30 de outubro de 2020

Casamento ou não casamento para padres católicos e gays? Essa é a pergunta que o papa sabe como responder sobre gays, mas não sobre padres

 

Casamento ou não casamento para padres católicos e gays? Essa é a pergunta que o papa sabe como responder sobre gays, mas não sobre padres

Julio Severo

A Igreja Católica está enfrentando um grande desafio, pois o Papa Francisco sugeriu a aprovação de uniões civis homossexuais. A ONU, sob a liderança do católico esquerdista Antonio Guterres, elogiou a postura do papa em relação a essas uniões.


Entretanto, enquanto a Igreja Católica sob Francisco está avançando para facilitar um tipo de “casamento” gay, não há sinal de facilitar o casamento para padres, bispos, cardeais e papas.

É tão errado aprovar o casamento com gays quanto é errado proibir líderes cristãos do sexo masculino de se casarem com mulheres.

A Igreja Católica comete um grande pecado contra Deus ao proibir o casamento de seus padres, bispos, cardeais e papas. Eles deveriam se casar, porque esse é o primeiro mandamento de Deus ao homem.

O apóstolo Paulo nos avisou:

“O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada e proíbem o casamento…” (1 Timóteo 4:1-3 NVI)

Portanto, Paulo disse que um dos sinais de quem se afasta da fé ao seguir espíritos enganadores e doutrinas de demônios é exatamente proibir o casamento. A proibição católica do casamento para seus líderes se encaixa perfeitamente nisso.

É anormal que um grande número de homens permaneça solteiro apenas por votos religiosos. Deus nunca ordenou um sacrifício tão extremo. As religiões pagãs fazem isso, com consequências desastrosas — as mesmas consequências que vemos na Igreja Católica.

É normal, e ordenado por Deus, que os homens se casem com mulheres. Em alguns casos, alguns não se casarão. Mas isso é muito, muito raro e nunca deveria ser imposto como uma doutrina cristã.

Proibir o casamento leva os homens “naturalmente” a problemas não naturais. Portanto, quando uma igreja cristã exige coisas anormais dos homens, o que ela deve esperar? Normalidade?

A proibição católica tradicional do “casamento” gay é aprovada pela Bíblia. Em contraste, a proibição católica tradicional do casamento de padres, bispos, cardeais e papas não é aprovada pela Bíblia — a menos que eles sejam homossexuais.

O apóstolo Paulo, que pelos padrões católicos seria um papa ou cardeal, disse:

“Não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como fazem os outros apóstolos, os irmãos do Senhor e Pedro?” (1 Coríntios 9:5 NVI)

Ele também poderia dizer hoje à Igreja Católica:

“Não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como fazem os outros padres, bispos, cardeais e papas?”

Sim, todo líder cristão tem o direito de ter uma esposa crente.

Se um padre, um bispo, um cardeal e até mesmo o papa fizeram um voto contra o casamento, mas depois seus impulsos sexuais começaram a se manifestar, não há pecado em se casar. Eles podem se casar e permanecer em seus cargos religiosos, assim como Paulo disse.

Se um padre fez um voto de não se casar, mas mais tarde ele quiser se casar com uma mulher, seu casamento deveria ser abraçado e celebrado como uma decisão pró-família, e os esforços para expulsá-lo de seu cargo deveriam ser vistos como um ataque anti-família. Não deveria haver proibição para ele ser promovido a bispo, cardeal e papa.

Mas se ele for homossexual, ele deveria deixar qualquer cargo cristão que ocupar.

A Igreja Católica tem algumas boas posturas sobre o casamento. Qual a melhor maneira de demonstrar a postura católica em defesa da família do que deixar seus padres, bispos, cardeais e papas se casarem com mulheres?

Se o casamento é uma bênção, é uma maldição proibi-lo. Aliás, a Bíblia advertiu expressamente os cristãos contra a proibição do casamento.

Se o “casamento” gay é uma maldição, aprová-lo é uma maldição.

O casamento para gays é uma maldição e deveria ser proibido por todas as leis.

A Igreja Católica deveria revogar sua proibição anti-bíblica de casamento para padres, bispos, cardeais e papas e deveria manter sua proibição de “casamento” homossexual.

O casamento para padres seria uma bênção. Seria uma maldição apenas se Steve Bannon estiver certo. Ele disse que 90 por cento dos padres e cardeais no Vaticano são homossexuais. Portanto, se padres, bispos e cardeais são em sua maioria gays, que tipo de casamento eles escolherão?

Se forem realmente homens, não deveriam temer o casamento com mulheres.

Se o Apóstolo Paulo estivesse vivo hoje, ele diria que um dos sinais de pessoas que se afastam da fé ao seguir espíritos enganadores e doutrinas de demônios é exatamente proibir os homens de se casarem com mulheres e permitir que homens se casem com homens.

Versão em inglês deste artigo: Marriage or Not Marriage for Catholic Priests and Gays? Here Is the Question the Pope Can Answer about Gays, But Not About Priests

Fonte: www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

ONU elogia o Papa por apoiar uniões do mesmo sexo: secretário-geral da ONU dá as boas-vindas aos comentários de Francisco de que os homossexuais “têm o direito a uma família” em mudança que enfureceu os católicos conservadores

Francisco se tornou o primeiro papa a endossar uniões civis do mesmo sexo, dizendo: “Os homossexuais são filhos de Deus e têm o direito de pertencer a uma família”

Papa compara políticos opostos a gays e judeus a Hitler

Em seu esforço para produzir um filme expondo a homossexualidade no Vaticano para fazer o Papa Francisco renunciar, Steve Bannon causou reação adversa de líderes católicos conservadores e foi exposto por seu próprio envolvimento com dois notórios pedófilos

O aparelhamento direitista da homossexualidade, um desafio para os cristãos

Spotlight: Expondo escândalos de pedofilia e escondendo escândalos homossexuais na Igreja Católica

 Luiz Mott livra Igreja Católica de sofrer mega-escândalo de pedofilia

7 comentários :

Cicero disse...

Em LC 21:11 diz que haveriam coisas espantosas. Não duvido que logo a ICAR irá aprovar casamento com animais, plantas, objetos e o que se possa imaginar!🙉🤦

Alex disse...

É interessante ler Julio Severo criticando o celibato que Jesus praticou e que por imitação a Cristo podemos fazer. Cai por terra a esperança que Julio Severo não se assemelhe aos opositores da nova ordem que desejam o mesmo.

Julio Severo disse...

Alex, você quer dizer que se Jesus praticou celibato, todos nós devemos imitar o modelo que ele deixou? Ora, você se esqueceu de que Jesus é Deus? Além disso, se todos imitassem Jesus nisso, você com certeza não existiria, nem seus pais, nem avós. Jesus nunca disse: Imitem-me no celibato.

Os apetites sexuais são fortes demais. Jovens que fazem voto na Igreja Católica de não casar são movidos por impulsividade religiosa que mais tarde desaparece. Ou você acha estranho que mais tarde tantos padres caiam em todos os tipos de pecados sexuais?

Obrigar um homem a nunca casar é uma doutrina de demônios, como a própria Bíblia diz. E como Jesus disse que Ele é a Palavra, a Bíblia que condena proibição ao casamento é o próprio Jesus.

Só para deixar mais uma vez claro: PROIBIR CASAMENTO É DOUTRINA DE DEMÔNIOS.

Anônimo disse...

Paulo, o apostolo era celibatário também Júlio.
Tentar induzir que aqueles que seguiram Jesus eram todos casados é um erro.

Se existem padres que caem em todos os tipos de pecados sexuais, existem pastores CASADOS que também caem em todos os tipos de pecados sexuais, mesmo sendo CASADOS!

Então a culpa desses pecados não são do celibato.

Julio Severo disse...

Anônimo, em primeiro lugar, é falta de respeito querer fazer um questionamento escondido no anonimato. Mesmo assim, vou dar uma resposta, que servirá para todos os que se escondem em anonimato.

Leia o que citei do Apóstolo Paulo no meu artigo. Ele disse: “Não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como fazem os outros apóstolos, os irmãos do Senhor e Pedro?” (1 Coríntios 9:5 NVI)

Isto é, mesmo sendo celibatário, ele disse que ele tinha a total liberdade de quando quisesse ter uma esposa e levá-la em suas viagens missionárias. Não há no comentário dele nada a respeito de celibato FORÇADO. Qualquer hora que ele quisesse, ele podia casar e ter filhos SEM PRECISAR DEIXAR SEU CARGO APÓSTOLICO.

Não é o caso de padres na Igreja Católica. Eles são forçados a permanecer celibatários contra a vontade. Se eles se casarem, são obrigados a abandonar o cargo — um contraste imenso com o Apóstolo Paulo, que disse que na igreja verdadeira há total liberdade de todos os líderes casarem e levarem suas esposas junto em todos os seus compromissos missionários.

Ora, se até casados caem em tentação, imagine então solteiros! Só uma pessoa muito ingênua para acreditar que um homem soleiro enfrenta menos tentações sexuais do que os casados.

Mas em se tratando da Igreja Católica, onde tudo é idolatrado, não me admira o celibato ser idolatrado, contrariando frontalmente o Apóstolo Paulo, a Bíblia e o próprio Deus.

Devemos nos lembrar de que foi Paulo, o celibatário, que disse que proibir o casamento é doutrina de demônios. Então só um cego espiritual para não enxergar que a doutrina católica que força padres a manter votos de celibato, ao custo de perderem o sacerdócio se quiserem se casar, é claramente uma doutrina de demônios.

Cicero disse...

Muito provável Paulo era viúvo ou divorciado, pois para pertencer ao Sinédrio, antes da conversão, deveria ser casado.

Roberto Moraes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.