16 de janeiro de 2008

Jesus pode libertá-los

Jesus pode libertá-los

Kenneth Copeland

“E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça daí”. (Mateus 10:7-8 ACF)

Há os que dizem que algumas doenças que estão se propagando violentamente agora, doenças como a AIDS, são o meio de Deus castigar as pessoas imorais de hoje. Não há absolutamente nenhuma base bíblica para tal crença!

Deus não traz doenças para a raça humana. Aliás, se há alguém no céu e na terra que odeia as doenças é Jesus. O diabo é quem nos diz outras coisas. Ele está promovendo mentiras, tentando nos fazer crer que é Deus quem inflige essas doenças nas pessoas, porque ele sabe que se as vítimas crerem nessa mentira, as pessoas se afastarão mais de Deus. E esse é o objetivo dele.

É hora de você e eu como crentes darmos um basta nessa mentira. Algum tempo atrás, o Senhor me falou ao coração e me disse: “Estenda a mão aos que estão sofrendo. Permita que eles saibam que eu não fiz isso para eles. Permita que saibam que eu sou o Libertador deles!”

Essa mensagem não era só para mim. Era para o Corpo inteiro de Cristo. Precisamos dizer às pessoas que estão sofrendo de AIDS ou qualquer outra doença que Jesus é Senhor nessas circunstâncias. Precisamos dizer-lhes que Deus as ama com carinho, e que Ele tem o desejo e o poder de curá-las.

Deus não é responsável pelo sofrimento que estamos vendo ao nosso redor. Essa é simplesmente uma mentira suja que o diabo está disseminando por aí. E se você e eu cumprirmos nossa responsabilidade de forma certa, logo outro tipo de mensagem vai começar a se espalhar pelas ruas. A notícia que vai se espalhar é que Jesus não prende as pessoas. Ele é Aquele que as liberta!

Enquanto Jesus estava falando ao povo, um chefe religioso chegou perto dele, ajoelhou-se e disse: — A minha filha morreu agora mesmo! Venha e ponha as mãos sobre ela para que viva de novo. Então Jesus foi com ele, e os seus discípulos também foram. Certa mulher, que fazia doze anos que estava com uma hemorragia, veio por trás de Jesus e tocou na barra da capa dele. Pois ela pensava assim: “Se eu apenas tocar na capa dele, ficarei curada.” Jesus virou, viu a mulher e disse: — Coragem, minha filha! Você sarou porque teve fé. E naquele momento a mulher ficou curada. Depois Jesus foi para a casa do chefe religioso. Quando viu os que tocavam música de enterro e viu a multidão numa confusão geral, disse: — Saiam todos daqui! A menina não morreu; ela está dormindo! Então começaram a caçoar dele. Logo que a multidão saiu, Jesus entrou no quarto em que a menina estava, pegou-a pela mão, e ela se levantou. E a notícia a respeito disso se espalhou por toda aquela região. (Mateus 9:18-26 NTLH)

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

3 comentários :

Unknown disse...

Prezado Julio Severo,
1. Sinceramente, estou surpreso (!) pelo fato do amigo ter publicado pela segunda vez textos desse autor. Pelas mesmas razões do internauta MÁRLON VITOR (referentes ao artigo “Não dê uma resposta”, de 27/12/07) e, também, por muitas outras sutis heresias há muito tempo identificadas e expostas em “sites” cristãos reconhecidos.
2. Esse negócio de examinar “tudo” e reter o bem é complicado, em alguns casos; e, perigoso, para crentes que não estudam sistematicamente as doutrinas cristãs (Cl 2.4,8). Penso que é melhor prevenir do que remediar: “Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o” (Tito 3:10).
3. Quando ele diz que Deus não é o autor do mal é óbvio: “Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a vexação não podes contemplar” (Hc 1.13a).
4. Mas quando conclui que Deus não é autor do castigo (“o mau”) erra flagrantemente. Isaías 45.7 diz: “Eu formo a luz e crio as trevas; eu faço a paz e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas essas coisas.” As doenças, as deficiências físicas (Êxodo 4.11) não são, necessariamente, obras do diabo. Deus pode valer-se delas segundo Seus propósitos.
5. Deus permite até que homens fiéis a Ele adoeçam e morram de doenças. Todos os cristãos leitores regulares da Bíblia sabem quem foi o profeta Eliseu. Pois bem: o que diz 2 Reis 13.14? Não foi o “diabo” que colocou a doença mortal nesse homem!
6. Os que se dão às praticas homossexuais, por exemplo, atraem sobre si a Justiça divina que não é anulada pelo seu Amor (João 5.14). Deus já provou que se importa com o bem-estar de todos os homens e mulheres quando SACRIFICOU na cruz Jesus Cristo, o Justo.
7. A promessa de restauração física é real (Mc 16.17,18). Graças a Deus! Porém, é obtida SEGUNDO a Vontade, Soberania e Propósitos divinos.
Abraço fraterno
Paulo Ceroll.

Julio Severo disse...

Olá, Paulo! Tudo bem? Vou tentar responder a algumas de suas questões. Era entendimento comum que Deus era autor do bem e do mal, porque nem todo servo de Deus via o mundo espiritual, onde as diferenças eram fortes e agudas. Veja um exemplo: "E a ira do SENHOR se tornou a acender contra Israel; e incitou a Davi contra eles, dizendo: Vai, numera a Israel e a Judá". (2 Samuel 24:1 ACF) Essa passagem, de acordo com a visão de quem escreveu, diz que Deus é o autor do incitamento contra Davi. Mas veja agora a mesma situação vista pela visão de alguém que pôde enxergar muito mais: "Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel".(1 Crônicas 21:1 ACF) Essa passagem diz bem claramente que Satanás é quem foi o verdadeiro autor do incitamento. É preciso considerar também o livro de Jó. O próprio Jó não entendia o que estava acontecendo na sua vida. Mas quem escreveu sua biografia bíblica teve visão espiritual de Deus para ver o que a maioria das pessoas de Deus não vê (confira os capítulos 1 e 2 do livro de Jó). Minha opinião é que todo mal contra nós deve ser enfrentado e combatido. Deus não é autor de doença alguma. Aliás, Jesus veio curando enfermidades. Depois, deu aos seus discípulos autoridade para abençoar as pessoas da mesma forma: "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão". (Marcos 16:15-18 ACF) Em 1 Coríntios, somos ensinados que Deus nos deixou à disposição dons espirituais, alguns dos quais são exatamente para combater doenças.

Isso, é claro, não quer dizer que todos os nossos esforços por cura alcançam os resultados que esperamos. Mas, assim como na guerra física, na guerra espiritual temos de lutar até o fim, mesmo que morramos. É praticamente impossível que no exército vencedor todos os soldados lutem até o fim e sobrevivam. Mas não se pode nunca desistir. Contudo, se crermos que é a vontade de Deus sofrermos doenças como alguma espécie de castigo divino ou meio de nos tratar, então seria pecado procurar médicos e remédios, pois ao combater as doenças estaríamos efetivamente nos rebelando contra a vontade de Deus de nos disciplinar por meio das doenças. Eu não creio numa teologia que aponte Deus como autor ou facilitador do mal. Ele é amor. Embora permita que o mal nos atinja, Ele também nos dá as ferramentas para combatê-lo e crescermos na graça e conhecimento de Jesus Cristo. Não entendemos tudo, mas vemos que Jesus veio combatendo doenças e deu aos discípulos meios espirituais de combater doenças. Penso que devemos ter a mesma atitude de Jesus. Quanto aos que sofrem doenças como castigo pelos seus pecados, eles precisarão se arrepender e aceitar Jesus como Salvador. Depois, não é pecado buscar a cura. Seja neste mundo ou na eternidade, a cura virá.

Julio Severo

Unknown disse...

Prezado Julio Severo,
“... desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma.” (3 João 1:2)
1. Obrigado pela gentileza da resposta. Refletir acerca de DEUS, conforme revelado na Bíblia judaico-cristã é revigorante: Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniqüidade e que te esqueces da rebelião do restante da tua herança? O SENHOR não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na benignidade.” (Mq 7.18).
2. Concordo quando você diz que “Deus não é autor de doença alguma” e nem é “autor ou facilitador do mal. Ele é amor. Embora permita que o mal nos atinja,”. “O que semear a perversidade segará males” (Pv 22.8; 1Co 3.17 a).
3. Portanto, Deus castiga, e castiga doído! (Hb 12.6; 1Co 5.3-5). No contexto de Isaías 45.7, o “mal” significa o “castigo” (de qualquer espécie!) reivindicado pela Justiça divina contra o pecador moralmente responsável.
4. Permita-me fazer um comentário relacionado ao episódio registrado em Samuel e Crônicas. Deus pode dá ordens aos demônios e retirar a Sua proteção de sobre os homens, a fim de que possam infringir-lhes males, tendo em vista cumprir Seus propósitos. O controle de Deus sobre as coisas criadas é absoluto! “Quem é aquele que diz, e assim acontece, quando o Senhor o não mande?” (Lm 3.37).
5. Foi assim no caso de Jó 1,2 (conferido!); no caso do rei Saul em 1Sm 16.14; e no caso do rei Acabe contra o profeta Micaías (1Rs 22.14-23). Neste último caso, Micaías, realmente, “teve visão espiritual de Deus para ver” o que ninguém poderia ver!
6. Entendo que os textos de 2Sm 24:1 e 1Cr 21:1 são complementares! No primeiro texto, por exemplo, temos IMPLÍCITO O PECADO DO POVO e o juízo de Deus contra ele; no segundo texto, temos EXPLÍCITO O PECADO DO REI Davi, que se deixou tentar por Satanás ao dar a ordem para fazer o recenseamento. DEUS PROPÕE CASTIGOS e, finalmente, MANDA QUE SEJA EXECUTADO o castigo que atinge a ambos, não por prazer, mas por justiça, (2Sm 24.12; 1Cr 21.10).
7. Sabemos que no arsenal dos demônios estão as doenças (Lc 13.12,16); as perversões sexuais (Rm 1.24,26,27); etc. Todavia, quando os “que sofrem doenças no corpo como castigo pelos seus pecados” se arrependem e aceitam a Jesus como Salvador” o mal é detido e a restauração é possível, segundo a graça divina (Mc 16.15-18). Amém.
Abraço Fraterno
Paulo Ceroll