30 de março de 2020

Coronavírus é o dedo de Deus


Coronavírus é o dedo de Deus

Bryan Fischer
De 1865 a 1867, a Inglaterra experimentou uma praga de um vírus mortal entre seus animais, uma epidemia que exterminou milhares e milhares do gado daquela nação. Os efeitos dessa praga foram sentidos em todos os lares, entre ricos e pobres igualmente, à medida que os suprimentos de carne, queijo, leite e manteiga se esgotaram. Consumiu as riquezas da nação. O bispo J.C. Ryle disse que era “como se o ouro e a prata fossem arrancados de nós e jogados ao mar.” Havia, ele diz, uma “maldição de desproteção” sobre a terra.
Ryle escreveu um panfleto amplamente divulgado na época, e adaptei seus pensamentos para este artigo em conexão com a pandemia do coronavírus que está devastando nossa economia, paralisando-nos de medo, isolando-nos de nossos amigos e nos aprisionando em nossas próprias casas. Embora o vírus deva ser levado a sério, é provável que o pânico e a histeria acabem causando mais danos à nossa economia do que o próprio vírus.
Como devemos, como homens e mulheres cristãos, encarar essa pandemia? Os políticos, é claro, devem lidar com a política e nossos profissionais médicos e cientistas devem lidar com as teorias de ajuda e prevenção terapêuticas. Mas, como povo de Deus, devemos elevar nosso olhar mais alto que o deles e procurar discernir os propósitos de Deus em tudo isso.
Antes de tudo, cabe a nós reconhecer que essa pandemia vem das mãos de Deus. Foi ele quem enviou essa praga sobre nós. Como os bruxos do Faraó disseram diante de uma infestação global de mosquitos: “Esse é o dedo de Deus” (Êxodo 8:19). Se os ocultistas pagãos puderam imaginar a causa, deveríamos ser capazes também de imaginar.
Ele é soberano sobre tudo o que acontece no céu ou na terra. Sua sabedoria, poder e propósito direcionam providencialmente tudo o que acontece na terra. Para nós, como crentes, não aceitarmos isso é loucura teológica. Devemos admitir que o coronavírus é o dedo de Deus.
Uma grande crise ou catástrofe após outra registrada na Bíblia é atribuída ao controle de Deus. Deus foi quem enviou o dilúvio ao mundo nos dias de Noé (Gênesis 6:17), a fome nos dias de José (Gênesis 41:25), as pragas na terra do Egito (Êxodo 7:5, 9:3), os tumores nos filisteus depois de terem capturado a arca (1 Samuel 5:7, 6:3), a peste que afligiu Israel nos dias de Davi (2 Samuel 24:15), a fome no dias de Eliseu (2 Reis 8:1), e o grande vento e a forte tempestade nos dias de Jonas (Jonas 1:4).
Deus, como Benjamin Franklin comentou, “ainda governa nos assuntos dos homens” e usa desastres naturais, guerras e doenças como instrumentos de sua vontade divina. “O desastre chega a uma cidade, a menos que o Senhor o tenha feito?” (Amós 3:6). O coronavírus é obra do Senhor. Pode ser que a natureza esteja louca, mas não é só isso. É, na verdade, o dedo de Deus.
Se Deus criou o mundo, não é absurdo imaginar que ele também o governa. Se ele o formou, não é absurdo imaginar que ele também o administre. Assim como um pai firme e amoroso mostra seu maior amor, corrigindo seus filhos para protegê-los de si mesmos e de sua própria loucura, Deus também acha necessário, ocasionalmente, disciplinar aqueles que suas mãos criaram. A dor é sua ferramenta de disciplina. Ele usa até coisas más para realizar sua vontade soberana. “Devemos receber o bem de Deus e não receberemos o mal?” (Jó 2:10).
Os fundadores dos EUA sabiam que os homens deverão estar na presença de Deus como indivíduos no dia do julgamento, para responder pelo que fizeram em seus corpos terrenos. Mas as nações não são assim. As nações não são eternas e devem receber sua recompensa e seu julgamento dentro das fronteiras da história.
O coronavírus é o dedo de Deus, o castigo de Deus em uma nação rebelde, insubordinada, desobediente e teimosa. É seu julgamento sobre os EUA pelos seus pecados nacionais. “Os olhos do Senhor Deus estão sobre o reino pecaminoso, e eu o destruirei da superfície da terra” (Amós 9: 8).
Os pecados nacionais dos EUA são muitos. O primeiro e principal pecado nacional dos EUA é o aborto. O sangue de 63 milhões de inocentes massacrados mancha as mãos dos americanos e clama a Deus desde a terra. O que Thomas Jefferson disse sobre a escravidão hoje pode ser corretamente dito sobre o aborto. “Tremo pelo meu país quando reflito que Deus é justo, que sua justiça não pode dormir para sempre.”
