11 de agosto de 2019

Na Alemanha, Igreja Católica e igrejas protestantes perderam mais de 430.000 membros em 2018


Na Alemanha, Igreja Católica e igrejas protestantes perderam mais de 430.000 membros em 2018

Julio Severo
A Igreja Católica e igrejas protestantes tradicionais (que incluem igrejas luteranas e presbiterianas) perderam na Alemanha mais de 400.000 membros em 2018.
A Igreja Católica da Alemanha perdeu 216.078 membros e as igrejas protestantes perderam cerca de 220.000 em 2018, de acordo com dados publicados pela Conferência dos Bispos da Alemanha e pela Igreja Evangélica na Alemanha.
No total, cerca de 23 milhões de cidadãos alemães ainda são membros da Igreja Católica e 21,14 milhões são membros das igrejas protestantes. Os dois grupos representam 53,2% da população total da Alemanha, que tem 83 milhões de habitantes.
As principais razões para o declínio de membros nas duas igrejas são uma população cristã muita envelhecida que está morrendo. Considerando que metade da Alemanha é cristã e que em 2018 morreram 954.897 alemães, metade desse número de mortes explica muito bem os 430.00 alemães que “deixaram” as igrejas: Eles foram para o cemitério.
Família alemã moderna: apenas 1 filho
Para piorar, famílias cristãs alemãs têm em média só um filho, um contraste forte com a Alemanha do século XIX, quando as famílias cristãs tinham em média 10 filhos.
Família do Kaiser Wilhelm II na Alemanha em 1896: 7 filhos
Enquanto a Igreja Católica e as igrejas protestantes tradicionais estão diminuindo sem parar, com uma abundância de falecimentos de cristãos idosos que não tiveram bebês suficientes para substitui-los, o islamismo está crescendo sem parar na Alemanha, com abundância de bebês islâmicos. Diferentes das famílias católicas e protestantes pequenas, as famílias muçulmanas são numerosas e fieis à sua religião.
Enquanto os decrescentes católicos e protestantes alemães geram pouquíssimos bebês para batizar em suas religiões, os muçulmanos geram legiões de bebês para avançar sua religião.
Família numerosa de “refugiados” muçulmanos na Alemanha
O abundante controle da natalidade no catolicismo e protestantismo alemão está destruindo o Cristandade alemã. A falta desse controle no islamismo está aumentando em abundância futuros membros islâmicos na Alemanha.
Com informações da Deutsche Welle.
Leitura recomendada:

Um comentário :

Flávio disse...

A esquerda deve acreditar que ira secularizar os mulçumanos que nascerem na Europa