9 de setembro de 2019

Televangelista Benny Hinn, que se tornou milionário fazendo adoradores darem contribuições para ele, disse que sua teologia da prosperidade “é uma ofensa ao Senhor” e promete que nunca mais pedirá dinheiro


Televangelista Benny Hinn, que se tornou milionário fazendo adoradores darem contribuições para ele, disse que sua teologia da prosperidade “é uma ofensa ao Senhor” e promete que nunca mais pedirá dinheiro

Julio Severo
O televangelista Benny Hinn, que se tornou um milionário pregando a teologia da prosperidade, agora fez uma impressionante rejeição a essa prática e declarou que “é uma ofensa ao Senhor.”
Sua forma da teologia da prosperidade o enriqueceu desafiando as pessoas a dar grandes somas de dinheiro se quisessem uma grande bênção.
Hinn, que tem uma fortuna estimada em US$ 60 milhões, agora diz que o “Espírito Santo está farto” da teologia da prosperidade e prometeu nunca mais pedir dinheiro.
“Lamento dizer que a teologia da prosperidade endoideceu um pouco e estou corrigindo minha própria teologia e todos vocês precisam saber disso. Porque quando leio a Bíblia agora, não a vejo com o mesmo olhar que vi há 20 anos,” disse Hinn.
“Eu acho que é uma ofensa ao Senhor, é uma ofensa dizer dê US$ 1.000. Eu acho que é uma ofensa ao Espírito Santo colocar um preço no Evangelho. Para mim chega. Nunca mais pedirei que você dê US$ 1.000 ou qualquer outra quantia, porque acho que o Espírito Santo está farto disso. Eu acho que isso prejudica o Evangelho, então estou fazendo essa afirmação pela primeira vez na minha vida e, francamente, não me importo mais com o que as pessoas pensam de mim. Quando você olha para a palavra de Deus… se eu ouvir mais uma vez, derrote sua dívida com uma oferta de US$ 1.000, vou repreendê-los,” disse ele.
“Eu acho que é comprar o Evangelho. Isso é comprar a benção. Isso está entristecendo o Espírito Santo… Se você não está dando porque ama a Jesus, não se incomode em dar. Eu acho que dar se tornou um truque publicitário… está me deixando mal do estômago,” acrescentou.
O jornal britânico Daily Mail informou que o ministério de Hinn arrecadou cerca de US$ 100 milhões em doações anuais.
Hinn é conhecido por suas conferências de cura divina, que geralmente são realizados em grandes estádios nos Estados Unidos.
Os cultos de cura divina geralmente mostram crentes sendo derrubados pelo Espírito Santo. Eles também afirmam ter sido curados de doenças através dos cultos de Hinn.
Hinn, que nasceu em Israel e cresceu no Canadá, tornou-se evangélico devoto quando criança. Ele se mudou para a Flórida, EUA, aos 20 anos e se casou com sua esposa — que era filha de um pregador. Foi então que ele também se tornou pregador. Ele começou seu programa de TV no início da década de 1990 e logo começou a ser transmitido em todo o mundo.
Os escritórios de Hinn no Texas sofreram batidas policiais da Receita Federal em 2017 e ele foi um dos seis evangelistas de televisão investigados pelo Comitê de Finanças do Senado dos EUA em 2007.
A teologia da prosperidade é o ensino e a crença entre pentecostais e neopentecostais de que os cristãos podem obter riqueza e saúde exercendo sua fé.
Existem vários graus no ensino e na prática da teologia da prosperidade. Alguns televangelistas da teologia da prosperidade insistem que só dá para você receber bênçãos dando dinheiro na igreja. Esse era o caso de Hinn.
Outros televangelistas da teologia da prosperidade insistem em que os milagres acontecem apenas pela fé, independentemente de contribuições. Esse era o caso do falecido televangelista Rex Humbard.
A teologia da prosperidade, que nasceu nos Estados Unidos, a nação mais capitalista e protestante do mundo, é uma forma distintamente capitalista do evangelicalismo dos EUA que foi exportada para várias nações ao redor do mundo. No Brasil, os televangelistas da teologia da prosperidade estão na vanguarda da guerra cultural e, curiosamente, os socialistas brasileiros dizem que o inimigo número 1 do socialismo no Brasil é a teologia da prosperidade.
A teologia da prosperidade ameaça o socialismo no Brasil porque enquanto os socialistas ensinam os pobres a apoiar os políticos socialistas para obter saúde, educação e uma vida melhor, os televangelistas da teologia da prosperidade ensinam os pobres a buscar intensamente Deus para obter saúde, educação e uma vida melhor.
O socialismo entrou na América Latina seduzindo os pobres de que eles poderiam ter uma vida melhor tirando dos outros e ajudando os marxistas a subir no poder.
A teologia da prosperidade, em suas diversas formas, veio diretamente dos Estados Unidos e entrou na América Latina, incentivando e motivando os pobres a trabalhar duro e realizar um objetivo profissional, buscando Deus intensamente. A teologia da prosperidade ensina seus seguidores na América Latina a odiar o aborto, a homossexualidade e ideologias semelhantes. Portanto, não é de admirar que a esquerda a odeie. A única surpresa é por que calvinistas estão tão unidos com marxistas, socialistas, progressistas e até feiticeiros que combatem essa teologia capitalista.
Congratulo-me com a decisão de Hinn de deixar sua forma radical da teologia da prosperidade que levava as pessoas a contribuir milhões para ele. Mas outras formas da teologia da prosperidade precisam ser incentivadas, não apenas porque produzem um espírito capitalista em cristãos pobres, mas também porque ameaçam o socialismo.
Os maiores inimigos da teologia da prosperidade no Brasil são socialistas, inclusive socialistas seculares, católicos e protestantes. Isso fala muito.
Os graus de diferença na teologia da prosperidade são vastos. Por exemplo, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é uma denominação neopentecostal, proprietária da TV Record, o segundo maior canal de TV do Brasil. A IURD prega a teologia da prosperidade e usa a forma radical de ensino de Hinn de que só dá para as pessoas serem abençoadas dando mais e mais dinheiro à igreja, mas a IURD é muito hostil a todas as outras igrejas da teologia da prosperidade no Brasil. A IURD é a única igreja neopentecostal do Brasil que defende o aborto, uma postura compatível com a Igreja Presbiteriana dos EUA, a maior denominação calvinista dos EUA. A IURD defende o cessacionismo, ensinando que hoje profecia, revelação e outros dons do Espírito Santo são demoníacos. A IURD ensina que apenas a Bíblia é necessária e que os dons sobrenaturais do Espírito Santo cessaram 2.000 anos atrás, uma postura compatível com os calvinistas cessacionistas.
Os calvinistas cessacionistas estão comemorando a decisão de Hinn. Muitos deles têm histórico socialista ou são amigáveis aos socialistas calvinistas. Embora eles não hesitem em chamar qualquer forma da teologia da prosperidade de heresia, eles hesitam muito em chamar qualquer forma de socialismo entre calvinistas de heresia.
A teologia da prosperidade em suas diversas formas não está presente entre calvinistas. Mas o socialismo em suas diversas formas, inclusive a antiga Teologia da Missão Integral e a teologia gay, está presente entre os calvinistas. Portanto, seria muito sábio que os calvinistas se concentrassem em seu enorme problema socialista interno, não na teologia da prosperidade, que tem sido a forma mais eficaz de capitalismo evangélico para combater o socialismo.
Muitas vezes, os calvinistas cessacionistas atacam a teologia da prosperidade, sem fazer distinção em seus vários graus, porque se opõem a tudo o que é pentecostal e neopentecostal, especialmente os dons espirituais do Espírito Santo. Eles acreditam que esses dons cessaram há 2.000 anos e que os cristãos que dizem hoje que têm dons são heréticos ou estão sob ilusão herética e demoníaca.
Esse é o caso do teólogo calvinista John MacArthur. Em seu livro “Strange Fire: The Danger of Offending the Holy Spirit with Counterfeit Worship” (Fogo Estranho: O Perigo de Ofender o Espírito Santo com Adoração Falsificada), ele menciona negativamente Benny Hinn 199 vezes, ainda que Hinn não tenha sido convidado para pregar em igrejas calvinistas. “Fogo Estranho,” que não faz menção negativa à Igreja Presbiteriana dos EUA e ao calvinismo homossexualista da Coalizão pelo Evangelho, usa a teologia da prosperidade para atacar todos os carismáticos, pentecostais e neopentecostais.
Em “Fogo Estranho,” MacArthur disse:
“Ao elevar a autoridade da experiência acima da autoridade das Escrituras, o movimento carismático, pentecostal e neopentecostal destruiu o sistema imunológico da igreja — concedendo sem crítica acesso livre a todas as formas imagináveis de ensino e prática heréticos. Em outras palavras, a teologia carismática, pentecostal e neopentecostal não deu nenhuma contribuição à verdadeira teologia ou interpretação bíblica; pelo contrário, representa uma mutação pervertida da verdade. Como um vírus mortal, esse movimento obtém acesso à igreja mantendo uma conexão superficial com certas características do Cristianismo bíblico, mas, no final, sempre corrompe e distorce os ensinamentos sólidos. A degradação resultante, como uma versão doutrinária do monstro Frankenstein, é um hibrido hediondo de heresia, êxtase e blasfêmia, desajeitadamente vestido com os farrapos da linguagem evangélica.”
MacArthur chama várias vezes o movimento pentecostal, neopentecostal e carismático de “herético.” Uma das muitas desculpas que ele usa para aplicar esse rótulo extremista nos pentecostais consta em seu livro, que diz: “Pentecostais e carismáticos elevam a experiência religiosa acima da verdade bíblica. Embora muitos deles honrem da boca para fora a autoridade da Palavra de Deus, na prática eles a negam.”
O contrário é a verdade. Dou um exemplo do próprio quintal calvinista de MacArthur. A Coalizão pelo Evangelho, entidade formada apenas por calvinistas, vem defendendo a ideia de que um evangélico pode ser homossexual e pastor, desde que limite sua homossexualidade aos pensamentos e desejos, sem praticá-los. Aliás, a Coalizão pelo Evangelho tem vários membros que são pastores homossexuais supostamente não praticantes.
MacArthur também é membro da Coalizão pelo Evangelho. Esse é o caso perfeito de colocar a experiência pessoal de pecado, seja em pensamentos, desejos ou ações, de pastores calvinistas homossexuais acima da Palavra de Deus. Na verdade, não são as igrejas pentecostais que estão liderando a apostasia de ordenar pastores homossexuais. São as igrejas calvinistas. O farisaísmo reina no calvinismo cessacionista.
Benny Hinn tomou a atitude certa ao renunciar a uma teologia da prosperidade extremista que exige dinheiro em troca de bençãos. Mas as outras formas capitalistas menos radicais da teologia da prosperidade, que confrontam o socialismo e encorajam e motivam os cristãos a buscar saúde, emprego e vida melhor em Deus, não no socialismo, precisam ser fortalecidas.
Quanto a John MacArthur que demoniza os pentecostais, carismáticos e neopentecostais e todas as formas capitalistas da teologia da prosperidade, ele deveria focar na Coalizão pelo Evangelho que aceita pastores calvinistas homossexuais que colocam sua experiência e sentimentos homossexuais acima da Palavra de Deus.
Outro sentimento prejudicial é a inveja. MacArthur e outros calvinistas invejosos não deveriam usar a forma fanática da teologia da prosperidade anteriormente pregada por Hinn como uma desculpa para atacar todas as formas dessa teologia e, pior de tudo, atacar todos os movimentos carismáticos, pentecostais e neopentecostais, que é exatamente o que ele faz. Esse sentimento é uma inveja fanática, especialmente porque a teologia da prosperidade, com seu evangelicalismo capitalista americano distinto, tem tido um papel benevolente proeminente em incentivar e motivar os pobres do Terceiro Mundo e ameaçar o socialismo. MacArthur e outros calvinistas deveriam louvar a Deus, não dedicar suas vidas a uma inveja fanática contra carismáticos, pentecostais e neopentecostais.
Se todas as formas da teologia da prosperidade forem destruídas, como querem os calvinistas cessacionistas, quem restará para incentivar e motivar os pobres a buscar uma vida melhor através do capitalismo bíblico? Quem restará para combater o socialismo tão predominante entre católicos e até calvinistas na América Latina?
Com informações do DailyMail.
Leitura recomendada:

9 comentários :

Ernandes AL disse...

Eu tive uma biblia de estudo MacArthur que ferrou minha ciminhada cristã por um tempo: nela negava a atualidade do dom de línguas... Me deixou bloqueado por um tempo até que o Espírito Santo convenceu-me desse dom maravilhoso que além de experimentar na prática me tornou um cristão completo. O mal usa MacArthur com toda certeza.

Flávio disse...

Todo pastor devia ensinar os cristãos a buscarem prosperidade financeira em Deus, assim não haveria espaço para seduções socialistas. Mas isso sem se tornar em um vendedor de bênçãos.

Francisco Azevedo disse...

Creio piamente nos dons sobrenaturais do Espírito Santo. E acho importante os ensinos sobre a prosperidade com equilíbrio.

Alexandre disse...

Toda igreja deveria ensinar que o dom da prosperidade não está ligada unicamente a questão financeira e sim a espiritual, se vc é próspero espiritualmente, todos os setores de sua vida irá refletir essa prosperidade.

rogerio disse...

O apóstolo Paulo trabalha para não ser pesado pra ninguém." Já teve em abundância e em escassez"

Cicero disse...

Julio, mas a IURD aceita alguns dons como cura e libertação (expulsar demônios) não?

Julio Severo disse...

Cícero, a IURD aceita cura como vindo apenas pela fé, não como dom. Expulsão de demônios não é dom.

Eloy Fernando Campana disse...

agora basta saber se ele vai devolver 4x mais...
ainda q isso não aconteça, e se arrependa e pregue o evangelho de verdade, pra mim tá de bom tamanho.

Zinkazapa disse...

Depois que encheu o rabo de dinheiro, fortuna que dá para sustentar folgadamente no mínimo quatro gerações, agora bem essa conversa de Madalena arrependida.

Para cima de mim essa desculpa não cola.