27 de setembro de 2020

Teólogo bipolar: Yago Martins conservador confuso contra Yago Martins liberal teológico


Teólogo bipolar: Yago Martins conservador confuso contra Yago Martins liberal teológico

Julio Severo
Se você colocar vários ingredientes interessantes juntos num liquidificador, o resultado poderá ser muito mais interessante e saboroso. Mas isso pode não funcionar teologicamente se os ingredientes forem liberalismo psicológico e conservadorismo bíblico. O resultado será confusão.
Yago Martins
Querendo ou não, a mistura teológica estranha foi feita na cabeça de Yago Martins, que misturou liberalismo psicológico e conservadorismo bíblico em seu liquidificador mental.
“Ninguém escolhe a sua sexualidade. A sexualidade é inata, formada de alguma forma. A gente nasce com determinado impulso de sexualidade que vai se desenvolver ao longo da vida e esse impulso de sexualidade vai se manifestando de forma heterossexual ou homossexual ou bissexual ou diabo a quatro que for aparecendo aí no meio do caminho.”
Até certo ponto, nesse discurso Yago ficou parecendo um Felipe Neto do calvinismo. Nessa visão, aceita plenamente por teólogos adeptos do liberalismo teológico, o homossexual e o heterossexual não têm culpa da “sexualidade” que têm.
Não acho correto o uso do termo “heterossexual.” O que existe é homem e mulher. O que passa disso é perversão.
Yago disse:
“Eu não escolhi ser heterossexual. Sou heterrosexual, casado com uma mulher e eu não escolhi isso. Eu simplesmente manifestei minha sexualidade dessa forma. Há muitos homossexuais, o mesmo. Eles não escolheram ser homossexuais. Eles simplesmente manifestaram sua sexualidade dessa forma.”
Todo teólogo liberal tem esse mesmo discurso de que homossexuals não escolheram ser homossexuais. O problema, no caso do Yago, é que ele se apresenta como teólogo conservador.
Se homossexuais não escolheram ser homossexuais, como é que fica Deus, que diz em 1 Coríntios 6:9-10 que os homossexuais não herdarão o Reino de Deus?
O que Yago anda lendo para ficar tão confuso? Se ele anda lendo material produzido pela Coalizão pelo Evangelho, dá para entender a confusão. Essa Coalizão, formada por pastores calvinistas, tem pastores homossexuais e acredita que não há nada de errado em “cristãos” homossexuais curtirem suas emoções homossexuais, desde que não pratiquem.
Os calvinistas, que habitualmente atacam os pentecostais e neopentecostais por supostamente colocarem as emoções acima do Evangelho, agora colocam as emoções do pecado homossexual acima do Evangelho!
A confusão calvinista de Yago sobre homossexualismo é apenas um exemplo da imensa confusão calvinista mundial sobre questões homossexuais. Não dá, pois, para estranhar que as igrejas presbiterianas (ou calvinistas ou reformadas) sejam mundialmente campeãs na aceitação do pecado homossexual.
Em seu vídeo, Yago tentou introduzir dados numéricos para dar uma aparência científica à sua fala, dizendo:
“A gente nasce com esse impulso heterossexual principalmente, até porque o número de homossexuais no mundo é sempre muito menor. Segundo algumas pesquisas nunca passa de 7 por cento. Nunca passou de 7 por cento ao longo da história do mundo. É um número mais ou menos padrão.”
Na verdade, o número de homossexuais nunca passou de 2 por cento da população.
Os ativistas gays incham os números de homossexuais para 10 por cento da população. Talvez Yago tenha tentado fazer média com ambos os lados, mas seu número é também altíssimo. Gays não são nem 10 nem 7 por cento da população, mas se a propaganda gay continuar predominando nas escolas, meios de comunicação, igrejas liberais e youtubers calvinistas “conservadores,” dificilmente o resultado dessa propaganda em massa não será aumento de homossexualismo.