O segundo pecado nacional dos EUA é a homossexualidade. Os EUA normalizaram, abraçaram e sancionaram o comportamento que é uma abominação aos olhos de Deus. De acordo com Paulo em Romanos 1, é “vergonhoso, desonroso” e “contrário à natureza.” É o pecado que fez com que Sodoma e Gomorra fossem consumidas pela ira de Deus.
O terceiro é a cobiça, um desejo insaciável e ganancioso de riqueza que os outros têm. Os americanos buscam cegamente a riqueza como se fosse o segredo da felicidade e reclamam quando o governo dos EUA não lhes dá mais dinheiro de outras pessoas. “Ninguém engane você com palavras vazias, porque por causa disso a ira de Deus vem sobre os filhos da desobediência” (Efésios 5:6).
O quarto pecado nacional é a imoralidade sexual desenfreada. Os EUA estão inundados de pecados de promiscuidade, adultério, prostituição e pornografia. Os EUA estão nadando em um pântano de devassidão e estão atormentados por doenças sexualmente transmissíveis numa escala quase incalculável, porque ignoraram flagrantemente a verdade de que “a vontade de Deus é… que você se abstenha da imoralidade sexual” (1 Tessalonicenses 4:3) .
O quinto pecado nacional dos EUA é o abuso de drogas e álcool, alguns deles até legais. Os EUA têm insistido obstinadamente em desafiar a ordem de Deus de “não embriagar-se de vinho, que é devassidão” (Efésios 5:18). Em vez de permitir que o Espírito de Deus nos controle, permitimos que outras coisas nos controlem.
O sexto pecado nacional dos EUA é rejeitar a autoridade da Palavra de Deus. Os EUA não apenas rejeitaram a Palavra de Deus, como a ridicularizam e a todos que acreditam nela. No entanto, o julgamento chega a qualquer nação que rejeite a Palavra de Deus revelada. Zacarias diz: “Eles fizeram seus corações como pederneira, para que não ouvissem as palavras do Senhor dos Exércitos. Por isso veio grande ira do Senhor dos exércitos” (Zacarias 7:12).
O sétimo pecado nacional dos EUA é abandonar o próprio Deus. Os EUA abandonaram o Deus que os criou e os sustenta e lhes deu essa terra rica e abundante. “Tu me abandonaste, declara o Senhor, e continuas retrocedendo, por isso estendi a minha mão contra ti e destruí-te” (Jeremias 15: 6).
Então, o que devemos fazer? Devemos nos humilhar debaixo da poderosa mão de Deus e reconhecer que somos uma nação orgulhosa e arrogante, cega a nossos muitos pecados.
Cada um de nós deve se examinar e se recusar a continuar com o que sabemos ser um comportamento pecaminoso. Os pecados de uma nação consistem nos pecados de muitas pessoas. Se cada um de nós consertar nossos caminhos, se varrermos a frente de nossa própria porta, poderemos fazer nossa parte para reduzir o peso do pecado que nossa nação carrega diante de Deus.
E enquanto os políticos, cientistas e profissionais médicos dos EUA trabalham para eliminar esse contágio, podemos e devemos clamar a Deus com um só coração e uma só voz para remover esse julgamento da terra. Os homens de Nínive se humilharam, confessaram seus pecados e clamaram a Deus. Ele ouviu e perdoou. “Invoca-me,” diz o Senhor, “em tempos de angústia, e eu te livrarei” (Salmo 50:15).
“Deus Todo-Poderoso, que ordena todas as coisas no céu e na terra, e em cuja mão está a vida de homens e animais, tem misericórdia de nós, pecadores miseráveis, que agora são visitados com grande doença e mortalidade. Não temos nada a dizer por nós mesmos. Humildemente confessamos que merecemos teu castigo por causa dos nossos muitos pecados nacionais. Mas poupa-nos, Senhor, de acordo com tua abundante misericórdia. Pedimos que tu não lides conosco de acordo com nossos pecados. Retira essa praga de nós e restaura a saúde de nossos corpos e de nossa nação. Acima de tudo, leva todos nós ao verdadeiro arrependimento e aumenta a verdadeira adoração a ti no país. Pedimos tudo isso em nome e através da mediação de Jesus Cristo, nosso Senhor, a quem, contigo e o Espírito Santo, seja toda honra e glória. Amém.” (Adaptado da oração do bispo Ryle.)
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Associação da Família Americana: Coronavirus Is the Finger of God
Leitura recomendada sobre coronavírus:
Outros artigos de Bryan Fischer:

