30 de novembro de 2020

Imigrantes indecentes, hipócritas e oportunistas em um país suicida

 

Imigrantes indecentes, hipócritas e oportunistas em um país suicida

Julio Severo

Se eu fosse o Sr. Spock, o personagem de Jornada nas Estrelas que vê tudo pela ótica da lógica, eu concluiria que os socialistas que elogiam Cuba e Venezuela deveriam se mudar para esses “paraísos” socialistas.



Mas eu não sou Spock e o mundo parece muito distante de uma lógica genuína. Entenda. Todos os socialistas que elogiam Cuba e Venezuela na primeira oportunidade se mudam para os Estados Unidos. Há lógica nisso?

Um evangélico conservador como eu, que ama a história conservadora dos EUA, enfrenta mil e uma dificuldades para entrar nos EUA. Mas evangélicos marxistas brasileiros que odeiam a história conservadora dos EUA imigram para os EUA com a maior facilidade.

Um caso específico é Ronilso Pacheco, um imigrante brasileiro que mora em Nova Iorque e exalta descaradamente o movimento marxista Black Lives Matter e xinga Trump sem o menor pudor.

Muitos outros marxistas brasileiros vivem em Nova Iorque e outras cidades americanas. Nenhum deles quer morar em Cuba ou Venezuela.

Eles são ou não são exemplos de hipocrisia?

O negócio da imigração é tão lucrativo ideologicamente para a expansão do marxismo que até o bilionário esquerdista George Soros investe em organizações jesuítas que facilitam a imigração nos EUA. A Igreja Católica tem um papel vital na expansão marxista da imigração nos EUA.

E há ainda a questão islâmica: Os EUA, de forma altamente suicida, estão importando há décadas milhares e milhares de muçulmanos radicais que odeiam os EUA, seu Cristianismo e sua história conservadora. O islamismo é garantia de suicídio nacional de qualquer nação cristã.

Um dos casos mais escandalosos é de Ilhan Omar, que foi levada para os EUA como “refugiada” muçulmana da Somália. Inacreditavelmente, ela acabou se tornando deputada federal, usando seu cargo para atacar os EUA e Israel e elogiar os terroristas islâmicos.

A Arábia Saudita, que é a capital mundial da forma mais extremista do islamismo, apronta todo tipo de crimes e terrorismo contra os EUA. E o que os EUA fazem? Fazem vista grossa e ainda fornecem todo tipo de armamento para os sauditas.

Eu não sei o que é pior: Esses imigrantes ingratos e malignos ou o país que acolhe tais imigrantes pérfidos.

Outro exemplo de hipocrisia descarada é Olavo de Carvalho, um imigrante brasileiro auto-exilado nos EUA desde 2005. Como todo charlatão, ele entrou nos EUA como correspondente de um jornal brasileiro. O grande problema é que esse jornal sempre teve pouquíssima tiragem e não tem dinheiro nem para sustentar um correspondente no pobre Haiti, quanto mais nos EUA.

O fato é que, em matéria de fraude e embuste, Carvalho em nada perde para nenhum socialista. O pior é que ele ataca e critica os americanos evangélicos (só em português, para nenhum americano ver!) como mentirosos só porque a literatura americana é campeã contra a Inquisição e campeã na defesa dos judeus. Como embusteiro, Carvalho diz que a Inquisição era um tribunal de direitos humanos. Será então que a Inquisição, ao contrário do que informam historiadores judeus e evangélicos, salvava judeus e evangélicos?

Num golpe bem “esperto,” Carvalho havia fundado um instituto nos EUA para facilitar vistos de imigração para seus parentes e aliados. Logo que denunciei o golpe, o instituto fechou.

O lugar certo para Carvalho é a Espanha, famosa por sua sangrenta Inquisição. Contudo, nem marxistas nem Carvalho querem Cuba ou Espanha. Eles querem os EUA!

O lugar certo para muçulmanos é a Arábia Saudita. Mas eles também querem os EUA!

Pena que os EUA não saibam selecionar imigrantes que amem sua linda história conservadora.

Diretamente de Nova Iorque, o imigrante brasileiro Ronilso Pacheco xinga os americanos de racistas.

Diretamente da Virginia, o imigrante brasileiro Olavo de Carvalho xinga os historiadores americanos sobre a Inquisição de mentirosos, sendo que o único diploma real que Carvalho tem é de astrólogo profissional. Nada mais.

Se o governo Trump me contratasse como inspetor de imigração, eu seria um Anthony Comstock: Eu varreria dos EUA todos os imigrantes marxistas, islâmicos e falsos conservadores pró-Inquisição que detestam os EUA e sua linda história conservadora.

