12 de maio de 2008

Supremo Tribunal Federal poderá legalizar “casamento” homossexual no Brasil

Supremo Tribunal Federal poderá legalizar “casamento” homossexual no Brasil

Governo do Brasil e governo do Rio se mostram a serviço da sodomia. STF se mostrará a serviço de quem?

Julio Severo

Durante anos, a bancada evangélica fez um trabalho excelente barrando a aprovação do nocivo projeto de parceria civil homossexual introduzido pela ex-deputada federal Marta Suplicy, em 1995. Apesar dos esforços de muitos grupos homossexuais radicais e parlamentares esquerdistas, o projeto ideológico de Marta emperrou no Congresso Nacional.

Com todo seu empenho como militante petista e feminista pró-aborto, Marta não conseguiu realizar sua ambição de avançar a agenda gay de seu projeto. Mesmo durante o governo Lula, grande apoiador e incentivador de políticas, programas e leis a favor da sodomia, o projeto de Marta não andou, exclusivamente por causa da oposição, em grande parte, da bancada evangélica.

Reconhecendo sua incapacidade de impor o “casamento” gay através do Congresso Nacional, os militantes da sodomia agora depositam suas esperanças no Supremo Tribunal Federal (STF). Uma ação impetrada pelo governo do Rio de Janeiro no STF pode abrir caminho, através do Judiciário, para a legalização do “casamento” homossexual no Brasil inteiro.

O governo do Rio de Janeiro é proverbialmente incompetente para lidar com o elevado índice de criminalidade e violência em seu próprio quintal. Agora, para compensar sua evidente incompetência em outras áreas, tenta mostrar “serviço” em prol da sodomia a nível nacional.

A história toda começou quando um senador evangélico do Rio resolveu dar uma mãozinha ao então candidato Sérgio Cabral, que já apoiava as causas homossexuais. Mais por amor ao momento eleitoral do que por respeito aos valores morais ou familiares, Cabral atendeu ao pedido de Marcelo Crivella para renunciar a um projeto pró-homossexualismo. Pelo menos durante o tempo eleitoral, Cabral realmente se esqueceu da questão S (sodomia), mas tão logo venceu e se tornou governador sua mente pôde voltar à velha “normalidade”, onde aborto, homossexualismo e até liberação das drogas são causas muito mais importantes do que resolver a epidêmica violência social e corrupção governamental.

Com a ajuda da bancada evangélica, o projeto de Marta estagnou. Com a ajuda de Crivella e vários politiqueiros evangélicos, Cabral ganhou para governador e hoje pretende fazer pelo “casamento” homossexual o que Marta não conseguiu. A ação do governo do Rio implica em ameaça muito maior do que o projeto de Marta. Cabral recorreu a um STF onde os esquerdistas FHC e Lula nomearam ministros que tomarão decisões conforme a inclinação moral do próprio governo que os escolheu.

Em 2006, ao julgar uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin), o ministro Celso de Mello manifestou opinião de que a união homossexual deve ganhar status de entidade familiar e não apenas como “sociedade de fato”. Agora, com a ação do governo do Rio, o STF parece estar disposto a dar à união de dois homens a mesma honra e legalidade que têm um homem e uma mulher casados. Tudo graças a Sérgio Cabral. Tudo graças a Marcelo Crivella e a outros evangélicos aliados de Lula, que sempre (ou quase sempre) fizeram escolhas políticas equivocadas que ergueram ao poder políticos que hoje trazem prejuízo moral e espiritual ao Brasil.

A atitude favorável do STF deixou os militantes gays otimistas. De acordo com o site esquerdista CongressoEmFoco, Toni Reis, presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros), comentou que a decisão do STF poderá eliminar a oposição no Congresso Nacional às questões homossexuais.

“Estamos torcendo para que passe. Nós temos vários casos de jurisprudência nos estados, então não precisaria passar pelo Congresso”, declarou Toni, que recordou o compromisso que o governo Lula fez de criar uma lei anti-“homofobia”.

