30 de julho de 2010

Batidas policiais na Igreja Católica da Bélgica comparadas ao castigo babilônico

Batidas policiais na Igreja Católica da Bélgica comparadas ao castigo babilônico

Hilary White
BRUXELAS, Bélgica, 28 de junho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Uma batida policial, a detenção de bispos e o confisco de arquivos sobre abuso sexual perpetrado por padres podem ser vistos como uma forma de castigo por décadas de dissidência descarada das autoridades católicas na Bélgica, as quais não seguiam os ensinos católicos, disse um proeminente líder pró-vida.
A polícia de Bruxelas realizou batida nos escritórios da Arquidiocese de Bruxelas na quinta-feira, fizeram buscas na catedral e tomaram computadores e arquivos das residências do atual arcebispo de Bruxelas e do Cardeal Godfreed Daneels que se aposentou como líder da igreja na Bélgica em janeiro. A polícia disse que as batidas, conduzidas enquanto os bispos estavam em reunião no prédio, estavam ligadas às alegações de abuso sexual do clero e a longa história de acobertamentos da hierarquia belga.
O Pe. Tom Euteneuer, autor e presidente de Human Life International (HLI), disse para LifeSiteNews.com (LSN) que ele está com o papa e condena incondicionalmente as ações da polícia como “enorme violação da confidencialidade” das vítimas que haviam confiado segredos às autoridades católicas, e uma “brutal ação policial” contra a Igreja.
Contudo, ao mesmo tempo ele apontou para os anos de antagonismo público por parte da liderança católica da Bélgica ao ensino moral sexual da Igreja que forneceu ao governo fortemente secularista a desculpa necessária para o ataque.
“Como é que é possível”, o Pe. Euteneuer disse, “ver isso como qualquer coisa, a não ser retribuição pelos pecados de uma igreja que está nas quatro décadas passadas num estado de contínua dissidência pública?”
As batidas policiais foram denunciadas pelo Papa Bento 16 que condenou a “maneira surpreendente e deplorável em que foram realizadas buscas”. Tarcisio Bertone, o secretário de Estado do Vaticano, lançou um protesto formal ao embaixador belga na Santa Sé dizendo: “Não há precedentes — nem mesmo sob os velhos regimes comunistas” para tal tratamento da igreja por parte de autoridades seculares.
O Pe. Euteneuer disse que, “Deus às vezes permite que as ações dos pagãos castiguem e corrijam os abusos de Seu povo amado. Qualquer que seja a interpretação da ação agressiva da polícia, vamos só aproveitá-la como uma convocação para despertarmos e voltarmos à ortodoxia e fidelidade a Cristo”.
Na quinta-feira, a polícia invadiu a catedral de Mechelen-Brussels fazendo buscas até mesmo na cripta onde bispos do passado estão enterrados. Eles confiscaram 450 arquivos contendo relatórios de crimes sexuais cometidos pelo clero que já haviam sido apresentados a uma comissão de investigação interna da Igreja. A polícia isolou o prédio onde os bispos estavam em reunião, detendo-os por várias horas e confiscando seus celulares.
O Papa Bento 16, numa mensagem ao arcebispo recentemente nomeado de Bruxelas, Andre-Mutien Leonard, pediu que as autoridades respeitassem os direitos das vítimas, cujas declarações, dadas em confiança à comissão independente de investigação da Igreja, foram também tomadas.
Os bispos belgas responderam às batidas encerrando a comissão. Seu presidente, o psiquiatra infantil Peter Adriaenssens, disse que as autoridades belgas haviam traído a confiança de aproximadamente 500 vítimas que haviam feito queixas durante os passados dois meses. Ele culpou promotores estaduais por irem atrás de vítimas traumatizadas demais para falar com a polícia. “Fomos usados como isca”, disse ele.
O Cardeal Danneels, que há muito tem sido uma luz importante da ala “progressista” liberal-esquerdista da Igreja Católica na Europa, ficou “muito chocado” com as ações da polícia. Um porta-voz disse: “Posso lhes assegurar que o cardeal havia previsto sua aposentadoria de forma diferente”.
Danneels, por décadas uma importante voz européia de oposição ao ensino católico sobre contracepção artificial e homossexualidade, era colega íntimo e protetor do Bispo Roger Vangheluwe de Bruges. Vangheluwe se demitiu em abril depois de confessar ter tido abusado sexualmente de meninos, inclusive seu próprio sobrinho, antes e durante todo seu tempo como bispo. Depois dessas revelações a Igreja estabeleceu a comissão independente que foi imediatamente inundada com centenas de queixas de abuso sexual por parte de padres.
Há muito tempo o queridinho da mídia secular, Danneels figurou de forma proeminente num artigo publicado no mesmo dia das batidas, detalhando a oposição aos esforços dos pais para impedir um “texto de catecismo” sexualmente explícito escrito e aprovado pelas autoridades católicas belgas para uso de crianças e adolescentes.
O texto inclui o desenho de um bebê do sexo feminino nu, legendado para mostrá-la dizendo que ela estava gostando de ter atos sexuais realizados nela e de observar seus pais terem sexo. A política e escritora Alexandra Colen citou uma carta que ela havia enviado a Danneels em 1997 protestando contra o texto que ela disse, “cria pedófilos”. Ela disse que quando foi a público em sua luta contra o texto, ela recebeu o apoio de centenas de pais que revelaram práticas sexuais mais explícitas que estavam sendo ensinadas em escolas católicas na Bélgica.
No site de notícias Brussels Journal, Colen disse que em resposta aos protestos contra o texto, Danneels lançou uma campanha nos meios de comunicação difamando Colen e outros pais. Colen aponta para o relacionamento íntimo entre Danneels e Vangheluwe, que era o bispo supervisor da Universidade Católica de Leuven e do Seminário de Bruges onde o texto foi escrito e editado.
Ela escreve que, considerando as revelações acerca de Vangheluwe: “Hoje este caso, que data de 12 anos atrás, assume um significado novo e sombrio”.
Veja a Reportagem Especial de LifeSiteNews.com:
Roots of Sexual Abuse in the Church: Homosexuality, Dissent and Modernism
http://www.lifesitenews.com/ldn/2002/jun/020618a.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10062903
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

10 comentários :

Anônimo disse...

Prezado Julio Severo,

1. As autoridades policiais belgas estão de parabéns. Deus seja louvado! Não é possível que em pleno século XXI, os crimes hediondos e praticados por sacerdotes, políticos, policiais fiquem impunes desse jeito.

2. O corporativismo é o mal das instituições humanas. O “tratamento especial” reivindicado pelos criminosos dessa natureza é clara demonstração da sinceridade de suas lágrimas de crocodilo.

3. Esse pessoal faz lembrar os sacerdotes de MOLOQUE (Levítico 22.2-4), falso deus que se comprazia com o sacrifício de crianças. Dele seus sacerdotes podiam esperar compreensão, absolvição, impunidade.

4. Se JESUS denunciou a hipocrisia dos sacerdotes que preferiam “obedecer” às convenções da religião a ajudar aos próprios pais (Marcos 7.11-13); expulsou a golpes de “chicote” improvisado os vendilhões que profanavam o templo (Jo 2.15), obviamente acobertados pela mesma classe religiosa, imagine o que Ele não faria num caso desses!!!

5. As pessoas lúcidas, sadias mental e moralmente, do povo belga, devem estar comemorando, a esta hora. Que inveja! Um dia a gente chega lá...

6. “Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela. Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus e vingador para castigar o que faz o mal.” (Romanos 13.3,4)
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Anônimo disse...

PAULO CEROLL, CUIDADO QUE É ISSO MESMO QUE OS INIMIGOS DO CRISTIANISMO QUEREM!

QUANDO AS "AUTORIDADES" COMEÇAREM A INVADIR IGREJAS PROTESTANTES DANIFICANDO PATRIMÔNIOS VOCÊ TERÁ A MESMA OPINIÃO OU VAI DIZER QUE É PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA?

OS CATÓLICOS TRADICIONAIS O QUE MAIS TEM ALERTADO OS CATÓLICOS, SÃO ESSAS ABERRAÇÕES PROGRESSISTAS CRIADAS PÓS-VATICANO II.

ANDRÉ

Anônimo disse...

Prezado Julio Severo e internauta ANDRE:

1. É bom recordar as Palavras de Jesus, para entendermos a ação (e até profética!) conduta policial: “Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens.” (Mt 5.13). E, no caso em questão, ser PISADO ainda é pouco...

2. Os criminosos tinham a intenção de usar a Lei e o prestígio da instituição para permanecer impunes. Mas, muito pior é saber que seus superiores, não foram capazes de discernir que estavam atrapalhando os interesses da Justiça: punir os criminosos e proteger a sociedade (as crianças, no caso). Quantas vidas inocentes foram poupadas, com essa ação policial!