Versão em inglês deste artigo: Indecent, Hypocritical and Opportunistic Immigrants In a Suicidal Nation

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Imigração: Uma arma de destruição cultural em massa nas mãos de esquerdistas

Igrejas fechando e mesquitas sendo abertas nos Estados Unidos

George Soros financia organizações jesuítas

Igreja Católica recebe milhões de dólares para facilitar invasão de imigrantes nos EUA

Um charlatão “made in Brazil” exilado nos Estados Unidos

Impunidade saudita em solo americano: FBI revela que Arábia Saudita ajuda seus cidadãos a escapar dos EUA após crimes sérios, enquanto autoridades americanas fazem vista grossa

Pastor batista brasileiro, que é imigrante nos EUA, chama governo Trump de “péssima gestão” em relação à COVID-19 e diz que Trump faz declarações nitidamente racistas que incitam a violência

29 de novembro de 2020

Nietzsche Errou: Deus Não Está Morto. A Teologia da Igreja dele Estava Morta

 

Nietzsche Errou: Deus Não Está Morto. A Teologia da Igreja dele Estava Morta

Julio Severo

O filósofo ateu Friedrich Nietzsche (1844—1900) chegou a uma conclusão que muitos jovens de igrejas sem dons espirituais carismáticos chegam: Deus está morto — em suas almas!



Isto é, Deus não está morto na verdade, mas quando esses jovens por obrigação moral or imposição dos pais iam à igreja, o que eles viam? Litugia, sermões vazios e sem graça, cânticos que mais pareciam canções fúnebres. Eles chamavam aquilo de culto. Nietzsche pareceria chamar aquilo de velório. Quem poderia discordar dele?

Décadas atrás, fui a uma igreja luterana sueca. O pastor parecia estar mininistrando num culto fúnebre. Os membros cantavam como se estivessem em um velório. O ambiente era gelado — típico gelo nórdico e típico gelo espiritual. Era mais fácil encontrar uma agulha no palheiro do que a presença do Espírito Santo ali.

Teologia sem liberdade do Espírito Santo é como um cadáver sem vida. Corpo sem respiração e sem vida é morto.

Mesmo assim, silenciosamente para não atrapalhar o velório que eles chamavam de culto, eu orava em meu espírito para que o Espírito Santo fosse derramado na igreja morta.

Não era por acaso que Nietzsche via Deus como morto. Ele era membro da Igreja Luterana, que se esvaziou tanto da presença de Deus que tudo o que os membros podem sentir ali é um pouco mais que velório.

Minha esposa nasceu em lar luterano. Tudo o que ela lembra é muita liturgia e cultos que mais pareciam velórios. Parece que a única vez que os pastores adquiriam alguma emoção era na hora de pregar conta os dons sobrenaturais do Espírito Santo. Esses pastores, cheios de teologia morta e vazios da presença de Deus, estavam seguros de que esses dons eram do diabo.

O resultado trágico era que quando um membro luterano adquiria uma doença terminal, ele tinha medo de buscar um pastor pentecostal para orar. Pedir oração para o pastor luterno? Nem pensar! A oração do pastor luterano nada mais era que um velório litúrgico.

Geralmente, os membros luteranos buscavam de forma escondida pais-de-santo. Afinal, se os pastores luteranos pregavam tanto contra os pastores pentecostais e contra os dons do Espírito Santo, os bruxos não deviam ser uma opção tão má.

Tragicamente, conheci pessoalmente luteranos que tinham muito medo de pedir oração para pastores pentecostais, mas não tinha medo de buscar bruxos. Por quê? Porque a oposição real dos pastores luteranos era os pastores pentecostais, não os bruxos.

Então, quem pode culpar Nietzsche? Ele era filho de pastor luterano. Ele passou a juventude inteira frequentando os “velórios” da Igreja Luterana. Depois de tal experiência, ele só poderia chegar a duas conclusões lúgubres: Deus está morto ou Nietzsche estava espiritualmente morto.

Contudo, devo advertir que já vi os mesmos velórios na Igreja Católica, na Igreja Presbiteriana e outras igrejas de estilo mais liturgico. Elas tinham hinos, sermões e templos requintados. Mas eram vazias da presença do Espírito Santo.

E onde a presença do Espírito Santo está ausente, demônios ocupam espaço na igreja e entre membros. Lembra da sinagogas? Eram as igrejas dos judeus. Nas sinagogas havia liturgia e hinos, especialmente cantos dos Salmos. Havia leitura da Bíblia. E incrivelmente, havia manifestações de demônios.

E o que Jesus e seus discípulos faziam nas sinagogas? Eles expulsavam demônios. Lição importante: Demônios podem habitar igrejas e sinagogas. Demônios habitavam Nietzsche, que passou sua juventude frequentando a Igreja Luterana.

E por que não se deveria pensar que hoje onde há liturgia e hinos, especialmente cantos dos Salmos, e leitura da Bíblia, não há manifestação de demônios?

Igrejas deveriam ser hospitais espirituais. Pessoas que entram nas igrejas com doenças, opressões e demônios deveriam encontrar curas.

Nietzsche entrou numa igreja oprimidido e satanizado. E para piorar, a Igreja Luterana que o recebeu estava cheia de teologia e vazia da presença, manifestações e dons do Espírito Santo.

Por mais elegante que pareça, teologia não cura, não liberta e não salva. Nietzsche descobriu isso por experiência própria. Mas em vez de concluir que sua igreja e teologia estavam mortas, ele concluiu que Deus estava morto — só porque a igreja e a teologia dele estavam muito longes de Deus. Longe e mortas.

