebração cristã do nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus e Salvador do mundo.



Na tradição cristã do Natal, Jesus é glorificado como um bebê e a maternidade de Maria é homenageada. No entanto, a pastora feminista pensa que sua versão do Natal feminista destrói a tradição “ultrapassada.” Ela homenageou o feminismo e desprezou o papel de maternidade que Deus deu às esposas.

A pastora feminista, Rev. Jes Kast, disse no Twitter: “O Natal é sobre Deus escolhendo uma mulher para liderar uma revolução de reorganização das estruturas de poder social por sua liderança, ternura e fé.”

O problema é que se Maria fosse da denominação protestante de Kast, ela nunca teria Jesus. Ela teria abortado Jesus!

Em 1972, a Igreja Unida de Cristo (IUC), a denominação de Kast, ordenou “a primeira pessoa assumidamente gay como pastor em uma denominação protestante histórica: o Rev. William R. Johnson.”

A IUC posteriormente defendeu que a homossexualidade e sexo normal entre homens e mulheres são equivalentes depois que o sínodo geral aprovou uma resolução em 2005.

A agenda do aborto e reprodutiva também é uma crença da denominação de extrema esquerda.

O problema é que o aborto mata bebês. E a agenda reprodutiva é anti-bebê.

A Bíblia não apresenta um Deus anti-bebê. Aliás, a Bíblia apresenta um Deus que ama profundamente os bebês e ama profundamente dar muitos e muitos bebês aos casais. Quem ama a Deus ama o que Ele ama.

A pastora feminista Kast disse: “Precisamos desaprender padrões de pensamento falidos.”

Ou seja, como feminista, ela deseja que as mulheres desaprendam padrões falidos de pensamento de que o casamento, o lar e os filhos são o plano ideal de Deus para as mulheres.

Ela quer que as mulheres desaprendam padrões falidos de pensamento de que a homossexualidade, a contracepção e o aborto são contra o plano de Deus.

Como essa feminista pretende mudar Maria? Em uma feminista rebelde?

Maria se autodenominava serva do Senhor. Ela era uma serva para servir a Deus, seu casamento, seu marido, seus filhos e seu papel marital. O que Kast queria? Maria como serva do feminismo?

Embora a fé de Maria fosse importante para o nascimento de Cristo, ela sabia que ainda era uma pecadora que precisava de um Salvador. Como pecadora, ela vigiava seu coração contra demônios colocando pensamentos demoníacos em sua cabeça. Infelizmente, a feminista Kast deixou que os demônios enchessem seu coração com pensamentos demoníacos de feminismo.

Uma grande diferença entre Maria e Kast é que Maria era esposa e mãe (não pastora!), e ela estava muito contente. Kast é um pastora de extrema esquerda a serviço de Satanás.

O cristianismo está cheio de concepções errôneas de Maria. Enquanto a Igreja Católica a transforma em uma estranha deusa pagã ou super-santa sem pecado (que não tem base na Bíblia), denominações protestantes de extrema esquerda a transformam em uma feminista revolucionária. Pura blasfêmia.

No entanto, é pecado transformar Maria em uma mulher revolucionária feminista. Mesmo que Maria nunca tenha sido revolucionária ou feminista, durante um de seus ensinamentos, Jesus disse que a obediência à Palavra de Deus é mais importante do que elogiar a mulher que O deu à luz.

“Quando Jesus dizia estas coisas, uma mulher da multidão exclamou: ‘Feliz é a mulher que te deu à luz e te amamentou.’” (Luke 11:27-28 NVI).

Com informações de ChristianHeadlines.

Versão em inglês deste artigo: Far-Leftist Female Pastor Says Christmas Is about a Woman Leading a Feminist Revolution

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Pastora lésbica torna-se presidente da Federação Nacional do Aborto nos EUA

Igreja protestante fundada por George Washington o rejeita e adota o feminismo e a teologia da libertação

Primeiro caso de atividade criminosa no espaço: astronauta lésbica é acusada de acessar a conta bancária de sua “esposa” lésbica separada a partir da Estação Espacial Internacional durante divórcio sujo e complicado

Duas lésbicas matam a facadas um menino, um ano depois de lhe cortarem o órgão sexual para transformá-lo em “menina,” mas imprensa e psicólogos se recusam a ligar o crime ao comportamento homossexual

Pastora presbiteriana: Se os cristãos “valorizam verdadeiramente as mulheres,” apoiarão o aborto

Médica aborteira: “Como minha fé cristã me inspirou a me tornar uma médica de abortos”

Professora presbiteriana afirma que se opor ao aborto “vai contra o ensinamento de Jesus”

Pastor presbiteriano abençoa clínica de aborto no nome de Deus e trabalha nela voluntariamente como capelão

Principais causas de morte nos Estados Unidos, e homicídios por armas de fogo não são uma delas

Pastora ora por clínica de aborto: “Santificamos Este Lugar e O Honramos como Santo”

Aborto em Israel: Por que não há protestos públicos generalizados de cristãos pró-vida?

Holocausto, aborto e sodomia

Tom Parker: A maior ameaça à agenda do aborto nos EUA, de acordo com escritora pró-aborto

Desmascarando a agenda de controle populacional global

Os Estados Unidos conseguirão sobreviver ao aborto?

Pastor presbiteriano diz que bebê em gestação só se torna uma pessoa “quando alguém o ama”

Bispo Macedo e aborto

O Mackenzie e sua professora abortista

Pastor presbiteriano: “Adoro a maior organização de aborto nos EUA.”

Bispo Macedo: a favor do aborto e contra profecia

Aborto nos casos difí­ceis: um teste para os lí­deres evangélicos?

Morre pioneiro pastor pró-aborto nos EUA

Pastor batista, que é médico aborteiro, confessa: “Será que estou matando? Sim, estou”

Pastores metodistas, presbiterianos, episcopais e batistas lideram comício a favor do aborto nos Estados Unidos

Maior empresa de abortos do mundo lança “campanha de oração”

O holocausto de bebês nos EUA e o Holocausto de judeus na Alemanha nazista

A Bíblia apóia o aborto, afirma grupo cristão esquerdista

Anthony Comstock: o primeiro ativista pró-vida da história moderna, lutou contra fundadora da IPPF

Número de abortos legais aumenta no Exército israelense, pois a coexistência de soldados do sexo masculino e feminino vem aumentando sua atividade sexual

Disney ameaça boicotar estado americano da Georgia por causa de lei restringindo aborto

Aborto, Inquisição e revisionismo na Enciclopédia Britânica

Papa Francisco compara o aborto a “contratar um assassino profissional” e diz que nunca dá para se desculpar o aborto

Trump sugere que ativistas pró-vida foram longe demais no Alabama com a proibição quase total do aborto enquanto ele diz que é pró-vida, mas acredita em aborto para bebês concebidos em estupro e incesto

Televangelista conservador Pat Robertson diz que o Alabama “foi longe demais” em sua lei anti-aborto “extremista” porque não inclui a pena capital para bebês concebidos em estupro e incesto

Todos precisam lembrar o Holocausto

Vegetarianos anti-bebês pregam que é moralmente errado pessoas terem bebês e xingam quem discorda deles

A loucura do planejamento do homem

Rios de sangue: A cultura contraceptiva e as profecias do Apocalipse

Trump quebrou sua promessa de suspender o financiamento do holocausto do aborto nos EUA

Aborto em Israel: Por que não há protestos públicos generalizados de cristãos pró-vida?

Nenhum comentário :