11 de novembro de 2019

Ortodoxo cristão Putin e calvinista Viktor Orban discutem aliança internacional para proteger os cristãos


Ortodoxo cristão Putin e calvinista Viktor Orban discutem aliança internacional para proteger os cristãos

Julio Severo
A Fundação Barnabas (que significa Barnabé), um ministério mundial que trabalha para ajudar cristãos perseguidos, está vendo de maneira positiva como o presidente russo Vladimir Putin está expressando preocupação com o “êxodo em massa” de cristãos do Oriente Médio e promete que a Rússia fará “tudo” para protegê-los de “perseguição, mortes, estupros e roubos.”
Primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán e presidente russo Vladimir Putin
A reportagem sobre a Fundação Barnabas e Putin foi feita pelo WorldNetDaily, um dos sites cristãos conservadores mais importantes do mundo, que disse:
Putin estava falando em uma recente reunião com Viktor Orban, o primeiro-ministro da Hungria.
Os dois descreveram o Oriente Médio como o “berço do Cristianismo,” e Putin levantou preocupações sobre o êxodo dos cristãos.
Ele prometeu que a Rússia “faria tudo” para protegê-los.
Orban discutiu uma “aliança internacional” para ajudar e proteger os cristãos, bem como outras religiões minoritárias.
“Os cristãos do Oriente Médio estão sofrendo graves perseguições e conflitos violentos,” disse Barnabas. “O patriarca Inácio Aphrem II, da Igreja Ortodoxa Siríaca, disse: ‘Muitas vezes, sentimos que fomos abandonados como cristãos do Oriente Médio. Sentimos que não temos amigos. Que ninguém se importa conosco.’”
Há três anos, a Hungria criou uma agência governamental focada em aliviar a perseguição de cristãos no Oriente Médio. Aconteceu depois de uma reunião anterior entre Orban e vários líderes de igrejas, inclusive Aphrem.
Continuando, o WorldNetDaily disse:
“A postura russa deve servir para fortalecer os esforços para apoiar esses cristãos que sofrem,” explicou a Fundação Barnabas. “A Fundação Barnabas apoia muitos projetos para cristãos na Síria através do escritório do Patriarca Aphrem e outros parceiros do projeto, inclusive programas de alimentação e ajuda de emergência depois de atentados violentos.”
A BosNewsLife informou que a Hungria gastou dezenas de milhões de dólares na construção ou reforma de igrejas, hospitais e outras ajudas humanitárias.
“Muita coisa está sendo direcionada aos cristãos no Oriente Médio, onde milhares estão sendo mortos, feridos ou deslocados por guerras e atentados extremistas,” afirmou o site.
Putin também disse que quer que a Rússia ajude a restaurar e preservar os “locais sagrados” dos cristãos.
Ele disse que influências russas já estão ajudando grupos judeus…
Orban, que organizou a reunião, disse que se junta a Putin na questão do êxodo dos cristãos.
Putin é membro da Igreja Cristã Ortodoxa Russa, enquanto Orban é membro da Igreja Reformada Húngara Calvinista.
Uma aliança entre um cristão ortodoxo e um calvinista para proteger os cristãos deve ser bem-vinda por todos os cristãos.
Enquanto Putin é um cristão nominal, Orbán parece estar deixando o Cristianismo nominal para adotar uma fé mais prática. Recentemente, em uma atitude muito humilde, Orban postou uma imagem poderosa de si mesmo ajoelhado para orar com o evangelista Nick Vujicic.
Ele precisa de tal mudança. Orbán é calvinista, mas sua esposa e seus cinco filhos são católicos romanos. Essa é uma situação muito comum entre calvinistas, cuja fé é tão fraca e cujo Cristianismo é tão nominal que eles se casam com católicos. O presidente dos EUA, Donald Trump, que é um calvinista nominal nascido na Igreja Presbiteriana, também se casou com uma mulher católica, mas há esperança: ultimamente ele tem dado atenção à televangelista da teologia da prosperidade Paula White, que é sua principal conselheira espiritual.
Os cristãos precisam orar para que Putin possa ter a mesma oportunidade espiritual que Orbán e Trump estão tendo.
A parceria de Orbán e Putin para ajudar os cristãos também era desejada por Trump em sua campanha de 2016. Durante todo o ano de 2016, Trump deixou bem claro que ele queria essa parceria com Putin, mas os neocons infernizaram seu plano.
Trump precisa de nossas orações para prevalecer sobre os neocons. Só assim ele terá sua parceria sonhada.
Se Trump se unir a Putin e Orbán, serão dois calvinistas e um cristão ortodoxo em parceria para proteger os cristãos.
Essa parceria precisa ser apoiada por todos os cristãos.
Leitura recomendada:

10 de novembro de 2019

PODEROSO: Primeiro-ministro da Hungria publica foto nas redes sociais de Nick Vujicic e de si mesmo orando



PODEROSO: Primeiro-ministro da Hungria publica foto nas redes sociais de Nick Vujicic e de si mesmo orando

Steve Warren
O primeiro-ministro da Hungria postou uma poderosa imagem de si mesmo ajoelhado para orar com o evangelista Nick Vujicic.
Vujicic voltou recentemente a Budapeste para uma série de palestras. Suas palestras são muito populares entre os húngaros. Em seu evento realizado na arena local, Vujicic palestrou para 12.000 pessoas, de acordo com o jornal Hungary Today.
Vujicic também postou a imagem do primeiro-ministro Viktor Orban e si mesmo orando juntos em 26 de outubro. Orban havia feito uma parada na residência onde Vujicic estava hospedado para uma visita ao motivador orador cristão.
“Obrigado, Sr. Primeiro-Ministro @orbanviktor, por se encontrar hoje comigo e orar juntos pela Hungria! Obrigado por suas boas-vindas e estou impressionado com sua coragem e fé em Deus. Estou animado de ver o que Deus tem planejado para a Hungria! Ansioso para pregar hoje à noite diante de 12.000 pessoas em Budapeste, além da audiência on-line! Deus te abençoe e Deus abençoe a Hungria!”
Orban também postou um vídeo em sua página no Facebook de sua visita a Vujicic.
Em entrevista ao noticiário da Rede de Televisão Cristã dos EUA no ano passado, o ministro das Relações Exteriores da Hungria Péter Szijjártó disse que o povo da Hungria queria manter sua herança como nação cristã.
“Queremos manter a Hungria como um país húngaro; queremos manter a Hungria como um país cristão, de acordo com as raízes e a herança,” disse ele.
Szijjártó também falou sobre como a definição tradicional de família e casamento é importante para os húngaros.
“Somos uma nação que valoriza muito a família,” explicou. “Sabe, mesmo na Constituição, falamos muito claramente que o casamento é uma instituição entre um homem e uma mulher. Recebemos ataques enormes sobre isso, dizendo que somos retrógrados, que não entendemos os desenvolvimentos modernos, mas nós cumprimos a definição tradicional de família e a definição tradicional de casamento.”
O primeiro-ministro Orban disse que a Hungria precisa de um governo dedicado aos valores cristãos, chamando-o de “última esperança” da Europa.
O analista de política húngara Istvan Pocza disse ao noticiário da Rede de Televisão Cristã dos EUA há vários anos que a Hungria só voltou às suas raízes como bastião histórico do Cristianismo, que remonta há mais de mil anos, apesar de quase 200 anos de ocupação otomana muçulmana e depois da Segunda Guerra Mundial, o domínio comunista soviético.
Nos últimos anos, Orban alertou fortemente contra a imigração islâmica na Europa, chamando-a de ameaça à cultura cristã européia.
“Nunca permitiremos que a Hungria se torne um país-alvo para imigrantes,” disse ele à TV húngara, segundo a BBC News. “Queremos manter a Hungria como Hungria.”
O post da imagem de Orban no Facebook também declara “Soli Deo gloria,” que em latim significa: “Glória somente a Deus.”
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Rede de Televisão Cristã dos EUA: POWERFUL: Hungary's Prime Minister Posts Photo to Social Media of Nick Vujicic and Himself Praying
Leitura recomendada:

