22 de novembro de 2018

A primeira vez que um presidente dos EUA proclamou o Dia de Ação de Graças não foi com palavras de um deísta


A primeira vez que um presidente dos EUA proclamou o Dia de Ação de Graças não foi com palavras de um deísta

David Jolly
Por mais de um século e meio, muitos liberais insistem em classificar o presidente George Washington como deísta, embora haja muitas evidências que provem o contrário.
Sim, na época de Washington, o deísmo era popular, mas não era a religião do primeiro presidente dos EUA.
Uma definição de deísmo afirma:
“1. Crença na existência de um Deus somente com base na evidência da razão e da natureza, com a rejeição da revelação sobrenatural (distinta do teísmo).”
“2. Crença em um Deus que criou o mundo, mas desde então permanece indiferente a ele.”
Durante a Guerra Revolucionária [para conquistar a independência dos EUA da Inglaterra], Washington costumava ser visto levantando-se de madrugada, indo para um lugar solitário, ajoelhando-se e orando pedindo direção e liderança de Deus. Se Washington fosse um deísta, ele não estaria orando buscando orientação de um Deus indiferente que nunca responderia.
No primeiro discurso de posse de Washington, ele agradeceu a Deus e reconheceu que, sem a ajuda de Deus, os Estados Unidos nunca teriam derrotado os britânicos e ainda estaríamos sob o domínio britânico.
Ao se sentar para o banquete do Dia de Ação de Graças com amigos e familiares, compartilhe a primeira proclamação que um presidente fez para uma celebração do Dia de Ação de Graças nos EUA e, ao lê-la, compreenda que ela foi entregue pelo então Presidente George Washington em 3 de outubro de 1789:
Proclamação do Presidente dos Estados Unidos da América.
Considerando que é dever de todas as nações reconhecer a providência do Deus Todo-Poderoso, obedecer à sua vontade, ser gratas por seus benefícios e implorar humildemente sua proteção e favor — e considerando que ambas as Casas do Congresso me solicitaram por sua Comissão Conjunta que recomendasse ao povo dos Estados Unidos um dia de ação de graças e oração pública a ser guardado, reconhecendo com gratidão os muitos sinais de favorecimento do Deus Todo-Poderoso, especialmente dando-lhes a oportunidade de estabelecer uma forma de governo para sua segurança e felicidade.
Agora, portanto, recomendo e designo quinta-feira, dia 26 de novembro próximo, para ser dedicado pelo povo dos Estados Unidos ao serviço daquele grande e glorioso Ser, que é o beneficente Autor de todo o bem que foi, isto é, ou que será — para que possamos então todos nos unir em render a ele nossos sinceros e humildes agradecimentos — por seu gentil cuidado e proteção do povo deste país antes de se tornarem uma nação — pelo sinal e múltiplas misericórdias, e as favoráveis ​​intervenções de sua Providência que experimentamos no curso e conclusão da guerra perto do fim — pelo grande grau de tranquilidade, união e abundância, da qual desfrutamos desde então — pela maneira pacífica e racional, na qual fomos capacitados a estabelecer constituições de governo para nossa segurança e felicidade, e particularmente a Constituição nacional que foi recentemente instituída — pela liberdade civil e religiosa com a qual somos abençoados; e os meios que temos de adquirir e difundir conhecimento útil; e, em geral, por todos os grandes e variados favores que ele se agradou em conferir-nos.
E também para que possamos então nos unir em humildemente oferecer nossas orações e súplicas ao grande Senhor e Governante das Nações e suplicar para que ele perdoe nossas transgressões nacionais e outras — para permitir a todos nós, em público ou privado, realizar nossos vários e relativos deveres correta e pontualmente — para tornar nosso governo nacional uma bênção para todo o povo, sendo constantemente um governo de leis sábias, justas e constitucionais, executadas e obedecidas de maneira prudente e fiel — para proteger e guiar todos os soberanos e nações (especialmente como ele mostrou bondade a nós) e abençoá-los com bom governo, paz e concórdia — para promover o conhecimento e prática do verdadeiro Cristianismo e bondade, e o aumento do conhecimento entre eles e nós — e em geral conceder a toda a humanidade tal grau de prosperidade terrena como só ele sabe melhor fazer.
Assinado por minhas próprias mãos na cidade de Nova Iorque em 3 de outubro do ano de nosso Senhor de 1789.
George Washington
Essas definitivamente não são as palavras de um deísta, são? Agora curve a cabeça e agradeça que Deus deu aos Estados Unidos homens como Washington e ore para que Ele nos dê mais homens como ele.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do BarbWire: America’s First Thanksgiving Day Proclamation Not Words of Deist
Leitura recomendada sobre George Washington:

Nenhum comentário :