20 de agosto de 2020

Trump é o “presidente mais pró-homossexualismo da história americana,” de acordo com republicano Richard Grenell


Trump é o “presidente mais pró-homossexualismo da história americana,” de acordo com republicano Richard Grenell

Julio Severo
Em 17 de agosto de 2020, publiquei meu artigo “Trump é o presidente republicano mais pró-sodomia da história dos Estados Unidos.” Certamente, entre os presidentes republicanos, o presidente dos EUA, Donald Trump, é o mais pró-homossexualismo. Pelo menos, esse era o meu pensamento.
Entretanto, fiquei surpreso quando, em um vídeo de 19 de agosto de 2020, Richard Grenell disse que Trump é “o presidente mais pró-homossexualismo da história americana. Eu posso provar isso.” Sem querer, ele me corrigiu: Trump é o presidente mais pró-sodomia da história dos EUA, entre presidentes democratas e republicanos.
Grenell sabe o que ele disse. Ele é um homossexualista republicano que havia sido nomeado por Trump como embaixador dos EUA na Alemanha e diretor interino da Inteligência Nacional.
A declaração de Grenell foi feita em um vídeo divulgado pelo Log Cabin Republicans, um grupo de homossexualistas republicanos que trabalha para promover a agenda gay, mas eles querem que os conservadores acreditem que os homossexualistas republicanos também são conservadores.
O vídeo foi dirigido à população homossexual, para convencê-los de que, se eles querem um candidato presidencial que faça a vontade deles, Trump é o homem certo.
“O presidente Trump fez mais para promover os direitos de gays e lésbicas em três anos do que Joe Biden fez em mais de quarenta anos em Washington,” disse Grenell. “Por quatro décadas, Joe Biden atacou a comunidade LGBT; como senador dos EUA, Biden apoiou a lei ‘Não Pergunte; Não Diga’ e a Lei de Defesa do Casamento. Biden votou para cortar verbas federais para escolas que ensinem a aceitação da homossexualidade. Biden disse muitas vezes que ele era contra a igualdade no casamento.”
Então Grenell, que recebeu de Trump a missão de legalizar a homossexualidade em todo o mundo, está dizendo à população homossexual para não votar no democrata (socialista) Joe Biden porque Biden votou para cortar verbas federais para escolas que ensinem a aceitação da homossexualidade e disse muitas vezes que ele era contra o “casamento” gay.
O vídeo mostrou Biden respondendo, “Não,” quando questionado se ele apoiava o “casamento” gay, e outro clipe de Biden dizendo: “O casamento é entre um homem e uma mulher.”
“Sei por experiência própria que o presidente Trump é o aliado mais forte que os gays americanos já tiveram na Casa Branca. Donald Trump é o primeiro presidente na história americana a ser pró-casamento gay desde seu primeiro dia de mandato,” disse Grenell.
Os evangélicos conservadores não precisam ser muito inteligentes para entender o que Grenell quer dizer. A campanha mundial de Trump para legalizar a homossexualidade acabará também legalizando o “casamento” gay, financiando a aceitação da homossexualidade nas escolas e deixando os homossexuais livres para doutrinar e adotar crianças.
Grenell concluiu: “Olha, eu amo este país e não vou ficar calado. Existem dezenas de milhares de conservadores gays, assim como eu, que também não se calam. Os gays não precisam votar nos democratas porque Donald Trump é o presidente mais pró-gay da história americana.”
Eu nunca votaria em Joe Biden ou outro democrata porque eles são socialistas, mas Grenell, como um homossexualista republicano casado com outro homossexual, realmente provou que votando em Trump (a quem admiro em muitos outros aspectos), os evangélicos terão um presidente promovendo uma agenda totalmente contrária aos seus valores morais e bíblicos. Eles vão abraçar em Trump o que nunca abraçaram nos socialistas.
Cristãos conservadores, especialmente evangélicos, se opuseram a Bill Clinton, Barack Hussein Obama e não votaram em Hillary Clinton exatamente porque eles promoviam o ativismo homossexual. Por que agora eles deveriam tolerar um republicano mais engajado no ativismo homossexual do que os democratas?
Os evangélicos, que são a principal base política de Trump, não deveriam fazer de seus votos um produto barato. Eles deveriam deixar suas vozes e valores muito claros. Eles deveriam valorizar seu apoio a Trump, dizendo-lhe claramente “chega de propaganda e imperialismo homossexual,” especialmente na política externa dos EUA. Trump está promovendo internacionalmente a agenda homossexual às custas de seus eleitores evangélicos.
Se o ativismo homossexual de Bill Clinton, Obama e Hillary Clinton foi muito preocupante para os evangélicos conservadores, por que o mesmo ativismo de Trump e seu governo deveria menos preocupante para os evangélicos?
Agradeço a Richard Grenell por me corrigir. Eu estava realmente errado quando disse que Trump é o presidente republicano mais pró-sodomia. Ele é na verdade o presidente mais pró-sodomia da história dos Estados Unidos, superando democratas e republicanos.
Grenell confirmou e expandiu tudo que eu disse sobre o ativismo homossexual no governo Trump. No entanto, embora como homossexual ele esteja muito feliz com tal ativismo, como evangélico conservador estou muito triste.
Com informações do DailyWire.com
Leitura recomendada:

2 comentários :

rogerio disse...

Com toda certeza trump é mais um globalista.O eleitorado conservador deve rever seus conceitos quanto ver um candidato "republicano ou conservador".Agora é necessário mais do que nunca se decidir a favor de trump e suas polêmicas ou entregar a casa branca para Biden e toda sua legião de anti-conservadores.

Alexandre disse...

Esperar o quê de um aluno de Steve Bannon, senão um verdadeiro lobo em pele de cordeiro, o que me faz acreditar ainda mais nos livros que Bob Woodward escreveu sobre Trump.