1 de dezembro de 2020

Ditadura virtual mundial “made in U.S.”

 

Ditadura virtual mundial “made in U.S.”

Julio Severo

Famosamente, o grande presidente americano Ronald Reagan chamou a União Soviética de “Império do Mal.” Ele acertou: a União Soviética foi a maior ditadura ateísta que o mundo já viu.



Hoje, depois de ter engrandecido a China de todas as formas possíveis, entupindo o território chinês de milhares de empresas americanas que dão bilhões e bilhões de dólares para a ditadura comunista chinesa, os EUA acusam finalmente a China de ser uma ditadura comunista.

Acusação certíssima, mas muito tardia. É como dizer que a Arábia Saudita é uma ditadura islâmica — fato tão óbvio que qualquer cerebro minimamente alfabetizado pode entender. O problema é que a Arábia Saudita é o maior comprador de armas dos EUA. Não é difícil entender então por que os EUA não têm a mínima coragem de chamar a Arábia Saudita de ditadura islâmica.

Tenho certeza de que se a China se tornar o maior comprador de armas americanas, os EUA vão parar de chamar a China de ditadura comunista.

O capitalismo americano, que no passado era guiado por valores evangélicos, está hoje a serviço de qualquer bom pagador, seja comunista ou muçulmano.

Contudo, o capitalismo americano sem valores evangélicos não criou uma ditadura. Criou na verdade várias ditaduras.

O mundo inteiro usa o Facebook, uma plataforma 100% americana e 100% ditatorial. Você é livre para entrar no Facebook, mas sua liberdade é só para entrar. A partir do momento que você entra no Facebook, você perde a liberdade — se você for conservador. Se você for socialista, o Facebook garante proteção para todas as suas liberdades de dizer asneiras em louvor a Karl Marx.

Contudo, para os conservadores, é exatamente o contrário.

Se você disser que o islamismo é terrorista, o Facebook bloqueia você.

Se você disser que o islamismo é o sistema que mais persegue e mata cristãos, o Facebook bloqueia você.

Se você disser que o homossexualismo é um pecado condenado pela Bíblia e pela tradição judaica, o Facebook bloqueia você.

Sei disso porque já fui várias vezes bloqueado por esses motivos. O Facebook me impôs inúmeros bloqueios de 30 dias por eu usar a liberdade de expressão para dizer verdades óbvias que os americanos sempre disseram.

Outras plataformas 100% americanas, como o Twitter, também já estão aplicando censura em opiniões conservadoras e cristãs.

O fascinante é que o Facebook, o Twitter e outras plataformas americanas não censuram, não condenam e nem bloqueiam opiniões esquerdistas de ódio contra os cristãos. É sempre censura contra os cristãos.

Depois de muitos bloqueios, o Facebook soviético decidiu permanentemente cancelar minha conta.

Agora, fico imaginando como é que o secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo tem coragem de passar sermão na China por ditadura. Os EUA também têm ditadura. Aliás, várias ditaduras. O Facebook é um sistema virtual ditatorial de alcance mundial. O Twitter e outras plataformas americanas que censuram são também ditaduras virtuais de alcance mundial.

Os EUA, alimentando diversas ditaduras virtuais de alcance mundial, perderam totalmente a moral de condenar qualquer ditadura em outro lugar.

A Arábia Saudita não precisa se preocupar porque os EUA não estão interessados em chamá-la de ditadura. Isso só poderia acontecer se os sauditas pararem de gastar bilhões e bilhões de dólares para comprar armas americanas.

Contudo, a China, de quem discordo totalmente por perseguir cristãos, tem toda moral de jogar na cara dos EUA: “Como é que vocês nos acusam de censura e ditadura quando vocês têm o Facebook soviético?”

O sistema de ditadura virtual do Facebook é compatível com a União Soviética, China, Cuba e Coreia do Norte. Cadê a coragem do governo dos EUA para encerrar essa ditadura?

E para piorar, os EUA se tornaram o principal motor do imperialismo homossexual mundial. Passei muitos anos denunciando o esquerdista Obama por sua promoção do pecado homossexual. Depois, passei outros anos denunciando a campanha de Trump para legalizar o homossexualismo no mundo inteiro.

Engrandecer o pecado que destruiu Sodoma parece ser uma das principais metas do governo dos EUA, sob socialistas ou direitistas, que desejam impor uma ditadura homossexual mundial.

O governo dos EUA não tem nenhum direito de lutar contra ditaduras no quintal dos outros enquanto alimenta várias ditaduras virtuais globais em seu próprio quintal e promove a ditadura homossexual em todos os outros quintais.

Versão em inglês deste artigo: Global Virtual Dictatorship “Made in US”

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Censura e cancelamento da minha conta, a resposta do Facebook ao meu conservadorismo cristão

Um Império Lançado por Socialistas dos EUA

A força transcendente do neoconservadorismo na mídia e entre esquerdistas e direitistas dos EUA

O que é neoconservadorismo? Quem são os neocons?

Babilônia conservadora em “Perseguição”: Televangelista híbrido cai em armação de neocon pagão, e o “evangelho” da liberdade de expressão, do patriotismo ou igualdade substituindo o Evangelho de Jesus Cristo

Deus é bom para Israel: Como a Providência impediu Franklin Roosevelt de impedir o nascimento do moderno Estado de Israel

Mike Pompeo: O comunismo chinês é “a ameaça central dos nossos tempos”

Destino Manifesto na Bíblia? Os EUA São a Babilônia Moderna, Disse David Wilkerson

Trump: “Os Estados Unidos não podem continuar a ser a polícia do mundo”