26 de março de 2020

Tempo de pandemia do coronavírus é tempo de oração


Tempo de pandemia do coronavírus é tempo de oração

Julio Severo
Tempo de crise é tempo de oração. Não adianta achar que o coronavírus, o vírus que causa a doença de COVID-19, não é uma crise ou, pior, que é apenas uma “gripezinha,” “resfriadinho” e “fantasia,” conforme disse o Presidente Jair Bolsonaro. Se fosse só isso, os EUA, a maior potência do mundo, não teriam orientado seus cidadãos no mundo inteiro a voltar para casa imediatamente.
Alguns preferem se consolar que tudo não passa de uma conspiração globalista — um pensamento tolo, pois a pandemia está destroçando o principal plano globalista, que é fronteiras abertas. Para desespero dos globalistas, EUA e Europa fecharam suas fronteiras.
Outros se consolam que é uma conspiração da Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas no início da crise, a OMS, que estava sob intensa pressão da China, não queria de forma alguma classificar essa crise como pandemia. Foi só depois da pressão intensa dos EUA que a OMS conseguiu superar a pressão chinesa e reconhecer a pandemia.
Como avalio essa crise? Bolsonaro precisa estabelecer um Dia Nacional de Oração. Trump já fez isso. Vou apontar os riscos para o Brasil e para Bolsonaro.
Se o Brasil viver uma quarentena, muitas empresas falirão e os trabalhadores vão ficar sem dinheiro para comprar comida. Será um quadro terrível. Mas recorde que países como Israel já estão em quarentena. Israel, que tem o turismo como uma de suas maiores fontes de lucro, baniu o turismo enquanto durar a pandemia.
Se a quarentena for abolida no Brasil ou se for imposta somente a idosos, aumentarão os números de infectados, e o sistema de saúde, que já está sobrecarregado e não dá conta de quase nada, vai falir. Isto é, se você sofrer um acidente ou ataque cardíaco, você terá de ficar em casa e morrer. Isso já está acontecendo na Itália, que é mais avançada do que o Brasil.
Outro problema são os favelões do Brasil. Se o coronavírus atingir as favelas, vai ser o caos. Uma amiga médica contou que já há no Brasil médicos infectados. Se até médicos estão sendo infectados, o que dizer dos favelões?
Se essa pandemia não fosse tão séria quanto Bolsonaro faz parecer, tratando-a como “gripezinha,” “resfriadinho” e “fantasia,” como foi que grande parte de sua comitiva aos EUA pegou essa “fantasia”? Como explicar isso? Quem faz descaso da pandemia é o Rasputin Olavo de Carvalho, que diz que ela é uma invenção e não existe. Mas um dos principais adeptos dele no governo, Felipe G. Martins, pegou o coronavírus. Por que ele se isolou? Esqueceçaram de contar a ele que é apenas uma invenção e “fantasia”?
Como não deduzir a origem do comentário de Bolsonaro de que o coronavírus é “fantasia” quando seu conselheiro ocultista favorito tem a mesma fantasia?
Bolsonaro está numa crise política intensa. Se a epidemia se espalhar no Brasil sem quarentena, o povo vai culpá-lo. Se as pessoas falirem por causa da quarentena, o povo também vai culpá-lo. Por isso, é mais necessário do que nunca que ele busque a Deus e se liberte de conselhos de Olavo e outros ocultistas, que poderão afundá-lo.
O único jeito de Bolsonaro vencer essa crise e as fantasias que foram inoculadas em sua mente é voltando-se para Jesus Cristo, que é a Verdade. Por influência de sua esposa evangélica, Bolsonaro não repete sempre as palavras de Jesus Cristo “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32)? Jesus Cristo tem o poder de livrar a mente dele de todas as fantasias e teorias de conspirações inoculadas pelo Rasputin.
É claro que se os EUA, que são geniais na descoberta de soluções, descobrirem um remédio contra o coronavírus, todas as nossas preocupações sobre epidemia e quarentena vão desaparecer.
Contudo, se nenhum remédio surgir agora, precisaremos invocar a Deus como nunca antes — e também levar o Evangelho do Reino de Deus, curando os enfermos e expulsando demônios.
Precisaremos também orar para que Bolsonaro conheça a verdade que liberta. Estou fazendo minha parte, orando por ele e tentado alertá-lo.
Mensagem para o Presidente Jair Bolsonaro, enviada por mim através de sua página de Facebook:
Bolsonaro, oro todos os dias por você. Mas permite-me lhe dar dois humildes conselhos? Não fica bem referir-se ao coronavírus como “gripezinha” e “resfriadinho.” É tão impróprio quanto dizer “facadinha” e “atentadozinho” em referência ao ato terrorista socialista contra sua vida. São referências descabidas inaceitáveis. Outro conselho é: IMITE TRUMP! Trump enxotou aos pontapés Steve Bannon, uma espécie de “Olavo de Carvalho americano” a quem ele chamou de oportunista. Daria para você imitar Trump e enxotar aos pontapés do governo Olavo e seus adeptos ineptos, encrenqueiros e oportunistas? Independente de você aceitar esses dois humildes conselhos, vou continuar orando diariamente por sua vida.
Leitura recomendada sobre coronavírus:

5 comentários :

Alerrandro disse...

O vírus é real sim. Mas já reparou que a Índia só parou recentemente e que na verdade é o mundo Ocidental judaico-cristão que parou totalmente?

Cicero disse...

Como assim?? China, Japão, Coreia também pararam, agora que estão voltando aos poucos...

Hagnaldo disse...

Ótima visão, consistente e honesta.
Oremos pelo nossos governantes, que estão perdidos e não sabem como sair deste beco sem saída!

Anônimo disse...

Prezado Júlio,
Peço que considere as informações abaixo:

http://www.libertar.in/2020/03/dossie-falsa-pandemia-de-coronavirus.html

http://www.telesintese.com.br/rede-para-internet-das-coisas-da-american-tower-chega-a-112-cidades/

https://www.redeiot.rio/

Não nego a existência da doença mas aqui na cidade do Rio, as pessoas não estão levando a quarentena a sério principalmente fora da Zona Sul e Centro, bebendo nos bares normalmente. São muitos usuários de crack e moradores de rua, então não deveria haver já muitos corpos nas ruas ? Começaram uma vacinação contra a gripe na Segunda, não seria a hora oportuna para botar tudo na conta do COVID-19 ? As pessoas são muito teleguiadas pela Globo, estão mais preocupadas em comprar álcool gel do que comida...

Louvo a Deus por haver pessoas como você tementes a Deus e dispostas a compartilhar informações essenciais conosco.

Luiz Felipe Freitas disse...

Caro Julio,

Ainda que você não acredite que tudo isso seja uma obra do globalismo, amparado na justificativa de que eles querem fronteiras abertas. Já parou para pensar em relação a questão da renda básica que está sendo sugerida por muitos países? Inclusive pelo EUA e Brasil?
A renda básica nesse momento é necessária, claro, já que muitos podem morrer de fome por perder serviços por conta do isolamento. Mas devemos colocar em análise que a renda básica é a carta na manga do globalismo e de governo totalitários, eles querem que todos sirvam o Estado. Ainda que os projetos aprovados sejam temporários, sempre há um risco da proposta se estender.
A renda básica também é pautada e amplamente defendida pela ONU, e já a notícias de que deveria ter uma renda básica universal.
Sendo assim, acredito que a questão da fronteira é uma das últimas possibilidades, e a renda básica seria uma "porta de entrada" para outras possibilidades. E se formos pensar pela lógica globalista de criar o caos para impor uma nova ordem sobre o caos, tudo isso faz muito sentido.