17 de dezembro de 2018

Facebook rejeita meu reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel?


Facebook rejeita meu reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel?

Julio Severo
Meu perfil no Facebook (https://www.facebook.com/julio.severo) foi bloqueado por 30 dias (a partir de sábado, 15 de dezembro de 2018) devido à minha postagem a seguir:
Jerusalém é a capital eterna de Israel. Os EUA e a Guatemala, sob presidentes evangélicos, já fizeram esse reconhecimento e mudaram suas embaixadas para Jerusalém. A Rússia fez esse reconhecimento, antes de Trump, no início deste ano, mas não mudou sua embaixada até agora.
Contudo, todos esses reconhecimentos só se aplicam à Jerusalém ocidental. EUA, Guatemala e Rússia só reconheceram Jerusalém ocidental, deixando a parte oriental de Jerusalém sem reconhecimento e aberta a negociações para se tornar a futura capital de um espúrio Estado palestino.
Benjamin Netanyahu, que é o primeiro-ministro direitista pró-aborto e pró-sodomia de Israel, não reclamou dos reconhecimentos parciais talvez achando que metade é melhor do que nada.
Se Bolsonaro reconhecer Jerusalém inteira (tanto a parte ocidental quanto a parte oriental) como capital de Israel, o Brasil passará a perna nos EUA, Guatemala e Rússia.
Um reconhecimento total protege Jerusalém oriental de cair nas mãos dos palestinos terroristas.
Publiquei este post no meu perfil do Facebook e em todas as páginas do Facebook administradas por mim em 15 de dezembro de 2018. O Facebook excluiu essa postagem na minha página “Blog Julio Severo,” explicando: “Removemos uma de suas postagens porque ela não segue os Padrões Comunitários do Facebook.”
Como é que pode um post defendendo Jerusalém como a capital de Israel ser deletado como ofensivo quando o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, é um judeu-americano?
Expliquei ao Facebook que o meu post não tinha nada de errado, e o Facebook respondeu “Lamentamos que tenhamos cometido um erro. Revisamos sua postagem novamente e ela realmente segue nossos Padrões Comunitários.”
Meu post foi restabelecido. Isso é boa notícia. Mas, ao mesmo tempo, minha conta pessoal de Facebook foi imediatamente bloqueada por 30 dias. Isso é má notícia!
Enviei esta mensagem para o Facebook:
Você havia removido meu post onde eu opinava que Jerusalém é a capital de Israel. Você removeu minha postagem em uma das minhas páginas e bloqueou minha conta. Pedi uma revisão, e depois de alguns minutos você me respondeu assim: “Lamentamos que tenhamos cometido um erro. Revisamos sua postagem novamente e ela realmente segue nossos Padrões Comunitários.” Obrigado por devolver minha postagem. No entanto, você não desbloqueou minha conta após a revisão. Se, de acordo com sua revisão, meu post realmente segue seus Padrões Comunitários, não existe necessidade de manter minha conta bloqueada. Por favor, desbloqueie minha conta o mais rápido possível.
Contudo, não tenho recebido nenhuma resposta. Meu perfil pessoal de Facebook continua bloqueado.
Por que o Facebook faz tamanha confusão com conservadores como eu? Como o fundador do Facebook é judeu, ele deveria ter a capacidade de entender minhas opiniões conservadoras, que são baseadas nas Escrituras judaicas. Por exemplo, defendo Jerusalém como capital de Israel porque a Escritura judaica faz isso. Eu me oponho à agenda homossexual porque a Escritura judaica condena o comportamento homossexual.
Sim, sigo as Escrituras judaicas. E faço muito mais: sigo um Judeu chamado Jesus Cristo. Há algo ofensivo para o judeu Zuckerberg quando ele me vê seguindo as Escrituras judaicas e o judeu Jesus Cristo?
Apesar da minha fidelidade às Escrituras judaicas, o Facebook vem implacavelmente me importunando por minhas posições conservadoras. Desde junho de 2017, o Facebook me puniu várias vezes com seus infames bloqueios de 30 dias. Você pode encontrar mais informações aqui: Facebook censura comentário sobre lésbicas, mas não censura comentários homossexuais contra Jesus Cristo.
Talvez um dos atos mais vergonhosos do Facebook contra mim foi censurar Levítico 18:22, um famoso versículo da Bíblia, entre judeus e cristãos, que eu publiquei no meu perfil, mas o Facebook não gostou e o removeu. Veja meu artigo: Socorro! O Facebook está censurando versículos da Bíblia
Nesse versículo sagrado, Deus diz: “Não se deite com um homem como com uma mulher. É abominação.”
Essa censura contra um versículo da Bíblia imediatamente se tornou manchete no WND (WorldNetDaily), numa reportagem intitulada “Famoso versículo da Bíblia intolerável demais para o Facebook.”
Devido a esse escândalo, o Facebook entrou em contato com o WND com esta mensagem:
“Logo que fomos notificados do problema, começamos a investigar e restauramos o conteúdo logo que pudemos identificar o erro. O conteúdo foi restaurado já que não violava nossos padrões. Informamos ao Sr. Severo acerca do restabelecimento e fizemos um pedido de desculpas pelo erro.” (Veja a reportagem traduzida do WND “Facebook finalmente responde sobre sua censura a versículo picante da Bíblia”)
No entanto, o post da Bíblia não foi restaurado e eu nunca recebi nenhum pedido de desculpas do Facebook.
A única vez que o Facebook recuou em seu assédio e intimidação contra mim foi quando uma organização jurídica conservadora na Califórnia enviou uma carta para o Facebook. Veja: Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?
Não sei se a atitude simultânea do Facebook de restabelecer minha postagem pró-Jerusalém e bloquear minha conta é uma confusão deliberada para evitar ações judiciais usando, no final, sua desculpa padrão: “Lamentamos que tenhamos cometido um erro.”
O que sei é que tal confusão sempre atinge os conservadores.
Querendo ou não, sou vítima da tendenciosidade esquerdista do Facebook.
Leitura recomendada sobre censura do Facebook:
Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:
Outra leitura recomendada:

Nenhum comentário :