11 de maio de 2009

Estatuto da [Des]Igualdade Racial será votado na quarta

Estatuto da [Des]Igualdade Racial será votado na quarta

Julio Severo

De acordo com o site da Câmara dos Deputados, o presidente da comissão especial que analisa a criação do Estatuto da “Igualdade” Racial (Projeto de Lei 6264/05), deputado Carlos Santana (PT-RJ), afirmou que a proposta deve ser votada na próxima quarta-feira, dia 13 de maio, quando a abolição da escravatura completa 121 anos.

O projeto estabelece medidas que, supostamente para combater discriminações raciais, colocarão afrodescentes em posições chaves no governo e outras instituições. A prioridade será elevar negros que defendam a cultura afrodescendente, inclusive pais-de-santo.

O governo Lula vem trabalhando intensamente para dar poder desigual às minorias — provocando assim a luta de classes, tão essencial para as revoluções socialistas. Com as iniciativas do governo Lula de elevar os afrodescendentes, o pai-de-santo Ivanir dos Santos pôde recentemente fazer parte da representação brasileira em importante conferência “anti-racismo” da ONU.

Com tal oportunidade, o pai-de-santo denunciou na ONU “um novo tipo de perseguição religiosa no Brasil, que tem como alvo os terreiros de candomblé e os praticantes de cultos africanos, em atos provocados por neo-pentecostais. O Brasil, diz ele, é o único país que mantém o culto trazido pelos escravos e essa prática tem de ser defendida”.

Se aprovado, o PL 6264/05 estabelecerá conselhos de Promoção da Igualdade Racial, nas esferas municipais, estaduais e federal, aumentando grandemente a esfera de influência de ideólogos que querem que a “cultura” afrodescendente (leia-se religiões africanas) tenha na sociedade o mesmo espaço e respeito que o Cristianismo, como se bruxaria e Evangelho fossem iguais.

Embora mascarado com alguns pontos aparentemente positivos, o Estatuto da [Des]Igualdade Racial tem a firme meta de:

1. Ampliar a força o acesso de afrodescentes à educação e ao mercado de trabalho, eventualmente impondo o sistema de cotas.

2. Combater toda crítica à “cultura” afrodescendente, dando aos pais-de-santo poderes extraordinários para perseguir e processar cristãos que ousem denunciar a ameaça da bruxaria vinda da África.

O projeto, que vem enfrentando muitas críticas da sociedade por promover na verdade a desigualdade racial e o preconceito reverso, tem o total apoio do governo socialista do Brasil.

Com informações do Portal da Câmara dos Deputados

Fonte: www.juliosevero.com

Para entender a ameaça de leis de “igualdade” racial, clique nestes artigos:

Irã, ódio aos judeus e o esquizofrênico governo Lula

Em busca dos altares antigos: Rejeitando as raízes de Israel e acolhendo as raízes afros

Lula quer Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Pastor que incentivou criminoso arrependido a se entregar para a polícia cai na teia das leis anti-discriminação

Juiz brasileiro determina que livro de padre denunciando a bruxaria seja removido de livrarias

Lobo em pele de ovelha: O Estado policial e sua ameaça de leis antidiscriminação

4 comentários :

Anônimo disse...

O termo "Racismo Reverso" é muito apropriado.Foi o termo que me veio à mente quando comecei a sentir uma certa arrogancia por parte de afro-descendentes, principlmente aqules mais pobres e que depemdem ds quaraminguas do governo.
A coisa deverá ficar muito feia no futuro proximo.

Laurindo Neto disse...

Mais uma bola fora do governo comunista do Lula.

www.laurindoneto.blogspot.com

Henrique Lima disse...

Podemos dizer que hoje no Brasil, existe uma democracia hipertrofiada, em que esses movimentos atuam impondo suas aspirações e seus gostos, atropelando tudo que é diferente, egrégio, individual, qualificado e seleto.

"Quem não é como todo o mundo, quem não pensa como todo o mundo corre o risco de ser eliminado. E agora, todo o mundo é só a massa." (Ortega y Gasset)

Preconceito reverso e mais do que isso, uma vontade demoníaca de tomar o poder e impor sua religião aos brasileiros promovendo uma perseguisão ideológica aos Cristãos, através de novelas estereotipadas, educação doutrinária marxista-afro, revolução comportamental ateísta e tudo mais que possa conflitar com o Cristianismo, mas nada pode entrar em conflito com as religiões afros(mais popularmente conhecidas cono macumba), com o homossexualismo ou com o comunismo, ou seremos taxados de preconceituosos, reacionários, antiquados, etc.

Essa é a nova ditadura, mais atroz que um cacetete, mais implacável que um espião e mais danosa que uma tortura física.

Pastor Renato disse...

Este$ , camarada$ do conge$$o nacional estão pensando em quê afinal, dividir o Brasil em partes. por raças ou eles querem manipular os negros para o seu belprazer; se eles querem reparar o tempo da escravidão, faça o que e certo dê oportunidades a todos que estão na pobreza, melhore a educação a saúde os salários o bem estar social, para que vivemos em harmonia, eu sou branco meu filho é branco já está em desvantagem, no seu futuro e como vai ser? Quando foi promulgada a lei para deficientes foi muito bom teve a inclusão dessas pessoas no serviço publico ou privado, porém tudo na força da lei.
A lei quer dar cotas a negros e pardos 50% em faculdades serviço publico etc; aí depois abre se precedentes para homossexuais, ruivos que também são minorias, a índios e todas as classes que acharem em desvantagem e o meu filho que é branco não tem direito a nada.