6 de janeiro de 2021

Putin assina lei que permite sanções contra o Facebook e outras mídias sociais dos EUA que restringem e censuram conteúdo russo

 

Putin assina lei que permite sanções contra o Facebook e outras mídias sociais dos EUA que restringem e censuram conteúdo russo

Julio Severo

O poder do Facebook, Twitter e outras gigantescas empresas de mídia social dos EUA é tão grande que eles restringiram até mesmo postagens do presidente Donald Trump em 2020. Por sua vez, Trump tentou aprovar medidas para restringir o poder excessivo dessas empresas, mas seus esforços não foram aprovados pelos EUA Congresso.



Ou seja, o Facebook e outras empresas gigantescas de mídia social dos EUA são mais poderosos do que o presidente dos EUA.

No entanto, a Rússia está reagindo contra o poder do Facebook e de outras plataformas de mídia dos EUA que promovem a russofobia e restringem e censuram conteúdo russo.

De acordo com o WND (WorldNetDaily), um dos maiores sites conservadores do mundo:

“Vladimir Putin da Rússia apenas revidou as principais plataformas de mídia social dos EUA, como Twitter e Facebook, por censura prévia contra a Rússia, inclusive shadow banning e rotulando fontes russas como a RT News como ‘mídia estatal,’ ao mesmo tempo dando à mídia ocidental financiada pelo Estado passe livre.”

Russofobia, ou oposição a tudo da Rússia, é uma característica dos neocons. Quando a Rússia era a União Soviética, era correto restringir seu conteúdo comunista. Mas agora que a Rússia e seu governo estão mais conservadores, com posturas fortes contra a sodomia e posturas pró-família, não faz sentido censurar conteúdos russos. Os esquerdistas americanos fazem isso. O Facebook faz isso. Os neocons fazem isso.

De acordo com o WND, Putin aprovou uma nova legislação “que essencialmente mantém as empresas estrangeiras de mídia social nos padrões deles mesmos. Se uma empresa como o YouTube ou Twitter, por exemplo, exercer censura por motivos relacionados à ‘nacionalidade, idioma e origem,’ a nova lei dá às autoridades russas o poder de impor punições ou restrições.”

De acordo com ZeroHedge:

Assim, as plataformas estrangeiras na Rússia podem enfrentar multas, tráfego da web regulamentado ou lento ou, possivelmente, bloqueio total dentro da Federação Russa.

As autoridades e a mídia da Rússia há muito tempo condenam os padrões duplos e a hipocrisia clara que parecem mirar seletivamente a Rússia.

Por exemplo, nem a BBC nem a Voz da América são rotuladas como “filiados ao Estado”; e muitas vezes fontes do Estado turco como TRT World ou outros meios de comunicação de estados membros da OTAN também não recebem rótulos.

Assim, por todos os indicadores, qualquer aliado do governo dos EUA parece obter um passe livre por parte das gigantescas empresas de tecnologia e mídia social dos EUA.

Enquanto ativistas do aborto e militantes gays obtêm passe livre no Facebook, Twitter e outras plataformas dos EUA, os conservadores, especialmente os cristãos, são vítimas de bloqueios, shadow banning e outros atos de violência virtual e censura virtuais.

Todos gostariam de contra-atacar essa censura. Trump não teve sucesso em suas medidas. Ele não conseguiu se opor às gigantescas empresas de censura nos EUA.

Em meu caso, há anos fui vítima dos infames bloqueios de 30 dias no Facebook, culminando com o cancelamento de minha conta pessoal oficial pouco antes da eleição nos Estados Unidos. Não tenho poder para me opor à ditadura virtual do Facebook.

Se a Rússia tem um poder que eu e nem mesmo Trump não temos, Putin e os russos deveriam usá-lo. O Facebook e outras plataformas de censura dos EUA não deveriam ficar sem oposição e sem punição por sua violência virtual contra conservadores e cristãos.

Quem quer que tenha o poder de fazer ao Facebook e a outras mídias de ditadura virtual o que eles fazem aos outros — bloqueios, restrições, shadow banning, censura —, use-o.

Versão em inglês deste artigo: Putin signs law enabling sanctions on Facebook and other U.S. social media that restrict and censor Russian content

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Ditadura virtual mundial “made in U.S.”

Censura e cancelamento da minha conta, a resposta do Facebook ao meu conservadorismo cristão

A força transcendente do neoconservadorismo na mídia e entre esquerdistas e direitistas dos EUA

Conluio esquerdista e direitista contra o plano original de Trump de parceria com a Rússia contra o terrorismo islâmico

Por que a esquerda americana odeia a Rússia

O que é neoconservadorismo? Quem são os neocons?