9 de novembro de 2019

Pastora lésbica torna-se presidente da Federação Nacional do Aborto nos EUA


Pastora lésbica torna-se presidente da Federação Nacional do Aborto nos EUA

Julio Severo
Uma pastora da Igreja Episcopal foi nomeada como a nova presidente da Federação Nacional de Aborto (FNA) nos Estados Unidos.
Katherine Ragsdale
“Os provedores de aborto são alguns dos meus heróis e santos pessoais dos dias de hoje,” disse a Rev. Katherine Ragsdale ao tomar conhecimento de sua nomeação permanente.
A FNA é um grupo de treinamento e defesa do aborto cujo trabalho desafia abertamente a Bíblia que Katherine afirma acreditar, porque a Bíblia ensina claramente que Jesus veio para dar vida abundante e só Satanás dá morte, inclusive por meio do aborto provocado. Os verdadeiros ensinamentos cristãos defendem a vida, não a morte.
Assumidamente homossexual, em 2011 Katherine casou-se com a pastora episcopal Mally Lloyd.
Os cristãos ficaram horrorizados com a nomeação de uma pastora para uma posição de destaque na indústria do aborto dos EUA.
De acordo com a revista World, em uma reunião de ativistas pró-aborto em 2007, a pastora deixou sua posição bastante clara, afirmando: “O aborto é uma bênção e nosso trabalho não está concluído.”
Katherine é uma pastora episcopal cujo trabalho na defesa do aborto remonta há muitos anos.
De acordo com sua biografia na FNA, Katherine promoveu o aborto diante de várias assembleias legislativas e palestrou no evento feminista pró-aborto Marcha pela Vida das Mulheres em 2004 em Washington, DC. Ela também atuou no conselho nacional da Coalizão Religiosa pela Escolha Reprodutiva, uma organização pró-aborto que usa pastores, padres e rabinos para tentar legitimar a matança de bebês em gestação por meio de abortos provocados.
“A Rev. Katherine tem pregado sobre como o aborto é uma bênção e tem atuado ativamente no trabalho de defesa de clínicas de aborto e em outras atividades para apoiar os provedores de aborto por mais de 35 anos,” declara sua biografia.
Katherine terá um salário substancial como presidente da FNA. A ex-presidente dessa organização, Vicki Saporta, recebeu um salário de US$ 392.018 em 2017.
Embora o papel de Katherine como lésbica em uma indústria de aborto seja adequado, porque tanto a homossexualidade quanto o aborto são destrutivos, seu papel como lésbica é incompatível com o Cristianismo, porque Jesus livra as pessoas de demônios e pecados homossexuais. Ele nunca capacita as pessoas a viverem em pecado.
O papel dela como pastora é incompatível com a Bíblia, porque Jesus chama as mulheres mais velhas para ensinar as mulheres mais jovens a valorizar o casamento e a vida doméstica. A Bíblia diz:
“Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus próprios maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada.” (Tito 2:3-5 NVI)
Uma verdadeira pastora ensina as moças a valorizar os bebês em gestação e nascidos, que são uma parte indispensável da carreira natural que Deus escolheu para as mulheres.
Evidentemente, o aborto é muitas vezes usado como uma opção demoníaca para matar bebês que são vistos como obstáculos para ambições profissionais.
Uma verdadeira mulher de Deus ensina as jovens a valorizar sua carreira natural e seus bebês. Uma velha lésbica envolvida em um comportamento destrutivo e desafiando a Deus ensinando e apoiando mulheres jovens a matar seus bebês está obviamente trabalhando para Satanás, não para Deus.
A Rev. Katherine Ragsdale foi ordenada pela Igreja Episcopal, que tem adotado o feminismo e a Teologia da Libertação. A Igreja Episcopal também nomeou uma pastora para servir na Igreja de Cristo, uma igreja protestante fundada por George Washington. Originalmente, a Igreja de Cristo era conservadora.
Com informações de FaithWire e LifeNews.
Leitura recomendada:

8 de novembro de 2019

Golpe ideológico: Cientistas usam “mudança climática” para pedir controle populacional


Golpe ideológico: Cientistas usam “mudança climática” para pedir controle populacional

Para resolver um problema que não existe, cientistas querem agravar um problema que já existe

Julio Severo
Milhares de cientistas em todo o mundo assinaram uma carta declarando que, sem o controle populacional, “incontáveis sofrimentos humanos” acontecerão.
O “Alerta dos Cientistas Mundiais acerca de uma Emergência Climática” foi publicado na revista BioScience em 5 de novembro de 2019 e foi assinado por 11.258 cientistas de 153 países.
Na declaração, os signatários listaram o crescimento econômico e o aumento da população global como “um dos fatores mais importantes para o aumento das emissões de CO2 da combustão de combustíveis fósseis.”
A declaração foi publicada depois que o governo Trump declarou formalmente que os EUA estavam se retirando do Acordo Climático de Paris, um acordo internacional que entrará em vigor em 2020 sob o qual muitos países membros da ONU se comprometeram a reduzir suas emissões de carbono.
O Vaticano, sob o Papa Francisco, apoiou o acordo de Paris, e esse apoio está alinhado com as declarações de João Paulo II e do Papa Bento XVI condenando o aquecimento global, uma farsa ideológica promovida por esquerdistas. Francisco até teve com Obama, em 2015, uma aliança contra o aquecimento global. Mas, diferente dos golpistas de esquerda, os papas não adotam o controle populacional.
Em sua declaração, os cientistas, conhecidos como Aliança dos Cientistas Mundiais, disseram: “A população mundial precisa ser estabilizada.”
Contudo, a população dos EUA não está “estabilizada” o suficiente? A população europeia não está “estabilizada” o suficiente? A realidade é que as populações dos EUA e da Europa estão tão “estabilizadas” que a Europa e os EUA precisam receber milhões de imigrantes, e quem está se aproveitando são invasores islâmicos, que estão tomando o lugar de bebês europeus e americanos que nunca tiveram permissão de nascer por causa do controle de natalidade.
De acordo com os Centros de Controle de Doenças dos EUA (CDC), a taxa de natalidade nos Estados Unidos atingiu o nível mais baixo em 2018, com a taxa de fertilidade total em 1,7 — bem abaixo da taxa de substituição de 2,1. De acordo com as perspectivas demográficas da Revisão de Perspectivas da População Mundial de 2019, para os anos de 2015-2020, a estimativa para a Europa Ocidental foi de 1,68 nascidos vivos por mulher. A América Latina e o Caribe caíram um pouco abaixo do nível de substituição em 2,05 nascidos vivos por mulher.
As políticas bem-sucedidas de controle populacional, observou o relatório, “tornam os serviços de planejamento familiar disponíveis para todas as pessoas, removem barreiras ao seu acesso e alcançam a equidade total de gênero, inclusive a educação primária e secundária como norma global para todos, especialmente meninas e moças.”
Trump não abandonou o Acordo Climático de Paris por causa do “planejamento familiar,” também conhecido como controle da natalidade. Ele deixou porque o acordo diz que o consumo excessivo e a produção excessiva colocam em risco o sistema ecológico. Nenhuma nação na terra produz mais e consome mais do que os Estados Unidos.
O feitiço virou contra o feiticeiro. O documento de controle populacional mais destrutivo foi o NSSM 200, produzido não por esquerdistas ou democratas. Foi produzido por um governo republicano direitista nos EUA em 1974. Esse documento defende duas estratégias principais para reduzir a população mundial: integração do planejamento familiar nos serviços médicos e promoção de educação extensiva para meninas e mulheres, com o objetivo real não de ajudá-las, mas de mantê-las afastadas do casamento.
Enquanto na década de 1970 a União Soviética era o principal promotor do comunismo, os EUA eram, nas sombras, o principal promotor do controle populacional.
O NSSM 200 foi elaborado pela CIA, USAID e Departamento de Estado e seu objetivo secreto era reduzir a população mundial para os interesses dos EUA. Algumas grandes nações, inclusive o Brasil, foram alvos de medidas de controle populacional da CIA para impedir que sua própria população usasse seus próprios recursos naturais, que seriam guardados para os EUA.
Portanto, o NSSM 200 promove o controle populacional para proteger o consumo excessivo e a produção excessiva dos EUA.
Enquanto a ONU, que foi fundada pelos EUA, promove o controle populacional para reduzir o consumo excessivo e a produção excessiva, o NSSM 200 promove o controle populacional exatamente para proteger o consumo excessivo e a produção excessiva dos EUA.
