25 de junho de 2008

PLC 122/06: Governo Lula tenta anular impacto das ligações feitas ao Senado

PLC 122/06: Governo Lula tenta anular impacto das ligações feitas ao Senado

Depois de classificar de doentes perversos todos os que se opõem, pelos mais diferentes motivos, ao homossexualismo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou clara não só a posição favorável do seu governo ao PLC 122/06, mas também declarou que fará tudo o que for possível para que a chamada “homofobia” seja criminalizada.

Pelo visto, não basta o governo Lula ter o programa federal Brasil Sem Homofobia, para hostilizar e pregar ódio contra os brasileiros que não aceitam o homossexualismo. É preciso atropelar dados negativos com dados favoráveis, desprezar a opinião pública, iludi-la e transformar a máquina estatal em instrumento de conquista de “corações e mentes”. Bem, no caso dos ativistas gays, “corações, mentes”… e algo mais.

Governo desesperado com reação popular

Uma avalanche de ligações para o serviço de atendimento “Alô Senado” rejeitando o PLC 122/06, durante um ano, deixou o governo Lula e militantes homossexuais desesperados, levando a direção do Senado a fazer um levantamento nacional pelo seu instituto de pesquisa, o DataSenado, para tentar minimizar a mobilização daqueles que procuram, de forma democrática, se fazer ouvir pelos senadores da República.

Nos últimos 12 meses, o Alô Senado recebeu 140 mil ligações de pessoas se manifestando sobre esse assunto, número recorde nos últimos cinco anos. Do total de ligações e mensagens eletrônicas enviadas, 73% se manifestaram contrários ao projeto de lei e só 13% defenderam. Essa movimentação democrática do público aconteceu depois que o projeto, que já foi aprovado na Câmara, chegou ao Senado.

Pesquisa do governo versus mobilização popular

Contudo, o levantamento feito pelo DataSenado entre apenas 1.122 pessoas, nos dias 6 e 16 de junho ― exatamente logo depois da abertura do presidente Lula da 1ª Conferência Nacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, onde ele pediu a criminalização da homofobia (5 de junho) ― mostra o contrário: 70% dos entrevistados concordaram com a aprovação da lei que pune atos de discriminação ou preconceito contra os homossexuais

A pesquisa do DataSenado evitou, porém, mostrar aos entrevistados os aspectos polêmicos do projeto. As duas únicas perguntas foram: “Você tomou conhecimento do projeto? Você concorda ou discorda que a discriminação seja crime?”

Com tal questionamento raso e vago sobre o PLC 122/06, não é de surpreender o resultado: 69% dos entrevistados disseram que tinham conhecimento do projeto e 30% desconheciam a proposta.

Importante lembrar que, dentro da realidade do povo, tomar conhecimento é a mesma coisa que ouvir falar. Se a pesquisa fosse séria e não tendenciosa, não teria receio algum de indagar os entrevistados sobre apenas alguns pontos básicos do teor do projeto. Tal indagação não foi feita, a fim de não anular a tentativa de o próprio governo anular a mobilização popular contra o PLC 122.

Mídia anticristã divulga e dá ênfase à pesquisa governamental

A imprensa anticristã, é claro, optou por ficar com a pesquisa do DataSenado, que é mais confortável aos seus próprios valores e aos valores do governo Lula. Segundo reportagem do jornal “O Globo”, “havia um temor dos próprios senadores de que o resultado da votação do projeto pudesse ser influenciado por uma pressão de caráter religioso. Por isso, a decisão de fazer um levantamento com amostragem nacional. O DataSenado já existe desde 2005 e faz pesquisas para orientar os parlamentares sobre a opinião da população sobre temas determinados.”

“Estava havendo uma irracionalidade no debate. Havia uma forte pressão religiosa sobre o tema. Por isso, é importante esse tipo de pesquisa para ajudar a revelar como pensa a sociedade brasileira sobre o assunto”, defendeu a líder do PT no Senado, Ideli Salvati (SC), que luta pela aprovação do PLC 122/06.

Salvati não deveria estar falando em “irracionalidade”, que é uma acusação falsa e expressão de ódio dela contra os cristãos. O que ela deveria fazer é se preocupar com as denúncias de “irregularidades” contra ela na Polícia Federal. Estranhamente, além de não se ocupar para resolver seus próprios escândalos, ela se esquece de mencionar que, de forma oposta, há literalmente uma fortíssima pressão do governo Lula e dos grupos homossexuais radicais para que o projeto seja aprovado.

Se o Senado tivesse recebido uma avalanche de ligações homossexuais aprovando o projeto, Salvati e outros petistas pró-homossexualismo ― inclusive o próprio Lula ― aplaudiriam e chamariam de “racionalidade”, “expressão democrática” e outros termos elogiosos. Mas quando a manifestação popular se baseia nos sentimentos cristãos da vasta maioria da população brasileira, aí apela-se para uma evidente hostilidade anticristã, classificando cruelmente de “irracionalidade” as opiniões da maioria.

A única posição que o governo Lula aceitará do povo com relação aos projetos pró-homossexualismo é aceitação. Tudo o mais será considerado “irracionalidade” e “doença perversa”, termo que Lula criou para se referir aos que não aceitam o homossexualismo. Se isso não é preconceito praticado pelo governo contra os cristãos, então o que é?

Pesquisa governamental feita sob encomenda

Os grupos homossexuais fizeram grandes campanhas para que as pessoas se manifestassem pelo “Alô Senado”, mas a manifestação popular os venceu, e agora governo e aliados querem vencer a clara vitória da vontade popular por meio de truques. Eles estão determinados a não aceitar nenhum resultado democrático que não seja do agrado deles.

