28 de novembro de 2019

A esposa de Bolsonaro e a dupla gay “evangélica”: “A gente se diverte”


A esposa de Bolsonaro e a dupla gay “evangélica”: “A gente se diverte”

Julio Severo
Uma dupla homossexual foi convidada para um culto doméstico no Palácio da Alvorada, a casa de Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente Jair Bolsonaro. Não fosse a decisão de revelar os nomes dos participantes, ninguém saberia quem participou do que.
Jair e Michelle Bolsonaro com Diego Hypólito
O site Pleno News disse que Michelle fez questão de divulgar o culto que havia sido feito: “O encontro se transformou em um momento de louvor cristão, encabeçado pelo atleta Diego Hypolito na ‘escolha de repertório,’ como a própria primeira-dama divulgou em seu Instagram.”
Do ponto de vista do evangelismo, não havia razão para fazer propaganda da participação de Diego e seu “namorado” homossexual, Marcus Duarte, no culto de Michelle. Somente do ponto de vista político, onde tanto direitistas quanto esquerdistas lutam para aparelhar suas ideologias ao homossexualismo, é que a propaganda é importante.
Para a dupla gay, houve repercussão negativa na própria comunidade gay, que hostiliza Bolsonaro e seu governo por entender equivocadamente que o governo Bolsonaro não dá aos homossexuais os mesmos privilégios que o governo do PT dava, embora um ativista gay que trabalha dentro do governo Bolsonaro confessou recentemente que o governo Bolsonaro está avançando, sem alarde, a mesma agenda gay que o governo do PT avançava com alarde.
A participação da dupla gay no culto de Michelle não causou repercussão na população evangélica, que parece ter entendido, como eu mesmo entendi inicialmente, que nada há de mal se uma evangélica convida dois pecadores homossexuais para ouvirem o Evangelho num culto doméstico. Mas o caso não é tão simples assim, porque a dupla gay já se considera evangélica, frequenta uma denominação neopentecostal famosa e um deles foi batizado recentemente nessa igreja.
Aliás, conhecem tão bem a igreja evangélica que Diego ficou encarregado de escolher todos os hinos.
Michelle Bolsonaro é conhecida por duas coisas: 1. Ela é esposa do presidente do Brasil. 2 Ela é evangélica.
Como esposa do presidente, ela pode receber qualquer visita, embora visitantes comunistas e socialistas possam causar constrangimento político para ela e seu marido.
Como evangélica, ela poderia ter evitado constrangimento para sua fé evangélica e para os apoiadores evangélicos de seu marido se ela tivesse dito publicamente: “Concordo com a Bíblia, que condena o comportamento homossexual como abominação. Igualmente concordando com a Bíblia, abro meu lar para receber todos os pecadores para que conheçam Jesus.”
Mas ela não emitiu nenhum comunicado ou notinha nesse sentido. Ela se limitou a dizer sobre a participação dos dois homossexuais “evangélicos” em seu culto doméstico: “A gente se diverte.”
O que há de divertido em dois homossexuais que acham que Deus os aceita do jeito que são sem nenhuma necessidade de arrependimento? Dias antes de irem ao culto doméstico, um dos gays, Marcus Duarte, se batizou na Igreja Bola de Neve, que parece não ter seguido o padrão bíblico, que é as pessoas se batizarem depois de conhecerem Jesus, se arrependerem e reconhecerem que Jesus é Senhor de suas vidas.
“Antes, conhecia um Jesus de ouvir falar. Hoje, conheço um Jesus de comigo andar. Sem dúvida, a melhor escolha da minha vida,” festejou Marcus nas redes sociais.
O que fica muitíssimo estranho é que antes ele conhecia como homossexual. E agora depois de batizado, ele diz conhecer Jesus melhor, ainda como homossexual.
Já vi casos de homens que se batizaram e espiritualmente festejaram por deixarem o velho homem homossexual afogado nas águas do batismo. Antes do batismo, eles já haviam renunciado à sua vida de pecado.
Mas Marcus deixou claro que ele não renunciou à vida de pecado homossexual.
O que a Bíblia diz?
“Pedro respondeu: ‘Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo.’” (Atos 2:38 NVI)
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.” (1 Coríntios 6:9-11 NVI)
“Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.” (Levítico 18:22 NVI)
Tanto Marcus quanto o atleta Diego Hypólito frequentam a Igreja Bola de Neve. Diego disse antes de visitar Michelle: “Eu sou de Deus!”
Batizar-se sem arrependimento é fazer pouco caso de Deus e Sua Palavra. Batizar-se para continuar na prática do pecado não é batismo de acordo com a Bíblia. O pastor da Igreja Bola de Neve que vilipendiou o batismo ao batizar um homossexual determinado a não largar do pecado homossexual deveria ser colocado sob disciplina rigorosa.
Nesse ponto, estou preocupado com a Igreja Bola de Neve, cuja sede já visitei em São Paulo e cuja denominação tive de citar num artigo necessário recente porque um dos pastores de sua sede anda promovendo livros pró-Inquisição como consequência de seguir cegamente o astrólogo Olavo de Carvalho.
Michelle Bolsonaro não tem culpa das decisões de uma dupla gay. Mas ao receber, na condição de evangélica, em sua casa uma dupla gay que ostenta a identidade evangélica com práticas homossexuais sem deixar claro que ela ama tais pecadores, porém discorda de suas práticas, ela se envolveu numa grande polêmica onde o governo Bolsonaro pode ser visto como tentando influenciar os evangélicos para acolher gays “evangélicos” como indivíduos normais e plenamente aceitáveis por Deus. É uma aceitação movida por interesses políticos.
Embora as igrejas tenham chamado de acolher os pecadores para levá-los a Jesus e ao arrependimento, não é chamado da igreja batizar pecadores homossexuais dentro do pecado homossexual.
E, ao contrário do que Michelle disse, não dá para se divertir com essa situação. Ou ela usou seu culto doméstico apenas como estratégia de propaganda para fazer os evangélicos se sentirem mais à vontade com qualquer avanço da ideologia gay que o governo de seu marido fizer? Ela querendo ou não, o culto e a reação dela com ausência destacada de posturas evangélicas e bíblicas firmes deixaram a impressão de que a agenda política é mais importante do que valores cristãos e verdadeiro evangelismo.
Querendo ou não, Michelle acabou sancionando a falsa identidade evangélica que a dupla gay ostentou em sua casa.
Talvez Michelle precise de um discipulado melhor para ajudá-la. Meses atrás, ela recebeu de uma entidade da seita do Rev. Moon o títuto de Embaixadora da Paz. Obviamente, é contraditório uma evangélica receber tal condecoração de uma seita direitista acusada no mundo inteiro de fazer lavagem cerebral em jovens para se dedicarem a um falso messias.
Provavelmente, ela fez isso porque foi muito mal assessorada. Além disso, ela não é teóloga para entender essas questões.
Não é o caso de Marisa Lobo, que se apresenta como psicóloga e teóloga e também recebeu o título de Embaixadora da Paz, inclusive com cargo em entidade do Rev. Moon. Quem ostenta título teológico tem mais que obrigação de entender, evitar e denunciar os males que afetam a fé evangélica. A propaganda de um falso messias entre evangélicos é um grande mal.
A propaganda de um “evangelicalismo homossexual” é também um grande mal. Quem puder, ajude Michelle Bolsonaro a entender esses males.
Se ela não for devidamente discipulada, outros poderão usá-la para “discipular” os evangélicos para aparelhar o conservadorismo evangélico ao homossexualismo com objetivos puramente políticos e eleitoreiros.
Com informações de TV Foco, Pleno News e Extra.
Leitura recomendada:

10 comentários :

Flávio disse...

Na campanha Bolsonaro disse que só combateria a ideologia de gênero. Não sei se teremos algum governo anti lgbt de verdade, isso Ta ficando antiquado para sociedade cada vez mais liberal.

Valdir E. Santo disse...

O poder corrompe. A política trata-se de uma arte mundana e em qualquer meio que se introduzir, sempre ficará se posicionando entre o "certo e errado". Nunca teremos um presidente "terrivelmente evangélico" nem aqui e nem em lugar nenhum; pois, quando o povo de Israel trocaram um profeta velho (Samuel) por inveja dos "reis do mundo", nem Deus falando como seria a vida deles o fizeram mudar de ideia. Quanto as Igrejas que são complacentes com os pecados, as tais serão julgadas na medida de sua aceitação; todavia, a verdadeira Igreja comprada, lavada e remida pelo Sangue de Jesus não está presa as amarras deste mundo e tampouco espera que alguma coisa boa surja dele. Maranata!

Moreira disse...

Tem uma história, me parece verdadeira onde um jornalista pergunta para um ativista gay ou um militante favoravel a causa. Os evangelicos não aceita homoxessuais, o que o sr acha. Respondeu o entrevistado " A IGREJA Evangélica tbm não "aceitava" casais separados, ma's agora aceitam"...!

Anônimo disse...

Apostasia! Simples Assim! Jesus Vem Aí!

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Eu penso que nestas coisas de religião estão a ser um pouco intolerantes.

Neste mundo há imensas religiões. O Islão, o cristianismo, o hinduísmo, etc e etc e etc.

Dentro de cada uma delas, no cristianismo, por exemplo, há imensas variantes.