Por causa da resistência no Congresso, os militantes homossexuais estão apostando tudo no STF, que tem demonstrado menos intransigência ética em questões como aborto, células-tronco embrionárias e homossexualismo. Não se sabe, porém, quando o STF decidirá sobre a legalização do “casamento” homossexual.

Apesar das dificuldades, os militantes homossexuais têm motivos para estar esperançosos, pois no STF o relator do caso do “casamento” homossexual é o Dr. Carlos Ayres Britto, o mesmo ministro que deu voto favorável à realização de pesquisas com células-tronco embrionárias, onde embriões são sacrificados e mortos para supostos benefícios médicos.

Quando a corrupção moral entra na moda, os donos da mídia são os primeiros a entrar na onda. No embarque seguinte vêm os políticos e os legisladores. Há 3.000 anos, já se alertava: “Os ímpios andam altivos por toda parte, quando a corrupção [moral] é exaltada entre os homens”. (Salmo 12:8 NVI) Não é exatamente o que está ocorrendo no Brasil? Lula e Cabral estão na plena onda da sodomia social, política e legal.

Em apoio à ação de Cabral no STF, o Grupo Gay da Bahia, fundado por Luiz Mott, se manifestou:

“Embora a Constituição de 1988 não tenha feito referência expressa à união homoafetiva, estabelece como princípios estruturantes de nossa ordem jurídica os valores da liberdade, igualdade e do pluralismo. Estes princípios impõem reconhecimento da união homoafetiva no seio de nossa jurídica constitucional”.

Enxergando valor e dignidade na sodomia, é possível enxergar qualquer coisa em qualquer lugar, mesmo na Constituição federal ou na própria Bíblia. Com relação aos ministros do STF, seria de esperar que eles pudessem enxergar com bom senso: nem a lei natural, nem a lei divina e nem a Constituição brasileira favorecem a sodomia. No caso da lei divina, a proibição é claríssima. No caso da lei natural, as conseqüências são gravíssimas.

Além disso, legalizar o “casamento” homossexual é agredir e desrespeitar a dignidade e o valor da família natural.

Os ministros do STF conseguirão ver o óbvio, a menos que vejam com os olhos de Cabral ou de Lula.

Em cada embate cultural, onde a sodomia procura se impor como direito humano inalienável e outros perversos travestismos, o Estado tem a oportunidade de assumir a postura de protetor da família natural ou aliado das forças que querem arruiná-la.

A União Soviética e a Alemanha nazista, com seu controle socialista sobre a sociedade e tribunais, promoviam a cultura da morte e sabiam ameaçar as famílias enquanto ao mesmo tempo proclamavam defendê-las! A voz e decisões do Estado laico soviético e nazista (mediante os tribunais ou não) eram tão sagradas como se fossem a própria voz e decisões de Deus.

Os tribunais da União Soviética e da Alemanha nazista atendiam aos interesses de seus governos ideológicos. Hoje, no Brasil o governo Lula não tem receio de mostrar sua preferência e apoio ao aborto, às pesquisas com células-tronco embrionárias e ao homossexualismo. O que os tribunais brasileiros, inclusive o STF, farão?

O Estado e seus tribunais têm autoridade para depreciar o casamento normal com a legalização de formas anormais de casamento? Claro que não. A família natural existe muito antes do Estado e suas leis. Aliás, a família natural existe muito antes do movimento homossexual e seus vícios. Considerando que a sodomia nada tem a ver com normalidade, saúde e família natural, o Estado e seus tribunais têm autoridade para legalizar o chamado “casamento” homossexual?

A doença de controlar indevidamente tudo e todos, promovendo a cultura da morte, legalizando anormalidades e redefinindo o bem como mal e o mal como bem, é uma doença que afeta o Estado em todas as eras. Cabe a um povo sábio e temente a Deus ajudar o Estado brasileiro a se libertar dessa doença.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Estatuto de destruição: O Estatuto das Famílias pretende regulamentar e legitimar todas as formas de família e destruir o padrão de família natural

Marcelo Crivella: Evangelho “é a cartilha mais comunista que existe”

Crivella e outros líderes evangélicos apoiaram Lula

A Ameaça do Autoritarismo GLS

Sérgio Cabral: um coerente defensor do aborto

5 comentários :

Anônimo disse...

