10 de julho de 2010

Maioria dos brasileiros se opõe à adoção homossexual apesar de decisão do Supremo Tribunal

Maioria dos brasileiros se opõe à adoção homossexual apesar de decisão do Supremo Tribunal

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina
SÃO PAULO, Brasil, 15 de junho de 2010 (Notícias Pró-Família) — A maioria dos brasileiros se opõe à adoção gay, de acordo com uma pesquisa de opinião pública divulgada neste mês, apesar de uma recente decisão do Supremo Tribunal permitindo que uma dupla homossexual adotasse uma criança.
Os resultados da pesquisa indicam que 51% dos brasileiros se opõem à adoção gay, enquanto só 39% a favorecem. A pesquisa consistiu de entrevistas com 2.660 pessoas em todo o Brasil, e tem uma margem de erro de mais ou menos 2%.
Apesar de que a Igreja Católica condena fortemente a conduta homossexual e se opõe à adoção gay, os católicos mostraram probabilidade muito maior de apoiar a prática do que os evangélicos. O resultado provavelmente reflete as inclinações socialistas dos bispos católicos do Brasil, os quais tendem a apoiar o governo de tendência esquerdista do Presidente Luís Inácio Lula da Silva e eliminar a importância da moralidade pessoal em favor da ideologia política.
Embora só 47% dos católicos se oponham à adoção gay, 41% estavam a favor, de acordo com a pesquisa. Entre os evangélicos, 71% se mostraram contra, enquanto só 22% eram favoráveis.
Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, confessou para a Folha de S. Paulo que “precisaremos de muitas paradas e marchas para convencer a população de que somos cidadãos que merecem o direito à paternidade e maternidade”. Contudo, ele considera os números da pesquisa como “notícia muito boa”, pois representam, diante de atitudes passadas, uma melhoria em favor do movimento homossexual.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jun/10061601.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

3 comentários :

Anônimo disse...

não deixa de ser muito triste o fato de ainda haver aprovação por parte de qualquer membro de segmento dito religioso, para que crianças sejam adotadas por um casal homossexual. O resultado desta aprovação será que novos homossexuais serão formados e treinados pelos próprios "pais" adotivos, contrariando diretamente a advertencia do SENHOR JESUS que está escrita no evangelho de Mateus, capítulo 18, versículo 6: "mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar."

O SENHOR os julgará por isso!

Anônimo disse...

Amigo Júlio,
Foi só 51% mesmo? Pensei que fosse 100%. Quem concorda com um absurdo desse, com certeza nunca foi pai ou mãe. Não podemos "condenar uma criança" a ser diferente das outras sem ter a opção da escolha, nem a viver em um ambiente anormal. Deus criou o homem e a mulher... e não existe essa de 3º sexo, isso é invenção de seres anormais. E vamos parar de dizer: "casal homossexual", é isso mesmo que "eles" querem, comparar normal com anormal. Não existe casal de mesmo sexo, é dupla. Vejam o dicionário, ou os homossexuais(detesto ter que escrever essa palavra)já mudaram o significado da palavra casal. Eu mesmo sou totalmente contra, acho um contraste, acho um absurdo, e não entendo como os tribunais concordam com tamanho absurdo. E foi a partir do momento que a Justiça(?) brasileira concordam que gay adotem crianças, que passei a desacreditar na CPI da Pedofilia, acho que uma coisa vai de encontro com a outra. Não se pode permitir que "gatos tomem conta de queijo". E como o maior pedófilo confesso do Brasil nem foi foi investigado e continua "dando entrevistas" como se fosse um cidadão de bem, que deixei de acreditar nessa tal CPI. O Brasil tem por mania copiar tudo de ruim.

Anônimo disse...

A partir do momento que a justiça(??) brasileira permite que uma dupla de homossexuais adotam uma criança, ela está "condenando" um ser inocente a ser totalmente diferente das outras, e isto nunca vai deixar de existir. Não adianta querer impor a ditadura gay, coagir não vai mudar a ordem natural das coisas, o anormal nunca será normal. Daqui a pouco em nome de um Estado laico, vão querer fazer leis para proteger pedófilos, estupradores e etc. Mas se vier a existir leis especiais para proteger gays, sou a favor que os estupradores e pedófilos também lutem por proteção. Se estupradores e pedófilos não são normais, ser homossexual também não é - como os gays mesmo dizem - as leis têm que ser iguais para todos. Em uma família - quando me refiro a família, estou falando de homem, mulher e filhos... normal uma criança tem o direito sagrado de comemorar o dia dos pais e o dia das mães... e uma criança vivendo com uma dupla de homossexuais comemora o que? E estas pequenas coisas são importantes sim, para formação do caráter da criança. Quando um casal vai adotar uma criança, é um protocolo imenso, ou mas permitem que uma dupla de anormais adotem...! não consigo entender isso.
Eu também sou totalmente contra a essa adoção absurda. Isto não uma adoção, é uma condenação.