3. Das duas uma: ou isso é corporativismo (do pior e mais alto grau), ou salvo melhor juízo, cumplicidade. A impunidade, para esses casos, tem acarretado males infinitamente maiores que qualquer operação de busca e apreensão que resulte em uma meia dúzia de portas arrombadas e fechaduras quebradas... “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado.” (Tiago 4:17)

4. É o corporativismo e seus males, internauta ANDRE, que ensejarão o acontecimento futuro sem precedentes citado por você. A sociedade, todos nós já estamos enfastiados disso tudo. Pode acreditar: é motivo de alegria ver um estelionatário desses receber um par de algemas e ser conduzido com paletó, gravata, batina e tudo para a cadeia.

5. “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus.” (Mateus 5.20).
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Renato disse...

Paulo Ceroll, como eu comentei acima, os católicos bem informados sobre a situação da Igreja Católica pós-Vaticano II, não esperam mais nada do clero progressista infiltrado dentro da Igreja.

Acontece que essas batidas nada mais são (isso é a olhos vistos) a implantação de uma "Nova ordem Mundial". Invadir a hora que quer e quando quiser.

Mas o que mais me chama atenção nesse caso d Igreja Católica na Bélgica, é que os policiais violaram túmulos pois tinham certeza que se escondiam ali documentos de sacerdotes que abusaram de crianças e que estavam sendo omitidos pela Igreja.

Mas o que encontraram nesses túmulos: apenas ossos!

Colocarei apenas o ínicio de um artigo sobre o assunto, que acredite, não teve nada de boa ação da policia para ajudar as crianças.

"Em 24 de junho, presos por durante quase dez horas, todos os bispos presentes à reunião da Conferência Episcopal Belga mais o Núncio Apostólico tiveram seus celulares e computadores vasculhados. O Cardeal Daneels, "visitado" em sua casa, perdeu seu computador. Os túmulos do Cardeal Suenans e de outro Arcebispo de Bruxelas foram examinados com câmaras à procura de documentos. Todos os 475 dossiers abertos por uma Comissão de investigação da Conferência Episcopal foram confiscados, violando a confidencialidade garantida às vitimas de abuso. O Cardeal Bertone afirmou que os abusos da polícia belga eram sem precedentes “até mesmo nos regimes comunistas”. O Papa Bento XVI expressou sua “proximidade” em carta ao Primaz belga Dom Léonard "pela surpreendente e deplorável modalidade” com que foi efetuada a operação, desejando, entretanto, que a justiça siga seu curso, "no respeito da recíproca especificidade e autonomia" da Igreja e chegue à verdade sobre as denúncias de abuso."

Se quizer ler o artigo todo:

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=imprensa&subsecao=ultimas&artigo=igreja-belga&lang=bra

O título é bem apropriado: "Igreja progressista belga recebe sua recompensa"

Volto a minha pergunta:

QUANDO AS "AUTORIDADES" COMEÇAREM A INVADIR IGREJAS PROTESTANTES DANIFICANDO PATRIMÔNIOS VOCÊ TERÁ A MESMA OPINIÃO OU VAI DIZER QUE É PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA?

Anônimo disse...

Prezado Julio:

1. Gostaria de poder responder ao internauta Renato. Obrigado, pela dica, Renato. Quanto à sua pergunta: ‘Quando as "autoridades" começarem a invadir igrejas protestantes danificando patrimônios você terá a mesma opinião ou vai dizer que é perseguição religiosa?’

2. A minha resposta é a seguinte: Salvo melhor juízo, o objetivo da polícia não era abrir precedentes para futuras violações de templos, sinagogas, mesquitas, centros de macumba e outros lugares de culto, mas coletar informações que levassem a prisão dos MALDITOS PEDÓFILOS.

3. É PRECISO DEIXAR ISSO CLARO, PARA NÃO PERDEMOS O FOCO! A bem da verdade, NÃO É SOMENTE a igreja romana (progressista ou não) que tem dado motivos para a intervenção do Poder Público e, por conseguinte, das autoridades policiais.

4. Os indícios de enriquecimento ilícito, de crimes de sonegação e de evasão de divisas; o nepotismo, o abuso de autoridade; o assédio moral; a falta de transparência; o “corporativismo” criminoso... são mais infames que qualquer ação policial que resulte em dano ao patrimônio! Acho que concordamos nisso...

5. Você tem dúvida que parte da “munição” do inimigo para a tal PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA é fruto da omissão ou corporativismo de membros ou associados que não fazem o serviço de remover a banda podre, preferindo “deixar-tudo-nas-mãos-de-deus”?!

6. Eu também desconfio das intenções das “autoridades”, em assuntos relacionados à fé e moral cristãs. Mas, aqui não é o caso! Há um sem número de pessoas alheias a toda e qualquer discussão (afora as vítimas e as famílias envolvidas!) que a única coisa que querem é JUSTIÇA.

7. Não é a ação policial que me causa satisfação. Mas, saber que (ainda há) há autoridades comprometidas com a JUSTIÇA, e que farão o que for preciso para promovê-la. Estejam os criminosos onde estiverem!...
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Anônimo disse...

Prezado Julio e internauta RENATO:

1. Gostaria de poder responder ao internauta Renato. Obrigado, pela dica. Quanto à sua pergunta: ‘Quando as "autoridades" começarem a invadir igrejas protestantes danificando patrimônios você terá a mesma opinião ou vai dizer que é perseguição religiosa?’

2. A minha resposta é a seguinte: Salvo melhor juízo, o objetivo da polícia não era abrir precedentes para futuras violações de templos, sinagogas, mesquitas, centros de macumba e outros lugares de culto, mas coletar informações que levassem a prisão dos MALDITOS PEDÓFILOS.

3. É PRECISO DEIXAR ISSO CLARO, PARA NÃO PERDEMOS O FOCO! A bem da verdade, NÃO É SOMENTE a igreja romana (progressista ou não) que tem dado motivos para a intervenção do Poder Público e, por conseguinte, das autoridades policiais.

4. A omissão criminosa, o enriquecimento ilícito, a sonegação, a evasão de divisas, o nepotismo, o abuso de autoridade, o assédio moral, a falta de transparência – ou o simples indício da presença de qualquer desses males – são mais infames que qualquer ação pública contra o patrimônio material.

5. Parte da “munição” usada pelas “autoridades” durante períodos de PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA é, também, fruto da omissão ou corporativismo de membros ou associados que não fazem o serviço de remover a banda podre, preferindo “deixar-tudo-nas-mãos-de-deus”!

6. Eu também desconfio das intenções das “autoridades”, que se intrometem em assuntos relacionados à fé e moral cristãs. MAS, AQUI NÃO É O CASO! Há um sem número de pessoas alheias a toda e qualquer discussão (afora as vítimas e as famílias envolvidas!) que a única coisa que querem é JUSTIÇA.

7. Não é a ação policial que me causa satisfação. Mas, saber que (ainda há) há autoridades comprometidas com a JUSTIÇA, e que farão o que for preciso para promovê-la. Estejam os criminosos onde estiverem!...
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Anônimo disse...

Paulo Ceroll, desculpe entrar na discussão. Mas vamso ser sinceros: Existe uma grande diferença em mostrar casos de pedofilia na Igreja Católica Romana (você esqueceu de colocar o CATÓLICA) e em outras religiões (incluindo ai a sua religião protestante, se você pertencer a essa).

Confira o vídeo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=RQvgDLPL4hM

Talvez o Renato esteja se referindo a repercussão dos casos de pedófilia que é muito mais noticiado quando envolve padres da Igreja Católica do que envolvendo pastores protestantes e líderes de outras religiões. Entam vem a simples pergunta : Por que isso acontece? Será que já não é uma coisa armada e arquitetada?

Moreira

Anônimo disse...

"Salvo melhor juízo, o objetivo da polícia não era abrir precedentes para futuras violações de templos, sinagogas, mesquitas, centros de macumba e outros lugares de culto, mas coletar informações que levassem a prisão dos MALDITOS PEDÓFILOS."

Dúvido disso Paulo!

Lembremos que agora no Ocidente vivemos em um Estado "Laíco", o ódio fará parte a qualquer membro de qualquer religião.

Em Estados TOtalitários sim a violação de templos, sinagogas, mesquitas, centros de macumba e outros lugares de culto, é sempre um motivo para violações até mesmo da vida privada de qualquer pessoa.

Por exemplo: A TAL CPI DA PEDOFILIA É FUTURAMENTE A IMPLANTAÇÃO DA INVASÃO DA PRIVACIDADE DE CADA UM. E TAMBÉM MOSTRA PARA QUEM QUEIRA VER QUE É A DESCULPA DA FUTURA DITADURA MANDAR UMA MENSAGEM SUBLIMINAR PARA A POPULAÇÃO DE QUE SÓ O GOVERNO, E NÃO A MORAL CRISTÃO, PODE SALVAR.

É SÓ ESPERAR QUE ISSO JÁ ESTÁ PARA ACONTECER!

Nos seus outros pontos eu resumiria da seguinte forma: REBELDIA CONTRA DEUS E A IGREJA.

Moreira

Anônimo disse...

