Mostrando postagens com marcador Mike Huckabee. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mike Huckabee. Mostrar todas as postagens

11 de outubro de 2014

Huckabee pronto para deixar o Partido Republicano por causa do “casamento” homossexual


Huckabee pronto para deixar o Partido Republicano por causa do “casamento” homossexual

Jennifer LeClaire
Comentário de Julio Severo: Os dois principais partidos dos EUA são o Partido Democrático, considerado de esquerda e abrigo de estrelas políticas como Barack Obama, e o Partido Republicano, considerado de direita e abrigo de Ronald Reagan. Huckabee, que já foi pastor batista, sabe que aliar-se ao esquerdista Partido Democrático é aliar-se a uma grande ameaça à família. Mas como evangélico conservador, ele está descobrindo que a direita política americana está cada vez mais se alinhando com a esquerda e menosprezando os interesses da família e dos conservadores cristãos.
Mike Huckabee, ex-govenador do Arkansas e candidato presidencial do Partido Republicano na eleição americana de 2008, está desafiando o “casamento” homossexual no Partido Republicano.
Mike Huckabee
Sua mensagem para os republicanos: “Assuma postura contra o ‘casamento’ gay, ou não permanecerei com vocês.”
Huckabee deixou claras suas intenções durante o programa de rádio de terça-feira da Associação da Família Americana. Ele está claramente frustrado com o modo como seu partido respondeu à decisão do Supremo Tribunal de não dar um veredicto contrário no debate de “casamento” gay [e invalidar esse tipo de casamento].
“Se os republicanos querem perder gente como eu e muitas pessoas que ainda temem a Deus e creem na Bíblia, vão em frente e renunciem nessa questão e já que estão fazendo isso, vão em frente e digam que o aborto não importa também,” disse ele. “Nesse ponto, vocês perderão meu apoio. Eu me tornarei independente. Começarei a procurar pessoas que tenham coragem de assumir uma postura.”
Traduzido por Julio Severo do artigo da revista Charisma: Huckabee Ready to Leave Republican Party Over Same-Sex Marriage
Leitura recomendada:
Artigos sobre Mike Huckabee:
Artigos sobre “casamento” gay:

27 de dezembro de 2013

Possível candidato presidencial dos EUA apoia patriarca do programa “Duck Dynasty”


Possível candidato presidencial dos EUA apoia patriarca do programa “Duck Dynasty”

Julio Severo
Mike Huckabee, ex-governador do Arkansa e pastor batista ordenado, diz que a atitude da rede de televisão A&E de suspender o patriarca Phil Robertson do programa “Duck Dynasty” mostra que os grupos militantes homossexuais querem silenciar o tipo de opiniões bíblicas que Barack Obama expressou quando estava concorrendo à presidência dos Estados Unidos em 2008.
Phil Robertson
No noticiário televisivo Fox News no domingo passado, Huckabee disse que quando Obama falou em 2008 na Igreja Saddleback, ele “deixou muito claro que se opunha ao ‘casamento’ de mesmo sexo, e ele disse isso porque era cristão e por causa de suas opiniões bíblicas.”
Na ocasião, Obama disse ao Pr. Rick Warren: “Creio que o casamento é a união entre um homem e uma mulher,” e acrescentou: “Para mim como cristão, é uma união sagrada.”
Depois de eleito presidente, Obama se sentiu mais à vontade para colocar para fora suas verdadeiras opiniões socialistas. Em 2012, ele disse: “Jesus é a base do apoio ao ‘casamento’ gay.”
Huckabee buscou a nomeação do Partido Republicano para a presidência dos EUA em 2008 e disse que vai tentar de novo em 2016.
A polêmica toda contra Phil Robertson ocorreu porque, de acordo com o WND, numa entrevista ao GQ, ele disse: “Tudo está nublado e confuso sobre o que é certo e o que é errado… O pecado se tornou algo legal. Começa com a conduta homossexual e daí vira outras coisas. A bestialidade, dormir por aí com mulheres e com homens.”
Parafraseando Coríntios, ele disse: “Não se engane. Nem os adúlteros, nem os idólatras, nem os prostitutos, nem os tarados homossexuais, nem os gananciosos, nem os beberrões, nem os difamadores, nem os vigaristas — eles não herdarão o reino de Deus. Não se engane. Não é certo.”
O programa “Duck Dynasty,” de acordo com comentaristas de WND que li, nem parecia ter grande qualidade. Mas a hostilidade dos ativistas gays e seus aliados catapultaram a fama do programa, graças às declarações de Phil Robertson sobre homossexualidade.
Até o Rev. Jesse Jackson, que diz lutar pelos direitos dos negros, entrou na polêmica, afirmando: “as declarações feitas por Robertson são mais ofensivas do que” a segregação racial.
Jesse Jackson
Jackson foi conselheiro de Bill Clinton na Casa Branca. O ex-presidente, que viveu boa parte de sua presidência em escândalos de adultério, estava recebendo aconselhamento de Jackson, que igualmente estava em adultério. Ambos eram batistas e ambos estavam em pecados sexuais.
Em 2002, a convite do PT Jackson esteve no Brasil para convencer os líderes evangélicos para apoiar o candidato presidencial Lula. Pelo grande número de pastores que apoiaram Lula, não dá para dizer que a visita de Jackson foi um “fracasso.”
Mesmo sendo pastor batista, Jackson apoiou um socialista que, como ele mesmo, se opõe aos cristãos que creem no que Deus diz sobre o pecado homossexual.
A guerra politicamente correta não é, pois, contra Phil Robertson. É contra todos os cristãos que acreditam e promovem os ensinos da Bíblia.
Com informações da Associated Press, WND e Breitbart.
Leitura recomendada:

16 de dezembro de 2012

Massacre de Sandy Hook aconteceu por causa da atitude dos EUA de remover sistematicamente Deus das escolas, afirma Mike Huckabee


Massacre de Sandy Hook aconteceu por causa da atitude dos EUA de remover sistematicamente Deus das escolas, afirma Mike Huckabee

David Mccormack
Mike Huckabee, ex-governador do Arkansas, deu sua importante opinião no debate depois do massacre de sexta-feira numa escola primária em Newtown, Connecticut, afirmando que a causa real da trágica matança é por causa da atitude dos EUA de “remover sistematicamente Deus das escolas públicas”.
Embora um grande número de especialistas e comentaristas, principalmente os mais esquerdistas, esteja novamente exigindo leis mais rigorosas para desarmar as pessoas, Huckabee disse aos telespectadores do noticiário da Fox News que só dá para impedir matanças desta natureza “mudando o coração das pessoas”.
Huckabee argumentou que tragédias como a matança na escola Sandy Hook só serão evitadas se as pessoas recorrerem a Deus, não com leis que desarmem mais as pessoas.
“Olha só, é interessante”, Huckabee disse para a Fox News.
“Perguntamos a razão da existência de violência nas escolas americanas, mas os EUA não estão removendo Deus sistematicamente das suas escolas? Os EUA deveriam ficar surpresos que suas escolas estejam se tornando lugares de carnificina porque os EUA as transformaram em lugares onde não se pode falar sobre eternidade, vida, responsabilidade e prestação de contas?
“A questão é que não vamos ter de prestar contas apenas à polícia, se nos pegar. Mas o fato é que também um dia, estaremos diante do tribunal de juízo de Deus. Se não acreditarmos no juízo de Deus, não temeremos seu juízo”.
Leitura recomendada:

24 de agosto de 2012

120 líderes pró-família revoltados depois que embaixador dos EUA participa de parada gay na República Checa


120 líderes pró-família revoltados depois que embaixador dos EUA participa de parada gay na República Checa

Thaddeus Baklinski
PRAGA, República Checa, 22 de agosto de 2012 (LifeSiteNews.com) — Líderes pró-família do mundo inteiro condenaram o apoio que o embaixador dos EUA na República Checa deu a um festival homossexual checo realizado no final de semana.
O Congresso Mundial de Famílias (CMF) lançou uma carta aberta (a edição em inglês está aqui, e a edição em português está aqui) assinada por mais de 120 líderes pró-família e pró-vida de 11 países, depois que Norman Eisen, embaixador dos EUA na República Checa, deu palestra na abertura do Festival de Orgulho de Praga em 13 de agosto.
“Sinto-me verdadeiramente honrado de estar aqui hoje representando os Estados Unidos e o presidente Obama na campanha para garantir os direitos da população LGBT no mundo inteiro”, disse Eisen, acrescentando que ele falou no nome de embaixadores da Bélgica, Inglaterra, Canadá, Finlândia, Irlanda, Noruega, Suécia e Suíça, e dos agentes diplomáticos das embaixadas dinamarquesa e holandesa, que assinaram uma carta de apoio ao evento homossexual.
Norman Eisen
Assinantes da carta do CMF incluem Alveda King, sobrinha de Martin Luther King; Mike Huckabee, ex-governador do Arkansas; Tom DeLay, ex-presidente da Câmara dos Deputados dos EUA; o rabino Yehuda Levin, que representa mais de 1.200 rabinos ortodoxos; e representantes de dezenas de organizações pró-família nos EUA, Europa e América Latina*.
Os signatários da carta do CMF comentam que o governo de Obama tem feito da promoção de “direitos” homossexuais — inclusive “casamento” de mesmo sexo — uma política externa prioritária. Contudo, eles dizem: “O povo americano na sua maioria esmagadora rejeita o ‘casamento’ de mesmo sexo adotado pelo governo de Obama”.
A carta também argumenta que é irônico que aqueles que se queixam de “imperialismo cultural” estejam tentando forçar as cosmovisões da esquerda americana nas sociedades que têm valores tradicionais.
“A ONU nunca confirmou casamento ou direitos homossexuais”, enquanto a Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU especificamente diz que “Homens e mulheres… têm o direito de se casar e constituir uma família”, diz a carta.
A carta conclui com uma menção honrosa a Michal Semin, presidente de Akce DOST, e outros líderes pró-vida e pró-família checos por sua defesa inflexível da família natural.
Akce DOST, que organizou comícios pró-vida e pró-família na mesma data do festival gay “Orgulho de Praga 2012”, entregou uma carta de protesto ao prefeito de Praga e à embaixada dos EUA declarando: “Em grande parte, o festival representa uma farra de uma semana de homoerorismo e da indústria pornográfica”.
Descrições e fotos do comício do Akce DOST em Praga estão disponíveis no site da organização (em checo) aqui.
O texto completo da “Carta de Líderes Pró-Família do Mundo Inteiro em Protesto contra a Participação da Embaixada dos EUA em Praga na Parada do ‘Orgulho Gay’” está disponível em inglês aqui e em português aqui.
Para fazer seu protesto à embaixada americana na República Checa:
Norman L. Eisen
Ambassador of the United States to the Czech Republic
Tržiště 15
118 01 Praha 1 - Malá Strana
Czech Republic
Phone: (+420) 257 022 000
Fax: (+420) 257 022 809
Email: linhartovaa@state.gov
* Nota: Julio Severo consta como um dos signatários.
Nota de Julio Severo: Sou não somente um dos signatários da carta pró-vida, mas também acabei de enviar a seguinte mensagem ao embaixador dos EUA:
To Mr. Norman L. Eisen (linhartovaa@state.gov)
Dear Mr. Eisen
Recently, Billy Graham said, “If God doesn’t punish America, He’ll have to apologize to Sodom and Gomorrah.”
He is right, not only because he is a prominent minister, but also because the Founder Fathers, if they saw America today, would have most surely agreed with him.
Are you sure that they would have wanted sodomy to be a cause for pride in the US government and society?
Are you sure that they would have tolerated it?
Are you sure that they had envisioned a Republic that would impose it on other nations?
The Bible, the most revered book in the American history and read by the most prominent US presidents, says, “Do not be deceived: God is not mocked, for whatever one sows, that will he also reap.” (Galatians 6:7 ESV)
Julio Severo

Tradução:

Para o Sr. Norman L. Eisen (linhartovaa@state.gov)
Dear Mr. Eisen
Prezado Sr. Eisen
Recentemente, Billy Graham disse: “Se Deus não castigar os Estados Unidos, Ele terá de se desculpar com Sodoma e Gomorra”.
Ele está certo, não apenas porque é um proeminente pastor, mas também porque os fundadores dos EUA, se vissem os EUA hoje, teriam com certeza concordado com ele.
Você tem certeza de que eles teriam querido que a sodomia fosse motivo de orgulho no governo e na sociedade dos EUA?
Você tem certeza de que eles a teriam tolerado?
Você tem certeza de que eles tinham previsto uma República americana que a imporia em outras nações?
A Bíblia, o livro mais reverenciado na história americana e lido pelos presidentes mais proeminentes dos EUA, diz: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6:7 ACF)
Julio Severo

19 de agosto de 2012

Embaixada dos EUA em parada gay provoca protestos


Embaixada dos EUA em parada gay provoca protestos

Comentário de Julio Severo: O apoio oficial do governo dos EUA à agenda gay internacional é inaceitável. Por isso, importantes líderes pró-família de vários países assinaram uma carta de protesto, que tem meu total apoio e assinatura também. A carta original em inglês e os assinantes estão aqui. A tradução da carta em português está aqui.

Embaixada dos EUA em parada gay provoca protestos

Tom Strode
WASHINGTON, EUA (Imprensa Batista) — Dois presidentes de instituições na Convenção Batista do Sul se uniram a líderes pró-família de 11 países para protestar contra a participação da Embaixada dos EUA numa parada de orgulho gay na República Checa.
Richard Land, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa, e Paige Patterson, presidente do Seminário Teológico Batista do Sul, assinaram uma carta se opondo ao envolvimento da embaixada na parada, que ocorrerá em 18 de agosto em Praga. Aproximadamente 120 líderes assinaram a carta, que foi divulgada em 14 de agosto.
Os que assinaram disseram na carta, que foi patrocinada pelo Congresso Mundial de Famílias (CMF), que eles não poderiam “imaginar uma forma pior de imperialismo cultural do que o governo dos EUA tentando forçar que sociedades com valores tradicionais aprovem a agenda gay”.
“Sob ordem oficial do presidente dos Estados Unidos, o governo americano está agressivamente promovendo a agenda gay internacionalmente, inclusive o ‘casamento’ de mesmo sexo e a estigmatização e marginalização de todas as pessoas que fazem objeção a essa agenda”, disse a carta.
Norman Eisen, embaixador dos EUA na República Checa, expressou apoio aos direitos lésbicos, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) durante o Festival de Orgulho de Praga que durou seis dias. Ele deu um discurso na abertura do evento em 13 de agosto, de acordo com o jornal The Washington Times, e assinou uma carta com oito outros embaixadores que declararam sua solidariedade aos homossexuais checos.
A decisão da embaixada de promover direitos homossexuais na República Checa se alinha com a agenda mais ampla do Departamento de Estado dos EUA desde que Hillary Clinton se tornou sua secretária. Desde que ela assumiu seu posto em 2009, Hillary vem orientando o departamento a “defender uma abrangente agenda de direitos humanos”, inclusive direitos LGBT, de acordo com um comunicado à imprensa.
Neste ano, embaixadas dos EUA participaram de paradas do orgulho gays ou realizaram eventos LGBT em países como Equador, Finlândia, Honduras, Hungria, Islândia, Quênia, Paquistão, Panamá e Suécia.
A ONU “nunca confirmou “casamento” ou direitos homossexuais”, disseram os assinantes na carta do CMF. Eles apontaram para as cláusulas da Declaração de Direitos Humanos da ONU de 1948 em apoio das medidas governamentais para proteger o casamento tradicional e a família.
“É evidente então que qualquer coisa que mine a família — inclusive mudar a definição do casamento — é uma violação da responsabilidade do Estado para proteger essa instituição indispensável que precede o governo e torna possível uma sociedade estável e livre”, disseram eles.
Aqueles que se identificam como LGBT “têm os mesmos direitos que outros cidadãos”, disse a carta. “Isso não inclui o ‘direito’ de forçar outros a legalizar um estilo de vida que acham repugnante, por razões religiosas ou outros motivos. Isso também não inclui o direito de homens se casarem com homens e mulheres se casarem com mulheres”.
Além de Land e Patterson, outros assinantes incluíram o ex-governador do Arkansas e candidato presidencial republicano Mike Huckabee; o ex-presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Tom DeLay; o fundador do CMF, Allan Carlson; Mat Staver, presidente do Conselho da Liberdade; Tim Wildmon, presidente da Associação Americana da Família; Benjamin Bull, chefe de assessoria da Aliança de Defesa da Família; Michael McManus, presidente de Marriage Savers; Yehuda Levin, porta-voz da Aliança Rabínica dos EUA, e Janice Shaw Crouse, diretora do Instituto Beverly LaHaye de Concerned Women for America.
O CMF é uma rede de organizações e indivíduos de mais de 60 países que têm a meta de restaurar a família natural como a unidade fundamental da sociedade.
Traduzido e editado por Julio Severo do artigo de Baptist Press: U.S. Embassy, in gay parade, sparks protest