13 de junho de 2009

Professora lésbica leva alunas ao lesbianismo

Professora lésbica leva alunas ao lesbianismo

Julio Severo

Matéria desta semana do jornal esquerdista Folha de S. Paulo relata que uma professora de 36 anos de uma escola estadual da zona leste de São Paulo foi indiciada por corrupção de menores.

Em depoimento à polícia, dez alunas de uma mesma sala, entre 14 e 16 anos, confirmaram que a professora as envolvia com festas e passeios, partindo em seguida para namoros.

Algo de anormal? Política do governo: incentivo à homossexualidade. Política pessoal da professora lésbica: levar suas alunas à prática do lesbianismo.

Quando a política oficial do governo é a anormalidade sexual, o resultado é o que? Não é preciso ser inteligente para somar 2 mais 2, embora esse minúsculo esforço aritmético — assim como outras áreas acadêmicas — seja tarefa árdua no universo da sala de aula pública.

Na educação pública, parece que tudo fracassa, menos a anormalidade. Do lado dos estudantes, eles recebem pouca educação essencial, mas aprendem muito sobre diversidade e liberdade sexual, resultando nos famosos baixos desempenhos educacionais em testes nacionais e internacionais.

Em vista da educação carregada de sexo que o governo proporciona no Brasil, talvez seja necessária uma estratégia psicológica. Em vez de falar em números impessoais e frios, pegunte-se ao estudante brasileiro o que 2 mais 2, ou 3 mais 4, significam em termos de parceiros sexuais. A resposta será surpreendente, com direito à ênfase sobre camisinha e muitos outros métodos de controle da natalidade. Afinal, o aluno brasileiro é tão doutrinado na importância do sexo sem casamento que ele não tem escolha: ele acaba se formando para professor desse “elevado” tema.

Do lado dos professores, eles recebem cada vez menos treinamento para dar a educação essencial, e mais treinamento para doutrinar em anormalidade. Se a política oficial do governo Lula é educar que a homossexualidade — em sala de aula ou não — é normal, nada mais normal do que os professores mostrarem aos alunos o lado prático dessa política.

O infame programa federal Brasil Sem Homofobia, que é um incentivo explícito à homossexualidade, é um provocador de desastres. Mesmo que um aluno escape de um professor homossexual, ou mesmo que uma aluna escape de uma professora lésbica, dificilmente conseguirão escapar da ameaça da onipresente doutrinação pró-homossexualismo imposta pelo governo nas escolas públicas.

O caso da professora lésbica levando alunas ao lesbianismo é resultado de sua anormalidade sexual e da irresponsável política estatal de libertinagem sexual.

Ela mereceu ser indiciada por corrupção de menores? Claro que sim.

E Lula e seu governo merecem o que por sua corrupção moral dos alunos de escolas públicas?

Fonte: www.juliosevero.com

Morre em acidente trágico coordenador do infame programa federal Brasil Sem Homofobia

Ministério da Educação vai distribuir livro sobre diversidade sexual em escolas

Pai é preso depois de protestar contra livro gay que filho de 6 anos recebeu na escola

O risco do ativismo gay nas escolas

Escolas públicas: a nova zona de prostituição?

Pai afirma que filho foi prejudicado por doutrinação homossexual na escola

Os cristãos da Califórnia são exortados a tirar os filhos da escola

Lançada campanha na Califórnia para que crianças sejam tiradas das escolas públicas

Publicações do governo alemão promovem pedofilia e incesto como se fossem educação sexual saudável

A volta do profeta Elias: o que a unção de Elias representa para as famílias e para o mundo político nestes últimos dias

8 comentários :

Anônimo disse...

Levar a essa situação, e outras muito piores, sempre foi o objetivo primeiro dessas 'leis anti-homofóbicas". O alvo sempre foi as crianças.

Anônimo disse...

Isso foi revelado.
E os outros centenas e centenas de casos como este que acontece e não sabemos ?
Pais: tenham muito cuidado com os seus filhos.

Anônimo disse...

Júlio Severo.

A religião islâmica não está crescendo só por causa das altas taxas de fertilidade entre os casais muçulmanos. Cresce, muito mais, por causa das altas taxas de conversões na Europa e fora dela; em sua maioria por gente descontente com suas religiões.

E são duas as principais razões: A falência do secularismo em gerar felicidade material para todos e a falência do cristianismo de promover conforto espiritual e respostas eficazes para os problemas da vida.

Nossa religião é muito simples. Ela ensina um Monoteísmo puro. É uma religião fundamentada em pilares simples de serem entendidos e praticados. É uma religião que não exige do crente que ele creia em mistérios inexplicáveis ou em dogmas fundados fora da razão. É uma religião na qual a natureza humana e a obediência a Deus não entram em conflito. Além do mais, é uma religião que dá identidade ao indivíduo; é um DIN, isto é, uma maneira de ser, um estado de consciência, um sistema de vida completo, que abrange desde o formato da barba até a maneira como se come e como se veste.

Creio que, neste mundo praticamente todo globalizado, uma identidade pessoal que preserve a individualidade das pessoas é tudo o que as pessoas almejam.

A "espada" do Islam segue penetrando muito bem, obrigado, mas o crescimento da religião não está circunscrita só a este fator.

Antonio Ahmed Ramadan Jamal.

Jovem Cristão disse...

não queria dizer isso... mas como no comentário sobre o Sen. Paulo Paim... eu também votei nele... eitchaa familia enraizada no PT da nisso. Mas no próximo... dificilmente o PT terá algum voto - meu claro.

Anônimo disse...

Desse jeito o governo diz e contra-diz.
Agora os pais que devem conversar abertamente com os filhos. Mas sexo ainda é tabú.

Anônimo disse...

Isso acontece com muita frequência nas escolas.Eu conheci um professor que vivia metendo mão no traseiro das meninas,e não era só um tapinha não,pegava e e apalpava demonstrando muito prazer e satisfação.

Só que as maioria das meninas davam liberdades para o professor não reclamando com frequência dele ou de forma tímida(não acredito que seja por medo),e ainda por cima usavam aquelas calças de ginástica apertadinhas das quais não é necessário entrar em maiores detalhes,safadeza também das meninas,mas com certeza maior do professor.
Se eu,que fosse da mesma idade,da mesma classe,colega,passasse a mão na bunda de uma das minhas colegas mesmo que só para encher a paciência dela(ou seja de brincadeira)já estaria errado,quanto mais um velho cinquetão que não tem encher a paciência de nenhum aluno.

No caso da reportagem,se se comprovar de fato o ocorrido,é uma sugeira dupla,porquê além da pedofilia ainda existe o homossexualismo.

Estamos ainda em época de parada gay…

Meu Deus,o mundo está perdido mesmo,de qualquer forma não podemos nos render às ostes da maldade.

Anônimo disse...

Aqui na minha cidade, tinha um professor que era homossexual. Um dia ele levou os alunos para a sala de informática, e alguns moleques safados cismaram de entrar em sites pornográficos, o professor viu e começou a dar encima da molecada! Deu um rolo danado, ele inventou que era "brincadeira" e o coordenador ou diretor (não sei ao certo) que também era homossexual ficou do lado do professor como se ele fosse um coitadinho, pobre vítima. Ele falou pros alunos: "Vocês perderam um amigo... " e eu digo: Graças a Deus!

Anônimo disse...

Depois de assistir o vi'deo " Overruled: Government Invasion of your Parental Rights (Official Movie) " fiquei apavorado e fui nas escolas dos meus filhos falar nao so' com os Principal (diretores), como tambem com professores e professoras. E sondei suas respostas. Com os diretores exigi que qualquer assunto ou tema, relacionado a sexo, que seja homo ou hetero, e pudesse chegar ate' meus filhos, eu fosse avisado, e com muita antecedencia,,, sob o risco de eu processar a cidade. Todos disseram que nao ha' isso, nessas escolas, nas idades dos meus filhos (6 e 4 anos). So' no High School ( depois dos 16 )E E' MANDADO UM PEDIDO de autorizacao aos pais autorizando ou nao, aulas de sexo. Mas nunca com incentivo ou conotacao homossexual. Um casal amigo nosso, disse que essa carta chegou na mao deles, e autorizou. Seu filho tem 14 anos, isto e', abaixo dos 16 que eles me falaram nas escolas dos meus. O Filho desse casal estuda em outra escola. Mostrei a eles o vi'deo e falei que eles, os pais, NUNCA SABERAO ate' onde vao essas aulas, ja' que eles nunca estarao presente. E que nunca achei nesscessa'rio aulas de sexo em escolas. Ate' porque nunca tive esse tipo de aula, como tambem meus irmaos e amigos pois a sexualidade aflora espontanemente. O casal foi ate' a escola e cancelou a aula para seu filho. Eu NUNCA deixo meus filhos irem a passeios ou acampamentos das escolas sem minha mulher ou eu irem junto,,, NUNCA. Como tambem observo o comportamento dos instrutores, procurando algum sinal homossexual. Nao sou sisudo, autorita'rio ou parano'ico. Mas um pai's cujo presidente, tem um passado obscuro e faz apologia a homossexualismo,,,tambem nao sou louco. Inclusive ha' um livro publicado por um gay sobre relacionamento homossexual e uso de drogase com esse mesmo presidente,,, todo cuidado e' pouco. Obrigado Betopernambuco