Todas tem em comum terem interpretações diferentes.

Umas tem restrições alimentares:

A missa é feita com vinho ou o álcool é proibido.
Nada de porco ou marisco. Porco e marisco válido.

E muitas outras.

Também no ambito sexual.

Padre não pode casar, pastor tem de ser casado, poligamia sim. Divórcio sim ou não.
Homossexualidade sim ou não.

Cada confissão certamente baseada em estudos profundos, chega à conclusão do que são os comportamentos certos e errados dos seus membros.

Sendo todos pessoas de bem, como eu presumo, estão certos que a interpretação que deram dos livros que acham verdadeiros, dos profetas que acham que completam a boa nova, da tradução que usam e do método que usam para encontrar a verdade são infalíveis.

Assim chegam a conclusões infalíveis que determinam qual o dia da semana que devem guardar, o comportamento sexual a observar, o que podem ou não comer, se podem ou não divorciar-se, se os padres ou pastores tem de ser só homens ou mulheres, se casados ou solteiros, se apenas heterossexuais ou homossexuais e por aí fora.

Todos com iguais certezas da sua razão e iguais certezas da falta de razões dos outros.

Assim, em nome da boa organização da sociedade cada qual deveria seguir o que lhe manda a sua organização particular.

Se a congregação, por exemplo os católicos, devem obediência ao papa assim o devem fazer.

Se uma igreja condena o uso de manteiga um amante de manteiga deverá ir para uma igreja que permita a manteiga.

E, como os deuses não tem um hábito de

Virem cá abaixo dizer se esta ou aquela igreja é mais ou menos do seu agrado, apenas podemos especular.

Na paz de cristo, vishna, ganesha, oxum ou omulum ou de qualquer outra divindade.

Cicero disse...

Moreira, mas em caso de adultério a Palavra permite separação sim, Mt 5:32 19:9.

Marcelo Victor disse...

SÃO NOTÍCIAS E ANÁLISES IMPORTANTES QUE A GRANDE MÍDIA NÃO MOSTRA, PORQUE NEM SEQUER IMAGINA O QUE ISSO SIGNIFICA DE VERDADE.
O FATO É QUE O MUNDO ESTÁ SE TORNANDO SODOMITA A PASSOS LARGOS, ADORNANDO-SE PARA O FOGO, QUE NÃO DEIXARÁ NEM RAIZ NEM RAMO, DESTRUINDO TODOS AQUELES QUE PRATICARAM E APROVARAM ESSA ABOMINAÇÃO.
O POBRE BOLSONARO ESTÁ ATRÁS DE VOTO E APROVAÇÃO POPULAR, DISPOSTO A FAZER QUALQUER COISA PARA VENCER AS FUTURAS ELEIÇÕES...QUALQUER COISA QUE REPRESENTE POLARIZAÇÃO NÃO É BOM PARA O SEU GOVERNO, POR ISSO, ELE JOGARÁ EM QUALQUER TIME.

Eliane Souza disse...

Achei estranhíssimo tudo isso. Eu sou da Bola de Neve, frequento a Sede da igreja, e sei que há um trabalho de recuperação de homossexuais lá. Inclusive já ouvi diversas vezes testemunhos dados, durante cultos na Sede, de pessoas que haviam abandonado o pecado homossexual (incluindo "casamentos" homossexuais) por causa de sua conversão e discipulado na Palavra.

Julio Severo disse...

Oi, Eliane! Converse por favor com os líderes aí da sede da Bola de Neve e pergunte o que está acontecendo, pois toda a mídia está falando que o homossexual foi batizado na Bola de Neve em Brasília, mas até agora nenhum líder da Bola de Neve veio desmentir essa informação ou pelo menos punir o pastor envolvido, se é que o fato é verdade. No entanto, a total ausência de pronunciamento dos líderes da Bola de Neve faz parecer que é verdade que a Bola de Neve batizou um homossexual não arrependido. Se puder, por gentileza, leve esse assunto aos líderes da sede da Bola de Neve em São Paulo. Obrigado.

Marcelo Victor disse...

A PERMISSIVIDADE COM O MUNDO SODOMITA E COM O EFEMINISMO TÁ GRANDE E VAI AUMENTAR, POIS AS AUTORIDADES CORRUPTAS TOMARAM PRA SI COMO QUESTÃO DE HONRA (QUANTO PIOR MELHOR), USANDO O TAL DOS DIREITOS HUMANOS.
COM ESSA DESCULPA, ESTÃO ENTRANDO EM ESCOLAS E CONTAMINANDO AS CRIANÇAS COM SUAS IDEOLOGIAS MALIGNAS E ANTICRISTÃS.