7 de outubro de 2020

O aparelhamento direitista da homossexualidade, um desafio para os cristãos

 

O aparelhamento direitista da homossexualidade, um desafio para os cristãos

Julio Severo

A direita vem pregando que os homossexuais e suas reivindicações foram aparelhados pela esquerda. Essa pregação inclui geralmente a ideia de que toda restrição ou condenação ao homossexualismo é de natureza comunista e que toda liberdade homossexual são fruto do capitalismo americano.

Homossexual Milo Yiannopoulos, convidado como palestrante principal da CPAC em 2017

Embora essa ideia agrade a cristãos nominais ansiando por uma direita que confronte o socialismo, tal  pregação é no mínimo enganadora.

Se toda restrição ou condenação ao homossexualismo é de natureza comunista, então Deus, que na Bíblia condena o homossexualismo nos termos mais fortes, é comunista?

A ideia de que capitalismo é sinônimo de liberdade homossexual não é honesta, a não ser que se leve em consideração somente o capitalismo sem valores cristãos. Na verdade, o capitalismo sem valores cristãos é a maior força e parceiro econômico da China, o maior país comunista do mundo.

O maior país capitalista do mundo é os EUA. Mas a liberdade e a libertinagem que os homossexuais têm hoje nos EUA não foram devido ao capitalismo original americano de valores evangélicos. Foram devido a um capitalismo sem valores cristãos, que deram liberdade excessiva para as ações furiosas e agressoras de grupos homossexualistas auxiliados por esquerdistas.

Os EUA são famosos por serem o maior país evangélico e conservador do mundo. Dentro dessa realidade, as leis americanas sempre condenaram criminalmente a sodomia (homossexualidade). Essas leis só foram abolidas por pressão de grupos homossexualistas na década de 1990 por uma maioria de juízes católicos no Supremo Tribunal dos EUA.

Então, a liberdade e a libertinagem dos homossexuais hoje nos EUA não são fruto do capitalismo de valores cristãos. São fruto dos esforços de esquerdistas e grupos homossexualistas, que buscam avançar para muitas outras aberrações. Eles usam o sistema do capitalismo sem valores cristãos, o qual favorece tudo e a todos, inclusive comunistas chineses e muçulmanos sunitas.

A China tem tanta prosperidade econômica que o presidente Jair Bolsonaro, quando a visitou durante o aniversário da revolução comunista, declarou: “Estou em um país capitalista.”

A Arábia Saudita tem prédios modernos e é o maior comprador de armas dos EUA.

Contudo, o progresso capitalista não melhorou a ética selvagen dos comunistas chineses e dos muçulmanos sauditas. Eles continuam tão violentos e antidemocráticos quanto antes, porque o capitalismo que lhes trouxe progresso é o capitalismo sem valores cristãos.

São os adeptos desse capitalismo sem valores cristãos que estão promovendo a ideia de que homossexuais podem ser conservadores e até mesmo cristãos. Até certo ponto, eles têm razão: Se comunistas chineses e muçulmanos sauditas podem ser capitalistas, por que ativistas gays não podem ser conservadores e cristãos?

O capitalismo sem valores cristãos dos EUA engrandeceu a China comunista e a Arábia Saudita. E essa mesma mentalidade capitalista sem valores cristãos pode igualmente engrandecer um “homossexualismo conservador.”

A CPAC (Conservative Political Action Conference, cuja tradução é: Conferência de Ação Política Conservadora) realizou sua primeira conferência no Brasil em 2019, onde Eduardo Bolsonaro segurou com destaque a bandeira gay em apoio ao “homossexualismo conservador.” Quem pode culpá-lo? Para seu evento de 2017, a CPAC convidou como palestrante principal Milo Yiannopoulos, o gay “conservador” mais proeminente dos Estados Unidos, em um grande esforço para engrandecer o “homossexualismo conservador.” No entanto, o escândalo de um vídeo de Yiannopoulos defendendo a pedofilia homossexual acabou derrubando a ele e sua grandeza homossexual conservadora.

A CPAC aprendeu alguma lição? De jeito nenhum. Para seu evento de 2018, o CPAC baniu uma organização pró-família e aprovou um grupo homossexualista. Então, não é de se admirar que Eduardo Bolsonaro, ardoroso adepto do ocultista Olavo de Carvalho, tenha segurado a bandeira gay no primeiro evento da CAPC no Brasil.

A CAPC, que é considerada a conferência “conservadora” mais proeminente do mundo, já está aparelhando a homossexualidade e dando o péssimo exemplo de que os conservadores ao redor do mundo também deveriam aparelhar a homossexualidade por amor à ideologia direitista.

Portanto, os cristãos deveriam desconfiar de uma direita pró-homossexualismo, especialmente se aparecer com linguagem cristã de que homossexuais podem ser tão bons cristãos e conservadores quanto qualquer outra pessoa. Até onde sei, ocultistas estão por trás dessa ideia, e o ocultismo e o homossexualismo sempre andaram juntos, de forma pública ou não.

Steve Bannon, que é considerado uma voz direitista importante, não tem posturas sobre homossexualismo que os cristãos conservdores têm, ainda que ele se proclame como católico. Da mesma forma, a versão brasileira de Bannon, Olavo de Carvalho, não tem sobre o comportamento homossexual as mesmas posturas que os cristãos conservadores têm, embora ele também se apresente como católico. Aliás, uma das maiores influências na vida de Carvalho foi um ex-presidiário homossexual com AIDS. Tanto Bannon quanto Carvalho, que foram influenciados pelo ocultista islâmico René Guénon, apoiam um comportamento homossexual “conservador.”

A ideologia homossexual e a ideologia esquerdista são totalmente compatíveis entre si, por sua rebelião contra Deus. Por isso, dizer que homossexuais e suas ideologias foram aparelhados pela esquerda é uma estratégia no mínimo fraudulenta e ocultista. O que é bem óbvio é que a direita, para prejuízo de seus apoiadores cristãos conservadores, está tentando a todo custo aparelhar o homossexualismo à agenda direitista. Esse aparelhamento já está ocorrendo entre direitistas dos EUA, no próprio Partido Republicano. Em Israel, a direita também aparelhou a agenda gay.

O aparelhamento direitista tem como único objetivo usar e explorar os homossexuais politicamente para avançar a direita. É uma imitação barata do que a esquerda já faz há muito tempo.

Tal aparelhamento acabará levando os direitistas aparelhadores a acusar os evangélicos americanos de “comunistas” por seu esforço de combater leis que foram adulteradas para apoiar o pecado homossexualismo e também porque durante toda a história dos EUA eles conseguiram manter leis contra a sodomia.

Não se sabe se Sodoma era direitista ou esquerdista. Aliás, os termos “direitista” e “esquerdista” não existem na Bíblia. Só se sabe que os habitantes de Sodoma tinham as mesmas práticas sexuais que hoje homossexuais esquerdistas e direitistas têm.

Só espero que a direita que está buscando aparelhar o homossexualismo à agenda direitista, inclusive com a acusação de que restrição ou condenação ao homossexualismo é sinônimo de comunismo, não acabe condenando Deus como “comunista” por ter destruído Sodoma por causa do pecado homossexual.

Versão em inglês deste artigo: The Hijacking of Homosexuality by the Right, a Challenge for Christians

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Steve Bannon e suas opiniões sobre homossexualismo

Olavo de Carvalho foi influencido por um ex-presidiário homossexual com AIDS

Como os líderes evangélicos podem criticar o ativismo homossexual no governo Trump se eles estão envolvidos em escândalos sexuais?

Benjamin Netanyahu, judeus direitistas e a agenda gay em Israel

Maior revista gay dos EUA furiosa com protesto evangélico contra iniciativa do governo dos EUA de descriminalizar a homossexualidade em todo o mundo

Defesa da pedofilia derruba proeminente gay “conservador”

Maior conferência conservadora dos EUA bane organização cristã pró-família e aprova grupo homossexualista

Um comentário :

Paulo Ricardo disse...

Os socialistas e comunistas odeiam os cristãos verdadeiros, pois os socialistas e comunistas são em sua grande parte católicos