Por “pura coincidência”, o levantamento do DataSenado foi divulgado na semana da manifestação programada por líderes evangélicos em frente do Congresso Nacional. Ao contrário dos entrevistados da pesquisa do DataSenado, a manifestação envolve a participação de pessoas que conhecem bem os perigos do PLC 122/06.

O “Alô Senado” foi criado para ouvir a população brasileira sobre os projetos de lei que estão sendo discutidos entre os senadores. Quem telefona para lá já tem um conhecimento mínimo sobre o assunto e se manifesta justamente porque sabe das conseqüências que uma lei terá sobre o seu dia-a-dia.

Entretanto, o governo Lula, incomodado com os resultados democráticos do “Alô Senado”, preferiu apelar para pesquisas que lhe fossem mais favoráveis.

A pesquisa do DataSenado, feita sob encomenda de pressões políticas e ideológicas, representa a continuidade de esforços que, começando na Câmara dos Deputados quando o PLC 122/06 foi votado e aprovado sem que a grande maioria dos deputados soubesse e pudesse participar, mostram que os militantes homossexuais e seus parceiros políticos estão dispostos a qualquer manobra para trair e passar por cima da democracia que eles tanto defendem.

Adaptado e ampliado por Julio Severo a partir de texto da jornalista Tsuli Narimatsu da Missão Portas Abertas. Colaboração: jornalista Edson Camargo.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

A grande desmobilização: O que está em jogo nos acordos envolvendo o PLC 122/2006

9 comentários :

Anônimo disse...

Parabenizo pela luta que tens levantado no teu blog.

Quero saber, não entendi, foi aprovado p PLC?

A hora do Brasil deu entender que não foi, mas não compreendi..

Qual a situação no momento, por favor?

Anônimo disse...

Seu artigo vai certeiro no cerne da questão. Os gayzistas no Senado inventaram uma suposta "pesquisa", onde as perguntas foram feitas com o objetivo de dar o resultado que eles queriam. Pois simplesmente "contra a discriminação" todo mundo é. Os "pesquisadores" deveriam ter feito perguntas também como "você concorda em ir pra cadeia caso você faça ou diga alguma coisa que um homossexual não goste?", pois esta é a verdadeira essência e principal objetivo do PLC 122/2006.
Baseada na mesma pesquisa fajuta, a mídia amestrada agora anda divulgando que a maioria dos evangélicos também é a favor do PL da mordaça gay!
É muita propaganda enganosa pra um país só.
Carlos
http://liberdadedeexpressao.multiply.com

Anônimo disse...

É a típica canalhice da mídia gaysista brasileira...Restam aos policos pró-família contestarem a pesquisa.

André L. disse...

Julio, graça e paz. O assunto está se tornando público. Li num dos blos mais lidos do brasil, o http://queridoleitor.zip.net já levantou a questão e as pessoas tem comentado a respeito... contra os evangélicos, é claro.

Anônimo disse...

Informo a todos que no jornal O Dia de hoje 26/06 saiu um trecho sobre a manifestação realizada com o título " Protesto pelo direito a homofobia ", inclusive dizendo que os manifestantes tentaram forçar a entrada no plenário, em uma pequena nota abaixo de uma matéria de maior destaque e com foto sobre um dos militares que assumiu ser homossexual.

Anônimo disse...

Você viu como a mídia está publicando assuntos sobre está causa, como se fosse uma cúpula midiática?Eles dizem: EVANGELICOS INVADEM CONGRESSO, ELES DIZEM HOMOFOBICOS FAZEM PROTESTOS, ELES DIZEM, Pesquisa: 70% querem tornar crime a homofobia (COMO VC FALA QUE É MENTIRA),Evangélicos protestam contra criminalização da homofobia,agora essa é nova DO DIARIO DO NORDESTE:Movimento LGBTT terá delegacia especializada
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=549475
TERÁ ATÉ DELEGACIA ESPECIALIZADA PARA NOS PRENDER É?

Anônimo disse...

Julio. Parece-me que a lei será aprovada...espero que não. Mas se for, terá alguns pontos polêmicos vetados pelo presidente: Quais são?

Acredito que o grande problema dos militantes evangélicos, como bem ressaltou Olavo de Carvalho,é se apegarem ao discurso religioso na hora do protesto. Acho que têm que se auto-vitimizar, como eles mesmos fazem, e usar lógica racional para apontar as incoerências do PL 122.

Anônimo disse...

Cada dia que passa aparece uma minoria se dizendo vítima disso ou daquilo. A bola da Vez são os Homossexuais e os usuários de drogas. Para saber o futuro disso basta olhar para a Holanda onde já falam em legalizar a pedofilia. A estratégia para barrar esses excessos é a verdade. Divulguemos a verdade sobre a orientação sexual dos pedófilos ( maioria gays), a verdade sobre a morte de homossexuais ( maioria assassinada pelos seus amantes) e sobre as supergarantias que este grupo almeja, bem além do cidadão comum como nós.

Reinaldo Carlos da Silva disse...

Paz de Deus,
Tenho uma mensagem para essa esquerda: CUIDADO PARA NAQUELE DIA NÃO FICAR NA ESQUERDA!
Esse governo que tolera mensaleiros e sanguessugas, que faz vista grossa aos irmão catarinenses, aos famintos do Nordeste, mas ajuda dando vaselina e objetos sexuais para gays.
Cuidado esquerda, tua hora vai chegar