21 de outubro de 2019

Inclusão de mulheres e homossexuais está trazendo sérios problemas sexuais nas forças armadas dos EUA enquanto agressões sexuais estão piorando a cada ano, sem fim à vista


Inclusão de mulheres e homossexuais está trazendo sérios problemas sexuais nas forças armadas dos EUA enquanto agressões sexuais estão piorando a cada ano, sem fim à vista

Julio Severo
Um especialista em questões militares afirma que as experiências socialistas impostas aos soldados americanos nos últimos anos são um fracasso.
“As tentativas do Ministério de Defesa de reduzir as agressões sexuais nas forças armadas estão fracassando. Relatórios anuais que rastreiam o número de agressões reais a mulheres e homens [revelam] que o problema está piorando a cada ano, sem fim à vista,” afirma um relatório do independente Centro de Prontidão Militar (CPM).
A conclusão foi confirmada pelos mais altos níveis de comando. As informações sobre os casos vêm da Secretaria de Prevenção e Resposta a Agresões Sexuais do Pentágono.
O CPM disse que é “uma desgraça que, em um único ano (2018), mais de 6.000 soldados e soldadas acharam necessário denunciar agressões sexuais.”
As moças foram vítimas de predadores sexuais do sexo masculino, enquanto os rapazes foram vítimas de predadores homossexuais.
A culpa é clara: “Durante décadas, engenheiros sociais feministas, legisladores e autoridades de alto nível do Pentágono prometeram que missões de combate para mulheres reduziriam os índices de agressões sexuais. Pelo contrário, de acordo com dados do Ministério de Defesa, aconteceu o oposto. Ativistas LGBT também insistem em que sua agenda está funcionando bem… mas… as porcentagens anuais de agressões sexuais contra militares do sexo masculino mostram uma tendência perturbadora. As políticas sociais que ignoram ou tentam redefinir a sexualidade humana estão enfraquecendo a disciplina, a confiança e as carreiras de muitos líderes seniores,” afirma o relatório.
A inclusão de mulheres com homens no serviço militar tem sido um desastre não apenas nos Estados Unidos, mas também em Israel. Apesar da distribuição de contracepção gratuita, o número de abortos legais entre as soldadas de Israel aumentou. Em 2018, as Forças de Defesa de Israel realizaram 1.000 abortos em suas soldadas.
Portanto, o custo da inclusão de mulheres com homens nas forças armadas israelenses aumentou a atividade sexual entre si e o sacrifício de 1.000 bebês inocentes em 2018.
Existem outros problemas também. As mulheres não têm o mesmo senso de objetividade e direção que os homens têm em situações críticas. Em 1 de outubro de 2019, a policial branca Amber Guyger foi considerada culpada de assassinato depois que ela atirou fatalmente em seu vizinho negro desarmado. O assassinato aconteceu depois que a policial erroneamente foi ao apartamento de seu vizinho, pensando que era o apartamento dela, e ela pensou que ele a invadiu, quando a realidade era exatamente o contrário.
Por sua má direção, ela teve dois pensamentos errados: pensou que o apartamento do vizinho era dela, e não era. Ela pensou que o vizinho estava armado e ele não estava.
Então, por que as mulheres estão nas forças policiais e militares? Porque o socialismo as coloca nesses lugares. No socialismo, todos são iguais. Então, se os homens são soldados e policiais, por que não também mulheres?
No paraíso militar socialista, que nunca é um paraíso na vida real, mulheres e homossexuais são iguais a homens de verdade.
O resultado, como é comum no socialismo, tem sido um desastre.
Com informações do WorldNetDaily e DailyMail.
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :