Mostrando postagens com marcador deboche. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador deboche. Mostrar todas as postagens

7 de maio de 2012

Silas Malafaia, Avon e a esquerda gayzista


Silas Malafaia, Avon e a esquerda gayzista

Revista esquerdista Carta Capital dá vez e voz para apologeta gayzista atacar Malafaia

Julio Severo
Silas Malafaia ganhou a antipatia dos setores mais gayzistas e esquerdistas da sociedade. Não importa que ele tenha apoiado Lula em duas eleições presidenciais: Os esquerdistas nunca aceitarão a postura dele contra a agenda política e legal gayzista. Não importa que ele tenha deixado claro, milhares de vezes, que não é contra as pessoas, mas contra atos depravados específicos, como homossexualismo: os ativistas gays nunca aceitarão o que ele fala sobre Bíblia e homossexualismo.
E agora, esquerdistas e gayzistas unidos nunca aceitarão que a empresa Avon venda os livros de Malafaia. 
A revista ultraesquerdista Carta Capital, em sua mais recente edição online, conta a estorinha de um gay coitado que, ao folhear inocentemente a revista da Avon, fica horrorizado ao ver o nome de Malafaia. Carta Capital diz:
O professor [Sergio Viula] conta que a gota d’água foi a inclusão do livro A Estratégia entre os títulos comercializados pela empresa. A obra, escrita pelo pastor americano Louis Sheldon, também é distribuída pela Editora Central Gospel – cujo dono é Silas Malafaia. Diante da situação, Viula resolveu se manifestar.
Primeiro, Viula se queixou para seus amigos gays. Depois, para a Avon. A resposta da Avon disse que a “variedade de títulos comercializados contempla a diversidade de estilos de vida, religião e filosofia presentes em nosso País”.
Grupos gays também entraram em contato com AllOut, milionária entidade gayzista americana que faz campanhas no mundo inteiro para promover o homossexualismo e derrubar toda oposição à agenda gay. No ano passado, AllOut lançou uma campanha para pressionar o PayPal a encerrar a conta de dez grupos cristãos, inclusive do meu blog. Tiveram sucesso, no meu caso, pois não sou tão poderoso e endinheirado quanto os promotores da agenda gay.
Por queixa de Sergio Viula, AllOut, multimilionário grupo gay americano, definiu Malafaia como 'extremista anti-gay'
Contudo, AllOut quebrou a cara quando lançou uma campanha para derrubar a lei anti-sodomia da cidade russa de São Petersburgo. A lei proíbe promoção pública da agenda gay. Mesmo sob intensa pressão de AllOut e do governo dos EUA, os russos não cederam.
Agora, por causa da queixa de Viula, a AllOut está de olho em Malafaia.
Viula tem um passado complicado: era homossexual. Depois, diz que se converteu. Então, virou pastor batista. Em seguida, virou “apologeta” (tendo como seu hobby preferido, para variar, atacar igrejas neopentecostais). Depois, desvirou tudo! Agora, voltou ao que era, ou, em termos bíblicos, voltou ao vômito.
E não é um vômito pequeno. Num artigo sobre a Páscoa, em 27 de março de 2005, Viula diz:
[Quando menino] Jesus, a figura-mor da páscoa cristã, cresce, entra na puberdade com todas as tensões e tesões que ela abarca, mas não pode tocar em mulher e nem em homem, porque a doutrina da castidade e do celibato exigem que se pinte um cristo que tem pau mas não come, tem língua mas não lambe, tem boca mas não chupa, tem mãos mas não masturba, etc. Parece o salmo 115 (na Bíblia protestante) que fala dos ídolos mudos. Ele é sexualmente como um daqueles ídolos, ou seja, nada pode fazer.
Milagres lhe são atribuídos como prova de sua filiação divina. Ele faz aquilo que o povo sempre quer: pão e circo. Multiplica pães e arma o maior barraco no pátio do templo expulsando os camelôs da época. É o primeiro rapa da história registrada. Se fosse hoje teria saído no Ratinho. Detalhe: todos os milagres supostamente feitos num tempo e entre pessoas que jamais poderiam ser conferidos posteriormente. Hoje, que a gente pode conferir, os milagres só acontecem com a ajuda de remédios, terapias e médicos especializados. Mas o crédito fica sempre por conta do mito e não da ciência que desenvolveu tais procedimentos terapêuticos. Afinal, sem esse deus engravidador de virgens, a medicina não poderia coisa alguma.
Ele morre. Mas um herói não pode morrer no final e ficar por isso mesmo. O filme tem que ter continuação. Afinal, promete ser um sucesso de bilheteria no circuito histórico universal. Então, a classe sacerdotal dribla o suposto fato histórico de sua morte (apesar de não se ter certeza de que ele sequer tenha existido de fato). O drible é a invenção do milagre da ressurreição.
Trata-se simplesmente da retomada do mito egípcio de Osíris, sua morte e ressurreição, só que desta vez com ares de “fato histórico” — o que constitui o verdadeiro problema, pois uma coisa é conhecer um mito sabendo que é apenas um mito, outra coisa é afirmar que a narração mítica é histórica e ser capaz de matar e morrer por esse engodo.
O engraçado é que ele ressuscita, mas se esconde num suposto céu…
Quem disse que ateu não adora nada? Eu adoro os homens!
“Dessa maneira, confirma-se neles o quanto é verdadeiro o provérbio que diz: ‘O cão volta ao seu vômito’ e mais: ‘A porca lavada volta a revolver-se no lamaçal’”. (2 Pedro 2:22 KJA)
É claro que Viula não é, em termos bíblicos, a única porca lavada voltando ao vômito e ao lamaçal. Lanna Holder era lésbica, virou pastora, desvirou tudo e hoje é pastora lésbica. Ela prefere o pastorado porco!
Já Viula prefere o ateísmo porco. Com sua experiência passada de apologeta debochador de neopentecostais, hoje ele mira o próprio Jesus Cristo.
O problema então de Viula e inúmeros outros ativistas gays não é só Malafaia, Julio Severo e outros cristãos. O problema é Jesus Cristo! A rebelião deles é contra o Criador dos homens e da sexualidade.
“Esses rebeldes dizem: ‘Vamos nos livrar do domínio deles; acabemos com o poder que eles têm sobre nós.’ Do seu trono lá no céu o Senhor ri e zomba deles.” (Salmos 2:3-4 BLH)
Deus pouco se importa com a conduta porca desses debochadores. Aliás, ele ri deles. Nesse aspecto, Silas Malafaia tem tido uma reação exemplar.
De acordo com a Carta Capital, Malafaia deu de ombros para a apologética gayzista de Viula. Em nota divulgada em seu site, Malafaia declarou: “Esses gays estão dando um ‘tiro no pé’, estão me promovendo com uma tamanha grandeza que nunca pensei de ser tão citado e até defendido por jornalistas como, por exemplo, Reinaldo Azevedo”.
Ele afirmou ainda que essas perseguições lhe dão mais força para lutar contra o PLC 122. “Se antes de ter leis que dão a eles privilégios, já se acham no direito de perseguir e intimidar os que são contra seus ideais, imaginem se a lei for aprovada”, disse ele.
Diante do comunicado de Malafaia, Viula afirmou: “Malafaia é um extremista. Inclusive, outros pastores não concordam com as atitudes dele”.
Esquerdistas e gayzistas são grandes debochadores dos cristãos. Por isso, Carta Capital escolheu Viula para expressar seus sentimentos com relação a Malafaia e aos cristãos. Tal preconceito não é de admirar: Luis Nassif, um dos figurões da Carta Capital, já me atacou por denunciar a nomeação de um professor pró-aborto para a Pontifícia Academia de Ciências.
Viula pode ser hoje um grande apologeta gayzista e debochador de Jesus Cristo, mas se o Genizah e outros apologetas debochadores precisarem de ajuda para lançar mais ataques a Malafaia, tenho certeza de que Viula seria capaz de mostrar um generoso espírito de colaboração. Porcaria é com ele mesmo.

1 de fevereiro de 2012

Um pastor assembleiano que não gosta de moscas

Um pastor assembleiano que não gosta de moscas

Teólogo assembleiano, cujo nome consta no site Genizah, critica Malafaia, mas não critica socialistas e vigaristas evangélicos

Julio Severo
Silas Malafaia tem sido alvo de constantes ataques. Do lado secular, o governo e a mídia sustentada pelo governo rejeitam sua forte defesa da família contra os ataques da agenda do aborto e do homossexualismo.
Do lado evangélico, ele tem sido muito atacado por seguir a Teologia da Prosperidade. Os ataques têm vindo de todos os lados, inclusive de seus colegas assembleianos, um dos quais recentemente escreveu um artigo educado criticando essa teologia no ministério de Malafaia.
Tenho tratado, em vários artigos, dessa questão, mas minha pergunta agora é: A Teologia da Prosperidade é a maior ameaça ao Brasil?
É evidente que a resposta é “não”. Temos problemas muito maiores. A perseguição aos cristãos e a iniquidade estão sendo institucionalizadas com o apoio das igrejas. A sacralização do homossexualismo e do assassinato de bebês mediante o aborto está sendo promovida muitas vezes com a “bênção” da igreja através de líderes que se calam ou juntam as mãos com os próprios promotores do mal.
O governo, que está possesso da ideologia socialista, está determinado a avançar esses males. E nesta semana um dos homens mais sinistros do PT revelou que não existe mais oposição nenhuma para o avanço das metas do PT no Brasil. Aliás, ele deixou claro que hoje a única oposição são as igrejas midiáticas — que por pura coincidência pertencem, majoritariamente, aos pastores neopentecostais. Ele também declarou, conforme o colunista da revista Veja Reinaldo Azevedo, que o PT está se preparando para um confronto com essas igrejas midiáticas.
Excetuando a IURD, cujo fundador e chefão segue a ideologia do aborto, todas as outras igrejas neopentecostais se opõem ao aborto e homossexualismo. R. R. Soares, por exemplo, fala claramente contra o aborto e o homossexualismo em seus programas. Silas Malafaia então é muito mais enérgico.
Mas por que o PT iria ver essas igrejas neopentecostais midiáticas como a única ameaça ao controle absoluto do PT sobre a sociedade?
O PT percebe que essas igrejas o apoiam por interesse, não ideologia.
O PT não vê igrejas neopentecostais doutrinando suas congregações no socialismo. O PT não as vê usando suas revistas e sites ensinando que o socialismo é a salvação da sociedade.
Os líderes dessas igrejas só se aproximam do PT em épocas de eleição por oportunismo, por entenderem que o PT é um partido vingativo que retaliaria contra suas concessões de rádio e TV. Além disso, eles têm muito dinheiro e opor-se ao PT poderia lhes custar caro. A atitude deles é movida por puro interesse.
Em contrapartida, outros grupos evangélicos, que majoritariamente não pertencem aos neopentecostais, têm muito mais que interesse, usando suas revistas e outras publicações para promover o socialismo, com toda a sua carga de aborto e homossexualismo que vem inevitavelmente em seu rastro. Grandes revistas evangélicas do Brasil regularmente doutrinam o público a ver no socialismo a solução para os problemas da sociedade. O governo socialista petista, com toda sua frenética corrida para institucionalizar a iniquidade, é maquiado e até louvado por eles. Esses evangélicos são movidos por ideologia.
O PT não está preocupado com líderes evangélicos que são movidos por ideologia, pois quer ateu ou evangélico, quem segue o PT por convicção é um servo fiel e devoto. Seu apoio é garantido — ou para o partido ou para a ideologia socialista, que no final das contas dá no mesmo.
Mas um apoio que vem por interesse nunca é garantido. É por isso que o PT tem tanta desconfiança dos líderes neopentecostais: Por não serem movidos pela ideologia socialista, esses líderes podem criticar abertamente as políticas pró-aborto e pró-homossexualismo do PT, ou mesmo abandonar o barco petista a qualquer momento.
Esse é um ótimo sinal. O que não é um bom sinal é que perdemos a prioridade nas críticas.
Em nome do PT, lhe digo pela última vez: a Teologia da Prosperidade é o maior pecado do universo!
Aqueles que criticam Malafaia fazem vista grossa a outros graves pecados. O pastor assembleiano que fez uma crítica educada a Malafaia juntou-se a muitos outros que detestam a Teologia da Prosperidade e seus adeptos, mas não detestam as teologias que facilitam a aceitação do socialismo como salvação social.
O pastor assembleiano foi educado em sua crítica, mas seu nome consta no Genizah, site que nunca trata Malafaia e outros pastores neopentecostais com a mínima educação. Não por acaso, o Genizah rotineiramente doutrina a favor do socialismo, em toques sutis de vários articulistas francamente favoráveis à ideologia do PT.
Nem eu nem Olavo de Carvalho somos adeptos da Teologia da Prosperidade, mas não escapamos de ataques do Genizah, porque a luta desse site liberal não é apenas contra a teologia de Malafaia, mas também contra todo conservadorismo.
O que não é de surpreender é que, para o PT, o Genizah e mídias evangélicas semelhantes não representam nenhuma ameaça ao avanço da institucionalização socialista da iniquidade. A ameaça são as igrejas neopentecostais, que também são alvos regulares de zombarias do Genizah.
Malafaia não é perfeito, mas ele tem feito um trabalho estupendo de mobilizar a população contra o PLC 122. Em contraste, o Genizah nunca fez tal mobilização e ainda insinua que os que fazem são “extremistas”. Ativistas gays aplaudem o liberalismo do tabloide calvinista.
Enquanto muitos leitores incautos se deliciam com deboches e zombarias aos líderes neopentecostais no Genizah, esse tabloide sensacionalista vai incutindo neles amor e respeito às ideias socialistas, que são muito bem disfarçadas. Aplicar golpes e enganar é, ao que tudo indica, uma especialidade do poderoso chefão do Genizah.
Ainda que o Genizah não tivesse esse trabalho sujo de promover habilmente o socialismo, o cristão é exortado por Deus:
“Bem-aventurado o homem que não… se assenta na roda dos escarnecedores.” (Salmos 1:1 ACF)
Homens como eu e o Olavo de Carvalho são zombados no Genizah exclusivamente pela oposição ao PT e ao socialismo.
O que então o nome do pastor assembleiano que critica educadamente Malafaia está fazendo na roda dos escarnecedores? O público assembleiano inocente, ao ver o nome dele no site dos escarnecedores, poderá facilmente concluir: “Olha, o nome do pastor *** está ali, então esse site deve ser bom!”
Blogs altamente recomendados pelo Genizah. Pastor assembleiano Ciro Zibordi é o quarto da fila.
No Genizah, esse público é sistematicamente doutrinado a detestar ou a ter um medo mórbido dos líderes neopentecostais (sem mencionar ódio e medo mórbido de Julio Severo e Olavo de Carvalho!) e, ao mesmo tempo, a nutrir um carinho especial por teologias abertas ao socialismo. Coa-se então, nas palavras de Jesus Cristo, um mosquito e engole-se um camelo!
Estamos vendo uma epidemia de engolição de camelos vermelhos, onde muitas revistas e líderes, que seguem a linha do Genizah, ensinam: “Devemos detestar os mosquitos da Teologia da Prosperidade”. Falam de seus ódios com a boca cheia de camelos.
Por coincidência, um pastor assembleiano que comentou no meu blog esta semana se apresentou dizendo: “Sou petista por entendimento ideológico”. Ao ser refutado por mim e por outros leitores do meu blog, o pastor, que dirige uma Assembleia de Deus de Brasília, prontamente se defendeu, usando o pretexto de que sua presença no PT era para “evangelizar” e que qualquer oposição a ele como petista equivaleria à oposição a um santo trabalho de evangelização.
Para evangelizar bruxos tenho necessidade de dizer “Sou bruxo por entendimento ideológico”?
Para evangelizar homossexuais tenho necessidade de dizer “Sou homossexual por entendimento ideológico”?
Portanto, há dois tipos de evangélicos apoiando o PT.
1. Há os evangélicos que seguem o PT por interesses, para não perderem suas rádios e TVs. A maioria deles são líderes neopentecostais.
2. Há os evangélicos que seguem o PT porque, descaradamente ou não, são petistas por entendimento ideológico. A maioria deles não são neopentecostais, e o PT não está preocupado com nenhum deles.
Temo que no confronto que o PT previu que terá com as lideranças neopentecostais, haverá aliados evangélicos para ajudar o PT. Se a meta do PT é combater os inconfiáveis líderes neopentecostais, o Genizah e evangélicos de mentalidade semelhante estarão prontos para a batalha.
Quero pois desafiar o pastor assembleiano que criticou Malafaia educadamente a olhar para prioridades muito mais importantes.
O Bispo Manoel Ferreira, presidente da CONAMAD, a segunda maior denominação asssembleiana do Brasil, está envolvido num grande escândalo. Não, não, ele não é adepto da teologia de Malafaia.
Na eleição de 2010, Ferreira foi o supremo “ministro” de Dilma Rousseff para assuntos evangélicos. Mas ele não foi amplamente criticado. Seu maior crítico, infelizmente, foi meu próprio blog. Mas acredito que se Ferreira tivesse dito, “Defendo a Teologia da Prosperidade”, ele seria sumariamente demonizado.
Outro escândalo grave é que ele tem se aliado ao Rev. Moon, que se considera um messias maior do que Jesus Cristo. Essa é uma heresia de tamanho infernal, mas a maioria dos líderes assembleianos se cala. O pastor assembleiano que criticou educadamente Malafaia também criticou o Rev. Moon e sua doutrina satânica, mas evitou completamente mencionar o nome de Ferreira. É mais fácil citar o nome de Malafaia? A “heresia” de Malafaia é maior do que o envolvimento de Ferreira com Moon?
Por que não denunciar por nome? Só os neopentecostais podem ser criticados por nome? Por que os evangélicos amantes do PT e do socialismo não merecem ser denunciados e expostos? Qual é o medo? A única coisa que inspira um ódio declarado de citar nomes é uma ligação com a Teologia da Prosperidade? Esse é o maior pecado do universo, santificando automaticamente os críticos, por mais petistas e socialistas que sejam, por mais vigaristas e adúlteros que sejam?
Se criticar a teologia de Malafaia transforma o crítico em apologeta imaculado e laureado, então o chefão do Genizah virou santo padroeiro — o que não deixa de ser verdade, a julgar pela idolatria e reverência que lhe são prestadas.
Por que, mesmo com seu medo mórbido de engolir mosquitos, o pastor assembleiano que criticou educadamente Malafaia também não critica o Genizah e outros vigaristas evangélicos? Estará ele também aspirando a um cargo de santo padroeiro dos comedores de camelo?
Tenho certeza de que se o Genizah fosse um site descaradamente a favor da Teologia da Prosperidade, o tal pastor assembleiano não hesitaria: exigiria a remoção do nome dele do site. Vai ver que ele pensa: “Tudo o que o Genizah faz — debochando descaradamente de Malafaia, Julio Severo e Olavo de Carvalho — é absolutamente inofensivo. Só a Teologia da Prosperidade é altamente venenosa”.
Mesmo sendo teólogo e filósofo, ele prefere a companhia barata da roda de escarnecedores de um tabloide sensacionalista cujo padroeiro se orgulha de seu calvinismo liberal.
Engolir mosca é algo desagradável. Mas é muito menos desagradável do que engolir camelos de ideologias podres que estão sendo acobertadas, protegidas, alisadas, aduladas e abrigadas por mídias evangélicas mal-intencionadas.
Seja como for, na hora do confronto com o PT não quero estar com os evangélicos comedores de camelos.
E oro para que o teólogo assembleiano deixe essas más companhias o mais depressa possível.