21 de fevereiro de 2009

Perseguição contra cristãos na Coréia do Norte

Perseguição contra cristãos na Coréia do Norte

Campanha de socorro aos cristãos na Coréia do Norte. Para entender como o Brasil pode se envolver nesse socorro, clique aqui.

5 comentários :

Anônimo disse...

O link que remete a como ajudar não está funcionando.

Laguardia disse...

Julio

Sou um blogueiro iniciante. Sou cristão por convicção, membro da Igreja Metodista.

Estou acrescentando o seu blog aos meus favoritos.

Parabens pelo seu testemunho de fé.

Meu blog é http://brasillivreedemocrata.blogspot.com

Recomendo o Blog da Rev. Hideide da Igreja Metodista http://hideide.blogspot.com/

Que Deus abençôe o seu trabalho

Anônimo disse...

SE UMA TAL PERSEGUIÇÃO CHEGAR AO BRASIL, ESTAREMOS NÓS CRISTÃOS, PREPARADOS?!?! DEVEMOS TODOS NÓS CRISTÃOS PEDIR A DEUS HUMILDEMENTE E CONSTANTEMENTE A GRAÇA DA PERSEVERANÇA NA FÉ; A DEUS QUE É FIEL ÀS SUAS PROMESSAS E NOS AMOU PRIMEIRO!!!
"FICAI ACORDADOS, PORTANTO, ORANDO EM TODO MOMENTO, PARA TERDES A FORÇA DE ESCAPAR DE TUDO O QUE DEVE ACONTECER E DE FICAR DE PÉ DIANTE DO FILHO DO HOMEM." LC 21,36.

Anônimo disse...

DEVEMOS NÓS CRISTÃOS LEMBRAR EM NOSSAS ORAÇÕES DE NOSSOS IRMÃOS EM CRISTO MAIS PERSEGUIDOS. REZEMOS! QUEM PODE FAZER ALGUMA DOAÇÃO E QUEM NÃO PODE, PORQUE SOMENTE DEUS PODE DAR AO CRENTE A GRAÇA DE PERMANECER FIEL A CRISTO, AO SEU EVANGELHO, À SUA IGREJA.

Anônimo disse...

Eis um relato da instauração da perseguição aos cristãos na Coréia do Norte, a começar pelos católicos, extraído da Revista Mundo e Missão, maio de 2003:
“Não existe nenhuma estrutura de Igreja na Coréia do Norte, mas isso não quer dizer que não existam católicos. A perseguição contra a pequena Igreja católica deste país começou no fim do ano 1945, quando forças de ocupação soviéticas impuseram um regime comunista. Em 9 de maio de 1949, os 123 missionários do vicariato apostólico de Wonsan foram presos, em seguida os 14 de Pyongyang, alguns dias depois. Em pouco tempo, não havia nenhum padre católico em liberdade.
O governo comunista norte-coreano decidiu eliminar totalmente a fé católica: cinco bispos, 82 padres, 25 monges, 34 religiosas e quatro seminaristas morreram mártires. Havia cerca de 50 mil católicos na Coréia do Norte, no momento da tomada do poder pelos comunistas: alguns conseguiram fugir para a Coréia do Sul e o que aconteceu aos outros, ninguém ficou sabendo nada. Contudo, em 1985, o governo norte-coreano convidou ao país um delegação do Conselho Ecumênico da Igrejas, e esta constatou a presença de vários milhares de cristãos, especialmente protestantes, sem templos nem igrejas.”