11 de maio de 2020

Casa Branca de Trump está aberta para ouvir algumas partes da Bíblia, mas nenhuma condenação bíblica do sexo de homens com homens


Casa Branca de Trump está aberta para ouvir algumas partes da Bíblia, mas nenhuma condenação bíblica do sexo de homens com homens

Julio Severo
Uma confusão resultante da desinformação dos meios de comunicação sobre uma opinião bíblica de um pastor evangélico sobre pecados homossexuais provocou uma condenação furiosa da Casa Branca contra sua alegada opinião evangélica contrária à homossexualidade.
Ralph Drollinger
Reportagens dos meios e comunicação disseram que o pastor evangélico, Ralph Drollinger, culpou a homossexualidade pela epidemia do coronavírus. Por exemplo, a manchete do jornal britânico DailyMail disse: “Pastor que lidera estudo semanal da Bíblia para os ministros de Donald Trump condena aqueles que têm ‘uma tendência ao lesbianismo e à homossexualidade,’ além de ‘ambientalistas,’ mas culpa a China por desencadear a ira de Deus durante a crise do coronavírus.”
Até a mídia conservadora teve inicialmente uma interpretação não muito diferente. O WND (WorldNetDaily) publicou uma reportagem com a manchete “Líder de estudo bíblico dos ministros de Trump culpa a ‘ira’ de Deus pelo coronavírus.”
Em resposta a essas reportagens, o porta-voz da Casa Branca Judd Deere, que é um ativista homossexual, chamou a postura do pastor evangélico de “nojenta” e “não é algo que o presidente acredita.”
Mais tarde, em uma reportagem com a manchete “Líder de estudo bíblico dos ministros de Trump acaba com mal-entendidos da imrpensa sobre a ‘ira de Deus,’ e a fé do presidente,” o WND disse:
Drollinger disse ao WND em uma entrevista que ele realmente estava reagindo a alguns mestres da Bíblia que fizeram essa afirmação, “tentando sair na frente da história” com uma análise cuidadosa das Escrituras que chegou à conclusão oposta.
Na reunião semanal — que ultimamente tem sido uma teleconferência devido às restrições do coronavírus — Drollinger disse que um dos ministros de Trump perguntou: “Olha, qual é o sentimento de ser arrancado do contexto? Bem-vindo ao clube.”
Entre os participantes regulares estão o vice-presidente Mike Pence, o secretário de Estado Mike Pompeo, o ministro de Habitação e Serviços Humanos Ben Carson, o ministro da Agricultura Sonny Perdue, a ministra da Educação Betsy DeVoss, o ministro Alex Acosta e o diretor da Secretaria de Administração e Orçamento, Russell Vought.
Drollinger, fundador dos Ministérios do Capitólio, que fornece ensino bíblico, evangelismo e discipulado a líderes políticos de todas as partes dos Estados Undios, disse que sua intenção com a discussão da ira de Deus era preparar os ministros de Trump “para o que inevitavelmente acontecerá.”
Drollinger, um jogador profissional de basquete que se tornou o pastor que realiza estudos bíblicos para a maioria dos principais republicanos no governo Trump, mencionou a idolatria da homossexualidade e do ambientalismo ao explicar o julgamento de Deus na crise dos coronavírus.
Patrocinadores de Ralph Drollinger e seu estudo bíblico na Casa Branca
Em materiais que Drollinger preparou para seus estudos bíblicos para a semana de 23 de março, ele deu evidência da existência da ira de Deus, na qual Deus abandona causas perdidas — inclusive ambientalistas que “servem mais à criatura do que ao criador” e aqueles que têm uma “propensão” ao lesbianismo e à homossexualidade.”
Seu material de estudo da Bíblia é intitulado “Deus está julgando os Estados Unidos hoje?”
Drollinger não ligou a homossexualidade ao coronavírus, mas pelo fato de que seu estudo da Bíblia na Casa Branca mencionou a homossexualidade e o coronavírus, a Grande Mídia, que é dominada por homossexualistas raivosos, conectou histericamente os dois assuntos e promoveu sua própria interpretação histérica.
Para piorar as coisas, o porta-voz da Casa Branca, impulsionado por seu próprio ativismo gay histérico, pulou automaticamente para a mesma interpretação maliciosa.
Por que um presidente “conservador” precisa de um porta-voz gay na Casa Branca para pular para interpretações histéricas? Enquanto George Washington expulsava homossexuais do governo, Obama e agora Trump lhes dão as boas vindas.
Washington não permitia nenhum homossexual no governo. Por que Obama permitia? Por que Trump permite?
Mas a interpretação histérica do porta-voz da Casa Branca foi reveladora. Ele acha que qualquer interpretação bíblica de que a homossexualidade traga conseqüências é “nojenta.” Então, ele acha que Deus condenar a homossexualidade também é “nojento”? Na verdade, o contrário é verdadeiro. Na Bíblia, Deus diz que a homossexualidade é nojenta:
“Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher. Isso é abominável!” (Levítico 18:22 KJA)
Outras versões dizem “repugnante.”
O porta-voz homossexual da Casa Branca diria que foi “nojento” Deus destruir Sodoma por causa da homossexualidade?
Drollinger parece ser livre para dar estudos bíblicos na Casa Branca, desde que esses estudos não contradigam certas posturas morais (e imorais) de Trump. Ele não tem permissão de ensinar sobre como Deus condena pecados homossexuais.
Washington, que acreditava na Bíblia, consideraria muito repugnante a Casa Branca, sob Trump, ter um ativista gay para condenar pastores evangélicos com base apenas em reportagens tendenciosas de uma mídia esquerdista que cultua a sodomia com todo o coração e mente.
Washington também consideraria muito nojento Judd Deere dizendo que “não é algo que o presidente acredite,” sugerindo que Trump não aceita a condenação bíblica da homossexualidade e nenhuma conseqüência para esse pecado.
Não acho que seria uma surpresa um porta-voz gay na Casa Branca de Obama. Não seria uma surpresa um porta-voz gay na Casa Branca de Obama dizer que opiniões evangélicas sobre a homossexualidade são “nojentas” e que “não é algo que o Presidente Obama acredite.”
Então, o que realmente mudou sob Trump?
Durante os 8 anos do governo Obama, expus e critiquei tais posturas esquerdistas, e agora estou vendo as mesmas posturas esquerdistas no governo Trump. Mas enquanto vi multidões de pastores evangélicos na época de Obama o criticando, agora vejo multidões de pastores evangélicos em silêncio pelos mesmos pecados no governo Trump.
Não fico surpreso quando vejo presidentes esquerdistas fazendo coisas esquerdistas. Mas fico surpreso quando vejo presidentes direitistas fazendo coisas esquerdistas. E fico muito mais surpreso quando vejo pastores evangélicos calados sobre tais coisas.
Os americanos falam muito sobre a Constituição, mas ela não defende a homossexualidade e o aborto. Aliás, os fundadores dos EIA que redigiram a Constituição viam a Bíblia como Constituição de Deus, a Constituição divina acima de todas as constituições humanas. Nenhum deles apoiava a homossexualidade e o aborto.
Há outra coisa em que Trump e Obama são semelhantes. Quando Obama pedia orações nacionais pelos Estados Unidos, ele nunca pedia aos americanos que se arrependessem de seus pecados. Da mesma forma, quando Trump pede orações nacionais pelos Estados Unidos, ele nunca pede que os americanos se arrependam de seus pecados.
Ambos os comportamentos são muito diferentes de George Washington e de outros antigos presidentes dos EUA. Quando eles pediam orações nacionais pelos Estados Unidos, eles sempre pediam aos americanos que jejuassem e se arrependessem de seus pecados.
Washington, o primeiro presidente dos EUA, expulsou homossexuais de seu governo, porque ele levava a sério os pecados e o arrependimento. Por que Trump não tem tal seriedade?
No entanto, como Trump pode pedir aos americanos que se arrependam da homossexualidade e de outros pecados se eles se recusam a vê-los como repugnantes? Como eles podem se arrepender de pecados se não sentem o peso sujo de tais pecados? Como eles podem condenar pecados e se arrepender deles se recusam aceitar a condenação de Deus à homossexualidade e outros pecados?
Tradicionalmente, os cassinos são lugares de corrupção, dinheiro sujo, drogas e prostituição — feminina e masculina. Os donos de cassinos não vêem mal na homossexualidade.
Os donos de cassinos não vêem necessidade de se arrepender de nada. É por isso que nos dias nacionais de oração nos EUA, Trump, que é dono de cassinos, nunca fez o que George Washington sempre fazia: se arrepender e pedir ao povo americano que se arrependa de seus pecados.
Aliás, na última oração nacional, Trump inaugurou um Dia Nacional de Oração totalmente diferente: ele convidou líderes de religiões não-cristãs e anticristãs para também liderar orações! Washington nunca fez isso. Em vez de um Dia Nacional de Oração, com jejum e arrependimento, assim como Washington fazia, Trump inaugurou um Dia Nacional de Apostasia, com líderes de religiões não-cristãs e anti-cristãs rezando aos seus deuses, espíritos e demônios para “abençoar” os EUA. Suas rezas são nojentas para Deus. Suas rezas e mantras são consideradas maldições por Deus.
Há tantos pastores evangélicos em torno de Trump, muitas vezes dizendo a ele o que ele quer ouvir, que parece que as pessoas esquecem que Trump é o proprietário de uma rede de cassinos. Então, é de se admirar que seja difícil para Trump condenar a homossexualidade, ainda que ele tenha um histórico presbiteriano? É de admirar que o governo Trump esteja promovendo a homossexualidade em todo o mundo?
Ele está apenas fazendo o que qualquer dono de cassino faria. Infelizmente, é o que Obama também faria.
Entenda a situação de Trump. Se ele se arrepender de seus pecados, ele transformará seus cassinos em locais de trabalho decentes e hotéis decentes — livres de corrupção, dinheiro sujo, drogas, prostituição e homossexualidade. Ele estaria disposto a fazer tal arrependimento? Ele estaria disposto a estender tal arrependimento ao seu governo e nação?
Somente se ele tiver um encontro real com Cristo.
Leitura recomendada:

3 comentários :

Gabriel disse...

Julio, poderia fazer um artigo sobre a Débora G. Barbosa ? Ela vem entrando no meio cristão através do youtube, fazendo uma lavagem cerebral nas pessoas colocando o islã, cristianismo e judaismo no mesmo bolo, defendendo o islã com todas as forças e enganando a muitos, percebo que ela é uma infiltrada islâmica para confundir os cristãos. Fico no aguardo e paz do Senhor !

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

As partes da bíblia que se usam são complicadas. Leviticos é complicado. Usar um versículo é complicado. Há lá coisas boas e coisas muito más. E desafio alguém de boa vontade a ler Leviticos completo e explicar honestamente o que ainda se aplica no século XXI. Não com respostas vagas. Versículo a versículo. Este sim, este não.

Claro que não é possível. Podemos, é claro, lendo uns e ignorando outros.

Trata-se duma lei feita há milhares de anos. Válida e justa para a época. Difícil de passar agora. Se alguém quiser discutir a lei antiga, cuja não é alterada num til ou jota, bem vindo. Podemos é claro dizer que é tudo figurado que o sacrifício de Cristo abroga a lei anterior e os tais tiles ou jotas. Ou que era sacrificial. Podemos tirar tudo o que tenha a ver com sacrifícios de animais.

A Bíblia, ou o Alcorão tem de ser lidos e citados em certos trechos. Os outros convém serem esquecidos.

Anônimo disse...

Leis do antigo testamento do tipo cerimonial nao sao validas, mas leis comportamentais são. E mesmo q vc ignore o antigo testamento inteiro, o novo ainda critica a pratica da homossexualidade (Rm 1:26-27,1 Co 6:9, etc). O blog esta apenas criticando a atitude do Trump, que se diz cristão, em apoiar e promover a homossexualidade, bem como ele tem seus cassinos e outras coisas. Ninguem aqui ta impondo uma ordem de morte para os homossexuais, e sim criticar um dito cristao q apoia a homossexualidade.