12 de fevereiro de 2020

Presidente do Brasil diz que acredita em Jesus em evento evangélico


Presidente do Brasil diz que acredita em Jesus em evento evangélico

Julio Severo
O presidente brasileiro Jair Bolsonaro se juntou aos 140.000 jovens que participaram do The Send 2020 em Brasília, em 8 de fevereiro de 2020.
Bolsonaro discursando no The Send
Embora não tenha sido convidado diretamente, Bolsonaro apareceu porque “ele queria estar lá para o evento histórico,” informou a Fox News.
A multidão de milhares aplaudiu quando Bolsonaro subiu ao palco e pediu oração. Ele também declarou que acredita em Jesus.
Os coordenadores do evento incluíram Andy Byrd de Jovens com Uma Missão, Todd White de Christianity Lifestyle, Brian Brennt do Circuit Rider, Michael Koulianos da Jesus Image, o intercessor Lou Engle, Daniel Kolenda de Cristo para Todas as Nações e Teo Hayashi do Movimento Dunamis.
Contudo, essa não foi a primeira vez que Bolsonaro confessou Jesus. Em 2016, ele foi batizado no rio Jordão pelo pastor Everaldo das Assembleias de Deus. A interação entre eles no batismo foi:
“E aí, Bolsonaro, você acredita que Jesus é o Filho de Deus?”
“Acredito.”
“Você crê que Ele morreu na cruz?”
“Sim.”
“Que Ele ressuscitou?”
“Sim.”
“Está vivo para todo o sempre?”
“Sim.”
“É o Salvador da humanidade?”
“Sim.”
“Mediante a sua confissão pública, eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”
Everaldo e Bolsonaro eram então deputados federais no Congresso Nacional, com Everaldo sendo o presidente do Partido Social Cristão e Bolsonaro sendo um membro desse partido. O batismo, embora simbolicamente espiritual, foi uma estratégia política. Depois do batismo, os evangélicos brasileiros, que pensavam que ele havia se tornado um evangélico, votaram maciçamente nele.
Hoje, Everaldo e Bolsonaro são inimigos políticos e Bolsonaro deixou seu partido.
Bolsonaro também aceitou Jesus em outros cultos evangélicos. Em dezembro de 2019, ele recebeu alguns pastores evangélicos em sua residência presidencial e declarou que estava “aceitando publicamente Jesus.”
Portanto, sua declaração no The Send, aceitando ou declarando Jesus, foi uma de suas muitas outras declarações semelhantes. No entanto, ele não está aberto apenas aos evangélicos. Em maio de 2019, ele fez com que um de seus ministros assinasse um documento consagrando o Brasil para Santa Maria, e optou por manter a imagem dela em sua residência presidencial.
Bolsonaro diante do ídolo da Aparecida
Assim como ele participa de eventos evangélicos enormes, ele também participa de eventos católicos enormes. Em 12 de outubro de 2019, ele participou das festividades na Basílica do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, São Paulo. O regime militar no Brasil criou, em 1980, a data de 12 de outubro de cada ano como feriado federal do Dia de Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil. Essa data é repudiada pelos evangélicos brasileiros, que veem Jesus como o único Senhor do Brasil.
Em janeiro de 2020, pouco antes do evento The Send, Bolsonaro visitou a Índia, onde ele se purificou em um templo hindu. Você pode assistir à sua purificação hindu aqui.
Bolsonaro com um sacerdote num templo hindu
O sincretismo religioso é generalizado entre os católicos brasileiros. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Fórum do Centro de Pesquisas Pew sobre Religião e Vida Pública, mais de 60% da população urbana do Brasil afirma filiação católica. No entanto, há uma capa de religiões afro-brasileiras (como o candomblé, a quimbanda e a umbanda) com crenças e práticas católicas, que muitos brasileiros católicos não consideram incompatíveis com sua fé.
Astrólogos, médiuns espíritas e videntes são imensamente populares no Brasil. Paulo Coelho, um autor esotérico brasileiro que é visto como um “católico místico,” tem vários livros publicados em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos. Até mesmo Bill Clinton, quando era presidente dos EUA, tinha seus livros como leitura favorita.
Cada um deles diz que “crê” em Jesus. É muito comum no Brasil qualquer católico, inclusive médiuns espíritas, declarar que acredita em Jesus.
No caso de Bolsonaro, seu catolicismo não é diferente do sincretismo religioso generalizado entre os católicos brasileiros.
Ele viu que sua abertura espiritual às pessoas em suas religiões as torna abertas politicamente para ele. Então, quando ele foi batizado no rio Jordão por um pastor pentecostal, os evangélicos votaram em massa nele. Sua estratégia política foi bem sucedida.
Sua abertura — cada vez que ele aceita ou confessa Jesus — é pelo menos uma porta aberta para que algo aconteça, inclusive a possibilidade de uma verdadeira conversão a Jesus. Entretanto, é inegável que, assim como os líderes evangélicos aprenderam a capitalizar religiosamente em cima das visitas dele a seus eventos e cultos, ele também aprendeu a capitalizar politicamente em cima do desejo evangélico de vê-lo aceitando Jesus — de novo e de novo e de novo.
Essa capitalização mútua é benéfica quando os dois lados estão realmente abertos um ao outro. No entanto, os eleitores de Bolsonaro, inclusive eu, precisam orar fervorosamente por ele. Embora tenhamos garantido sua vitória com milhões de votos, ele vem recebendo conselhos de um homem ocultista — como é tradição no Brasil, onde presidentes católicos recebem conselhos de médiuns, espiritualistas, ocultistas etc.
Jesus pode curar Bolsonaro de seu sincretismo e sua dependência de conselhos ocultistas. Cada vez que ele aceita ou confessa Jesus em um culto ou evento evangélico, há uma oportunidade de que ele possa alcançar uma verdadeira experiência de salvação, apesar de suas estratégias políticas.
Deus é maior do que estratégias políticas. Vamos orar para que as estratégias de Deus prevaleçam.
Com informações de Charisma, Extra e GospelMais.
Leitura recomendada:

4 comentários :

Marcelo Victor disse...

NA VERDADE, O ESPÍRITO DO VELHO POLÍTICO BRASILEIRO NUNCA O DEIXOU...ELES FAZEM QUALQUER NEGÓCIO PELA FAMA E PELO PODER.

Cicero disse...

Crer em Deus em Jesus? A Bíblia tbm diz que os demônios creem e tremem.

Thel disse...

Bolsonaro se prostrando diante dos demônios do hinduísmo não é novidade, político é tudo igual.
Eu quero ver os falsos profetas corarem de vergonha quando Deus derramar juízo neste injusto país chamado Brasil. Tal qual aconteceu com Judá no passado, quando os falsos profetas prometiam chuvas de bençãos para aquele povo pecador e corrupto.

Edgar disse...

Pelo comportamento dele nao parece acreditar em Jesus. Será que se realmente acreditasse se comportaria como se comporta?