6 de janeiro de 2010

Ministério Público da Inglaterra poderá agir contra a Igreja Católica por recusar ordenar mulheres e homossexuais

Ministério Público da Inglaterra poderá agir contra a Igreja Católica por recusar ordenar mulheres e homossexuais

Patrick B. Craine
LONDRES, Inglaterra, 10 de dezembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Os bispos católicos da Inglaterra e Gales alertaram que eles poderão sofrer ações do Ministério Público por causa do Projeto de Lei da Igualdade por recusarem permitir que homens casados, mulheres e homossexuais praticantes e transexuais entrem para o sacerdócio, informa o Serviço Noticioso Católico (SNC).
O PL da Igualdade busca, em parte, aplicar as leis anti-discriminação às igrejas e instituições religiosas, exigindo que contratem homossexuais praticantes e transexuais para posições tais como funcionários que lidam com jovens.
Os bispos declararam, porém, num novo relatório aos membros católicos da Câmara dos Lordes, que o PL também define padres como empregados, em vez de tratá-los como ocupantes de funções.
Embora o PL inclua uma isenção religiosa para posições que envolvem a celebração da liturgia ou o ensino da doutrina, os bispos dizem que o sacerdócio só seria isento se os padres passassem mais de 51 por cento de seu tempo em tais atividades.
Na prática, o PL tornará “ilegal a exigência de que um padre católico seja do sexo masculino, solteiro ou não numa parceria civil, etc.,” declara o relatório, “já que o padre não estaria em condições de provar que seu tempo é totalmente ou principalmente gasto ou dirigindo liturgia ou promovendo e explicando doutrina”.
“O PL falha ao não considerar o tempo que os padres passam em trabalho pastoral, oração e estudo particulares, administração, construção, manutenção, etc.,” continuam os bispos. “A definição polêmica foi redigida sem consultar ninguém e foi mantida pelo governo apesar das preocupações da conferência dos bispos e representações feitas pelas maiores denominações religiosas da Inglaterra”.
Informações de contato:
Solicitor General Vera Baird QC MP
Telephone: 020 7271 2406
Fax: 020 7271 2432
Email:
geo.submissions@attorneygeneral.gsi.gov.uk
Rt Hon the Baroness Royall of Blaisdon
House of Lords
London
SW1A 0PW
Telephone: 020 7219 8652
E-mail:
royallj@parliament.uk
Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:
British Churches to be Forced to Hire Active Homosexual Youth Workers under Equality Bill
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/may/09052201.html
"Equality" Bill Will Abolish Christmas in Public English Catholic Bishops Warn
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09111803.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/dec/09121005.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

5 comentários :

Unknown disse...

A única coisa que posso dizer é: Duvido que eles teriam a mesma coragem, aplicando a mesma lei aos muçulmanos.

Marco disse...

Os mesmos que condenam a posição da Igreja Católica na Idade Média, querem fazer pior! Ninguém é obrigado a seguir uma religião, então porque querem obrigar cristãos a moldarem-se a padrões mundanos? Isso demonstra o quanto as igrejas incomodam pois mostram o pecado, e aqueles que vivem pecando não suportam admitir o que são e o seu destino eterno.

Anônimo disse...

BOM DIA,

Mais uma denúncia SAFERNET saindo...

Até logo.

Ou, como dizem os Mexicanos,

Hasta la vista, Baby

Jorge Victor disse...

Esse é o estado laico, o estado intervindo nas religiões. acho que a igreja deve resistir ao máximo as essas ingerências.

Anônimo disse...

Aff.. que dizer que algumas mulheres e alguns homossexuais estão brigando para sofrer como um condenado (como um padre) ?. Infelizmente estão achando que os padres tem autoridade e ponto final! Gente eles sofrem, tem que rezar, tem que se sacrificar por Deus para ajudar o seu povo... Eles têm que viver na simplicidade de corpo e alma. Mulheres tb tem esse excercício que são executado pelas freiras. A diferença aqui é que um administra o outro coordena. Se alguns padres, bisbos.. passam essa imagem de imperialismo, de poder, está errado! E sofrerão nas mãos divina. Agora, em se tratando de justiça, querer fazer o feio se transformar no belo, é complicado pq, a igreja não impõe sua lei à lei humana, e está não pode fazer o mesmo. Ou pode tudo? Só porque um grupo de mulheres e homossexuais acham que estão sendo discriminados? Humf! Começa a fazer justiça pela maçonaria, essa garanto q restringe direitos e igualdades a mulheres, pobres, gays... Por mim, não me interesso por nenhum dos 2!