14 de março de 2018

Conluio esquerdista e direitista contra o plano original de Trump de parceria com a Rússia contra o terrorismo islâmico


Conluio esquerdista e direitista contra o plano original de Trump de parceria com a Rússia contra o terrorismo islâmico

Julio Severo
Toda vez que o assunto Trump e Rússia surge, os socialistas americanos, mais conhecidos como “democratas,” falam sobre “conluio” russo, como se uma mera tentativa de parceria com a Rússia fosse traição.
Os EUA têm tido muito mais do que conluio com a Arábia Saudita e a China, que não são cristãs, mas a ameaça real na mente americana é… a Rússia, que hoje é muito mais conservadora e defensora de sua principal religião, a Igreja Ortodoxa Cristã. A maior conferência conservadora do mundo em 2014 aconteceu no Kremlin, Moscou. Essa conferência atacou o aborto, a agenda homossexual e o marxismo.
Aliás, a Rússia está de modo especial sob ataque desde 2013, quando o presidente russo Vladimir Putin aprovou uma lei que proíbe a propaganda homossexual para crianças e adolescentes. O presidente americano Barack Obama e a grande imprensa americana zombaram da Rússia, que tem pago um preço muito elevado por proteger suas crianças de predadores homossexuais. A revista homossexual mais importante dos EUA rotulou Putin e suas posturas conservadoras como a principal ameaça mundial à agenda homossexual.
Em contraste, o Rev. Franklin Graham, filho do falecido evangelista Billy Graham, louvou as posturas conservadoras de Putin numa matéria de capa de 2014 intitulada “A controvérsia olímpica de Putin” na Decision, a revista publicada pela Associação Evangelística Billy Graham.
Por causa do passado, onde a União Soviética ateísta anticristã era tão ameaçadora quanto a China e a Arábia Saudita, os neocons americanos mantêm o bicho-papão vivo, pois eles precisam justificar suas despesas insaciáveis no enorme complexo industrial militar dos EUA. A União Soviética morreu, mas é necessário mantê-la viva na mente americana.
Por isso, o esquerdista Obama e o direitista Bush se opunham à Rússia. Ambos usaram a OTAN para manter a Rússia cercada e sufocada. Obama impôs suas sanções socialistas na Rússia e Trump as tem mantido.
Se Trump tentar revogar as sanções de Obama, os poderosos esquerdistas e direitistas dos EUA o acusarão de “fazer agrados à Putin,” “conluio com o governo russo,” etc.
Direitistas dizem que todas as acusações de “fazer agrados à Putin” têm base socialista.
Então por causa da condição da mente americana, treinada por décadas a ver a Rússia como o maior bicho-papão, ambos os lados usam o bicho-papão para assustar o público americano e assustar os presidentes americanos e afastá-los de uma parceria saudável com a Rússia.
Se os EUA podem ter uma parceria econômica com a China, a maior nação comunista do mundo, por que não com a Rússia? Praticamente, a China é hoje a “União Soviética” no que se refere a ameaça comunista. É oficialmente ateísta. É anticristã.
Se os EUA podem ter uma parceria militar e econômica com a Arábia Saudita, a capital do islamismo e o patrocinador principal do terrorismo islâmico no mundo inteiro, inclusive o ISIS, por que não com a Rússia, a maior nação cristã ortodoxa do mundo?
Por que a elite americana usa o bicho-papão contra a Rússia cristã, mas não contra a Arábia Saudita islâmica e a China comunista?
Qualquer tentativa de Trump de ter uma parceria com a Rússia se depara, desde 2016, com numerosas mentiras e acusações de “conluio russo,” como se ele quisesse escravizar os EUA a uma União Soviética — enquanto de fato os EUA já estão escravizados aos comunistas chineses e aos muçulmanos sauditas.
Existe um conluio real. É de base neocon. Envolve esquerdistas e direitistas dos EUA. E seu alvo não é a China e a Arábia Saudita. É a Rússia.
Em 2016, o site de Trevor Loudon, conhecido por sua estridência anti-Rússia, disse:
“Se Trump for eleito, veremos russos… na Casa Branca. Os assessores de Trump estão bastante conectados a Vladimir Putin e à Rússia. O próprio Trump tem muitas ligações também e é amigo de Putin. É por isso que Putin tentará sabotar Hillary com o vazamento de emails, etc.”
Com o histórico ocultista de Loudon, sua presença na Casa Branca seria mais ameaçadora do que muitas outras ameaças.
Se você pensou que “Trump Fazendo Agrados à Putin” era uma acusação esquerdista original contra Trump, não. Veio também de Cliff Kincaid, um católico que vê conspirações russas generalizadas em todas as crises e problemas neste mundo e fora dele. Em 2016, ele escreveu vários artigos contra o que ele viu como um “romance” entre Trump e Putin.
Em seu artigo “Generais Avisam de Agressão Russa Enquanto Trump Faz Agrados à Putin,” Kincaid disse:
Trump recentemente deu um discurso de política externa que ignorou completamente a agressão russa na Ucrânia, levando a uma recepção calorosa em Moscou para o candidato republicano.
A omissão curiosa de Trump é uma das várias ações ou declarações que ele tem feito sobre assuntos russos que levaram Jonathan Chait a escrever um artigo para a revista New York intitulada “Por Que Donald Trump É Trouxa Diante de Vladimir Putin?” Tentando explicar as declarações de Trump apoiando o presidente russo Putin, ele citou evidência da “campanha da Rússia para cultivar influência no Ocidente corrompendo membros dos meios de comunicação e da elite política dos EUA.”
Ainda mais importante é o veredicto dado por Chait da revista New York com relação ao próprio Trump. Ele diz que enquanto o estilo e as declarações bombásticas de Trump sobre política externa e outras áreas são consideradas polêmicas para alguns, o escândalo muito maior pode ser que “Trump é o palhaço de Vladimir Putin.” O artigo trouxe a insinuação de que Trump está agindo como um agente de influência para a Rússia de Putin.
No entanto, Trump continua a pregar cooperação com a Rússia.
Tanto Kincaid quanto Loudon, que se consideram direitistas, viram algum tipo de “conluio russo” em Trump em 2016.
Para os neocons, o maior problema do universo não é a Arábia Saudita e seu supremo terrorismo islâmico que massacra cristãos no mundo inteiro. Não é a China, que é a atual União Soviética.
É o bicho-papão russo!
Ninguém quer ficar perto do bicho-papão. E os neocons — inclusive Loudon e Kincaid — estão se certificando de que nenhum americano tenha paz de espírito de estar perto do bicho-papão.
“Trump Fazendo Agrados à Putin” é uma acusação que mostra que esquerdistas e direitistas dos EUA estão em conluio em sua disposição de servir a ambições neocons.
E se Trump levasse Putin para seu rancho para estender uma mão de amizade? Os membros do Partido Democrático e do Partido Republicano o acusariam de traição?
Ronald Reagan fez exatamente isso. Ele levou Mikhail Gorbachev, o líder soviético, para seu rancho, para sentir sua vida de família e sua recepção calorosa. Se Reagan pôde fazer isso pelo líder de um império maligno de ateísmo e comunismo, por que é que Trump não pode fazer muito mais pelo líder da maior nação cristã ortodoxa do mundo?
Ninguém acusou Reagan de conluio com a União Soviética. Mas agora há acusações generalizadas, vindas dos neocons, de conluio de Trump com Putin, e Trump nem chegou a levar Putin para seu rancho!
Mas os neocons não veem nenhum conluio dos EUA com a Arábia Saudita islâmica e com a China comunista. E eles não deixam os esquerdistas e direitistas dos EUA verem isso também.
Ao intimidar e ameaçar sistematicamente por meio de acusações sem base de “conluio russo,” o conluio esquerdista e direitista de base neocon conseguiu assustar Trump de uma parceria necessária dos EUA, a maior nação evangélica do mundo, com a Rússia, a maior nação cristã ortodoxa do mundo, contra o terrorismo islâmico.
Essencialmente, o discurso de Trump em 2016 era contra os neocons e favorável a uma parceria com a Rússia, uma postura rejeitada tanto por Bush quanto por Obama. Uma postura rejeitada por todos os esquerdistas e direitistas de base neocon.
Hoje, para a alegria dos neocons, Trump aprendeu a se conduzir como Bush e Obama em questões de política externa. O bicho-papão voltou!
Os neocons americanos não conseguem viver, e eles não conseguem deixar os americanos viverem, sem o bicho-papão russo.
É impossível para Trump cumprir sua promessa de drenar o pântano e ter uma necessária parceria entre a América cristã e a Rússia cristã contra a ameaça islâmica enquanto os crocodilos do pântano dão as ordens.
Leitura recomendada:

Um comentário :

Enéas Oliveira disse...

Então,caminho livre para a China comunista...