26 de novembro de 2019

Divisões por causa do homossexualismo estão destruindo igrejas. Sua igreja será a próxima?


Divisões por causa do homossexualismo estão destruindo igrejas. Sua igreja será a próxima?

Shane Idleman
Com o fato de que Justin Hoke foi removido como pastor da Igreja Presbiteriana Bíblica da Trindade por postar o seguinte: “Bruce Jenner ainda é um homem. A homossexualidade ainda é pecado. A cultura pode mudar; a Bíblia não,” pensei que era apropriado e oportuno relançar este artigo:
Com os pastores renunciando, escritores cristãos best-sellers permanecendo em silêncio e líderes populares de louvor mostrando apoio ao casamento gay, muitos ficam perplexos e confusos. Esses pontos podem nos ajudar a entender melhor as grandes divisões:
1. A definição de amor é compreendida de forma incorreta. Para verdadeiramente “amar” os outros, precisamos primeiro amar a Deus e à Sua verdade; esse é o fundamento (ver Mateus 22:36-40). Amar alguém significa que aprovamos seu estilo de vida? Ou significa que nós os amamos o suficiente para compartilhar a verdade? Se uma pessoa está mais preocupada em ser amada do que em ser verdadeira, ela realmente ama mais os que são pegos em pecado do que aqueles que estão dispostos a falar a verdade em amor? A resposta é óbvia: os cristãos autênticos amam a verdade e os outros na medida em que estão dispostos a arriscar as consequências do confronto para ajudar os outros. Isso é amor genuíno, não ódio. O maior presente que os pais podem dar aos filhos é amor e verdade, em vez de apoiar um estilo de vida destrutivo.
Como uma pessoa pode analisar os versículos da Bíblia que lidam com esse tópico e chegar à conclusão de que o casamento gay é bíblico, enquanto outros chegam à conclusão oposta? É muito simples: o primeiro grupo olha através das lentes da opinião; o segundo grupo através das lentes do amor genuíno e da verdade absoluta. Ouça minha entrevista de uma hora na Fox News que ilustrará melhor as diferenças: youtu.be/tUH1aL33Dz8.
Michael Brown comentou recentemente: “Uma razão pela qual as pessoas apoiam o casamento gay é porque seus amigos gays são realmente bacanas e alguns parecem ser cristãos comprometidos. Eles dizem que suas vidas espirituais ganharam vitalidade quando perceberam que poderiam ser gays e cristãos ao mesmo tempo.”
Acredito que eles ganharam vitalidade porque alguém validou seu estilo de vida. Isso não é diferente de pessoas que dizem que se sentem vivas e renovadas, mesmo sendo apanhadas em adultério. O pecado é uma boa sensação por uma temporada — esse é o engano. Mas essas temporadas de realização sexual geralmente duram pouco: “Não se engane: de Deus não zomba. Pois, o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7). A verdadeira liberdade vem do verdadeiro arrependimento.
2. A Bíblia é clara ou vaga? Pesquisas recentes mostram que menos de 50% dos crentes lêem a Bíblia, e muito menos praticam. E, como sabemos, ler a verdade sem praticá-la leva ao engano. Não é de admirar que haja confusão. Além disso, muitos dos defensores do casamento gay estão adotando a visão de escritores esquerdistas. Eles valorizam mais as palavras do ativista gay cristão Matthew (Mateus) Vines do que o Evangelho de Mateus.
Quando os cristãos acreditam que Deus lhes deu autoridade para mudar a verdade, a fim de mantê-la relevante, eles estão se afastando de Deus. Embora desanimadora, essa tendência não é de surpreender. O apóstolo Paulo alertou séculos atrás: “Chegará o tempo em que as pessoas não aguentarão sã doutrina [a Palavra de Deus], mas… de acordo com seus próprios desejos… elas desviarão os ouvidos da verdade e se voltarão para mitos.” (2 Tim. 4: 3-4). Se não é isso o que vemos hoje, não sei o que é.
A Bíblia nos encoraja a ser pacificadores, mas não como negociadores religiosos. Em nosso zelo por alcançar os outros, muitas vezes fazemos concessões à mensagem porque queremos ser mais apreciados do que verdadeiros. Surpreendentemente, foram “cristãos” que se opuseram ao meu artigo sobre o que a Bíblia diz sobre casamento gay e homossexualidade. Meu artigo em inglês pode ser visto aqui: westsidechristianfellowship.org/uncategorized/5-28-14-did-jesus-say-anything-about-homosexuality-pastor-shane-idleman/
3. “Não julgue” ao que tudo indica significa “não diga nada negativo.” Quando olhamos para o contexto e o verdadeiro significado de “julgar,” vemos claramente que não há contradição. Essa deturpação de “julgar” é uma tentativa de adaptar as Escrituras para apoiar opiniões. Em João 7:24, os cristãos devem julgar ou “questionar” as coisas que claramente contradizem os princípios de Deus. Em 1 Coríntios 2:15, o apóstolo Paulo disse que aqueles que são espirituais devem julgar e discernir todas as coisas. Devemos examinar nossas próprias vidas primeiro e depois devemos ser movidos principalmente pelo amor a Deus e aos outros antes de criticar.
4. Quem está influenciando sua decisão: Hollywood ou o Espírito Santo? Nossas convicções devem refletir o coração de Deus e não a influência do mundo. O mundo saberá que somos cristãos pelo nosso amor uns pelos outros e pela nossa obediência, não pelo modo como imitamos bem o mundo ao nosso redor. Oswald Chambers comentou uma vez que um pecador, que agora é salvo pela graça, “prova que é perdoado por ser o oposto de quem ele era.”
Os cristãos carnais dão a Deus “o que é devido,” algumas horas no domingo. As coisas do mundo são emocionantes e as de Deus são monótonas. O amor deste mundo e o louvor dos homens afastaram de Deus uma grande parte da Cristandade, daí as divisões. Um cristão carnal não ora e busca o coração de Deus. Uma vida de oração profunda expõe fachadas e esmaga a hipocrisia. A carnalidade também destrói o poder espiritual e dificulta o enchimento do Espírito. Em resumo, tudo o que Deus nos chama para ser sofre concessões, inclusive uma visão distorcida da pureza sexual.
Infelizmente, muitos que adotam visões fora da Bíblia não são salvos. A fé genuína se reflete no amor a Deus e à Sua Palavra, humildade sincera, verdadeiro arrependimento e desconexão com o mundo. Sua vida reflete essas características? Todos pecamos e deixamos a desejar, mas a pergunta importante a se fazer diz respeito à condição do seu coração. Você realmente se arrependeu e creu em Cristo como seu Senhor e Salvador, ou está confiando em falsa segurança? Paulo disse em 2 Coríntios 13:5: “Examine-se, para ver se você está na fé; teste-se. Você não sabe que Jesus Cristo está em você? A menos que você seja desqualificado.”
5. Há esperança: Neste momento, você pode pensar: “Por que tentar? Isso é inútil! Eu me afastei demais.” Deixe-me tranquilizá-lo: Deus não deixa nosso relacionamento com Ele depender de medir ou seguir regras. Ele quer que sejamos como somos, reconheçamos nossa necessidade de um Salvador e dediquemos nossa vida completamente a Ele. Esteja você promovendo o casamento gay ou lutando contra a homossexualidade, reconheça que todos cometemos erros. Simplesmente se arrependa e lute para ser santo e puro, e você experimentará “momentos de renovação… da presença do Senhor” (Atos 3:19). Mudança é trabalho que Deus faz, mas obediência é nós que fazemos.
Shane Idleman é o fundador e pastor principal da Comunidade Cristã Westside em Leona Valley, Califórnia, ao norte de Los Angeles. Ele lançou recentemente seu sétimo livro, Desperate for More of God, em shaneidleman.com. A pregações, artigos, livros e programas de rádio de Shane podem ser encontrados em wcfav.org. Siga-o no Facebook em: facebook.com/confusedchurch.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: The Gay Divide Is Taking Out Churches; Is Yours Next?
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :