Mostrando postagens com marcador Pepsi. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pepsi. Mostrar todas as postagens

5 de maio de 2012

Fim do Boicote: PepsiCo não usará células de bebês abortados como realçadores de sabor


Fim do Boicote: PepsiCo não usará células de bebês abortados como realçadores de sabor

LARGO, Flórida, 30 de abril de 2012 (LifeSiteNews.com) — A organização Children of God for Life anunciou hoje a impressionante notícia de que a PepsiCo não irá utilizar a linhagem de células fetais abortadas HEK-293 (rim embrionário humano) nos seus acordos contratuais com a Senomyx para desenvolver realçadores de sabor em suas bebidas.
A diretora executiva da Chindren of God for Life, Debi Vinnedge, aclamou a decisão da PepsiCo como um grande avanço e uma conquista de milhares de consumidores conscientes que boicotaram as bebidas da PepsiCo e escreveram para a empresa desde maio do ano passado.
Em uma carta enviada à Children of God for Life, o vice-presidente de políticas públicas globais da PepsiCo, Paul Boykas, declara que a “Senomyx não irá utilizar células HEK ou qualquer outro tecido ou linhagem de células derivadas de embriões ou fetos humanos para pesquisas realizadas em nome da PepsiCo".
“Estamos extremamente emocionados com a decisão da PepsiCo”, declarou Vinnedge. “Eles escutaram seus consumidores e fizeram uma declaração sábia e profunda de integridade como empresa que merece o máximo de respeito, admiração e apoio do público”.
Em conversa com Boykas, Vinnedge soube que a empresa realizou discussões internas, reconhecendo que era um assunto altamente sensível e controverso que, francamente, não condizia com as necessidades da PepsiCo.
“Levamos o assunto muito a sério”, afirmou Boykas. “Temos uma declaração oficial de pesquisa responsável, e pretendemos seguir suas regras”.
A política impede qualquer pesquisa realizada pela PepsiCo ou empresas terceirizadas de utilizarem tecidos humanos ou linhagens de células derivadas de embriões ou fetos.
A definição significa o imediato fim do boicote que se iniciou em maio de 2011, uma notícia bem vinda tanto para a PepsiCo quanto para seus consumidores, que se abstiveram de suas bebidas favoritas em protesto.
“Estamos gratos à PepsiCo e principalmente a todos os que enviaram uma mensagem alta e clara à diretoria dessa empresa. Cabe a nós agora monitorar de perto a situação para ter certeza de que a PepsiCo irá manter sua palavra”, afirma Brad Mattes, diretor executivo o Instituto Life Issues, uma das trinta e cinco organizações pró-vida que se juntaram à Children of God for Life no boicote. “Existem linhagens de células morais que a Senomyx pode usar, não apenas para pesquisas da PepsiCo, mas para todos os seus consumidores”.
Senonyx recebe royalties para produtos vendidos utilizando seus ingredientes. Se eles não utilizam linhagens de células fetais, não ofendem ninguém; se ofendem, certamente farão isso a pelo menos metade dos consumidores americanos que são pró-vida.  Mas a Children of God for Life também recebeu mensagens de mulheres que afirmaram ser pró-aborto, porém que mesmo assim acreditavam que o uso de linhagens de células fetais havia passado dos limites e também as deixava irritadas.
“Se não houvesse outra razão, faria sentido financeiramente para a Senomyx e seus colaboradores evitar uma perda considerável do seu potencial mercado”, afirma Vinnedge. “Senomyx precisa parar completamente de utilizar linhagens de células abortadas, e continuaremos pressionando-os para fazê-lo”.
Vinnedge agora faz um forte incentivo ao público para tomar outro passo importante: escreva para a PepsiCo e agradeça, depois vá comprar os seus produtos favoritos da Pepsi para comemorar!
“Costumamos focar muito nos aspectos negativos e nos esquecemos de tirar um momento para deixar os outros saberem que apreciamos os seus esforços”, afirma Vinnedge. “Esperamos sinceramente que o público mais uma vez se levante em massa para ocasião assim como fizeram para o boicote, mas desta vez em agradecimento ao apoio da PepsiCo”.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do LifeSiteNews: “Boycott Ends: PepsiCo will not use aborted fetal cell lines for flavor enhancers

27 de março de 2012

Lipton tea, Gatorade, Dentyne e Trident usando células de bebês abortados

Lipton tea, Gatorade, Dentyne e Trident usando células de bebês abortados

Filhos de Deus pela Vida forneceu uma jeitosa lista de página inteira de produtos que usam células de bebês abortados. A organização pró-vida recentemente desmascarou a empresa Pepsi e outras empresas por terem feito contrato com Semonyx, que usa células de bebês abortados para testar seus realçadores de sabores de alimentos e bebidas.
Além dos refrigerantes da Pepsi, a empresa é responsável por tais produtos populares como Mountain Dew, Ocean Spray, Seattle’s Best coffee, Aquafina, Lipton tea, Gatorade e Tropicana
Os produtos Kraft e Cadbury também entram na mesma categoria. Chiclets, Clorets, Dentyne e Trident são alguns dos produtos na lista dada na página de Filhos de Deus pela Vida.

Agência do governo de Obama determina que uso que a Pepsi faz de células derivadas de bebês abortados é “negócio normal”

Agência do governo de Obama determina que uso que a Pepsi faz de células derivadas de bebês abortados é “negócio normal”

LARGO, FL, EUA, 5 de março de 2012 (LifeSiteNews.com) — A empresa Pepsi, que lançará o novo produto Pepsi Next nas próximas semanas, está enfrentando um boicote mais forte enquanto ativistas pró-vida protestam contra o uso que a empresa faz de células derivadas de um feto abortado em pesquisas de realçamento de sabores. Mas a Pepsi teve sucesso, com a ajuda do governo de Obama, em seus esforços de impedir que seus acionistas pudessem examinar suas operações polêmicas.
Numa decisão dada em 28 de fevereiro, a Comissão de Título e Câmbio Americana (CTCA) determinou que o uso que a PepsiCo faz de células derivadas de bebês abortados permanece em seu acordo de pesquisa e desenvolvimento com Senomyx para produzir realçadores de sabores, constituindo “operações normais de negócios”.
Boicote contra a Pepsi
A carta assinada pelo advogado Brian Pitko do Gabinete do Promotor Público Chefe da CTCA foi enviada em resposta a um documento de 36 páginas apresentado pelos advogados da PepsiCo em janeiro de 2012. Nesse arquivamento, a PepsiCo apelou para que a CTCA rejeitasse a Resolução dos Acionistas apresentada em outubro de 2011 de que a empresa “adotasse uma política de empresa que reconheça os direitos humanos e empregue padrões éticos que não envolvam restos de seres humanos abortados tanto em acordos de desenvolvimento e pesquisas participativas quanto privadas”.
George A. Schieren, principal advogado da PepsiCo, comentou que a resolução deveria ser excluída porque “lida com assuntos relacionados às operações normais de negócios” e que “certas tarefas são tão fundamentais para administrar uma empresa no dia a dia que eles não deveriam ser sujeitos à supervisão dos acionistas”.
Debi Vinnedge, diretora-executiva de Filhos de Deus pela Vida, a organização que desmascarou a colaboração entre PepsiCo e Senomyx no ano passado, ficou “pasma com a apatia e insensibilidade” tanto dos executivos da PepsiCo quanto do governo de Obama.
“Não estamos falando sobre que tipo de canetas a PepsiCo que usar — estamos falando sobre tirar proveito dos restos de um bebê abortado para obter lucro”, disse ela. “Usar rins de embriões humanos (HEK-293) para produzir realçadores de sabores para suas bebidas não tem nada a ver com operações rotineiras!”
A PepsiCo também pediu que a resolução fosse excluída porque “inquiria com demasiada profundidade em assuntos de natureza complexa sobre as quais os acionistas não têm capacidade de fazer uma avaliação informada”.
“Em outras palavras, a PepsiCo pensa que seus acionistas são burros demais para compreender o que a PepsiCo está fazendo com os restos de crianças abortadas”, declarou Vinnedge. “Pois bem, eles estão para descobrir exatamente como o público é realmente esperto quando ele aumentar a pressão no boicote mundial!”
O senador Ralph Shortey, de Oklahoma, apresentou o projeto de lei SB1418 que proíbe a venda de produtos que são desenvolvidos ou contêm restos de bebês abortados. No caso dos produtos da Pepsi, as células derivadas dos bebês abortados não terminam no produto final.
“Elogiamos o senador por sua atitude corajosa”, comentou Vinnedge. “O público já está evitando todas as bebidas da Pepsi e a Pepsi Next é só isso — o próximo produto a se evitar!”
Até o momento, o boicote mundial se expandiu para incluir Canadá, Alemanha, Polônia, Inglaterra, Irlanda, Escócia, Espanha, Portugal, Austrália e Nova Zelândia.
Para mais informações, visite o site Children of God for Life.