5 de janeiro de 2018

Rabinos criticam fortemente Trump por ter renomeado ativista LGBTQ Chai Feldblum para cargo no governo federal


Rabinos criticam fortemente Trump por ter renomeado ativista LGBTQ Chai Feldblum para cargo no governo federal

Peter LaBarbera
Comentário de Julio Severo: Peter LaBarbera é um dos líderes pró-família mais conhecidos dos EUA. Sobre Trump nomeando de novo uma ativista lésbica radical para cargo no governo federal dos EUA, isso mostra que ele tem sido ambíguo ao jogar dos dois lados. Não há surpresa nenhuma aí para os verdadeiros conservadores: Trump não tem nenhum histórico conservador. Em 2017, em atitude igualmente liberal, ele manteve o embaixador mundial especial que Obama havia nomeado ineditamente para avançar a agenda gay no mundo inteiro. Leia o artigo completo do Peter:
Chai Feldblum
Trecho de reportagem do Breitbart.com. Para ler também, em inglês, uma excelente reportagem investigativa sobre Feldblum feita por Peter Sprigg, membro sênior do Conselho de Pesquisa da Família, vá aqui:
Uma coalizão de rabinos está criticando o governo de Trump por renomear a radical ativista de identidade sexual Chai Feldblum para a Comissão de Oportunidade de Emprego Igual (COEI).
A Coalizão de Valores Judaicos (CVJ), a maior organização rabínica de políticas públicas dos Estados Unidos, comenta num comunicado à imprensa enviado ao Noticiário Breitbart que Feldblum, que arquitetou a agenda LGBT radical do ex-presidente americano Barack Obama, “deu o voto decisivo quando a COEI designou que era ‘discriminação sexual ilegal’ limitar os espaços de vestiário e banho a indivíduos de um único sexo biológico, e tem sistematicamente mostrado desprezo aos direitos religiosos.”
Como a ativista de identidade de gênero mais esquerdista de Obama, Feldblum disse que toda vez que questões LGBT entram em conflito com a liberdade religiosa e direitos de propriedade privada, a liberdade religiosa e os direitos de propriedade devem perder.
A coalizão nota que, em 2012, Feldblum era membro da COEI “quando o Supremo Tribunal dos EUA rejeitou unanimemente sua posição, que o juiz presidente John Roberts caracterizou como afirmando ‘que as Cláusulas Religiosas não têm nada a dizer sobre a liberdade de uma organização evangélica selecionar seus próprios pastores.’”
“Feldblum tem sido verdadeiramente hostil a acordos com opiniões religiosas,” disse num comunicado à imprensa o Rabino Steven Pruzansky, vice-presidente da região leste da CJV. “A decisão de renovar a nomeação dela parece uma dissonância e discordância com o apoio geral do governo Trump à liberdade religiosa.”
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do Americans for Truth: Rabbis Blast Trump Re-nomination of LGBTQ Activist Chai Feldblum to EEOC
Leitura recomendada sobre a ativista lésbica Chai Feldblum:
Leitura recomendada sobre Trump e suas políticas homossexuais ambíguas:
O que os EUA ganharão engrandecendo a sodomia?

Um comentário :

Alexandre Costa disse...

Trump nos EUA e Temmer no Brasil, dois lados da mesma moeda.