22 de setembro de 2020

Para permanecer nos holofotes da grande mídia esquerdista, pastor batista usa discurso de ódio marxista para atacar a Igreja Batista da Lagoinha


Para permanecer nos holofotes da grande mídia esquerdista, pastor batista usa discurso de ódio marxista para atacar a Igreja Batista da Lagoinha

Julio Severo
O pastor e teólogo batista Ronilso Pacheco não consegue mais disfarçar que o ódio ideológico move sua vida e palavras. Inspirado pela Teologia da Libertação negra, que é tão marxista quanto qualquer teologia dessa espécie, ele defende o indefensável: O BLM, grupo terrorista cujos agitadores saqueiam lojas e cometem todos os tipos de violência.
Ronilso Pacheco
Ronilso se tornou tão radical e distante do Evangelho que, mesmo morando com visto de estudante nos EUA, ele ataca o presidente Donald Trump como “racista.”
Agora Ronilso, que se considera batista, ataca dois dos principais líderes da Igreja Batista da Lagoinha: Ana Paula Valadão e André Valadão.
Em seu artigo “André e Ana Paula Valadão: onde (e como) os discursos de ódio nascem,” ele condenou André por dizer que a igreja não é clube gay e condenou Ana por associar o pecado homossexual à AIDS. Ele disse:
“Neste nível de situação, Ana Paula e André Valadão deveriam ser responsabilizados. O que André Valadão recomenda para a comunidade gay é gueto, segregação, distanciamento. Isto é tão covarde quanto desonesto. O que Ana Paula afirma sobre gays é negação da vida social das pessoas, é uma acusação pública tão estúpida que atropela a ciência e o bom senso em nome de um fundamentalismo doentio e nocivo.”
Em vez de defender a cantora evangélica contras as turbas midiáticas esquerdistas, Ronilso se juntou às turbas. Eu não me juntei às turbas. Preferi defender o testemunho cristão da cantora com meu artigo: “Cantora gospel Ana Paula Valadão é criticada por imprensa esquerdista e é comparada a Hitler por entidade gay que a ameaça de processo por dizer que a AIDS é consequência mortal da união sexual entre dois homens.”
Quanto mais Ronilso, que se tornou mera marionete da ideologia marxista e imprensa esquerdista, ataca os evangélicos, mais entrevistas ele recebe da TV Globo e outros canais. E para garantir os holofotes, ele ele busca agradar à esquerda não poupando os termos mais radicais contra os evangélicos.
Homossexuais, como todos os outros pecadores, são bem-vindos nas igrejas. Mas eles não podem fazer o que querem nesse ambiente. Não podem se beijar. Não podem usar drogas ali. Não podem beber ali.
Igreja é o lugar em que os pecadores, inclusive homossexuais, deveriam encontrar sua libertação através de Jesus Cristo.
Só porque gays não têm liberdade de fazer na igreja o que eles fazem num clube ou boate gay — onde eles bebem, fumam, usam drogas e se prostituem à vontade — não significa “gueto, segregação e distanciamento.” Ronilso sabe disso. Mas a fim de manter os holofotes confortáveis da mídia esquerdista, ele tem de jogar os evangélicos aos leões de todas as formas possíveis. O preço de seu sucesso não é seu sacrifício pessoal, mas ele sacrificar os evangélicos.
Sobre homossexualidade e AIDS, havia consenso médico e científico no ínicio dessa epidemia na década de 1980 de que as principais vítimas da AIDS eram homossexuais. Especialistas, movidos mais por ideologia do que o bem-estar das pessoas, afirmavam então que no futuro a AIDS afetaria principalmente a população não homossexual. Já estamos no futuro, e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, a entidade mais importante do governo dos EUA sobre questões de saúde, disseram em 2020:
“Gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens são a população mais afetada pelo HIV nos Estados Unidos. Em 2017, os homens gays e bissexuais adultos e adolescentes representavam 70%.”
Portanto, se na década de 1980 a AIDS era uma doença indiscutivelmente de predominância gay, hoje nada mudou: Continua de predominância gay.
Mesmo assim, Ronilso disse:
“Associar AIDS e homossexualidade não é apenas fora de moda, fora de contexto ou retrógrado, é a perversidade de quem ostenta uma fé fútil e inconsequente.”
Se a esquerda disser que não existe lei da gravidade, Ronilso vai repetir como papagaio essa mentira só para agradar à esquerda. Se a esquerda mandá-lo plantar bananeira diante do público, ele vai obedecer sem pestanejar.
Ronilso mostrou que tem péssima capacidade de interpretar dados científicos e grande capacidade de ser instrumento do ódio da esquerda contra os evangélicos.
Ronilso também disse:
“Crer na homossexualidade como pecado, segundo a maneira que eles leem a Bíblia, é um direito que os irmãos Valadão têm. E destaco que é ‘segundo a maneira que eles leem a Bíblia,’ porque a afirmação de que a homossexualidade é ‘pecado’ está longe de ser um consenso entre lideranças evangélicas, inclusive estudiosos e teólogos. Esta compreensão está muito mais impregnada por tradições de leituras construídas socialmente do que explicitamente na Bíblia. Ela é uma interpretação e não um fato. A fé e a religiosidade não podem blindar figuras públicas que reforçam preconceito e homofobia.”
É um discurso relativista. Nenhum batista ou outro evangélicos deveria estranhar tal relativismo gritante no teólogo batista Ronilso, que com seu visto de imigrante nos EUA está estudando no Seminário Teológico União, uma das instituições teológicas mais antigas e esquerdistas dos EUA.
A presidente do Seminário Teológico União crê que Jesus não nasceu de uma virgem e ainda acha essa ideia “bizarra.” Ela crê que a onipotência e onisciência de Deus são invenção. E não acredita na ressurreição de Jesus.
Depois de estudar nessa instituição americana, Ronilso vai se tornar um exportador do relativismo moral que ele aprendeu nos EUA. Aliás, mesmo antes de terminar seu curso ele já está exportando.
Tardiamente, os evangélicos só estão copiando o que já estava acontecendo na sociedade brasileira. Marta Suplicy foi presidente de honra da conferência da Associação Internacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais no Brasil em 1995, conforme denunciei em meu livro “O Movimento Homossexual,” publicado pela Editora Betânia em 1998.
Ela, que já foi deputada federal e senadora, também apresentou o primeiro projeto de “casamento” homossexual do Brasil. Como foi que ela se tornou exportadora da agenda gay? Nas décadas de 1960 e 1970, ela estudou em universidades americanas e voltou para o Brasil cheia de relativismo moral. Com tal experiência, ou lavagem cerebral, ela apresentou o programa TV Mulher da TV Globo no final da década de 1970 e na década de 1980. Seu programa exaltava o relativismo moral e sexual, inclusive a homossexualidade.
Os EUA têm coisas boas e ruins para exportar. Só fico triste que muitos brasileiros escolham as piores coisas dos EUA.
Ronilso é apenas fruto do aprendizado ideológico que ele, por livre e espontânea vontade, decidiu abraçar. Ele conheceu e adorou as coisas más que os EUA têm para exportar. E hoje ele é um mero exportador dessas coisas más.
Em vez de usar o Evangelho contra o marxismo, Ronilso usa o marxismo contra o Evangelho.
Em vez de ser um instrumento do Evangelho, ele é um instrumento do marxismo.
Em vez de se opor aos esquerdistas e seu ativismo, ele se junta a eles para se opor aos evangélicos conservadores.
Em vez de reconhecer que existe muito ódio na esquerda, principalmente contra os evangélicos conservadores, Ronilso prefere interpretar esse ódio como “amor.”
Em vez de ver o amor dos evangélicos pelos pecadores homossexuais, ele prefere abandonar a visão do Evangelho e usar as lentes do marxismo para ver os evangélicos da pior forma possível.
Seria muito mais útil se Ronilso fosse menos covarde e mais corajoso e em vez de se identificar como “teólogo batista” ou “pastor batista,” ele se identificasse com a natureza ideológica que ele adotou: Militante marxista.
Nem de longe, o discurso de Ana Paula Valadão é ódio. Apesar de Ronilso ter visto somente ódio no discurso dela, o que Ana disse que enfureceu a esquerda inteira, inclusive Ronilso, foi:
“Muita gente acha que isso [homossexualidade] é normal. Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências. A Bíblia chama qualquer escolha contrária ao que Deus determinou como ideal, como ele nos criou para ser, ele chama de pecado. E o pecado tem uma consequência, que é a morte, inclusive tudo o que é distorcido traz consequências naturalmente. Nem é Deus trazendo uma praga ou juízo. Taí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte e contamina as mulheres. Enfim, não é o ideal de Deus. Sabe qual é o sexo seguro, que não transmite doença nenhuma? O sexo seguro se chama aliança do casamento.”
Por mais doente que possa parecer, Ronilso vê ódio nesse discurso de amor cristão e ele vê amor no discurso de ódio dos esquerdistas. Ele chama o bem de mal e o mal de bem, como diz a Bíblia:
“Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, amargo. Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos e inteligentes em sua própria opinião.” (Isaías 5:20-21 NVI)
Na 2 Guerra Mundial, havia judeus que traíam outros judeus para agradar aos nazistas e receber deles algumas migalhas. Hoje, evangélicos que não aprenderam absolutamente nada com o passado traem seus irmãos evangélicos para agradar à grande mídia esquerdista e receber algumas migalhas.
Anos atrás, denunciei a abertura da Igreja Batista da Lagoinha a um famoso pastor esquerdista da Igreja Presbiteriana do Brasil. Meu objetivo era ajudar a Igreja da Lagoinha a não se contaminar com a ideologia esquerdista, da qual Ronilso se tornou uma vítima, exemplo e exportador.
Hoje, a Igreja Batista da Lagoinha é vítima de um teólogo batista que não assume seu ódio ideológico, mas prefere disfarçar seu marxismo como um evangelho diferente e melhor.
O Apóstolo Paulo nos alertou sobre evangelhos diferentes:
“Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! Como já dissemos, agora repito: Se alguém lhes anuncia um evangelho diferente daquele que já receberam, que seja amaldiçoado!” (Gálatas 1:8-9 NVI)
Mesmo que um anjo negro, com uma Teologia da Libertação negra, venha com um evangelho negro com libertação negra, não acredite! O final triste desse evangelho falso é uma eternidade em trevas.
Leitura recomendada:

3 comentários :

Flávio disse...

Se ele continuar assim a eternidade sera negra rs

Junior disse...

De teologo e pastor esse camarada nao tem nada. Ele nao passa de um mero ativista esquerdista. Um psicopata como toda escoria doutrinada pela ideologia marxista.

Rodrigo disse...

Não me assombra esse fariseu dizer estas asneiras. Ele é, como Paulo disse, um doutor segundo suas convicções de lixo, impregnadas de doutrina humana e relativismo satânico.