17 de setembro de 2010

Países europeus querem elevar cada vez mais a idade de aposentadoria

Países europeus querem elevar cada vez mais a idade de aposentadoria

Thaddeus M. Baklinski
COLÔNIA, Alemanha, 13 de agosto de 2010 (Notícias Pró-Família) — O principal economista do Instituto de Colônia para a Pesquisa Econômica (ICPE), um instituto econômico conservador da Alemanha, disse que os baixos índices de natalidade e a crescente expectativa de vida levarão a medidas que exigirão que os cidadãos trabalhem até completarem 70 anos antes que eles possam se qualificar para receber aposentadoria.
Michael Huether disse para o jornal alemão Rheinische Post na terça-feira que os planos atuais de levantar a idade de aposentadoria para 67 anos podem não ser o suficiente para aliviar a crescente crise demográfica dos índices de natalidade declinantes e populações idosas.
“Quando olhamos para a crescente expectativa de vida e índices de natalidade declinantes na Alemanha, uma idade de aposentadoria de 70 anos deve ser considerada”, disse Huether.
“Não devemos parar de levantar a [idade de] aposentadoria em 2029, mas em vez disso continuar aumentando depois dessa data”.
Em 2007, o governo alemão decidiu aumentar a idade legal de aposentadoria de 65 para 67 gradualmente de 2012 até 2029.
A Deutsche Welle noticiou que o grupo de pressão política Sozialverband Deutschland (SoVD) condenou a ideia de Huether como insanidade e que um aumento na idade de aposentadoria começando com 65 seria um “corte efetivo de aposentadoria”.
De forma semelhante, a França tem empreendido legislação polêmica para mudar o sistema francês de aposentadoria e levantar a idade de aposentadoria de 60 para 62.
Eric Woerth, ministro do trabalho da França, apresentou o projeto de lei ao ministério em meados de junho e então o entregou à Assembleia Nacional. A votação deverá ocorrer em setembro.
A AFP noticiou que a redação da lei é impopular e que os sindicatos trabalhistas estão determinados a se opor ao plano de reforma da aposentadoria.
“O risco de descontentamento social depois das férias de verão não se dissipou”, disse Dominique Barbet, analista do BNP Paribas, de acordo com a AFP.
Convulsões sociais e declínio econômico como consequência de populações cada vez mais reduzidas e cada vez mais velhas estão sendo explorados pelos pesquisadores e mostrados em documentários, de forma especial “Demographic Winter: the decline of the human Family” (Inverno Demográfico: o declínio da família humana) e sua sequência “Demographic Bomb: demography is destiny” (Bomba Demográfica: demografia é destino).
A frase “inverno demográfico” se refere ao fenômeno atual de um rápido declínio mundial nas taxas de natalidade. Os documentários argumentam fortemente a favor da posição de que a perda de milhões devido às campanhas de controle populacional vem significando uma perda insubstituível de milhões de produtores e consumidores que, se tivessem nascido, estariam participando e sustentando a economia global de hoje.
“‘Inverno Demográfico’ predisse a crise financeira de 2008 para dentro de 12 meses. ‘A Bomba Demográfica’ revela como isso é só o começo”, alertou McLerran.
“Estamos rumando para um inverno demográfico que ameaça ter catastróficas consequências sociais e econômicas”, disse o produtor do filme. “Os efeitos serão graves, durarão muito tempo e já estão se manifestando em boa parte da Europa”.
Aliás, um relatório divulgado em 2008 pelo Eurostat, o serviço estatístico da União Europeia, mostrou que em 2015, o número de mortes na Europa ultrapassará o número de nascimentos. Em 2060, a proporção de pessoas em idade de trabalho para pessoas com mais de 65 será de dois a um.
O relatório mostrou que o crescimento populacional dos 27 países membros da Europa continuará até 2035; depois disso a população começará a declinar drasticamente de um número prognosticado de 521 milhões para 506 milhões em 2060.
O declínio populacional de forma alguma é endêmico na Europa, já que a maioria dos países “desenvolvidos” têm índices de natalidade bem abaixo dos níveis de substituição.
A Divisão de Demografia e Estatísticas do Canadá anunciou um relatório em maio que prediz que o número de idosos ultrapassará o número de crianças com menos de 14 anos de idade no Canadá pela primeira vez entre 2015 e 2021.
As projeções populacionais de StatsCan para 2009 e 2036 dizem que a população do Canadá envelhecerá rapidamente até 2031, época em que a geração inteira do auge da natalidade completará 65 anos.
Veja artigos relacionados de LSN:
ONU afirma que pela primeira vez na história haverá mais idosos do que crianças em 2045
http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2010/01/onu-afirma-que-pela-primeira-vez-na.html
New Documentary Exposes Link Between Failing Global Economy and Demographic Winter
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09063011.html
New Stats: Europe Facing Demographic Winter, Growing Political, Economic Tensions
http://www.lifesitenews.com/ldn/2008/aug/08082906.html
Germany Faces Economic Downturn with Plummeting Birth Rate and Aging Population
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09112010.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10081301
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Nenhum comentário :