24 de dezembro de 2007

Evangélicos ganham respeito de criminosos no Rio, diz jornal americano

Evangélicos ganham respeito de criminosos no Rio, diz jornal americano

da BBC Brasil

Os cristãos evangélicos vêm ganhando o respeito dos membros do crime organizado nas favelas do Rio de Janeiro e estão entre os poucos que conseguem enfrentá-los, segundo afirma reportagem publicada nesta terça-feira pelo diário americano “The Christian Science Monitor”.


O jornal relata o trabalho de um grupo de evangélicos da favela da Mangueira que tenta convencer traficantes de drogas a deixarem as armas e se converterem.


“O propósito do grupo não é combater o crime, mas converter o máximo de gente possível. Mais lei e ordem são comumente um subproduto”, diz a reportagem.


“Nas favelas do Rio, abarrotadas de homens e mulheres às margens da sociedade, eles encontram um campo fértil. Para gente de fora, eles são chamados de ‘os evangélicos’, e em sua maior parte as pessoas das favelas não contestam seu trabalho missionário”, afirma o jornal.


Segundo a reportagem, por razões “teológicas, culturais e pessoais”, os evangélicos ganharam o respeito "dos mesmos criminosos que não pensam muito antes de matar um vizinho de longa data".


“Então, em uma cidade considerada uma das mais perigosas do mundo, que registra 6.000 assassinatos ao ano e onde a polícia e os militares são vistos, na melhor das hipóteses, com desconfiança, os pentecostais estão entre os poucos que enfrentam o crime organizado”, diz o jornal.


O “Christian Science Monitor” comenta que o Brasil tem mais evangélicos pentecostais do que qualquer outro país da América Latina, com mais de 10% da população se identificando como pentecostais no censo populacional de 2000, quase o dobro do que uma década antes.


Segundo o jornal, uma das razões pelas quais os evangélicos conseguem se aproximar dos traficantes de drogas é que "muitos deles já foram eles mesmos criminosos violentos".


“Alguns cometeram assassinatos. Seus pastores cumpriram pena de prisão. E, renascidos, eles agora acreditam que sua missão é levar a palavra de Deus às mesmas ruas que antes aterrorizavam”, diz a reportagem.


O jornal diz que, segundo os pesquisadores, “os membros das gangues poupam os evangélicos porque, embora não sigam necessariamente nenhuma doutrina religiosa, eles ainda acreditam em Deus, em sua maioria”.


Uma antropóloga da Universidade do Rio de Janeiro ouvida pelo jornal comenta que o catolicismo tradicionalmente reflete a elite política nas favelas e é visto como tendo feito pouco para combater o crime, enquanto os evangélicos são vistos pela comunidade como uma entidade separada e incorruptível.


“Acadêmicos que estudam o fenômeno dizem que os pentecostais conseguem entrar em áreas onde até mesmo os pesquisadores do censo não vão, não apenas porque vêm dos mesmos bairros violentos, mas porque a maioria das igrejas são entidades independentes e formadas na base, ao contrário da Igreja Católica, que é gerenciada sob estrita hierarquia que começa no Vaticano”, afirma o jornal.

Fonte: Folha Online

Divulgação: www.juliosevero.com.br

2 comentários :

Unknown disse...

Prezado Julio Severo:

1. Se ao invés de investir recursos públicos em ONG's de conduta e eficiência duvidosas e nas tais Políticas de Redução de Danos (distribuição de seringas para viciados; camisinhas e cartilhas sobre sexo, em escolas públicas; etc), o Governo “olhasse” sem preconceito, para os dados da Ciência Estatística que atestam o potencial das igrejas evangélicas na recuperação do cidadão e da família, não só nos guetos, mas onde seja anunciado, creio que haveria uma redução sensível nos índices de violências, gravidez precoce, contaminação por DST, divórcios, etc!

2. Penso que deve haver um meio de ajudá-las “sem atrapalhar”, sem seduzir, sem corromper ou manipular. É verdade que quanto mais oposição (governamental, inclusive) mais a verdadeira Igreja de Jesus cresce, e a eficácia do Evangelho é demonstrada. Mas, sonhar não custa nada... Se o Governo favorece, abertamente, “outros” credos, por que não os cristãos evangélicos?!

3. Tenho tido o prazer de conhecer alguns desses verdadeiros "craques" (cristãos autênticos) que atuam nas favelas. Possuem, verdadeiramente, "algo" que dão a eles o direito de serem ouvidos, que os tornam incomuns e capazes de emudecer o mais cético ou desarmar o mais violento dos homens: o testemunho pessoal daquilo que JESUS CRISTO fez em suas vidas (João 3.16).

4. "... pois não salvarei pelo arco, nem pela espada, nem pela guerra, nem pelos cavalos, nem pelos cavaleiros." (Os 1.7b); "...Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos." (Zc 4:6b). Estes textos revelam, ainda hoje, a maneira sobrenatural de DEUS agir para “salvar a alma e a existência” de qualquer pessoa que clame por Ele, “... pois [o Evangelho] é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16b).

5. Quero aproveitar para desejar a você, aos seus familiares e aos internautas (seus amigos e colaboradores), “Feliz Natal”. Que todos possam viver a experiência que a fé obediente ao Senhor Jesus Cristo é capaz de proporcionar! Amém.

Paulo Ceroll.

Unknown disse...

O que essa reportagem diz realmente acontece na maioria das favelas.Sobre o governo incentivar, acho que não acontecerá porque o objetivo dele é justamente o contrário (aumento do número de usuários).