A Encicloédia Concisa Britânica disse:

Nietzsche, Friedrich (Wilhelm)

nasceu em 15 de outubro de 1844, Röcken, Saxônia, Prússia

morreu em25 de Agosto de 1900, Weimar, Thuringian States

Filósofo e escritor teuto-suíço, um dos mais influentes pensadores modernos.

Filho de um pastor luterano, estudou em Bonn e Leipzig e aos 24 anos tornou-se professor de filologia clássica na Universidade de Basel. Ele se aproximou do mais velho Richard Wagner, em cujas óperas ele viu o potencial para o renascimento da civilização ocidental, mas rompeu com Wagner furiosamente em 1876. Seu “Nascimento da Tragédia” (1872) continha importantes discernimentos sobre o drama grego antigo; como “Meditações Intempestivas” (1873), é dominado por uma perspectiva romântica também influenciada por Arthur Schopenhauer. Problemas mentais e físicos o forçaram a deixar seu cargo em 1878, e ele passou 10 anos tentando recuperar sua saúde em vários resorts, enquanto continuava a escrever prolificamente. Suas obras de “Human, All Too Human” (1878) a “The Gay Science” (1882) exaltam a razão e a ciência, fazem experiências com gêneros literários e expressam sua emancipação de seu romantismo anterior. Seus escritos maduros, particularmente “Beyond Good and Evil” (1886), “A Genealogy of Morals” (1887) e “Assim Falou Zarathustra” (1883-92), preocupavam-se com a origem e função dos valores na vida humana. Se, como ele acreditava, a vida não possui nem carece de valor intrínseco e, no entanto, está sempre sendo avaliada, então tais avaliações podem ser lidas com proveito como sintomas da condição do avaliador. Ele atacou violentamente o Cristianismo e anunciou a morte de Deus. Seu grande colapso em 1889 marcou o fim virtual de sua vida produtiva. Ele era reverenciado por Adolf Hitler por sua aversão à democracia e seu ideal heróico do Übermensch (Superman)… Suas análises dos motivos e valores que fundamentam a religião, moralidade e filosofia ocidental tradicional afetaram gerações de teólogos, filósofos, psicólogos, poetas, romancistas e dramaturgos.

© 2005 Encyclopædia Britannica, Inc.

Se eu frequentasse uma igreja luterana, presbiteriana, episcopal ou católica e visse um monte de liturgia, sermões inócuos e cânticos de velório, eu chegaria só a duas conclusões se eu não fosse um cristão espiritual: ESTOU MORTO. Ou: Deus está morto. Mas como cristão espiritual eu teria apenas uma conclusão: Essas igrejas estão mortas.

Nietzsche estava errado. Deus não está morto.

Depois que fui batizado no Espírito Santo e recebi dons sobrenaturais do Espírito Santo, experimentei a plenitude da presença do Espírito e suas manifestações. Com tal autoridade, posso em nome de Jesus pregar o Evangelho com poder, curar os enfermos e expulsar demônios.

Ao que tudo indica, nem Nietzsche nem sua Igreja Luterana tinha tais experiências. Não é pois de admirar que Nietzsche achava que Deus estava morto. E duvido muito que os outros luteranos de sua igreja tinham uma experiência com o Deus vivo e sobrenatural.

Deus não está morto em igrejas que não dão liberdade ao seu Espírito Santo. Ele só está ausente, até ser convidado a se manifestar.

Deus não está morto em corações humanos. Ele só está ausente, até ser convidado a se manifestar.

Corações vazios e duros concluem que a falta de vida no interior deles é evidência de que Deus está morto.

Corações vazios que têm fome e sede de Deus acabam, cedo ou tarde, se enchendo da plenitude do Espírito Santo.

O que você pode fazer? Mesmo sendo filho de pastor luterano ou filho de um pastor de outra igreja cristã, você não é obrigado a passar a juventude inteira na igreja evangélica com o vazio e dureza de Nietzsche. Você pode orar audivelmente:

“Deus, meu pai é pastor, mas eu não te sinto. Deus, vou vou a igreja fielmente, não sinto nada da sua presença na minha mente, alma e interior. Por isso, me abro para ti. Derrama em mim o mesmo Espírito Santo de poder que o Senhor derramou nos apóstolos. Derrama em mim os dons do Espírito Santo. E enche-me tanto da tua presença e profundo amor por Jesus que não sobre lugar para mais nada. Em nome de Jesus!”

Faça essa oração diariamente.

Não sei se Nietzsche estaria aberto para tal oração. Mas se ele estivesse, a vida dele mudaria totalmente e ele teria proclamado no mundo inteiro: DEUS ESTÁ VIVO!!!!! Seu Espírito Santo vive em mim!