Ninguém promove o mal sem ser prejudicado por ele. Os EUA estão sendo prejudicados pelo NSSM 200, que prejudicou muito outras nações, inclusive o Brasil, doutrinando autoridades e populações a usar o controle de natalidade sem informar que o objetivo real era economizar seus recursos naturais para os interesses dos EUA, inclusive o consumismo excessivo e a produção excessiva dos EUA.
Os EUA estão sendo prejudicados pelo NSSM 200, que prejudicou muito outras nações, inclusive o Brasil, doutrinando autoridades e populações que a educação excessiva para meninas e moças era para empoderá-las sem informar que o verdadeiro objetivo era mantê-las longe do casamento, não para o bem-estar real delas, mas para os interesses dos EUA, inclusive o consumismo excessivo e a produção excessiva dos EUA.
Cumprindo os objetivos do NSSM 200, hoje o Brasil tem uma população totalmente engajada no controle de natalidade e meninas e moças que não sonham em casar e ter filhos, mas em estudar excessivamente para se tornar algum tipo de profissional. O casamento é uma opção distante nesses planos educacionais e profissionais, enquanto a atividade sexual e o controle da natalidade estão sempre próximos.
Na década de 1970, a fome era usada como desculpa para o controle da população, e escritores alarmistas, como Paul Ehrlich, usavam a fome como um exemplo de como a população sem medidas de controle da natalidade produzia fome. Hoje, porém, sabe-se que as grandes fomes que devastaram principalmente a África nas décadas de 1970 e 1980 foram produzidas pelo comunismo.
Fomes generalizadas na África eram usadas no esquema de controle populacional para esconder as conseqüências do comunismo.
Agora, o golpe ideológico é o aquecimento global ou as mudanças climáticas. Esse golpe é o verdadeiro problema, porque a população no Ocidente está abaixo da taxa de substituição e haverá sérias conseqüências econômicas nas próximas décadas, à medida que um número cada vez menor de bebês nasce na Europa e nos EUA. Falar sobre um problema populacional no Ocidente não faz sentido. O Ocidente precisa desesperadamente de crescimento populacional. O Ocidente precisa desesperadamente de mais e mais bebês.
Embora Trump tenha abandonado o Acordo Climático de Paris, é improvável que ele tenha abandonado a farsa do controle populacional. Seu governo financia fortemente o controle da natalidade para a população americana. Seu governo está pressionando pela normalização da homossexualidade em todo o mundo. A homossexualidade é uma maneira forte de reduzir a população mundial.
O crescimento da população com a ética cristã e de trabalho tradicional, como mostra o exemplo dos EUA, produz criatividade, desenvolvimento e progresso. O crescimento populacional sem ética cristã, como mostra o exemplo das nações islâmicas e comunistas, não produz criatividade, desenvolvimento e progresso.
O crescimento da população com a ética de trabalho protestante produziu progresso e desenvolvimento incomparáveis para os EUA. O crescimento da população sem essa ética produz inquietação e violência, e as nações islâmicas estão cheias de inquietação, violência e tirania sórdida.
Os controladores da população precisam pregar e implementar o controle populacional nas nações islâmicas, onde é mais necessário. Pregar e implementar o controle populacional no Ocidente, onde sua população está morrendo, é eutanásia demográfica.
O Ocidente tem feito um controle populacional excessivo, adotando a mentalidade contraceptiva, que inclui o aborto. Não é necessário ser um cientista para saber que o Ocidente está em uma grave crise demográfica, com multidões muçulmanas prontas para assumir o controle.
É hora de rejeitar as farças ideológicas de cientistas. É hora de rejeitar a mentalidade contraceptiva, inclusive a homossexualidade, que é um comportamento efetivo de controle populacional.
Trump deveria ser elogiado por deixar o Acordo Climático de Paris. Mas ele precisa de nossas orações para entender que o controle da natalidade e a agenda homossexual são ferramentas essenciais da agenda de controle populacional por trás do golpe de emergência climático.
Com informações de DailyMail, Catholic News Agency e New American.
Leitura recomendada: