19 de maio de 2020

Os profetas e os políticos adúlteros


Os profetas e os políticos adúlteros

Julio Severo
Repreender ou não repreender o adultério de um presidente? Eis a questão — para os profetas.
Sob inspiração de Deus, o profeta Natã disse para o Rei Davi: “Você está em pecado de adultério!” Ele poderia ser executado por repreender o rei, mas não foi, porque o rei se arrependeu. Davi era um rei no Antigo Testamento que conhecia o Senhor.
Sob inspiração de Deus, João Batista disse para o Rei Herodes: “Você está em pecado de adultério!” Ele foi executado por repreender o rei, que não se arrependeu. Herodes era um rei no Novo Testamento que não conhecia o Senhor.
Então quer fossem do Antigo ou Novo Testamento, quer conhecessem o Senhor ou não, os reis eram repreendidos por profetas.
Vida de profeta é dura. Se ele for fiel a Deus, ele pode ser executado ou honrado. Se ele for fiel ao político, tudo irá bem por um tempo, mas quando o tempo de acerto de contas com Deus chegar, nada irá bem.
Para esconder seu adultério com Bate-Seba, Davi contou com a ajuda de Joabe, um general que lhe era fiel. Joabe obedeceu cegamente à ordem de Davi de fazer com que Urias, o marido de Bate-Seba, fosse morto.
Mais tarde, Joabe teve uma morte humilhante. Ele nada ganhou de Deus sendo fiel ao Rei Davi. Ele nada ganhou de Deus ajudando a executar e acobertar pecados do Rei Davi.
Ser fiel aos políticos em seus pecados, até mesmo políticos que proclamam ser dedicados a Deus, traz um fim humilhante. Ser fiel a Deus, mesmo quando o profeta é sacrificado pelos políticos adúlteros, traz um fim de eterna honra na presença de Deus.
Há falta de políticos e adultérios de políticos hoje para que as repreensões dos profetas tenham cessado? Não. E há Joabes em quantidade muito maior hoje para acobertar todo e qualquer pecado de políticos que se dizem cristãos.
No entanto, há muitos pastores e pseudo-profetas que, temendo perder concessões de TV, rádio e outras regalias governamentais e presidenciais, preferem assumir o papel politicamente confortável de Joabe. Eles se calam na sua responsabilidade de ser uma voz profética de Natã ou João Batista na vida dos políticos. Outras vezes o silêncio deles é porque eles sabem que não têm moral para criticar nos políticos o que eles mesmos praticam em suas vidas privadas. São viciados em adultérios, pornografia e prostituições.
Se vivos hoje, antes de repreenderem os Davis, os Herodes e outros políticos, Natã e João Batista diriam para os pastores: “Você está em pecado de adultério espiritual e político porque com medo de perder privilégios políticos, você não abre a boca para falar o que os políticos precisam ouvir!”
Em muitos outros casos, eles diriam: “Você está em adultério, pois largou sua esposa para ficar com uma mulher mais nova!”
O caso de Joabe foi baseado e expandido a partir de um comentário de Luciana Micoski Pereira.
Versão em inglês deste artigo: Prophets and Adulterous Politicians
Leitura recomendada:

3 comentários :

Canaã disse...

Infelizmente basta que um político coloque o nome de Deus na sua boca para abocanhar vários votos. O povo não percebe que não se trata de falar de Deus, mas de viver e AGIR como Jesus.

Alexandre disse...

Aqui no Brasil temos um presidente que se diz cristão mas é dominado por um astrólogo, se diz a favor da família e já está no terceiro casamento, se diz sério mas vive reproduzindo fake news com os filhos numa verdadeira roda de escarnecedores, a única coisa em comum com o rei Davi são os Joabes evangélicos que além de fazer vista grossa lhe dão suporte político pelos motivos acima citado, em suma, uma verdadeira raça de víboras.

Anônimo disse...

Isso não é de hoje. O marxismo é um ero na historia da humanidade, a maior criação de satanás. OS homens de Deus do passado não foram capazes de esmaga-lo. A cada geração fica pior, as direitas estão indo para o centro. Confio em Deus que seu poder se revelara em meio a uma geração satanista (apenas para salvar seus eleitos, porque o mundo já era).

- Flávio