Versão em inglês deste artigo: Nietzsche Was Wrong: God Is Not Dead. His Church Theology Was Dead

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Martinho Lutero, pai da Reforma protestante, disse que os dons e manifestações sobrenaturais do Espírito Santo nunca cessaram

Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil intimida e ameaça pastores de sua denominação que compartilharem denúncia de Julio Severo contra defensores luteranos de Lula e da Teologia da Libertação

Mentes escravas trabalhando para escravizar a mente das crianças do Brasil

Lutero e os judeus

Martin Niemöller, o pastor luterano anti-nazista que alertou como os cristãos precisam abrir a boca quando as pessoas são perseguidas. Mas até que ponto o conselho dele é válido?

Nazismo: Nacionalismo e socialismo a serviço do ocultismo

Perspectiva judaica: Hitler e o socialismo

O antimarxismo estridente de Hitler

Hitler era marxista?

O milagre da simplicidade do Evangelho

Os cristãos precisam buscar o batismo e os dons sobrenaturais do Espírito Santo

Zumbi teológico tenta transformar autor do Evangelho de Lucas em zumbi

Nadar e dirigir é perigoso… para quem não sabe nadar e dirigir

Rev. Larry Christenson, pioneiro luterano carismático

Rex Humbard, o primeiro e mais importante televangelista que abençoou milhões

Desarmamento espiritual não é ideia de Deus

Expulsão de demônios: verdades e confusões

Rev. Larry Christenson: Entendendo o dom de línguas

Jesus, os fariseus e os cessacionistas

O Evangelho, os demonizadores e os expulsadores de demônios

Johann Christof Blumbhardt: Quando o poder de Deus se revela

O reavivamento perfeito?

Julio Severo busca mobilizar os cristãos a orações diárias com “Prophetic Prayers” (Orações Proféticas)

27 de novembro de 2020

Perdedora Marisa Lobo adula Olavo de Carvalho enquanto Silas Malafaia denuncia o extremismo do astrólogo

 

Perdedora Marisa Lobo adula Olavo de Carvalho enquanto Silas Malafaia denuncia o extremismo do astrólogo

Julio Severo

Não sei por que alguém se daria ao trabalho de ensinar boas maneiras ao astrólogo Olavo de Carvalho, que é famoso por sua incorrrígivel boca suja. Mesmo assim, Marisa Lobo, a psicóloga famosa por incitar politicamente o ativismo gay, tentou fazer isso. Em tuíte de 25 de novembro de 2020, Marisa disse:

“Caro @opropriolavo ,qdo não concordar com alguma ação do @jairbolsonaro é seu,nosso, dever e direito alertar. Mas saiba que críticas ditas de forma agressiva,só destroem,não constrói nada.Por outro lado, uma crítica construtiva, respeitosa ajuda e muito.Sejamos civilizados.”

Marisa Lobo e Joice Hasselmann


Milagre dos milagres, ele não a xingou, e quando ele não faz isso é porque a intenção dele é trazer para sua órbita os evangélicos que habitualmente ele chama de “evanjegue” — um mistura de evangélico e jegue.



A resposta de Marisa foi a um tuíte mau-humorado de Carvalho, onde ele disse:

“Bolsonaro: Se você não é capaz nem de defender a liberdade dos seus mais fiéis amigos, renuncie a vá para casa antes de perder o prestígio que em outras épocas soube merecer.”



O que Carvalho, por conta própria, rotula como os “mais fiéis amigos” de Bolsonaro são, na melhor das hipóteses, fascistas.

Vamos citar alguns desses “fiéis amigos.”

Sara Winter tornou-se conhecida internacionalmente depois que LifeSiteNews, o mais importante site pró-vida católico internacional, publicou uma reportagem em 2015 sobre ela, apresentando sua suposta conversão ao Catolicismo. A reportagem disse:

Sara Fernanda Giromini se tornou conhecida no Brasil e no mundo sob o pseudônimo “Sara Winter” em 2012, quando se tornou membro fundadora da Femen Brasil, e liderou um trio de moças em vários protestos topless que atraíram muita atenção da mídia. No entanto, apenas três anos depois, a jovem ativista fez uma reviravolta e declarou guerra ao feminismo e ao aborto, e está se desculpando com os cristãos por seu comportamento ofensivo.

Ela continua usando seu apelido, Sara Winter, que é a forma portuguesa de “Sarah Winter,” uma apoiadora nazista britânica e membro da União Britânica de Fascistas.

Num vídeo de 27 de maio de 2020, Sara disse que desejaria “trocar soco” com um ministro do Supremo Tribunal e afirmou que esse ministro “nunca mais vai ter paz na vida.” Ela disse:

Você me aguarde, senhor Alexandre de Moraes. Nunca mais vai ter paz na sua vida. A gente vai infernizar sua vida, vamos descobrir os lugares que o senhor frequenta, a gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham para o senhor… A gente vai descobrir tudo da sua vida até o senhor pedir para sair. Hoje o senhor tomou a pior decisão da sua vida.

Sara Winter é lider do grupo autointitulado “300 do Brasil,” que acampou em frente ao STF. O grupo, cujos membros vestem roupas camufladas parecidas com as roupas do Exército e portam armas, já foi chamado de “milícia armada” pelo Ministério Público do Distitro Federal e Territórios. Faz lembrar um grupo paramilitar.

Sara Winter


Em entrevista ao serviço noticioso em português da BBC de Londres, Sara disse que a presença de armas em seu acampamento é “para a proteção dos próprios membros.” A BBC disse:

Sara Winter gosta de publicar fotos segurando armas e diz nas redes sociais que “atira muito bem.”

Ela dá várias versões para os “300 do Brasil.” Ela diz que foi ideia de Olavo de Carvalho, que é o guro dela. Ela também diz, talvez para agradar a grupos diferentes, que o nome foi escolhido baseado nos “300 de Gideão,” do Antigo Testamento da Bíblia. Ela também diz que foi baseado nos “300 de Esparta.”

Sara também dá outras explicações para uma tatuagem em seu ombro de uma cruz de ferro, símbolo germânico que se tornou popular durante o regime nazista e era a principal condecoração nazista de guerra. Sara diz que a tatuagem era uma homenagem aos “cavaleiros templários da idade média,” mas a pesquisadora alemã Carina Book confirmou que é a cruz de ferro.

Sobre o acampamento dos “300 do Brasil” em frente do STF, ela disse: “Quem me pediu pra fazer tudo isso foi o professor Olavo.”

Não é de estranhar então que em 28 de maio de 2020, Olavo pediu a pena de morte para o ministro que pediu a ação da Polícia Federal contra Sara e outros. Mas se ele defende a pena de morte para o ministro que busca tirar o direito de expressão de Sara, então por que ele é o maior negador da Inquisição no Brasil? A Inquisição tirava de suas vítimas não somente seu direito de expressão, mas também suas propriedades e vidas.

Em algumas ocasiões Sara Winter declarou que recebeu treinamento na Ucrânia e que ela quer “ucranizar” o Brasil, uma postura difícil para os conservadores entenderem, pois a revolução ucraniana foi em grande parte financiada por George Soros, o governo de Obama e os neocons.

Nos treinamentos promovidos por Sara para seus “300 do Brasil,” são proibidos fotos e vídeos e exige-se roupa adequada para um treinamento físico de combate.

Sara Winter com sua máscara de caveira, de acordo com o site jornalístico A Publica


Numa foto dos “300 do Brasil,” Sara Winter aparece com outros militantes, usando uma máscara de caveira. A máscara é muito popular na Europa e nos Estados Unidos entre neonazistas. “A máscara de caveira virou uma estética universal fascista,” escreve o jornalista Jake Hanrahan no Twitter.

Grupo neonazista Atomwaffen Division e suas máscaras de caveira


No filme “A Vida de Sara,” um documentário biográfico produzido pela plataforma Lumine, apelidada de “Netflix conservadora,” Sara Winter diz que a FEMEN mandou dinheiro para que ela fosse treinada na Ucrânia e levasse esse treinamento ao Brasil.

O filme foi produzido por Matheus Bazzo, que também produziu o documentário sobre Olavo de Carvalho, “O Jardim das Aflições.”

No filme, Sara conta que que já se prostituiu e ela aparece atirando e manipulando armas de fogo.

Tal quadro parece problemático para a imagem dos cristãos conservadores que lutam contra a agenda de aborto e homossexualidade.

Entre os apoiadores dos “300 do Brasil” estão o jornalista do Terça Livre Allan dos Santos e o psiquiatra Ítalo Marsilli, que declarou em um de seus vídeos que mulheres não deveriam votar pois são fáceis de seduzir. Ele disse:

“Na democracia grega, a única do mundo que funcionou, não estava previsto o voto feminino. Quando o voto passa ser pleno, ou seja, mulheres e todo mundo pode votar, a gente vê que tem uma crise na regência do Estado. É muito fácil você convencer mulher de votar, é só você seduzi-la.”

Santos e Marsilli são adeptos também de Olavo de Carvalho. Santos foi um palestrante de destaque na CPAC Brasil em 2019, um evento que foi realizado com impostos e usado para glorificar Olavo.

Quanto a Bernardo Kuster, que junto com Sara e Santos foi também alvo da batida da Polícia Federal, ele abandonou a Igreja Evangélica para seguir o catolicismo sincrético de Carvalho. Hoje Kuster promove a ideia de que a Inquisição foi um tribunal de misericórdia — uma postura fortemente contestada pelo governo de Israel e pelos judeus. Aliás, em 2013, em visita ao Vaticano, Netanyahu deu ao Papa Francisco um exemplar de um volumoso livro contra a Inquisição escrito por seu pai.

Na próxima visita de Netanyahu ao Brasil, ele deveria dar um exemplar desse livro a cada membro do governo Bolsonaro. Alguns deles, que seguem Carvalho, acreditam que a Inquisição foi mentira, embora ela tenha também torturado e matado judeus no Brasil.

O que impede Olavo e seus adeptos, que fazem revisionismo descarado da Inquisição, de um dia também fazerem revisionismo do Holocausto? Afinal, as principais vítimas de ambos eram justamente os judeus.

É impossível entender esse quadro caótico sem compreender que Olavo de Carvalho, que tem um histórico ocultista, é membro da Escola Tradicionalista. Recentemente, o escritor judeu americano Benjamin R. Teitelbaum lançou o livro “War for Eternity” (Guerra pela Eternidade), publicado por HarperCollins, a maior editora dos EUA. O livro faz um mapa da Escola Tradicionalista e seus principais representantes em vários países. O representante para o Brasil é Olavo. Teitelbaum apresenta a Escola Tradicionista como uma seita ocultista.

Por sua própria natureza, o ocultismo traz caos.

O fato é que Marisa Lobo se meteu numa confusão grande demais para sua cabeça minúscula porque ela precisa mudar de órbita rapidamente. Ela já concorreu a vários cargos políticos — e perdeu todos. Sua última derrota foi para a prefeitura de Curitiba em 2020. Mas quem sabe agora, com Carvalho tão pertinho de Bolsonaro, essa mulher, que é tão rejeitada pelo eleitorado, não possa subir pelas portas dos fundos através de uma boquinha no governo Bolsonaro com a ajudinha de Carvalho?

Marisa Lobo é uma grande oportunista. Quando Carvalho passou anos xingando os evangélicos e exaltando a Inquisição, ela manteve sua boca fechadinha. A Inquisição é equivalente ao Holocausto, com a diferença de que enquanto a Inquisição toturava e a matava judeus e evangélicos, o Holocausto torturava e matava judeus.

Mas o que isso importa para Marisa oportunista?

Só sei de uma coisa. Quando Carvalho ameaçou derrubar Bolsonaro, o Pr. Silas Malafaia disse com todas as letras que Carvalho é um astrólogo covarde e falido. Nessa época, Marisa oportunista ficou de boca caladinha.

Depois que Carvalho disse que “tudo o que acontece de mau no Brasil vem das igrejas evangélicas,” Malafaia o chamou de “Astrólogo idiota.” De novo, Marisa oportunista ficou quietinha. A oportunista não tomou nenhuma defesa de Malafaia

Mas agora, com todas derrotas eleitorais, inclusive para a prefeitura de Curitiba, Marisa parece estar disposta a vender ou até mesmo dar de graça sua alma ao diabo. E isso não é figura de linguagem. Em 2017, em entrevista à BBC de Londres, “Olavo de Carvalho elogiou o petista Eduardo Suplicy e disse que trabalharia até com Satanás pelo Brasil.”

Nessa entrevista iluminadora, ele deixou claro que ele está mais que disposto a uma parceria com Satanás. É impossível duvidar dessa parceria, pois Carvalho tem um histórico de décadas de envolvimento com o ocultismo e satanismo.

Só há um problema: Satanás nunca faz bem para ninguém, nem para pessoas nem para nações.

Se Carvalho quer trabalhar com Satanás, o problema (e azar) é dele. Se Marisa Lobo (lobo politicamente voraz camuflado de ovelha) quer uma aproximação com o amigo de Satanás, o problema (e azar) é dela. E não é a primeira vez que Marisa trabalha com Satanás. Ambicionando cargos políticos, Marisa se envolveu com o movimento do Rev. Moon, o famoso falso messias. De nada adiantou. Ela perdeu todas as eleições.

Mas que ela não venha reclamar se depois Malafaia também chamá-la de covarde, falida e idiota. Falida ela é comprovamente pelas muitas eleições que ela perdeu. Falidíssima.

Agora, vamos a alguns pontos importantes. Não tendo condição nenhuma de se eleger para nenhum cargo político com a ajuda de eleitores que evidentemente não gostam dela, Marisa fez o papel feio de atacar a ministra Damares Alves por políticas homossexualistas que têm total apoio do Presidente Jair Bolsonaro. Isto é, em vez de criticar simultaneamente Damares e Bolsonaro, a oportunista e covarde atacou somente Damares.

Ela atacou Damares e adulou Bolsonaro — num oportunismo nojento e asqueroso —, pois já que os eleitores não gostam dela, ela só tem uma chance de ganhar um cargo governamental: a boquinha política de Carvalho ou Bolsonaro.

Contudo, antes desse episódio, escrevi um artigo alertando que a postura dela de rotular o profeta Elias como digno de ser paciente de hospital psiquiátrico foi um disparate cósmico, digno de uma mente que não estuda a Bìblia há muito anos, se que é que Marisa já estudou a Bíblia.

Pior: Contrariando a Bíblia Marisa transformou Elias num homem que vivia em constante estado de depressão e suicídio. Se há uma pessoa em necessidade de internamento psiquiátrico não é Elias. É a própria Marisa, que ficou tão furiosa com meu artigo corrigindo sua pésssima teologia que apenas criticou seu uso extremista da psicologia ela me chamou de “blogueiro terrorista.” Tal comportamento extremista dela se encaixa em fascismo. Ela, pois, que não venha reclamar se a chamarem de fascista. Ela própria deu toda munição para isso.

Se informalmente trabalhando com Satanás para “ajudar” o Brasil, Olavo de Carvalho já está fazendo um estrago satânico imenso no Brasil, o que dirá se ambos receberem a ajuda de uma psicóloga que, perdendo todas as eleições, busca, mediante adulação, uma boquinha digna de lobo travestido de ovelha?

Só um falso evangélico transformaria o profeta Elias num doente psiquiátrico e transformaria Olavo de Carvalho num homem de mente não satânica e não demoníaca. Só uma psicóloga espiritual e mentalmente doente faria isso.

O que vemos então é uma Marisa Lobo vestida de ovelha que deturpa a Bíblia, transformando Elias num homem depressivo e suicida, e transformando Olavo de Carvalho num homem menos satanista e ocultista do que ele sempre foi. Vergonha das vergonhas: Atacar Elias e defender o astrólogo Olavo. E depois Marisa acha que quem merece camisa-de-força é Elias?

Para um governo legitimamente cristão, Marisa vai ser o fracasso político e teológico que ela sempre foi. Mas para um futuro governo do Anticristo, sua ultiliade será imensa, pois muito mais que uma inocente ovelha perdedora, ela é uma lobo predador.

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Marisa Lobo sugere que profeta Elias precisava de internamento em hospital psiquiátrico e acusa críticos cristãos de sua psicologia de “terroristas”

O que está por trás da campanha de Marisa Lobo contra a ministra Damares Alves?

Depressão, suicídio e o profeta Elias

Sociedade e igrejas se prostrando diante dos psicólogos

Marisa Lobo, Embaixadora da Paz de Quem?

Elias: provisão estranha numa missão profética na esfera política

A volta do profeta Elias: o que a unção de Elias representa para as famílias e para o mundo político nestes últimos dias

Depois de chamar governo Bolsonaro de “merd*,” Olavo de Carvalho diz que pode derrubá-lo

Silas Malafaia chama Olavo de Carvalho de covarde e astrólogo falido depois que Olavo ameaçou derrubar governo Bolsonaro

Olavo de Carvalho diz, incluindo outras instituições, que “tudo o que acontece de mau no Brasil vem das Igrejas Evangélicas,” que ele igualou ao Partido Comunista

“Astrólogo idiota”: Resposta do televangelista Silas Malafaia a Olavo de Carvalho, que disse que “tudo o que acontece de mau no Brasil vem das igrejas evangélicas”

Olavo de Carvalho elogia Suplicy e diz que trabalharia até com Satanás pelo Brasil

26 de novembro de 2020

Um bilhão de bebês assassinados em 100 anos: a Rússia abre a primeira comporta do aborto

Um bilhão de bebês assassinados em 100 anos: a Rússia abre a primeira comporta do aborto

Amir George      

Cem anos atrás, em 18 de novembro, a ex-União Soviética se tornou a primeira nação na história a legalizar o aborto a qualquer pedido. De acordo com a Dra. Jennifer Roback Morse, fundadora e presidente do The Ruth Institute, a aprovação da lei ocorreu por várias razões, inclusive a destruição da família nuclear e da igreja.



De acordo com o Dra. Morse, “os soviéticos eram contra a família, contra a igreja e contra a moralidade, e queriam as mulheres fora de casa e no local de trabalho, pois a economia era um desastre e o governo queria que as mulheres não fossem prejudicadas por bebês e responsabilidades familiares.”

Desde aquela época, de acordo com Thomas Jacobson e Dr. Robert Johnson em seu histórico relatório para a Global Life Campaign, mais de 1 bilhão de bebês foram mortos em todo o mundo, levando-os a categorizá-lo como “o maior genocídio da história.” Seu estudo é o primeiro a coletar informações de 100 nações e territórios. Nele, eles identificam o aborto como “a maior matança política de seres humanos na história, excedendo em muito todas as guerras.”

De acordo com o autor do livro best-seller “God, Trump e COVID-19” (Deus, Trump e COVID-19) Stephen Strang em seu livro “God, Trump and the 2020 Election” (Deus, Trump e a Eleição de 2020), “A esquerda assumiu a questão do aborto — que é realmente uma questão espiritual de defesa da vida — e a transformou em uma questão puramente política.“

Isaías 5:20 diz: “Ai dos que chamam o mal de bem e o bem de mal; que trocam as trevas pela luz, e a luz pelas trevas; que trocam o amargo pelo doce e o doce pelo amargo!”

De acordo com o blog “Catholic Truth,” publicado pela Catholic Truth Society, “Kamala Harris perseguiu ativistas pró-vida para colocá-los na prisão” e “Joe Biden deixou claro que está profundamente comprometido não apenas em proteger os direitos reprodutivos [eufemismo para aborto], mas também avançando e expandindo-os.”

Se os crentes não tivessem outra razão para permanecer firmes e defender Trump, sua defesa do direito à vida é o suficiente. Joe Biden e Kamala Harris pretendem abrir a comporta do assassinato de crianças preciosas.

Os crentes precisam estar motivados o suficiente para ir às capitais de seus estados todos os dias ao meio-dia, para vir a Washington DC no sábado, 12 de dezembro, ao meio-dia e se juntar aos 80 milhões de pessoas que se preparam orgulhosamente para a posse do presidente mais pró-vida na história americana em 20 de janeiro de 2021: Donald J. Trump.

Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: 1 Billion Babies Murdered in 100 Years: Russia Opens First Abortion Floodgate

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Trinta e duas nações assinam declaração afirmando que “não existe direito ao aborto,” mas a declaração coloca o feminismo na frente dos bebês

Presidente Donald Trump proclama 22 de janeiro “Dia Nacional da Santidade da Vida Humana”

Trump quebrou sua promessa de suspender o financiamento do holocausto do aborto nos EUA

Desmascarando a agenda de controle populacional global

Tom Parker: A maior ameaça à agenda do aborto nos EUA, de acordo com escritora pró-aborto

Trump sugere que ativistas pró-vida foram longe demais no Alabama com a proibição quase total do aborto enquanto ele diz que é pró-vida, mas acredita em aborto para bebês concebidos em estupro e incesto

Como está indo a iniciativa do governo Trump de cortar verbas para a maior rede de clínicas de aborto dos EUA?

Diretora da maior rede de clínicas de aborto nos EUA: “Estamos fazendo tudo o que podemos” para abortar bebês durante a pandemia

Feminista se gaba de abortar seu bebê durante uma pandemia, enquanto outros não conseguem atendimento médico

Pastora batista: Matar bebês mediante aborto deveria ser um “direito religioso”

Pastor metodista ora para que as mulheres tenham o direito de matar seus bebês através de abortos

Pastora lésbica torna-se presidente da Federação Nacional do Aborto nos EUA

Pastor da Igreja Presbiteriana: “Com muito orgulho” apoio a matança de bebês através do aborto

Pastores “evangélicos” abençoam clínica de aborto, cantando “Aleluia. Abençoamos esta sala de cirurgia”

 Pastora presbiteriana: Se os cristãos “valorizam verdadeiramente as mulheres,” apoiarão o aborto

Médica aborteira: “Como minha fé cristã me inspirou a me tornar uma médica de abortos”

Professora presbiteriana afirma que se opor ao aborto “vai contra o ensinamento de Jesus”

Pastor presbiteriano abençoa clínica de aborto no nome de Deus e trabalha nela voluntariamente como capelão

Principais causas de morte nos Estados Unidos, e homicídios por armas de fogo não são uma delas

Pastora ora por clínica de aborto: “Santificamos Este Lugar e O Honramos como Santo”

Aborto em Israel: Por que não há protestos públicos generalizados de cristãos pró-vida?

Holocausto, aborto e sodomia

Tom Parker: A maior ameaça à agenda do aborto nos EUA, de acordo com escritora pró-aborto

Desmascarando a agenda de controle populacional global

Os Estados Unidos conseguirão sobreviver ao aborto?

Pastor presbiteriano diz que bebê em gestação só se torna uma pessoa “quando alguém o ama”

Bispo Macedo e aborto

O Mackenzie e sua professora abortista

Pastor presbiteriano: “Adoro a maior organização de aborto nos EUA.”

Bispo Macedo: a favor do aborto e contra profecia

Aborto nos casos difí­ceis: um teste para os lí­deres evangélicos?

Morre pioneiro pastor pró-aborto nos EUA

Pastor batista, que é médico aborteiro, confessa: “Será que estou matando? Sim, estou”

Pastores metodistas, presbiterianos, episcopais e batistas lideram comício a favor do aborto nos Estados Unidos

Maior empresa de abortos do mundo lança “campanha de oração”

O holocausto de bebês nos EUA e o Holocausto de judeus na Alemanha nazista

A Bíblia apóia o aborto, afirma grupo cristão esquerdista

Anthony Comstock: o primeiro ativista pró-vida da história moderna, lutou contra fundadora da IPPF

Número de abortos legais aumenta no Exército israelense, pois a coexistência de soldados do sexo masculino e feminino vem aumentando sua atividade sexual

Disney ameaça boicotar estado americano da Georgia por causa de lei restringindo aborto

Aborto, Inquisição e revisionismo na Enciclopédia Britânica

Papa Francisco compara o aborto a “contratar um assassino profissional” e diz que nunca dá para se desculpar o aborto

Trump sugere que ativistas pró-vida foram longe demais no Alabama com a proibição quase total do aborto enquanto ele diz que é pró-vida, mas acredita em aborto para bebês concebidos em estupro e incesto

Televangelista conservador Pat Robertson diz que o Alabama “foi longe demais” em sua lei anti-aborto “extremista” porque não inclui a pena capital para bebês concebidos em estupro e incesto

Todos precisam lembrar o Holocausto

Vegetarianos anti-bebês pregam que é moralmente errado pessoas terem bebês e xingam quem discorda deles

A loucura do planejamento do homem

Rios de sangue: A cultura contraceptiva e as profecias do Apocalipse

Trump quebrou sua promessa de suspender o financiamento do holocausto do aborto nos EUA

Aborto em Israel: Por que não há protestos públicos generalizados de cristãos pró-vida?

O holocausto de bebês nos EUA e o Holocausto de judeus na Alemanha nazista

A Bíblia apóia o aborto, afirma grupo cristão esquerdista