2 comentários :

Hagnaldo disse...

Deus não vê nesta dispensação atual, a era da Igreja, nada além de 3 povos distintos: Os Gentios(nações), os judeus e a Igreja( povo com vocação celestial). O mundo jaz no maligno e Adão entregou o governo ao diabo: "Lucas 4: 6. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero;"

É verdade, que o diabo como um cão raivosa, está sendo segurado em rédeas curtas por Deus, e que tudo o que acontece, nada é sem a permissão de Deus, mas dizer que essa pandemia veio como juizo aos EUA particularmente não reflete a verdade, pois está acontecendo globalmente, além que já houve muitos problemas mundiais, como 2 grandes guerras, fomes, pestes, etc, desde que "entrou o pecado no mundo". Esse mundo não será reformado. Deverá ser expurgado, quando Cristo vier estabelecer seu reino milenar, e a Igreja, a nova Jerusalém que desce dos céus, sua Esposa nessa ocasião pois já haverá ocorrido as bodas, reinará com ELE de "sobre o céu".

A Igreja, o assunto que Deus está tratando neste tempo, será livrada DA HORA TRIBULAÇÃO, será retirada antes, ficará a "massa professa" que receberá com os judeus, o anticristo

Rorschach BR disse...

Saudações Júlio,

Acredito que é o pré-julgamento dos EUA pois está sendo o local onde as consequências serão irrecuperáveis.

Aqui no Brasil estão criando uma histeria coletiva para derrubar o presidente, o que me motivou a voltar a traduzir artigos para levar a verdade sobre essa cortina de fumaça que é o coronavírus:

https://planetaprisao.wordpress.com/2020/04/01/as-regras-do-coronavirus-sao-um-caminho-histerico-rumo-a-um-estado-policial-adverte-ex-juiz-da-suprema-corte/

https://planetaprisao.wordpress.com/2020/03/29/organizacao-mundial-de-saude-enfrenta-novos-pedidos-para-remover-tedros-por-ceder-aos-comunistas-chineses-em-subestimar-o-surto-de-coronavirus/

https://planetaprisao.wordpress.com/2020/03/24/nova-iorque-tornou-se-a-nova-wuhan-a-grande-maca-agora-e-o-novo-epicentro-da-pandemia-global-de-coronavirus-nos-eua/

https://planetaprisao.wordpress.com/2020/03/24/medico-israelense-na-italia-nao-atendemos-mais-as-pessoas-acima-de-60-anos/

Louvado seja Deus !!