DEPOIS É QUESTÃO DE TEMPO EU ACHO O ARREBATAMENTO DEUS NÃO DEIXARA JUSTOS NO MEIO DA PODRIDÃO E DA PROMISCUIDADE É O FIM DOS TEMPOS QUE EU E TODOS NÓS TOMENOS JEITO E COMEÇEMOS A ORAR PELA NOSSAS ALMAS

Anônimo disse...

Gostaria que fosse assim Rodolpho, mas a Bíblia é muito clara em mostrar o preparo que devemos ter para enfrentar (já enfrentamos!) toda essa apostasia.

Abraço,
Mauro F.F.

Anônimo disse...

Prezado Júlio, parabéns pelo post. Embora saibamos que essa lei será efetivamente aprovada, cedo ou tarde, a nossa luta e autenticidade permanecem. Tudo pela fé evangélica, até prisões e perseguições... até a morte.

Mauro F.F.

Anônimo disse...

Prezado irmão Júlio, minha opinião é que o STF , que há mais de 40 anos não condenou ninguém por crimes cometidos, tem sido o reduto de juízes arrogantes, prepotentes , que se consideram semideuses. A última loucura que se tem notícia, foi a decretação da constitucionalidade do estatuto do desarmamento; ou seja, considerou "legal" uma lei que proíbe o cidadão comum e honesto de se defender de facínoras usando uma arma de fogo. por isso , não é de se admirar que governantes pró-sodomia e imorais, recorram a esta corte para tentar aprovar o casamento homossexual. Infelizmente, só um milagre para que isto não ocorra. A igreja precisa interceder a Deus e pedir misericórdia a Ele. Triste ver como este país se encontra..
Shalom do Senhor Jesus.
Marco Antônio

Arnaldo Ribeiro disse...

O SENHOR VIU A NEFASTA LEGALIZAÇÃO DE RELAÇÕES HOMOSSEXUAIS, E, COM ELA , O RECRUDESCIMENTO DA IMORALIDADE E DA PERDIÇÃO NO MUNDO: (JB.6.65) POR CAUSA DISTO É QUE VOS TENHO DITO:
(SL.78.1)- Escutai povo meu, a minha lei, prestai ouvidos às palavras da minha boca:(NE.4.19)–Disse eu aos nobres, aos magistrados, e ao resto do povo:(DT.29.10)–Vós estais hoje perante o Senhor vosso Deus, os cabeças das vossas tribos, e vossos anciãos, todos os Homens de Israel: (LS.6.2/4)–Ouvi, pois, ó reis, e entendei tomai a instrução ò Juízes de toda a terra, aplicai os ouvidos, vós, que governais os povos, e que gloriais de terdes debaixo de vós muitas nações; porque de Deus vos tem sido dado o poder, e do Altíssimo a força, o qual vos perguntará pelas vossas obras, e esquadrinhará os vossos pensamentos: (2CR.19.6) – Vede o que fazeis, porque não julgais da parte do homem, e sim, da parte do Senhor, e no julgardes Ele está convosco: (CL.3.17) – E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus; dando por ele graças a Deus: (NM.32.23) –Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o Senhor, e sabei que o vosso pecado vos há de achar; (DN.9.7) – como hoje se vê:
(IS.1.10) – Ouvi a palavra do Senhor, vós, príncipes de Sodoma, prestai ouvidos à lei do nosso Deus, povo de Gomorra;(2CO.5.19) – porque importa que compareçamos ao tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo: (1CO.6.18) – Fugi da impureza: Aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo: (EC.10.32) - Quem justificará ao que peca contra a sua alma? (1CO.4.16) – Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores; (1TS.4.4)– e que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra: (MT.26.41) – Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o Espírito na verdade está pronto, mas a carne é fraca: (PV.15.3) – Os olhos do Senhor estão em todo lugar contemplando os maus e os bons:(LC.6.10)–E, fitando todos ao redor, disse ao homem: (LV.18.22) – Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação: (1CO.6.9/10) Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: Nem impuros, nem idolatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas; nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus: