Mostrando postagens com marcador Piers Morgan. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Piers Morgan. Mostrar todas as postagens

28 de dezembro de 2012

Apresentador da CNN Piers Morgan diz que Bíblia é “falha” e precisa de emenda para incluir “casamento” gay


Apresentador da CNN Piers Morgan diz que Bíblia é “falha” e precisa de emenda para incluir “casamento” gay

Piers Morgan, apresentador da CNN, disse que acredita que a Bíblia e a Constituição dos EUA têm “falhas inerentes” e que a Bíblia precisa de uma emenda para mudar a postura dela sobre “casamento” homossexual.
Piers Morgan e Rick Warren
As declarações ousadas ocorreram dias depois que o jornalista britânico dividiu os EUA com sua postura estrita defendendo leis de desarmamento da população depois do massacre de Sandy Hook, estimulando até petições online para deportá-lo.
Enquanto estava entrevistando o Pr. Rick Warren em seu programa de TV, ele disse: “A Bíblia e a Constituição tinham boas intenções, mas têm falhas fundamentais e inerentes. Daí, a necessidade de introduzir uma emenda na Bíblia”.
Warren, que é contra o “casamento” homossexual, respondeu: “Sem chance. O que acredito que é falho são as opiniões humanas, pois mudam constantemente”.
“Mas você e eu sabemos que a Bíblia é, em muitas partes, um documento com falhas”, continuou Morgan. “O que quero lhe dizer sobre direitos gays, por exemplo, é: É hora de introduzir uma emenda na Bíblia. Temos de escrever uma nova Bíblia”.
Quando Warren respondeu que acredita que a Bíblia revela a verdade — e que a verdade nunca está fora de moda —, Morgan disse com sarcasmo: “Vamos concordar em discordar nesse ponto”.
Os comentários dele provocaram indignação entre conservadores, inclusive Paul Kengor, o diretor-executivo do Centro para Visão e Valores na Faculdade Grove City.
“É impressionante observar esquerdistas seculares como Piers Morgan assumirem para si a autoridade extraordinária de adivinhar o que é verdade ou não na Bíblia, as falhas que a Bíblia tem ou não e onde certas ‘emendas’ precisam supostamente ser introduzidas”, ele disse para a Fox News.
Essa opinião direta de Morgan é a mais recente a receber os holofotes depois que ele ofendeu milhares de americanos quando fez comentários contra o uso de armas para defesa.
Depois do massacre de Sandy Hook, ele exigiu leis mais rígidas nos EUA para desarmar as pessoas e na semana passada, no programa de TV Piers Morgan Tonight, ele entrevistou um defensor de armas para defesa e o chamou de um “homem incrivelmente estúpido”.
Em 21 de dezembro, um homem no Texas lançou uma petição no site de petições eletrônicas da Casa Branca exigindo que Morgan seja deportado imediatamente por “tirar vantagem de sua posição como apresentador de uma rede nacional de televisão para lançar ataques aos direitos dos cidadãos americanos”.
A petição acusa Morgan de se envolver num “ataque hostil à Constituição dos EUA” ao mirar a Segunda Emenda — que garante o direito de todos os cidadãos portarem armas.
A petição já coletou mais de 84.000 assinaturas — ultrapassando de longe o limite mínimo de 25.000 assinaturas que se exige para se obter uma resposta da Casa Branca.
Mas Morgan parece não ter ficado abalado com a campanha para expulsá-lo dos EUA.
Numa série de mensagens de Twitter, ele incentivou seus seguidores a assinar a petição e em resposta a um artigo sobre a petição ele chegou a dizer: “Apresentem-na”.
Ele escreveu: “Se chegarem a me deportar dos EUA por querer menos assassinatos com armas, há algum outro país que me receberá?”
Mas uma segunda petição no mesmo site agora insiste em que ele tem de permanecer nos EUA, não só porque ele tem um direito constitucional à liberdade de expressão, mas também — e “o mais importante” — porque “ninguém na Inglaterra o quer de volta”.
Centenas já assinaram a petição “Mantenham Piers Morgan nos EUA” depois que foi proposta por Janusz Jasinski, um web designer da cidade de Birmingham.
Para humilhar ainda mais o ex-editor de jornal inglês, uma terceira petição está pedindo que Theresa May, a ministra de Segurança Nacional da Inglaterra, o impeça de retornar à Inglaterra.
Aparecendo no site americano Change.org, a petição até agora atraiu mais de 100 assinaturas e declara: “Nós ingleses nos livramos dele uma vez e por que motivo deveríamos ter de sofrer de novo? Os americanos o queriam. Então, eles têm de aguentá-lo”.
Traduzido e adaptado por Julio Severo do artigo do DailyMail: Now Piers Morgan says the Bible is 'flawed' and should be amended to include gay marriage
Leitura recomendada: