9 de outubro de 2019

Zumbi teológico tenta transformar autor do Evangelho de Lucas em zumbi


Zumbi teológico tenta transformar autor do Evangelho de Lucas em zumbi

O que sobraria do Evangelho de Lucas se tivesse sido escrito por um teólogo cessacionista?

Julio Severo
Acabei de ver a pregação de um famoso teólogo presbiteriano que usou Lucas como exemplo de que nem todos os discípulos de Jesus tinham visões, revelações e profecias. Não contente de viver o cessacionismo só para si, ele tentou transformar Lucas num cessacionista. Ele tentou recriar Lucas conforme sua imagem e semelhança cessacionista.
Ele usou como comparação Apocalipse e Evangelho de Lucas, dizendo que o autor do Apocalipse tinha revelações enquanto o autor do Evangelho de Lucas não tinha nenhuma.
Cessacionismo é a heresia que ensina que os dons sobrenaturais do Espírito Santo cessaram dois mil anos atrás.
Não existe base bíblica para defender a ideia de que Lucas não teve nenhuma visão, revelação, profecias e experiências sobrenaturais com Deus. Não existe também base bíblica para a heresia cessacionista. Mas vamos apenas supor que o teólogo presbiteriano esteja certo.
Em seu Evangelho, Lucas escreveu sobre abundância de milagres de Jesus em sua época sem levantar um único questionamento. Se o teólogo presbiteriano estivesse no lugar de Lucas, ele escreveria sobre tais milagres, inclusive sobre uma moça virgem engravidando pelo Espírito Santo, sem levantar nenhum questionamento?
O teólogo presbiteriano tem vários livros. Nenhum desses livros menciona abundâncias de milagres hoje. Mas trazem abundância de questionamentos e ataques cínicos contra quem acredita que Deus age hoje, inclusive dando visões, revelações e profecias.
Se por uma fatalidade do destino, o teólogo presbiteriano tivesse de escrever o Evangelho no lugar de Lucas, veríamos abundância de milagres sem questionamentos? Não. Teríamos fatalmente um evangelho cheio de questionamentos sem nenhum milagre.
Por sua vez, se Lucas estivesse vivo hoje no lugar do teólogo presbiteriano, ele escreveria vários livros mostrando os milagres que Deus está realizando hoje entre os seguidores de Jesus, com visões, revelações e profecias.
Havia heresias e milagres falsos na época de Jesus? Havia, mas o foco de Lucas eram os milagres verdadeiros. Havia profecias, visões e revelações falsas na época de Jesus? Havia, mas o foco de Lucas eram as profecias, visões e revelações verdadeiras. Se estivesse vivo hoje, o foco de Lucas não mudaria. Ele exaltaria o que é verdadeiro.
O que você preferiria? O Evangelho de Lucas, cheio de milagres e sem nenhum questionamento desses milagres ou o evangelho do teólogo presbiteriano, cheio de questionamentos sobre milagres e nenhum milagre?
Esse teólogo, consciente ou não, é herdeiro legítimo dos fariseus, que eram os maiores teólogos da Bíblia na época de Jesus. Eles eram pomposos e estavam sempre prontos, usando a teologia e distorcendo abundantemente a Bíblia, para questionar todos os milagres de Jesus e seus apóstolos. Eles estavam sempre prontos para atribuir ao diabo as operações do Espírito Santo.
Os modernos fariseus, igualmente usando a teologia e distorcendo abundantemente a Bíblia, estão sempre prontos para questionar todos os milagres de Jesus através de seus seguidores hoje. Eles estão sempre prontos para atribuir ao diabo as operações do Espírito Santo.
Como disse Salomão em Eclesiastes, “Não há nada de novo debaixo do sol.” Não há nada de novo no pomposo teologismo farisaico moderno.
Zumbis teológicos sempre buscam transformar outros conforme sua própria imagem e semelhança de zumbis. É por isso que Jesus disse aos teólogos de sua época:
“Ai de vocês, mestres da Lei e fariseus, hipócritas! Pois vocês atravessam os mares e viajam por todas as terras a fim de procurar converter uma pessoa para a sua religião. E, quando conseguem, tornam essa pessoa duas vezes mais merecedora do inferno do que vocês mesmos.” (Mateus 23:15 NTLH)
Não são apenas bruxos que levam as pessoas para o inferno. Zumbis teológicos, com seus questionamentos contra o Espírito Santo, conseguem fazer a teologia e suas interpretações distorcidas da Bíblia produzirem vítimas que se tornam duas vezes mais merecedoras do inferno do que eles mesmos.
Leitura recomendada:

6 comentários :

Luciano Betim disse...

Deus é soberano

"Na sua providência ordinária Deus emprega meios; todavia, ele é livre para operar sem eles, sobre eles ou contra eles, segundo o seu arbítrio." (Confissão de Fé de Westminster)

Agatha Oliveira disse...

Enquanto o inimigo ataca com metralhadora, os tais teólogos usam plumas para se defender. Acabam por colaborar com a destruição.

Julio Severo disse...

Luciano, a Confissão de Fé de Westminster, que é um mero documento religioso do calvinismo, não está em pé de igualdade com a Palavra de Deus. Daí, pode-se concluir que Deus, sendo soberano, pode muito bem, de acordo com seu arbítrio, se colocar contra os teólogos calvinistas, muitos dos quais hoje lideram o caminho da apostasia, especialmente nas questões de aborto e homossexualismo. Nem preciso dizer que Deus, em sua soberania, usa seus servos para desnudar o cessacionismo tal como é: heresia.

Cicero disse...

Quem nega os dons espirituais do Espírito Santo hoje e sempre, está blasfemando contra esse mesmo Espírito Santo e a sentença é imperdoável!

Anônimo disse...

Também assiti uma pregação de certo Reverendo famoso, que ele utiliza também Lucas para reafirmar e provar o cessacionismo, triste.

Luciano Betim disse...

Prezado Julio. É exatamente isso que eu quis enfatizar: a soberania de Deus. E a Confissão de Fé, que não é infalível, apenas reflete uma determinada corrente, ao meu ver foi feliz nessa colocação.
Abraço.