Eu seria injusto se não apontasse que no discurso liberal do Yago Martins não havia termos conservadores. Não sei como ele conseguiu misturar liberalismo psicológico e conservadorismo bíblico no seu liquidificador mental, mas ele conseguiu. No meio do liberalismo, ele usou termos mais ou menos conservadores. Ele disse:
“Por que a sexualidade se manifesta de modo transviado? Porque o pecado entrou no mundo.”
“Se você luta contra a homossexualidade, contra desejos e impulsos homossexuais, o que você precisa? A mesma coisa de quem é heterossexual… Do sangue de Jesus sobre você. E você talvez vença esse pecado automaticamente e você não se sinta atraido por homens nunca mais. Talvez você vença esse pecado progressivamente e aos poucos você vai deixando isso. Ou talvez seja um pecado contra o qual você vai lutar pelo resto da sua vida, como acontece em várias outras áreas, como na preguiça, como na lascívia de forma heterossexual, como no orgulho ou na ganância.”
Então, no final, ele deixa claro:
“A homossexualidade é um pecado e lutar contra o pecado e ter desejo pelo pecado não é um sinal de que você não é um salvo e eleito de Deus. Significa que você tem pecado. E como alguém pecador você precisa da redenção de Cristo Jesus.”
Como a homossexualidade pode ser pecado e inata ao mesmo tempo? Como se pode chamar a homossexualidade de sexualidade e pecado ao mesmo tempo? Se os homossexuais “não escolheram ser homossexuais,” como eles conseguirão lutar contra esse pecado? Essas contradições liberais e conservadoras estão fartamente presentes no vídeo confuso de Yago.
Ao misturar liberalismo psicológico e conservadorismo bíblico em seu vídeo, querendo ou não Yago Martins acabou trazendo mais confusões do que respostas. No seu vídeo confuso, o Yago Martins liberal vai contra o Yago Martins conservador e vice-versa. Ou ele está ensaiando para se lançar como Felipe Neto do calvinismo ou ele é teólogo bipolar, mas ainda não percebeu.
Não é a primeira vez que vejo o Yago envolvido em confusões. Em um programa do Dois Dedos de Teologia de 2017, ele entrevistou o Pr. Marcos Botelho, da Igreja Presbiteriana do Brasil. Botelho reclamou que um artigo dele na revista Ultimato defendendo o “casamento” homossexual foi torpedeado por mim.
Yago poderia ter interpelado Botelho dizendo: “Mas como você, um pastor presbiteriano, pode defender o ‘casamento’ homossexual?” Contudo, Yago nada perguntou. Enquanto Botelho reclamava de mim, Yago não reclamou do liberalismo pró-homossexualismo de Botelho.
Se o programa Dois Dedos de Teologia fosse meu, Botelho jamais ia sair da entrevista sem receber boas bordoadas por apoiar o “casamento” gay. Mas Yago o deixou tranquilo na entrevista. Que tipo de “conservador” aceita passivamente um pastor liberal em seu programa e não o confronta?
Confrontar os liberais é dever de todo conservador. No entanto, Yago não só não fez isso, mas hoje ele acha elegante produzir um vídeo misturando liberalismo psicológico e conservadorismo bíblico.
Jesus disse:
“Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.” (Apocalipse 3:15-16 NVI)
Leitura recomendada:

2 comentários :

Agatha Oliveira disse...

A primeira palavra que me veio à mente quando assisti o referido vídeo do Yago Martins foi "tímido". Certamente um posicionamento "tímido" não agrada o Senhor. "Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte." - Apocalipse 21:8.
Essa covardia é um dos maus frutos da heresia cessacionista, já que desdenham das batalhas espirituais que permeiam nossas vidas.

Priscila Lima Oliveira disse...

A Bíblia não diz que o homem foi feito em imagem e semelhança de Deus? Então ,todos deveriam ser iguais ,sem defeitos .Ninguém é igual ao outro ,cada um tem uma personalidade.