25 de setembro de 2007

O “discreto” apoio da Rede Globo aos projetos anti-homofobia

O “discreto” apoio da Rede Globo aos projetos anti-homofobia

Enquanto o governo do rei Lula Acabe está pronto para usar todo o aparelho repressor do Estado para combater os que se opõem ao homossexualismo, Globo e afins estão prontos para dar cobertura estratégica, manipulando suas audiências em atitudes intolerantes e preconceituosas aos cristãos e seus valores.

Julio Severo

Muitos cristãos, sem nenhum apoio, estão se mobilizando para derrotar os infames projetos de lei andiscriminação (que vêm recheados de armadilhas para apanhar cristãos que discordam das depravações homossexuais), porém os ativistas gayzistas estão avançando com o apoio de inescrupulosos grupos internacionais, governo federal e, naturalmente, a mídia liberal.

Como é que o governo Lula dá seu apoio aos projetos anti-homofobia? Implementando seu próprio programa Brasil Sem Homofobia em todas as esferas do governo e sociedade, inclusive as escolas, para que todos sejam doutrinados a ver o homossexualismo como normal e a ver como anormalidade toda oposição, inclusive bíblica. O Brasil Sem Homofobia representa uma grande iniciativa estatal pró-sodomia de lavagem cerebral em massa. Com o Brasil Sem Homofobia em ação, em poucos anos a população, os deputados e os legisladores já estarão programados para aprovar qualquer lei a favor do homossexualismo.

Contudo, os liberais não podem esperar tanto tempo assim. Por isso, eles estão agindo para que os objetivos pró-sodomia do governo federal sejam acelerados.

Como é que os meios de comunicação dão seu apoio à quase onipresente propaganda anti-homofobia do governo? Educando seu público de telenovelas e outros programas. É uma educação que — em nome da neutralidade, diversidade, pluralidade e uma infinidade de outros termos de fachada puramente artística — trata as audiências como estúpidas mentes bovinas, que assimilam tudo o que lhes é mostrado. Suas mentes são vistas como meros computadores, que precisam de troca de programas conforme a mania do momento. A redes de televisão se enxergam então no papel de reprogramadores das opiniões sociais, ora conduzindo o público à determinada direção de comportamento, ora a outras.

Na novela da Rede Globo das 20h, de 28 de julho de 2007, o episódio mostrou algumas moradoras de um prédio que, sabendo que a síndica era preconceituosa, fizeram uma armação para que ela se enganasse com a Rogéria (pensando que fosse uma senhora em vez de homem travestido). Quando a síndica descobre, expulsa o travesti do prédio aos berros e insultos. As vizinhas chamam a polícia e testemunham o preconceito e a situação vexatória. A síndica vai parar na delegacia por “constrangimento ilícito”. Depois, quando a filha da síndica volta da delegacia com a mãe, ela diz que houve perseguição!

A personagem da síndica, que foi usada no papel de preconceituosa, já é conhecida por suas chatices em nome da moral e dos bons costumes. É uma caracterização pré-estabelecida para insultar, denegrir e desacreditar quem tenha posições morais diferentes das doutrinas globais.

Além disso, em 30 de agosto de 2007, o programa “Entre Aspas”, também da Globo, tratou de questões homossexuais, e sua apresentadora citou o projeto de lei contra a homofobia, dizendo: “Torcemos por sua aprovação!”

Assim, a Globo está usando o público devoto de suas novelas e programas para passar sua “discreta” doutrinação anti-homofobia.

Em nome da ideologia antipreconceito, governo Lula e mídia liberal se aliam numa guerra santa contra os cristãos e seus valores.

Ai de quem ousar discordar da sagrada sodomia!

Fonte: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Lobo em pele de ovelha: O Estado policial e sua ameaça de leis antidiscriminação

A favor do preconceito seletivo: Quando as leis anti-discriminação tornam alguns mais sagrados do que Deus

O uso e abuso gay da palavra preconceito

9 comentários :

Anônimo disse...

Aproveito a matéria para informar q no SBT aos domingos é exibida uma série chamada Arquivo Morto em q o tema são casos policiais arquivados q os detetives buscam solucionar. Até aí nada demais, só q no desenrolar das histórias vemos uma propaganda homossexual explícita em q as vítimas na maioria das vezes são heróis homossexuais e os algozes geralmente são pessoas ultrareligiosas. Já teve o caso do cristão q praticou adultério com uma irmã da igreja, do adolescente q namorou outro adolescente travestido,do homossexual q foi espancado porque teve coragem de se assumir,do casal de lésbicas q se jogou de carro no rio em nome do amor,da enfermeira anti-aborto q mostrou imagens falsas de um feto, etc... Ou seja não é apenas a Globo q está enganjada na causa gay, mas acho q infelizmente toda a mídia.

Anônimo disse...

É sempre assim: o sórdido recurso de ridicularizar quem é contra a nova ordem que estão querendo impor.

A Globo tem uma tradição longa no quesito. Hoje em dia, disseminou-se a expressão "falso moralista" muito em função de uma personagem da novela Roque Santeiro, que - como sempre - era mostrado como o hipócrita que não agia na prática conforme o que pregava.

Desde aquela época, venho notando o uso intenso da expressão de uma forma burra e absurda, além de leviana na grande parte dos casos. Qualquer um que destôe da nova ordem é rotulado de falso moralista e desqualificado como um hipócrita mesmo que seja sincero e coerente no que defende e no que faz.

O emburrecimento provocado pela Globo foi tal que chegou-se ao absurdo de se usar expressões contraditórias para idéias similares. Assim, os discordantes da nova ordem são xingados tanto de moralistas (verdadeiros, pois) como de falsos moralistas. Ou seja, falso e verdadeiro ao mesmo tempo. É a "lógica" da burrice a que levou a emissora.

Sobre o tal do Arquvo Morto, mostrado pelo SBT, não surpreende a junção de defesa intransigente do homossexualismo com a do aborto. Note-se a preocupação abortista em insinuar comportamento mentiroso dos defensores da vida, como se não fossem eles os maiores mentirosos e embusteiros da vez, a começar pelas cifras forjadas de mortes por abortos clandestinos. Isso me faz ter a convicção de que esses apologistas do aborto são gente da pior espécie já surgida no seio da humanidade. Não duvido de que sejam capazes de tudo para a sua causa. De TUDO, enfatizando.

E uma das táticas por excelência da malta abortista é atribuir aos oponentes os seus vícios e defeitos. Ainda hoje, o vídeo realista e verdadeiro do Dr. Bernad Nathanson (corrijam-me se não for esse o nome), médico que fez muitos abortos é referido como sendo uma peça "sensacionalista" e "apelativo". Compreenderam? Reclamar um direito questionável e não admitido pela maior parte da sociedade e apelar para mulheres pobres que recorreriam a clínicas clandestinas não são apelativos, mas mostrar a pura e simples realidade é, na concepção da corja.

Anônimo disse...

Após concluir um curso de Mestrado no exterior, voltei em abril deste ano ao Brasil. Não sei se fiquei desacostumada com os costumes daqui ou se realmente a situação piorou mto nos últimos anos, mas... fiquei mto chocada com as roupas que as mulheres daqui usam, e posteriormente soube que quem está ditando a moda atualmente é a personagem que Camila Pitanga interpreta na novela das 8, e pasmem! Essa personagem é uma prostituta!!! E as mulheres brasileiras foram tão desensibilizadas pela lavagem globesca-cerebral que agora nem se importam mais em parecer prostitutas baratas de quinta categoria!
Outra coisa que me chamou a atenção qdo voltei é que parece que ser gay virou moda! Em nenhum outro país (e olha que já rodei bastante) vi ttos gays como aqui. Pessoal, estamos msm numa pior.
E ainda continuo me perguntando: será que fiquei desacostumada com os costumes daqui ou realmente a situação moral piorou?

Anônimo disse...

Acabei de me lembrar: dia desses, num sabado descobri no SBT um seriado americano chamado "Casal Gay" (sutil não?). O pior é que o seriado mostrava um dos gays como um "simpatico e amavel" professor de Jardim de Infância!!!! Daqui a pouco vão começar a mostrar pedofilia como algo aceitável!

Nessas horas eu falo ao meu Deus: Maranata, ora vem Senhor Jesus. *coisa que tenho falado demais à Ele. Pq será hein? E olha que nem tenho filhos, imagina qm tem*

Anônimo disse...

Não entendi ainda qual o problema da homossexualidade...

Quem é hétero que seja feliz assim. Os que são homossexuais que sejam felizes também. Desde que um grupo não tente impor suas vontades e idéias sobre o outro, nenhum problema.

Quem se incomoda com a vida sexual dos outros precisa se tratar, pois esta com algum distúrbio psicológico grave.

E qual o problema de um gay ser professor do jardim de infância? Existem profissões separadas para cada orientação sexual? A competência do profissional em sala de aula é medida por seu comportamento na sua cama? Discriminação, além de uma prática nojenta, é crime. Creio que não preciso lembrá-los disso.

Julio Severo disse...

Prezado anônimo, sem ânimo de se mostrar:

Você pergunta: "E qual o problema de um gay ser professor do jardim de infância?"

Qual gay você indicaria?

Luiz Mott? Veja: http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/luiz-mott-pedofilia-j.html

Ou então Denílson Lopes? Veja: http://juliosevero.blogspot.com/2007/07/pedofilia-e-homossexualismo.html

E olha que Mott e Lopes são gays bem qualificados academicamente, pois são professores universitários.

Agora, só para concluir, me diga: quem você escolheria para cuidar das galinhas do galinheiro: o lobo ou a raposa?

Anônimo disse...

Prezado Julio Severo,

Quando as palavras homossexual e pedófilo se tornaram sinônimos? Acho que perdi essa parte da reforma da língua portuguesa.

Assim como há criminosos homossexuais, também há vários criminosos héteros.

Preciso colocar aqui uma lista de héteros assassinos, estupradores, psicopatas, traficantes e, principalmente, pedófilos?

Será que você é tão ingênuo assim para não saber que há muitos pedófilos héteros que só atacam ou só pagam por sexo com menininhas? Sem falar que vários deles inclusive tem esposa, filhos, bons empregos e aparentemente estão acima de qualquer suspeita.

Essa lógica de pensamento é a mesma de quem desce de um ônibus porque entrou um negro e a pessoa automaticamente o rotula como assaltante...

Você simplesmente distorce a realidade de maneira que, em sua mente, apenas homossexuais são potenciais pedófilos.

Você pergunta: Qual gay eu indicaria?

Eu lhe respondo que não indico pessoas para qualquer que seja o cargo, por sua orientação sexual, etnia, religião ou alguma deficiência e sim pelo currículo e referências.

P.S.: Não tinha visto que estava como anônimo. Dessa vez me certifiquei de que o comentário estivesse com meu nome. =D

Julio Severo disse...

Prezado Filipe

Você formulou a pergunta de modo errado. O que se deve perguntar é: "Quando as palavras homossexual e pedófilo deixaram de ser sinônimos?"

Antes da era do politicamente correto, os dicionários em português podiam registrar, com toda naturalidade, pederastia como sinônima de homossexualismo. Confira, por exemplo, o clássico Dicionário Francisco Fernandes de Sinônimos e Antônimos. Pederastia se refere exclusivamente ao sexo entre homens e meninos. Veja meu artigo: http://juliosevero.blogspot.com/2006/04/padres-pedofilia-e-homossexualismo.html

Sim, existem pedófilos que atacam meninas. Na minha opinião, esses criminosos que espreitam meninas (ou meninos) merecem a pena de morte (http://juliosevero.blogspot.com/2007/09/o-estado-servio-da-pedofilia-conselho.html). Mas veja dois fatos interessantes. Não são os pedófilos heterossexuais, mas sim os homossexuais que estão fazendo campanha no mundo inteiro a favor da pedofilia. Aqui no Brasil, basta você ler os textos dos professores gays Denílson Lopes e Luiz Mott.

Embora os homossexuais sejam apenas 1% da população (e não 10% como quer o fraudulento Relatório Kinsey, e muitos menos 14% como quer o governo Lula), esse apenas 1% responde por um altíssimo índice de estupros de crianças. De todas as crianças violentadas no Brasil, 62% são meninas e 38% são meninos. Isto é, quase metade das crianças são estupradas por uma pequena minoria homossexual.

Outros dados importantes: 60% por cento dos meninos violentados têm entre 7 e 14 anos e 33% têm entre 0 e 6 anos!!!!

Vale a pena defender o homossexualismo?

Quem entende o que é certo ou não é Deus. E ele já deu sua decisão: “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é”. (Levítico 18:22)

Deus é realmente sábio, não é?

Anônimo disse...

Meus amigos defensores do homossexualismo. A questão não é se devemos nos preocupar com a sensualidade dos outros, mas sim, em que TODOS nós possamos viver tranquilos, com nossas convicções.
Este projeto da homofobia quer trazer uma grande mordaça aos religiosos que entendem esta prática um pecado. Por que a insistência dos gays em participar de sociedades onde esta prática não é bem vista? Até em CTG, eles querem participar. Ora, usando bombacha cor de rosa? As tradições gauchescas não admitem nem mesmo a falta da pilcha nos bailes, como exigir que eles aceitem algo que eles não gostam?
O gay tem o direito de fazer o que quiser, desde que não ofenda a liberdade do outro. Ele tem direito a não ser vexado, mas também tem o dever de não vexar os outros. Por que a insîstência em casar nas Igrejas que não permitem? Há tantas outras que permitem. Poderiam até mesmo fundar uma Igreja para eles, fazerem o que quiserem em sua liturgia. Mas não é isto que eles querem. O que eles desejam é vexar quem não concorda com eles.
Viadagem, vão se catar.