Prezado Julio Severo e Internauta Moreira:

1. Bem vindo à discussão, Moreira. Obrigado pela informação. É público e notório que as ocorrências desses CRIMES HEDIONDOS são maiores entre os sacerdotes católicos; que a instituição tem feito de tudo para proteger a imagem da função sacerdotal, perante a opinião pública; e que, finalmente, os acusados tem tido seus direitos de defesa assegurados.

2. Mas, qualquer sacerdote protestante que pratique o mesmo crime infamante terá sorte se, após denunciado, o sacrílego conseguir alcançar (a tempo...) a proteção do Estado, para se defender. O infeliz estará sozinho. Ele responderá sozinho perante a Lei, por seus atos.

3. Acredito sim, que o Governo tem interesse em destruir a reputação pública de qualquer segmento que se oponha ao seu nefasto programa de governo, com a ajuda da mídia.

4. MAS, isso não muda nada: as famílias precisam contar com o BRAÇO FORTE DA LEI para protegê-las onde quer que se encontrem: na igreja, no templo, na mesquita, na sinagoga, etc .

5. A ala não esquerdista da igreja é uma força política importante: (mais uma) pedra no caminho das pretensões do Governo e da mídia de verem aprovadas Leis que atentam contra a família e os costumes da maioria do povo brasileiro.

6. Anote aí: assim que o Governo obtiver o que quer de seus aliados evangélicos “progressistas” – omissão e apoio eleitoral para eleger seus candidatos – eles vão tomar um pé nas nádegas. Pior: serão o alvo preferencial da PoTestade. Aguarde.

7. “E o efeito da JUSTIÇA será paz, e a operação da justiça, repouso e segurança, para sempre.” (Isaías 32.17)
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.

Anônimo disse...

"É público e notório que as ocorrências desses CRIMES HEDIONDOS são maiores entre os sacerdotes católicos; que a instituição tem feito de tudo para proteger a imagem da função sacerdotal, perante a opinião pública; e que, finalmente, os acusados tem tido seus direitos de defesa assegurados. "

Paulo, prove que é maior entre os sacerdotes católicos os CRIMES HEDIONDOS do que entre líderes religiosos de outras confissões. Se você está se baseando pelo repercussão, ai começo a achar que você claramente, como muitos, precisa dessa repercussão para ter um motivo para atacar a Igreja Católica. É esranho que crimes envolvendo pastores protestantes e de outras confissões religiosas não ganham a mesma repercussão nos noticiários de jornais televisivos e impressos. Por que?

Conheço casos de supostos "molestados" por padres que logo se revelaram pura armação!

Essa sua acusação sem prova de que CRIMES HEDIONDOS é maior entre os sacerdotes católicos do que em outras denominações religiosas, pede uma prova concreta e não repercussão de denuncias.

"Mas, qualquer sacerdote protestante que pratique o mesmo crime infamante terá sorte se, após denunciado, o sacrílego conseguir alcançar (a tempo...) a proteção do Estado, para se defender. O infeliz estará sozinho. Ele responderá sozinho perante a Lei, por seus atos."

Bom, acontece Paulo que o pastor que for acusado de algum ou alguns CRIMES HEDIONDOS, terá a proteção da denominação à qual ele pertencer. Ele não estará sozinho não! Pastores pedófilos se tem visto aos monte por ai, e a grande maioria dos crimes são claramente acobertado pela imprensa (a mesma imprensa que os protestantes dizem persegui-los!). O que mais uma vez me faz perguntar: Por que?

"Acredito sim, que o Governo tem interesse em destruir a reputação pública de qualquer segmento que se oponha ao seu nefasto programa de governo, com a ajuda da mídia. "

Não é isso que está acontecendo com a Igreja Católica?

Para os casos de pastores pedófilos ou outros líderes de outras denominações religiosas não repercutirem praticamente na mídia, é uma prova de que existe alguma coisa oculta nisso ai! Não acha?

"Anote aí: assim que o Governo obtiver o que quer de seus aliados evangélicos “progressistas” – omissão e apoio eleitoral para eleger seus candidatos – eles vão tomar um pé nas nádegas. Pior: serão o alvo preferencial da PoTestade. Aguarde. "

Ai eu já acho que não!

Todo comunista no fundo precisa de sacerdotes do inferno!

O comunismo é uma ideologia ateísta, mas se olharmos as ditaduras comunistas onde elas existiram, se verá que eles sempre tiveram o apoio de sacerdotes infernais. Seja na ditadura leninista, stalinista, castrista, maoísta,...

Moreira