28 de dezembro de 2020

Fraude na eleição presidencial americana e a inação das Forças Armadas dos EUA

 

Fraude na eleição presidencial americana e a inação das Forças Armadas dos EUA

Julio Severo

Os Estados Unidos são uma nação que não hesita em condenar fraudes nas eleições de outros países. E essa condenação muitas vezes envolve críticas fortes, sanções comerciais e até intervenções militares indiretas e diretas.



Basta que o governo dos EUA identifique um governo estrangeiro como ideologicamente ameaçador ou eleito com suspeitas de fraudes e imposturas, que a força dos EUA se impõe de diversas maneiras, inclusive militares.

Os EUA têm condições para intervir em quase todas as nações. Afinal, os EUA têm hoje 800 bases militares espalhadas pelo mundo. É um império a olhos vistos, com poder para levantar e derrubar governos.

Por fatalidade do destino, com Joe Biden os EUA terão um governo ideologicamente ameaçador e eleito com suspeitas de fraudes e imposturas.

Se Joe Biden, com esse mesmo radicalismo e suspeitas de fraudes e imposturas, tivesse sido eleito presidente de um país estrangeiro menor, os EUA não hesitariam em aplicar sanções e adotar intervenções indiretas e diretas.

O caso Joe Biden merece das forças armadas americanas intervenções. Não havendo nelas hombridade e coragem para combater o radicalismo ideológico e as suspeitas de fraudes e imposturas, caberia ao povo patriótico americano lutar contra essas ameaças.

Caso não haja resistência, o Império Americano sob Joe Biden será o Império do Mal, exportando em grande escala todos os tipos de ideologias destrutivas, desde o aborto até o homossexualismo e islamismo.

Como sempre, o motor desse Império do Mal são os neocons (neoconservadores), que são falsos conservadores, pois a preocupação principal deles é manter os EUA envolvidos em guerras eternas para sustentar o poderoso complexo industrial militar americano, que emprega milhões de americanos.

Aliás, o complexo industrial militar americano é uma das principais colunas da economia americana.

Os neocons não parecem estar preocupados com Biden e seu radicalismo e suspeitas de fraudes, contanto que ele mantenha os EUA ocupados em guerras.

Mas talvez a guerra mais necessária seja contra os neocons e contra o radicalismo crivado de fraudes que ameaça controlar a Casa Branca.

Tenho certeza de que se George Washington estivesse vivo hoje, ele rejeitaria essas ameaças e convocaria o povo americano a lutar. Mas onde estão os Georges Washingtons desta geração?

Cada americano patriota tem o dever de lutar para impedir que Biden e os neocons mantenham os EUA como Império do Mal. Eles deveriam transformar os EUA novamente numa nação cristã ocupada com suas próprias questãos, não em ideologizar radicalmente o mundo à força no aborto, feminismo, homossexualismo, ocultismo, islamismo e marxismo.

Versão em inglês deste artigo: Fraud in The U.S. Presidential Election and the Inaction of the U.S. Armed Forces

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Não por força, nem poder, não pelo Supremo Tribunal, não por meios legais, mas pelo Espírito de Deus

Um Império Lançado por Socialistas dos EUA

Confiança em meio a turbulências políticas

O milagre da simplicidade do Evangelho

A força escondida da intercessão

Os cristãos precisam buscar o batismo e os dons sobrenaturais do Espírito Santo

Zumbi teológico tenta transformar autor do Evangelho de Lucas em zumbi

Nadar e dirigir é perigoso… para quem não sabe nadar e dirigir

Rev. Larry Christenson, pioneiro luterano carismático

Rex Humbard, o primeiro e mais importante televangelista que abençoou milhões

Desarmamento espiritual não é ideia de Deus

Expulsão de demônios: verdades e confusões

Rev. Larry Christenson: Entendendo o dom de línguas

Jesus, os fariseus e os cessacionistas

O Evangelho, os demonizadores e os expulsadores de demônios

Johann Christof Blumbhardt: Quando o poder de Deus se revela

O reavivamento perfeito?

Julio Severo busca mobilizar os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

Biden não é a vontade de Deus para os EUA, mas o que os americanos podem esperar se distanciando de Deus e da Bíblia?

Desafios para o Brasil conservador diante de um governo americano sob a possível presidência do extremista esquerdista Biden

Quando um televangelista se importa mais com acordos de armas do que com vidas humanas por amor ao neoconservadorismo

Quando um televangelista se importa mais com acordos de armas do que com vidas humanas por amor ao neoconservadorismo

Os profetas e os políticos adúlteros

2 comentários :

Flávio disse...

Se não fizerem agora não sera nunca mais. Biden vai encher os EUA de mexicanos socialistas e mulçumanos

Neves disse...

Infelizmente, o mundo que conhecemos está rumando a passos largos em direção ao caos. Há uma intenção nisso, seja com Governos Conservadores ou não, a ascensão ao Poder totalitário mundial do filho da perdição. Contra isso, nós Cristãos, não poderemos impedir. É profético para que se cumpra toda a História da Humanidade e o SENHOR JESUS retorne em Glória e Esplendor. MARANATA!